Views
5 months ago

a historia de israel no antigo testamento

15.9) 200 . Para

15.9) 200 . Para contrabalançar isto, Baasa avançou sua fronteira até Ramá, 8 km ao norte de Jerusalém. Ao ocupar esta importante cidade, pôde controlar as principais rotas procedentes do norte, que convergiam em Ramá e que conduziam a Jerusalém. Em troca de sua ação agressiva, Asa, rei de Judá, conseguiu uma importante vitória diplomática renovando sua aliança com Ben- Hadade I de Damasco. Como resultado, Ben-Hadade anulou sua aliança com Israel e invadiu o território norte de Baasa, tomando o controle de cidades tais como Quedes, Hazor, Merom e Zefate. Também adquiriu o rico e fértil terreno ao oeste do mar da Galiléia, assim como as planícies que havia ao oeste do monte Hebrom. Isto também proporcionou a Síria o domínio do lucrativo comércio das rotas das caravanas para Acor, na costa fenícia. Em vista da pressão procedente do norte, Baasa abandonou a fortificação de Ramá, aliviando assim a ameaça de Jerusalém. Nos dias de Baasa, o profeta Jeú, filho de Hanani, andou ativamente proclamando a mensagem do Senhor. Admoestou a Baasa para que servisse a Deus, quem o havia exaltado até o trono. Desafortunadamente, Baasa ignorou o profeta e continuou no mesmo caminho pecaminoso em que tinha andado Jeroboão. Elá sucedeu a seu pai, Baasa, e reinou menos de dois anos (886-885). Tendo sido achado bêbado em casa de seu mordomo chefe, Elá foi assassinado por Zinri, que estava ao mando dos carros reais de combate. Em poucos dias, a palavra de Jeú achou seu cumprimento, ao perecer assassinados por Zinri todos os parentes e amigos da família de Baasa e Elá. O reinado de Zinri como rei de Israel foi estabelecido com pressa e acabado rapidamente, todo em sete dias. Sem dúvida, tinha falhado em aclarar seus planos com Onri, que estava ao frente do mando das tropas israelitas acampadas contra Gibetom. Resulta obvio considerar que Zinri não contava com o apoio de Onri, já que este último fez marchar suas tropas contra Tirsá. Em seu desespero, Zinri se encerrou no palácio real, enquanto o mesmo ia sendo reduzido a cinzas. Devido a que somente foi rei durante sete dias, Zinri apenas merece menção como dinastia governante. Os governantes onridas Onri foi o fundador da mais notória dinastia do Reino do Norte. Embora o relato escriturístico de seu reinado de doze anos está confirmado em oito versículos (1 Rs 16.21-28), Onri estabeleceu o prestígio internacional do Reino do Norte. Enquanto mandava o exército sob Elá (talvez também para Baasa), Onri ganhou uma exortação militar de grande valor. Com apoio militar, se encarregou do reino dentro dos sete dias depois de acontecido o assassinato de Elá. Aparentemente contava com a oposição de Tibni, quem morreu seis anos mais tarde, e deixou a Onri como único governante de Israel. Samaria foi o novo lugar escolhido como capital. Sob suas ordens, se converteu na cidade melhor fortificada de todo Israel. Estrategicamente situada a onze quilômetros ao noroeste de Siquem, sobre o caminho que conduzia a fenícia, Galiléia e Esdraelom, Samaria estava assegurada como a inexpugnável capital de Israel e assim foi durante século e meio, até que foi conquistada pelos assírios em 722 a.C. As escavações em Samaria deram começo em 1908 por dois grandes arqueólogos americanos, George A. Reisner e Clarence S. Fisher, quem supervisionou a expedição de Harvard que foi continuada em anos sucessivos 201 . Parece ser que Onri e Acabe construíram uma forte muralha em volta do palácio e terreno circundante. Com outra muralha sobre um terraço mais baixo e uma muralha adicional no fundo da colina, a cidade estava bem assegurada contra os invasores. O trabalho de construção (e os materiais empregados) era tão superior, que não tem sido achada outra igual em nenhuma outra parte da Palestina. Marfins utilizados como trabalhos de encaixe 200 E. R. Thiele, "The Mysterious Numbers of the Hebrew Kings", pp. Unger, "Israel and the Arameans of Damascos", p. 59., que segue a Albright e data em 879 a. C. aproximadamente. 201 Ver Wright op. cit., 151-155 e J. P. Free, "Archaeology and Bible History", pp. 181-183. 124

achados nas ruínas, datam os trabalhos nos tempos da dinastia Onri, indicando a importação e o comércio com Fenícia e Damasco. Onri estabeleceu com êxito uma favorável política exterior. De acordo com a pedra moabita, que foi descoberta em 1868 na capital, Dibom, por Clemont-Ganneau, e que se encontra agora conservada no Museu do Louvre de Paris, foi Onri quem subjugou os moabitas para Israel 202 . Obtendo tributos e controlando o comércio, Israel obteve uma grande riqueza. Onri estabeleceu relações amistosas com a fenícia, que ficaram seladas no matrimônio de acabe, seu filho, e Jezabel, a filha de Etbaal, rei dos sidônios (1 Rs 16.31) 203 . aquilo foi de importância vital para a expansão comercial de Israel, e indubitavelmente iniciou uma política de sincretismo religioso que floresceu nos dias de Acabe e Jezabel. Esta última parece implicada em 1 Reis 16.25, onde Onri é acusado de ter feito mais maldade que todos os que haviam existido antes dele. As relações sírio-israelitas nos dias de Onri são em certa forma algo ambíguo (1 Rs 20.34). parece improvável que Onri, que foi tão astuto e teve tanto êxito como militar e diplomático, tivesse concedido cidades à Síria e garantido direitos de comércio em sua cidade capital. Durante os dias de Baasa, os sírios, sob Ben-Hadade, obtiveram o controle das valiosas rotas das caravanas para o oeste e para Acor, mas sem dúvida Onri se opôs a este monopólio por seu tratado com os fenícios e a construção de Samaria, com suas poderosas fortificações. Interpretando a palavra "pai" como "predecessor", no texto acima citado, e aplicando a palavra "Samaria" ao Reino do Norte, as concessões que Israel fez à Síria fazem referência aos dias de Jeroboão 204 . Sem conclusiva evidência para o contrário, parece razoável concluir que Israel não foi invadida pela Síria e não foi tributária para Ben-Hadade nos dias de Onri. É possível que Onri possa ter tido algum contato com a Assíria e que certamente tivesse moderado a atitude Síria para com Israel. Embora a guerra civil tinha prevalecido entre Israel e Judá nos dias de Baasa, não há indicação na Escritura de que isto continuasse no reinado de Onri. Muito verossimilmente, o estado de guerra foi substituído por amistosas aperturas para o Reino do sul, que culminaram com o matrimônio entre as famílias reais de Israel e Judá. Quando morreu Onri em 874 a.C., a cidade de Samaria se converteu num monumento permanente de seu governo. Inclusive tendo estabelecido o reino de Israel, seus pecados excederam os de todos seus predecessores. Acabe (874-853) foi o mais sobressalente rei da dinastia Onri. Herdeiro de um reino que dispunha de política favorável a respeito das nações circundantes, Acabe expandiu com êxito os interesses políticos e comerciais de Israel durante os vinte e dois anos de seu reinado. Casado com Jezabel de Sidom, Acabe alimentos as favoráveis relações com os fenícios. Incrementando o comércio entre aqueles dois países, representava uma seria ameaça ao lucrativo comércio da Síria. E pôde ser muito bem que Ben-Hadade levasse em conta esta afinidade fenícioisraelita com uma manobra diplomática que resultasse ou bem num matrimônio real, ou em devoção religiosa para o deus de Tiro, Melcarth 205 . Entretanto que sua comparação com a Síria não deu lugar a que se abrisse um estado de guerra, Acabe astutamente levou vantagem da oportunidade de assegurar o bem-estar de sua nação. Por todo Israel, Acabe construiu e fortificou muitas cidades incluindo Jericó (1 Rs 16.34; 22.39). Além disso, impôs pesados tributos em gados de Moabe (2 Rs 3.4)., que lhe proporcionaram um favorável equilíbrio no comércio com a Fenícia e a Síria. A respeito de Judá, assegurou uma política de amizade pelo matrimônio de sua filha Atalia com Jorão, filho de Josafá (865 a.C.) 206 . O apoio de Judá fortaleceu Israel contra a Síria. Mantendo a paz e desenvolvendo um lucrativo comércio, Acabe esteve em condições de continuar o programa de construções na Samaria. A 202 Ver J. B. Pritchard, ed. "Ancient Near East Texts", pp. 320-321. 203 Acazias, o filho de Atalia, a filha de Acabe e Jezabel, tinha 22 anos em 842 a.C., portanto o matrimônio de Acabe com Jezabel teve lugar durante o reinado de Onri. Ver Unger, para discussão da questão, op. cit., p.63. 204 Ibid., pp. 61-64. 205 Ibid., p. 65. 206 Note-se que Albright considera a Atalia a irmã, antes que a filha de Jezabel. Ver a discussão de Unger, op. cit., p. 63, s. 2. Não obstante, a cronologia de Thiele permite suficiente tempo para que Atalia seja a filha de Acabe e Jezabel. 125