Views
9 months ago

a historia de israel no antigo testamento

Abraão habita em

Abraão habita em Berseba 21.22-34 A aliança confirmada em obediência 22.1-24 III. Abraão provê pela posteridade 23.1-25.18 Abraão adquire um local de sepultamento 23.1-20 A noiva para o filho prometido 24.1-67 Isaque designado como herdeiro – Morte de Abraão 25.1-18 Mesopotâmia, a terra entre dois rios, foi o lar e a pátria de Abraão (Gn 12.6; 24.10 e At 7.2). situada sobre o rio Balik, um tributário do rio Eufrates, Harã constituiu o centro de cultura onde viveu com seus parentes. Os nomes da parentela de Abraão, Taré, Nacor, Peleg, Serug e outros, estão testemunhados nos documentos Mari e assírios como nomes de cidades nesta zona 42 . Em obediência ao mandado de Deus, de deixar a terra e parentela, Abraão deixou Harã para estabelecer-se com um novo lar na terra de Canaã. Abraão tinha vivido em Ur dos caldeus antes de chegar a Harã (Gn 11.28-31). A identificação mais geralmente aceitada de Ur é a moderna Tell el-Muqayyar, que está situada a 14 quilômetros a oeste de Nasiriyeh, sobre o rio Eufrates, ao sul do Iraque. Foram dadas algumas considerações para as notações geográficas modernas nos tempos de Abraão a uma cidade chamada Ur, localizada no norte da Mesopotâmia 43 . O lugar meridional de Ur (Uri) foi escavado em 1922-34, conjuntamente pelo Museu Britânico e o Museu da Universidade de Filadélfia, sob a direção de Sir Leonard Wooley. Traçou a história de Ur desde o quarto milênio a.C. até o ano 3000 a.C., quando esta cidade foi abandonada. Neste lugar foram encontradas as ruínas do zigurate que tinha sido reconstruído pelo próspero rei sumério Ur Nammu, quem governou por pouco tempo antes do 2000 a.C. Esta cidade continua sendo a grande capital da Terceira Dinastia de Ur. A deusa-lua Nannar que foi adorada em Ur foi também a principal deidade em Harã 44 . A vida de Abraão conduz por si mesma a uma variedade de tratamentos. Geograficamente se podem traçar seus movimentos começando com a cidade altamente civilizada de Harã. Deixando seus parentes, embora acompanhado de Ló, seu sobrinho, viajou por volta de 647 quilômetros até a terra de Canaã, onde se deteve em Siquem, aproximadamente a 48 quilômetros ao norte de Jerusalém. Além de uma excursão ao Egito obrigado pela fome, Abraão se deteve em lugares tão bem conhecidos como Betel, Hebrom, Gerar e Berseba. Sodoma e Gomorra, as cidades da planície para as quais emigrou Ló, estavam diretamente espalhadas ao leste do País do Sul ou Negueve, onde se estabeleceu Abraão. Freqüentes referências indicam que Abraão foi um homem de considerável riqueza e prestigio. Longe de ser um nômade errabundo no sentido beduíno, Abraão dispunha de interesses mercantis. Embora a valoração de seus possessões seja modestamente resumida e expressada numa simples declaração "todas as coisas que haviam reunido e as almas que haviam conseguido em Harã" (12.5) é muito verossímil que esta riqueza sua estivesse representada por uma grande caravana quando emigrou à Palestina. Uma força de 318 servos utilizada para liberar a Ló (14.14) e uma caravana de dez camelos (24.10) não significa senão uma indicação dos recursos com que contava Abraão 45 . Os servos estavam acumulados por compra, doação e nascimento (16.1; 17.23; 20.14). Seus rebanhos e manadas de gado em constante crescimento, a prata e o ouro, e os servos para cuidar tão extensas possessões, indicam que Abraão foi um homem de grandes médios. Os líderes palestinos reconheceram a Abraão como a um príncipe com quem podiam fazer alianças e concluir tratados (Gn 14.13; 21.22; 23.6). 42 Esta terra era também conhecida como Padã-Harã, de tal forma que o nome "aramaico" foi aplicado a Abraão e a seus familiares. Ver Gn 25.20, 28.5, 31.20,24 e Dt 26.5. Também Labão falava aramaico. Gn 31-47. 43 Gordon, op. cit., p. 1?2. Ver também as citas de Nuzu numa tese não publicada por Loren Fisher na Universidade de Brandeis, "Nuzu Geographical Names". 44 G. E. Wrght, op. cit , p. 41, observa: "De qualquer modo, estamos seguros ao dizer que o lar com o qual os patriarcas estiveram mais intimamente relacionados foi Harã, existindo muito poucas evidências de qualquer influencia do sul da Mesopotâmia sobre suas tradições". 45 Gordon, op. cit., p. 124. 24

Desde o ponto de vista das instituições sociais, o relato do Gênesis de Abraão resulta um estudo fascinante. Os planos de Abraão para fazer de Eliézer herdeiro de suas possessões, já que não tivera um filho (Gn 15.2) refletem as leis de Nuzu, que determinavam que um casal sem filhos podia adotar como filho um servo fiel, que pudesse ostentar direitos legais e quem podia ser recompensado com a herança, como pagamento por seus cuidados constantes e o enterro em cãs de falecimento. Os costumes maritais de Nuzu, o mesmo que o código de Hamurabi, proviam que, se a esposa de um homem casado não tinha filhos, o filho de uma criada podia ser reconhecido como legítimo herdeiro. A relação de Agar com Abraão e Sara é algo típico dos costumes que prevaleciam na Mesopotâmia. A preocupação de Abraão pelo bem-estar de Agar pode também ser explicada pelo fato de que legalmente uma criada que parisse um filho não podia ser vendida para a escravidão. Um estudo devocional de Abraão pode resultar altamente proveitoso. A promessa sêxtupla feita ao patriarca tem um grande alcance nas implicações da história. A promessa de Deus de fazer dele uma grande nação se realiza subseqüentemente nos acontecimentos do Antigo Testamento. "Eu te abençoarei", logo se tornou uma realidade em sua experiência pessoal. O nome de Abraão se fez grande não somente como pai dos israelitas e maometanos, senão também como o grande exemplo de fé para os crentes cristãos, segundo os escritos do Novo Testamento, em Romanos, Gálatas, Hebreus e Tiago. Além disso, a atitude do homem para Abraão e seus descendentes teria uma direta influência na bênção ou maldição sobre o gênero humano; isto assegurou a Abraão um lugar único no desígnio providencial para a raça humana. Certamente, a promessa de que Abraão seria bendito foi literalmente cumprida durante sua vida, o mesmo que nos tempos subseqüentes. Finalmente, a promessa de abençoar todas as famílias da terra se descobre em seu alcance a escala mundial quando Mateus começa seu relato da vida de Jesus Cristo, estabelecendo que Ele é o "filho de Abraão". A aliança joga um papel importante na experiência de Abraão. Notem-se as sucessivas revelações de Deus após a promessa inicial à qual Abraão responde com obediência. A medida que Deus acrescenta sua promessa, Abraão exerceu a fé, que lhe foi reconhecida como justiça em Gênesis 15. nesta aliança, a terra de Canaã foi especificamente dada em prenda aos descendentes de Abraão. Com a promessa do filho, a circuncisão se converte no sinal do pacto (Gn 17). Esta promessa da aliança foi selada finalmente no ato de obediência de Abraão, quando esteve disposto a executar o sacrifício de seu único filho Isaque (Gn 22). A religião de Abraão é um tema vital nos relatos bíblicos, patriarcais. Procedente de um fundo politeísta onde a deusa-lunar Nannar era reconhecida como o deus principal na cultura de Babilônia, Abraão chega a Canaã. Que sua família serviu a outros deuses fica claramente estabelecido em Josué 24.2. em Canaã, e em meio de um entorno idólatra e pagão, a meta de Abraão foi a de "construir um altar ao Senhor". Depois de resgatar a Ló e ao rei de Sodoma, recusou uma recompensa, reconhecendo que ele estava por completo dedicado por devoção única a Deus, o "fazedor dos céus e da terra". A íntima comunhão e camaradagem existente entre Deus e Abraão estão belamente retratadas no capítulo 18, onde ele intercede por Sodoma e Gomorra. Talvez seja sobre a base de Is 41.8 e Tg 2.23 que a Septuaginta inseriu as palavras "meu amigo" em 18.17. Através dos séculos, a porta meridional de Jerusalém, que conduz a Hebrom e Berseba, tem sido sempre citada como a "porta da amizade", em memória da relação íntima entre Deus e Abraão. Isaque, o filho prometido, foi o herdeiro de tudo o que Abraão possuía. Outros filhos de Abraão, tal como Ismael, de onde descendem os árabes e Midiã, o pai dos midianitas, receberam presentes quando partiram de Canaã, deixando o território a Isaque. Antes de sua morte, Abraão deixou a Rebeca por esposa de Isaque. Abraão também comprou a cova de Macpela 46 , que se converteu no sepulcro de Abraão, Isaque e Jacó, assim como o de suas esposas. 46 A compra de Abraão de tal propriedade (Gn 23) reflete a lei hitita. Efrom insistiu em vendê-lhe o campo inteiro, e assim Abraão se fez responsável pela tributação e outros impostos que desejava evitar, ao interesar-se somente pela cova. Ver 25

  • Page 1 and 2: A HISTÓRIA DE ISRAEL NO ANTIGO TES
  • Page 3 and 4: ÍNDICE • Prefácio .............
  • Page 5 and 6: indando-me sua inapreciável críti
  • Page 7 and 8: converteu na língua franca do Fér
  • Page 9 and 10: Chegou o Antigo Testamento a nós c
  • Page 11 and 12: ) Caim e Abel Gn 4.1-24 c) A geraç
  • Page 13 and 14: Lameque, um descendente de Sete, an
  • Page 15 and 16: • CAPÍTULO 2: A IDADE PATRIARCAL
  • Page 17 and 18: Mesopotâmia Os sumérios, um povo
  • Page 19 and 20: Gigantescas pirâmides, as maravilh
  • Page 21 and 22: Por causa dessa situação, Palesti
  • Page 23: as cronologias para esta era num es
  • Page 27 and 28: Polemico em conduta, Jacó surgiu c
  • Page 29 and 30: elatou dois sonhos prognosticando s
  • Page 31 and 32: • CAPÍTULO 3: A EMANCIPAÇÃO DE
  • Page 33 and 34: Durante o resto das dinastias XIX e
  • Page 35 and 36: era salomônica 67 — que tem data
  • Page 37 and 38: coração no curso daquelas circuns
  • Page 39 and 40: 1-Lua nova 6-7-Festa das Semanas Ju
  • Page 41 and 42: Idolatria e juízo Êx 32.1-34.35 C
  • Page 43 and 44: As leis morais eram permanentes, po
  • Page 45 and 46: permanência de Israel no deserto.
  • Page 47 and 48: 3) A morte do animal. 4) A aspersã
  • Page 49 and 50: Por meio das festas e estações de
  • Page 51 and 52: cinco eram dias de sagrada convoca
  • Page 53 and 54: • CAPÍTULO 5: PREPARAÇÃO PARA
  • Page 55 and 56: Os sacerdotes recebiam uma fórmula
  • Page 57 and 58: liberado da escravidão do Egito fo
  • Page 59 and 60: Os chefes nomeados para distribuir
  • Page 61 and 62: Também os lembrou das recentes vit
  • Page 63 and 64: - 945 XXII Dinastia 945 Sisaque San
  • Page 65 and 66: Amarna (por volta de 1400 a.C.) ref
  • Page 67 and 68: Josué deve ser considerado somente
  • Page 69 and 70: 24000 a.C. Subseqüentemente foi de
  • Page 71 and 72: Além do elemento surpresa e pânic
  • Page 73 and 74: dentro das fronteiras de Gade e Gol
  • Page 75 and 76:

    MAPA 4: AS DIVISÕES TRIBAIS A últ

  • Page 77 and 78:

    tentativas para desalojar essas gen

  • Page 79 and 80:

    definitivamente identificado, prova

  • Page 81 and 82:

    pronunciado sem realizar nenhum sac

  • Page 83 and 84:

    Noemi e seus dois filhos— para o

  • Page 85 and 86:

    Com semelhante ameaça pesando sobr

  • Page 87 and 88:

    epresentava o verdadeiro poder de D

  • Page 89 and 90:

    O relato bíblico do reinado de Sau

  • Page 91 and 92:

    Os exércitos de Israel acampados n

  • Page 93 and 94:

    mesmo tempo, negociou com êxito di

  • Page 95 and 96:

    evolvido pela guerra civil, não of

  • Page 97 and 98:

    econômica e militar tenham sido el

  • Page 99 and 100:

    declarou que Davi era o homem culp

  • Page 101 and 102:

    o que sugere uma população total

  • Page 103 and 104:

    Tributos e comércio 10.14-29 9.13-

  • Page 105 and 106:

    exército e os fenícios uma grande

  • Page 107 and 108:

    para o elaborado planejamento deste

  • Page 109 and 110:

    territórios e viajasse 1931 km em

  • Page 111 and 112:

    ESQUEMA 4: MONARQUIA NA PALESTINA (

  • Page 113 and 114:

    Thiele tem sugerido uma pista para

  • Page 115 and 116:

    A primeira fonte literatura da era

  • Page 117 and 118:

    2 Crônicas 29.1-32.33 Manassés 2

  • Page 119 and 120:

    por Oséias, quem voluntariamente p

  • Page 121 and 122:

    Carquemis (605) desapareceu o últi

  • Page 123 and 124:

    Repentinamente, o mandato desafiant

  • Page 125 and 126:

    achados nas ruínas, datam os traba

  • Page 127 and 128:

    Mediante uma diplomacia efetiva e f

  • Page 129 and 130:

    Jorão, outro filho de Acabe e Jeza

  • Page 131 and 132:

    profetas e servidores do Senhor. A

  • Page 133 and 134:

    praças no Edom, na Filistéia, Jud

  • Page 135 and 136:

    17.1-19). Como natural conseqüênc

  • Page 137 and 138:

    tesouro e tomaram cativos os membro

  • Page 139 and 140:

    amonitas, os filisteus e os tírios

  • Page 141 and 142:

    de Judá, conduziu as forças da Á

  • Page 143 and 144:

    • CAPÍTULO 13: JUDÁ SOBREVIVE A

  • Page 145 and 146:

    já que um profeta anunciou que Ama

  • Page 147 and 148:

    de Jeroboão. O crescimento de Jud

  • Page 149 and 150:

    Ezequias 253 começou seu reinado n

  • Page 151 and 152:

    Os assírios entraram na Palestina

  • Page 153 and 154:

    Dupla foi a divina promessa dada ao

  • Page 155 and 156:

    Amom - Apostasia Amom sucedeu a seu

  • Page 157 and 158:

    • CAPÍTULO 14: O DESVANECIMENTO

  • Page 159 and 160:

    Páscoa, sua observância ultrapass

  • Page 161 and 162:

    Quando o povo ouviu que o templo se

  • Page 163 and 164:

    ecebeu uma vez mais o aviso de não

  • Page 165 and 166:

    560 Neriglisar 559 Ciro 556 Nabôni

  • Page 167 and 168:

    ente ele com tributos. Junto com os

  • Page 169 and 170:

    (562-560 a.C.). Também conhecido c

  • Page 171 and 172:

    No dia do Ano Novo, em abril de 539

  • Page 173 and 174:

    cidade capital e cujo templo ainda

  • Page 175 and 176:

    mesmo, num precipício perto de Per

  • Page 177 and 178:

    Jerusalém. Aparentemente, Jeoiaqui

  • Page 179 and 180:

    A experiência de Daniel e de seus

  • Page 181 and 182:

    MAPA 10: PALESTINA DEPOIS DO EXÍLI

  • Page 183 and 184:

    Imediatamente, Ciro anunciou uma po

  • Page 185 and 186:

    lugar do culto 380 . Em menos de um

  • Page 187 and 188:

    Susã, a capital da Pérsia, é o p

  • Page 189 and 190:

    comemorar sua libertação. Purim f

  • Page 191 and 192:

    Quando o povo lhe expressou sua boa

  • Page 193 and 194:

    que lhe fornecessem de materiais de

  • Page 195 and 196:

    chefes para registrar a todo o povo

  • Page 197 and 198:

    A leitura do livro de Moisés os fe

  • Page 199 and 200:

    O leitor que se enfrenta com ele de

  • Page 201 and 202:

    Zofar, decididamente, admoesta Jó

  • Page 203 and 204:

    limitações geográficas ou raciai

  • Page 205 and 206:

    Naturalmente, o uso deste dispositi

  • Page 207 and 208:

    Evitar tratos e negócios desatinad

  • Page 209 and 210:

    A vida do oprimido é vã Ec 4.1-16

  • Page 211 and 212:

    Fala o rei Ct 2.2 A donzela às dam

  • Page 213 and 214:

    pôde ter promovido o reconheciment

  • Page 215 and 216:

    Os escritos de Isaias Escreveu Isai

  • Page 217 and 218:

    Admoestando seu povo para que se vo

  • Page 219 and 220:

    estabelecimento deste reinado. Siã

  • Page 221 and 222:

    alcance a escala mundial. O que aco

  • Page 223 and 224:

    juízo poderia ser dificilmente res

  • Page 225 and 226:

    Aqueles que estiveram sujeitos a re

  • Page 227 and 228:

    Tendo desenvolvido o tema da libera

  • Page 229 and 230:

    • CAPÍTULO 19: JEREMIAS, UM HOME

  • Page 231 and 232:

    Os anos 609-586 foram os mais difí

  • Page 233 and 234:

    Ao longo de todo seu ministério, J

  • Page 235 and 236:

    Jerusalém, estão rendendo culto a

  • Page 237 and 238:

    sepultamento de um jumento, sem que

  • Page 239 and 240:

    de Deus de que naquela terra as coi

  • Page 241 and 242:

    terra do exílio. Assim se cumpria

  • Page 243 and 244:

    Este breve sumário do reinado de Z

  • Page 245 and 246:

    • CAPÍTULO 20: EZEQUIEL, A ATALA

  • Page 247 and 248:

    destruição pela rendição de Joa

  • Page 249 and 250:

    Introdução Ez 1.1-3 Visão da gl

  • Page 251 and 252:

    vira uma realidade em Judá. O Todo

  • Page 253 and 254:

    Jerusalém é tão pecadora, que n

  • Page 255 and 256:

    dúvida a questão de a que nação

  • Page 257 and 258:

    terra. Israel tem profanado o nome

  • Page 259 and 260:

    • CAPÍTULO 21: DANIEL, HOMEM DE

  • Page 261 and 262:

    três companheiros apelam com empen

  • Page 263 and 264:

    é derrubado enquanto se mantém er

  • Page 265 and 266:

    período de cativeiro que duraria s

  • Page 267 and 268:

    • CAPÍTULO 22: EM TEMPOS DE PROS

  • Page 269 and 270:

    uma grande calma no mar. No que diz

  • Page 271 and 272:

    atrocidades dos amonitas e os trai

  • Page 273 and 274:

    Oséias continuou por várias déca

  • Page 275 and 276:

    aquele laço seria dissolvido. Já

  • Page 277 and 278:

    • CAPÍTULO 23: AS NAÇÕES ESTRA

  • Page 279 and 280:

    o juízo de Deus é tão decisivo q

  • Page 281 and 282:

    quando os trouxe desde o deserto e

  • Page 283 and 284:

    Ageu e Zacarias apenas se são menc

  • Page 285 and 286:

    apóia o esforço de seu colega par

  • Page 287 and 288:

    verdade, a justiça e a paz prevale

  • Page 289 and 290:

    os órfãos e os estrangeiros. Por

Patriarcas E Profetas por Ellen G. White [Novo Edicao]