Views
5 days ago

PROJETO_DIGITAL_09-01-2018a

Mineração apoia a

Mineração apoia a preservação ambiental Investimento do setor mineral em pesquisa traz novas descoberta sobre o meio ambiente da região A legislação brasileira prevê que a indústria de mineração deve adotar medidas de preservação ambiental, desde o licenciamento até o encerramento de um projeto mineral. No entanto, como observa Walter Alvarenga, presidente do Ibram, em seu artigo nesta publicação: a indústria da mineração se modernizou ao longo dos séculos e deu um salto em direção à sustentabilidade, fator esse fundamental para manter as operações. Nesse cenário, mais que obrigatoriedade legal, preservar o meio ambiente é estratégico para as empresas. Essa evolução na gestão das empresas do setor resulta em um momento de fortes investimentos em pesquisa e proteção ambiental por parte das empresas de mineração. 64 7º Anuário Mineral do Pará • 2017

Nas unidades de conservação, onde se tem as minas da Vale, 97% das áreas de florestas permanecem conservadas. E onde não tem unidades de conservação, 70% da área de floresta já foi suprimida. Pedro Walfir Pesquisador do ITV Algumas dessas pesquisas ajudam a mudar perspectivas equivocadas sobre os impactos da indústria mineral, como é o caso do projeto conduzido pelo Instituto Tecnológico Vale (ITV), no Pará. O estudo coordenado pelo pesquisador Pedro Walfir mostra que, enquanto as áreas de mineração da Vale possuem área verde preservada, os demais territórios no sudeste do Pará sofreram um forte impacto devido ao desmatamento. Segundo o pesquisador, nos últimos 40 anos, a mineração teve um papel importante, em Carajás, pois a região em que se encontram as minas é onde se tem unidades de conservação. Fora delas, a floresta vem sendo suprimida gradativamente ao longo do tempo, sendo substituídas principalmente por pastagens. “Nas unidades de conservação, onde se tem as minas da Vale, 97% das áreas de florestas permanecem conservadas. E onde não tem unidades de conservação, 70% da área de floresta já foi suprimida. Ou seja, temos, hoje, menos da metade de áreas bem fragmentadas de floresta”, afirma Walfir. 7º Anuário Mineral do Pará • 2017 65