Views
9 months ago

Revista Apólice #219

ural | produto Onde

ural | produto Onde brota a esperança A agropecuária é o setor que sempre carrega a esperança de retomada de crescimento no Brasil. Para o mercado de seguros, a esperança na carteira também se renova Amanda Cruz 18

❙❙Joaquim Francisco, da Allianz Em um momento difícil, o Brasil continua contando com o setor que sempre traz a esperança para a retomada do crescimento: o agronegócio. Para 2017, a expectativa é que ocorra uma expansão de 2%, de acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). De 2015 para 2016 o setor teve um acréscimo em sua participação na economia nacional, sustentando seu lugar de carro-chefe, com alteração de 21,5% para 23% de participação e agregando 48% das exportações do País. Esse otimismo é benéfico também para o mercado de seguros, já que alavanca a procura dos produtores por seguro rural, modalidade crucial para apoiar aqueles que podem ver suas safras arruinadas por fenômenos da natureza e abrangem a atividade agrícola, pecuária, o patrimônio do produtor, crédito e risco de morte. Esse apoio acontece desde 2005 graças ao Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural, realizado pelo Governo Federal em parceria com seguradoras, que possibilitam que o produtor escolha a companhia que preferir para se proteger com descontos providos pelo incentivo do Estado. “Temos mantido constante relacionamento com o MAPA e direcionado as demandas que os agricultores nos encaminham por meio dos corretores. O diálogo com o Governo Federal é saudável e busca melhorias para os produtores rurais”, afirma Joaquim Francisco, superintendente de Agronegócios da Allianz. Para onde vai o incentivo Mesmo com o grande peso e importância que esse incentivo tem, no último ano, a subvenção dada pelo Governo Federal ao seguro rural não foi totalmente utilizada. Essa verba deverá, portanto, ser realocada, conforme explica o corretor da Rural Brokers, Marcelo Westin. “Primeiro, é preciso esclarecer que esta sobra deu-se apenas para as culturas de inverno, sendo ocasionada por diversos fatores. Dentre eles, podemos destacar a incerteza do mercado com relação aos recursos para a subvenção, a diminuição da área plantada de trigo e o dimensionamento de safra de inverno com área superior à demandada na prática”, explica. “Trata-se de verba destinada às culturas de inverno. Como não foram consumidas, serão utilizadas para as culturas de verão”, completa o corretor. Para aqueles produtores que contrataram apenas apólices para a cultura de inverno, é necessário que procurem um corretor para saber se sua subvenção já foi, ou não, concedida. Embora seja uma modalidade de grande importância para a economia brasileira, alguns fatores influenciaram nessa baixa utilização. É o que explica Vitor Augusto Ozaki, diretor do ❙❙Marcelo Westin, da Rural Brokers As modalidades do seguro rural A meta do produto é abranger todo tipo de cultivo e necessidade dos produtores. É importante lembrar que o seguro agrícola é uma modalidade dentro do seguro rural oferecido. Veja o que ele abrange: 〉〉 Agrícola 〉〉 Pecuário 〉〉 Aquícola 〉〉 Benfeitorias e produtos agropecuários 〉〉 Penhor Rural 〉〉 Florestas 〉〉 Seguro de Vida do produtor rural 〉〉 Seguro de Cédula do produtor rural Departamento de Gestão de Risco e Recursos Econômicos do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA). Ele afirma que, ao contrário do que a primeira leitura possa indicar, o orçamento destinado foi executado. No entanto, outras questões implicaram no aumento da disponibilização do que havia sido previamente decidido. “Em função do problema ocorrido com a seguradora Nobre [que operava com o produto], o comitê decidiu disponibilizar R$ 1,5 milhão a mais para o cultivo de frutas, em caráter excepcional no final do ano. Porém, não houve demanda”, explicou. Ele afirmou ainda que, de qualquer maneira, dos R$ 400 milhões disponíveis, R$ 398 milhões foram usados, ou seja, 99,6% da verba. A posição da Allianz nessa carteira corrobora com o que foi explicado pelo diretor do MAPA. O executivo da 19