Views
7 months ago

Revista Apólice #213

painel •

painel • ncapitalização Prêmios chegam a R$ 456 mi até maio De janeiro a maio, os títulos de capitalização distribuíram 18,1% a mais em prêmios que no mesmo período de 2015, atingindo R$ 456 milhões. O valor equivale ao pagamento de R$ 4,4 milhões em prêmios por dia útil, tendo sido contemplados 50.379 títulos, com valor médio de premiação de R$ 9 mil, para um tíquete médio dos títulos da • nperfil Elas assumem as motocicletas Um levantamento da SulAmérica revelou que, nos últimos cinco anos, houve um crescimento de mais de 30% no número de mulheres abaixo de 35 anos contratando seguros para motocicletas na companhia. Hoje, as brasileiras representam 17% do total de segurados com este tipo de veículo. No Estado do Tocantins, elas já ordem de R$ 28, informa a Federação Nacional de Capitalização (FenaCap). As provisões técnicas somaram R$ 30,1 bilhões. Os resgates finais e parciais efetuados chegaram a R$ 7,9 bilhões, 20,4% a mais ante o mesmo período de 2015. A receita global do setor decresceu 0,06% e atingiu R$ 8,2 bilhões. “Trabalhamos com a perspectiva de uma possível retomada no crescimento ainda em 2016 em razão da diversificação, com a oferta de soluções aderentes às necessidades dos consumidores, a ampliação dos canais de distribuição por meio de call center e internet, e o aumento das iniciativas de Educação para Seguros”, assinala Marco Antonio Barros, presidente da Federação. somam aproximadamente 55% do total de condutores de motos seguradas pela empresa. No Rio de Janeiro, por outro lado, 90% dos segurados da categoria são homens. O Estado que concentra a maior quantidade de motos na carteira da seguradora é Minas Gerais, que responde por quase 15% do total e que, no período, também apresentou 15% de crescimento. Em seguida estão São Paulo (14%) e Pernambuco (10%). O seguro para motocicleta também é a segunda categoria mais contratada por homens abaixo de 35 anos. Quase 30% dos seguros SulAmérica Auto para o público masculino nessa faixa etária são de moto. Em primeiro lugar são os carros de passeio, com 64%. • notimismo Índice de Confiança supera os 100 pontos O Índice de Confiança do Setor de Seguros (ICSS) fechou os primeiros sete meses do ano com alta acumulada de 50,8%. Em julho, o índice superou a barreira dos 100 pontos (101,2), o que não acontecia desde fevereiro de 2014. Foi o sexto mês de alta consecutiva, segundo levantamento da Fenacor. “A economia do Brasil segue em recuperação. O País não está parado, mesmo com o cenário de crise. Também é assim com o setor de seguros. Algumas boas notícias de julho foram o sinal de que o seguro de auto popular pode ser regulamentado e se tornar um novo produto de oferta pelo corretor, o que traria, sem dúvida, novos negócios com milhões de novas apólices. O empresariado está atento a isso e percebemos em nossa pesquisa”, destaca o presidente da Fenacor, Armando Vergilio. Os resultados do ICSS são calculados a partir de pesquisa realizada pela Federação com 100 grandes empresas do setor, que indicam percentuais de zero a 200 para a confiança na economia, rentabilidade e faturamento 10

11