Views
5 months ago

Revista Apólice #211

especial ciab | indra

especial ciab | indra Parceria para a transformação digital Para enfrentar os desafios da disruptura digital, seguradoras buscam apoio de empresas especializadas no setor Inovação é a palavra de ordem atual. Buscar a comunicação integrada com o cliente, aproveitando todas as possibilidades da mobilidade é outro desafio. A questão da transformação digital está presente em todos os setores da economia, inclusive e, principalmente, no setor financeiro, que envolve bancos, seguradoras e empresas de cartões de crédito. “Quando se fala em transformação digital, é possível falar sobre qualquer transação por um meio móvel, como smartphones, tablets ou até Internet das Coisas. É preciso possuir uma base de sustentação tecnológica capaz de suportar a utilização de todos esses meios digitais. Entretanto, no Brasil, para o mercado de seguros, ainda há algumas barreiras a serem transpostas, sendo, a principal delas, a regulatória”, explica Marcos Cardoso, diretor de Serviços Financeiros da Indra. O marco regulatório dos seguros no Brasil dificulta um pouco a inserção de novas tecnologias digitais. Por exemplo, a necessidade de assinatura física em alguns produtos. Há também uma característica de risco no Brasil, como o do seguro auto, cujo processo de contratação é um pouco mais burocrático e limita a utilização de um dispositivo móvel. A Indra consegue apoiar esta transformação digital com soluções próprias, de várias formas. “Trabalhamos desde a base tecnológica, para seguros, com solução ‘core’ de ponta a ponta e, para bancos, da mesma forma, suportando todas as tecnologias. Pensando em se consolidar como parceiro tecnológico de seus clientes nos desafios que implicam a transformação digital, a Indra lançou em fevereiro deste ano a Minsait, unidade que aporta um amplo portfólio de soluções de negócio, um modelo próprio e diferenciado de entrega e equipes multidisciplinares formadas por especialistas”, afirma Cardoso. Além das soluções de mobilidade, é possível inserir outras camadas importantes como, por exemplo, a utilização inteligente de toda a camada de dados. “Temos uma solução chamada Sofia2, que é um middleware capaz de processar milhares de ocorrências por segundo, com capacidade de armazenamento Big Data com regras integradas, interfaces multiprotocolo, multilinguagem e operável a partir de um console web. Entre várias vantagens, facilita a interoperabilidade entre dispositivos, gerando inteligência sobre a informação captada”, pontua o executivo. Tanto bancos quanto seguradoras têm o entendimento de que o volume de dados e as várias possibilidades de geração de informações inteligentes, seja para suportar o serviço para o cliente, seja para a captação de novos negócios, são extremamente importantes. Cardoso ressalta que “dentro da questão de segurança das aplicações, já existe tecnologia para toda a parte biométrica, inclusive de reconhecimento de face e assinatura digital. São serviços que completam esta exigência das soluções digitais que estão no mercado. O mercado europeu tem se mostrado mais ousado neste segmento, e nós temos aproveitado bastante desta capacidade da Indra na Europa para trazer novidades ao Brasil”. O ano de 2016 é de consolidação para a Indra no mercado de serviços financeiros. A empresa possui mais de sete mil funcionários no Brasil, dos quais, mais da metade, estão dedicados apenas ao desenvolvimento e suporte de soluções de tecnologia para este mercado. Marcos Cardoso, diretor de Serviços Financeiros da Indra 26

27