Views
8 months ago

Revista Apólice #210

painel aposentados

painel aposentados Continuidade do plano de saúde Poucos sabem, mas quem se aposenta tem direito a manter o plano de saúde oferecido pela empresa. Marcelo Alves, CEO da Célebre Corretora de Seguros, lembra que com a idade as doenças costumam aparecer e, por isso, é importante manter esse tipo de benefício como forma de prevenção. Desde que tenha contribuído com parte do custeio do plano, o aposentado tem direito a manter as mesmas condições de cobertura assistencial do período que estava empregado, diz a regulamentação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). É importante que o aposentado comunique a empresa empregadora no prazo máximo de 30 dias sobre a opção de manter o plano de saúde. “Para garantir esse direito, é importante que ele tenha tido vínculo empregatício e tenha contribuído com a totalidade ou parte do pagamento, também não deve ser admitido em novo emprego que dê acesso a planos de saúde. A partir daí, o ex-funcionário assume o pagamento integral do benefício”, explica Alves. Outra vantagem é que o direito abrange todos os dependentes envolvidos, caso o aposentado desejar. Mesmo em caso de morte do titular, a família pode continuar com o plano de saúde. aquisição Porto Seguro compra carteira de seguros Auto A Porto Seguro assinou acordo de compra da carteira de seguros de automóveis da Chubb do Brasil. O objetivo da empresa é incrementar a sua carteira de seguros de veículos de alto valor, lançado no ano passado com foco neste segmento e que possui serviços e benefícios exclusivos para esse perfil de cliente. “A aquisição da carteira de seguros de automóveis da Chubb é uma oportu- nidade que fortalecerá a nossa prestação de serviço no segmento de seguros de veículos de alto valor”, afirma Fabio Luchetti, presidente da Porto Seguro. As duas empresas vão se empenhar, após obter as aprovações necessárias, em realizar uma transição suave e sem impactos aos atuais clientes e corretores na preservação das garantias das apólices, na continuidade do atendimento e na manutenção dos benefícios e serviços. Segundo Luiz Pomarole, diretor geral de Automóveis da Porto Seguro, “nas apólices transferidas serão mantidos os benefícios que os clientes da Chubb já têm e eles também passarão a contar com os benefícios hoje oferecidos aos clientes do Porto Seguro Auto”. A transação ainda depende da aprovação prévia dos órgãos reguladores competentes (CADE e Susep). Até a conclusão definitiva desse processo, Porto Seguro e Chubb continuarão a atuar de forma totalmente independente entre si e nada mudará na relação existente atualmente entre a Chubb e seus clientes. ESTAMOS COMEMORANDO 10 ANOS DA IKÊ NO BRASIL. Não se preocupe, seu problema está em nossas mãos! Somos uma empresa de pessoas que atende pessoas, nossos colaboradores são o centro da importância no atendimento de excelência de qualidade para os nossos clientes, fator que nos diferencia do mercado. ASSISTÊNCIA 24 HORAS - CONCIERGE Tel.: (55) 11 2101 2800 Alameda Rio Negro, 500 Bloco B | 11° andar Alphaville | Barueri |SP CEP 06454-000 comercial@ikeassistencia.com.br Siga-nos www.ikeassistencia.com.br 12

queda Planos de Saúde de SP têm as maiores perdas Quase 700 mil pessoas deixaram de ter plano de saúde no Estado de São Paulo entre março de 2016 e o mesmo mês do ano passado. Isso responde, em números absolutos, por mais de 52% das perdas de contratos em todo o País no período. Com 17,99 milhões de beneficiários, São Paulo representa 37% do total de 48,81 milhões de vínculos dos planos de saúde em todo o País. A queda, a maior do País, puxou a perda de 1,33 milhão de pessoas do sistema de saúde suplementar brasileiro. Os dados fazem parte do boletim Saúde Suplementar em Números, produzido pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). O Estado de São Paulo apresenta queda em todas as suas regiões metropolitanas: capital (-4,3%); Baixada Santista (-2,6%) e Campinas (-6,8%). O desempenho negativo também impactou a região Sudeste, passando de 31,29 milhões de beneficiários, em março de 2015, para 30,12 milhões, em março de 2016, o que corresponde a uma redução de 3,8% na comparação anual. No Sudeste, Estados com grande representatividade apresentam quedas significativas: -4% em Minas Gerais e -4,1% no Rio de Janeiro. “Há um vínculo forte entre o mercado de trabalho e o plano de saúde, pois esse é um benefício muito valorizado pelos trabalhadores. O aumento do desemprego nas áreas mais desenvolvidas, caso principalmente do Estado de São Paulo, torna inevitável o impacto na saúde suplementar”, avalia Luiz Augusto Carneiro, superintendente-executivo do IESS. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho indicam que, os meses de março de 2015 e 2016, o estoque de demitidos foi de 1,88 milhão de pessoas. “O que preocupa é a proporção e a velocidade da perda de beneficiários”, observa.