Views
7 months ago

GAZETA DIARIO 519

14 Internacional Foz do

14 Internacional Foz do Iguaçu, sexta-feira, 2 de março de 2018 TURISMO ANO XX, Mensagem 1023 Seu espaço para ler, refletir, aprender, repassar, e colaborar. Cuida com a refeição para os empregados! Se estamos em casa, em geral, a "Mama" se encarrega de preparar o almoço integrado por saladas, pratos quentes e alguma espécie de sobremesa. Se recebemos visita e vamos ter uma refeição com os visitantes, podemos decidir entre encomendar uma pizza pra nos servirmos em casa, ou levá-los a um restaurante ou churrascaria, onde teremos uma refeição completa nos moldes da comida de casa, só que com muito mais ingredientes. Se estamos em viagem com a família ou não, nos permitimos escolher entre ter um almoço farto, num estabelecimento gastronômico, ou um lanche tipo fast-food (comida rápida) num estabelecimento do gênero. Se optarmos por fast-food temos que considerar que diversos desses lanches são servidos em pratos, considerando a riqueza de itens que o compõem. Não são lanches de se levar pra fora do estabelecimento e comer enquanto se caminha. Digamos que, mesmo sendo tipo fast-food, são 'comida de mesa'. Agora, se trabalhamos num local em que o empregador fornece a alimentação, a Convenção Coletiva de Trabalho - CCT, pode determinar alimentação gratuita ou vale-refeição. Se alimentação no local, então esperamos que nos será disponibilizada uma mesa, com prato, talheres e demais utensílios para termos a refeição. Portaria editada pelo Ministério do Trabalho e Emprego e o da Saúde disciplina o tipo de refeição que pode ser servida a empregados. Muito cuidado, então, ao atender disposição da CCT, se for o caso, e muito cuidado com os ingredientes que compõem a refeição servida aos empregados, não esquecendo de frutas e legumes! A refeição a ser servida para os empregados pode ser a mesma que os diretores e sócios usufruem, talvez até no mesmo ambiente, mas ainda assim a "autoridade" pode meter o nariz e, mesmo não conhecendo o cardápio diário, mas acreditando numa reclamatória de empregado descontente, e determinar um 'castigo' a quem fornece refeições no ambiente de trabalho. Tudo isso de preocupação faz sentido? Faz! Pelo bom senso, acreditamos que a cozinha de um estabelecimento de fast-food produza apenas lanches do tipo comercializado. A refeição servida aos empregados como seria? Diferente? A mesma de um restaurante? A determinada em CCT? Pois bem, ocorreu que um empregado de um estabelecimento (de rede) de fast-food reclamou que todos os dias a refeição era do tipo fast-food. A reclamação, quando já estava no TRT, recebeu as seguintes observações: "A alimentação fast-food está totalmente desequilibrada nutricionalmente, com alto teor calórico e prejudicial à saúde". "A imposição de ingerir de forma prolongada esse tipo de refeição despreza valores supremos da Constituição Federal". "A atitude da empregadora também desrespeita o valor social do trabalho e esvazia o conteúdo da função social da empresa". O resultado da reclamatória trabalhista foi: o estabelecimento, apesar de ter fornecido alimentação diariamente, mas não tendo atendido rigorosamente o tipo de refeição-legal, foi condenado a pagar ao empregado, de forma indenizada, por danos morais, vale-refeição no valor de R$ 10.000,00. É uma lição amarga que a BORKENHAGEN traz como alerta. Se servir, repasse o ALERTA! Coluna do Mensageiro - Registro 0123526, 18/08/2003, Títulos e Documentos Se um empregador não cumpre com sua obrigação, ou se um empregado não cumpre com sua, estarão ambos falhando no quesito "bom senso". A BORKENHAGEN sugere que o diálogo seja viável, sempre, para não haver demanda judicial. Fale e aja sem ofender! É melhor! BORKENHAGEN www.borkenhagen.net Fone 3028-6464 O fone da contabilidade Edvino Borkenhagen Bom senso cabe em todos os ambientes! Novas instalações e mais conforto para a equipe e os clientes. Vem desfrutar! Vem! Destino Iguaçu fortalece atuação na América Latina Mercados do México e da Colômbia estão entre os maiores emissores de turistas para Foz do Iguaçu Assessoria PMFI Reportagem O Destino Iguaçu esteve presente em duas das maiores feiras da América Latina. A participação no WorkShop e Feira Turística Primavera-Verano (Expo Mayorista), no México, e na Vitrine Turística (Anato), fortalece a imagem de Foz do Iguaçu em dois mercados com grande potencial na emissão de turistas. Juntos, México e Colômbia foram responsáveis pela vinda de 20.465 turistas à Terra das Cataratas no ano passado. A tendência é que esse número aumente em 2018. Um sinal desta perspectiva de crescimento foi percebido pela Foz do Iguaçu fortalece a participação no WorkShop e Feira Turística Primavera- Verano, evento com grande potencial na emissão de turistas grande procura de agentes de viagens e profissionais do setor dos dois países nos eventos. Na 20ª edição da Expo Mayorista, a servidora da Secretaria Municipal de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos Célia Andrade realizou a apresentação do destino e atendimento aos agentes de viagens nas cidades de Monterrey, Mérida, Cidade do México e Pruebla. Aproximadamente três mil profissionais das principais agências de turismo mexicanas estiveram presentes na feira. De acordo com o Estudo da Demanda Internacional (Embratur), o turista mexicano tem interesse no Brasil principalmente pela oferta de lazer, seguida pela oferta de negócios, eventos e convenções. Mercado colombiano Na Anato, em Bogotá, a servidora Jandira Cordeiro, também da Secretaria de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos, apresentou os atrativos do destino no estande e participou de capacitação com operadores colombianos. Outro importante encontro foi com o Comitê Visite o Brasil e com representantes da Embaixada Brasileira na Colômbia, no qual foram apresentados os destinos turísticos brasileiros aos participantes da feira. Na ocasião também foi alinhada uma ação conjunta de capacitação entre a secretaria, dentro da Gestão Integrada, com apoio da embaixada e do comitê para fomentar a vinda de colombianos aos atrativos do Destino Iguaçu. Durante a Anato foi apresentada aos operadores e profissionais da imprensa a Feira Internacional de Turismo Termal, Saúde e Bem-Estar (Termatalia), que será realizada em Foz do Iguaçu entre os dias 12 e 14 de setembro deste ano com a expectativa de receber participantes de 25 países. Foz do Iguaçu deve ganhar ainda neste ano uma conexão direta com Bogotá. A negociação com a Avianca está adiantada. Isto vai aproximar os turistas da Colômbia dos atrativos do Destino Iguaçu. Segundo a Embratur, o colombiano vem ao Brasil em busca de lazer e negócios. Foz do Iguaçu é o terceiro destino mais visitado no país dentro do segmento de lazer. 70% dos colombianos optam por compras de viagens ao Brasil em agências tradicionais (35%) e agências on-line (35%), conforme aponta estudo da Embratur. O município participou dos eventos de forma institucional, planejada dentro da Gestão Integrada, em parceria entre a secretaria, Iguassu Convention & Visitors Bureau (ICVB), Itaipu Binacional e Comtur, com aquisição de estande e mesas de trabalho com apresentação institucional.

TURISMO Foz do Iguaçu, sexta-feira, 2 de março de 2018 Hotelaria e gastronomia geram grande parte dos empregos em Foz Dados do Ministério do Trabalho mostram a importância dos dois setores para o desenvolvimento iguaçuense Da assessoria Reportagem A hotelaria e a gastronomia contribuem para a geração de grande parte dos empregos em Foz do Iguaçu. Os dois segmentos colaboraram diretamente para o saldo positivo na estatística oficial do município em 2017, revela o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. A cidade registrou 25.104 admissões e 24.729 demissões, obtendo saldo positivo de 375 vagas no geral. A força do turismo é evidenciada num olhar à parte sobre "serviços". Só esse grupo teve saldo de 695 vagas; destas, 386 são da hospedagem e alimentação (7.270 admissões menos 6.884 demissões). Ou seja, a média geral baixou devido ao desempenho de outras atividades econômicas, como construção civil. Vale citar ainda que, em 2016, em plena crise econômica e política nacional, a hotelaria e a gastronomia iguaçuense registraram 6.721 admissões e 7.269 demissões, computando saldo negativo de 548 vagas. Em outras palavras, os setores saíram de um cenário bem adverso para um cenário positivo, demonstrando grande capacidade de recuperação. Para o presidente do Sindhotéis (Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Foz do Iguaçu e Região), Neuso Rafagnin, as centenas de contratações de trabalhadores no ano passado são resultado de constantes investimentos dos empresários em construções, ampliações e reformas dos equipamentos, bem como na excelência de serviços e produtos. "Em 2017, a hotelaria e gastronomia tiveram desempenho na contramão da crise no país. Empresários iguaçuenses têm investido pesado para o crescimento da cidade, com geração de emprego e renda", afirma Rafagnin. Ele destaca, por exemplo, as recentes inaugurações do Bourbon Foz do Iguaçu Business e o Ibis Budget. Isso sem falar no Mabu Blue Park, que será inaugurado em breve. Indústria O turismo é a principal indústria de Foz do O turismo é a principal indústria de Foz do Iguaçu. A cidade possui cerca de 180 meios de hospedagem e 28 mil leitos Iguaçu. A cidade possui cerca de 180 meios de hospedagem e 28 mil leitos. Ressaltam-se ainda 200 estabelecimentos gastronômicos com interesse turístico. Juntos, hotelaria e alimentação empregam por volta de 11 mil pessoas diretamente, além de gerar milhares de empregos indiretos. IFPR Campus Foz do Iguaçu terá Laboratório de Gastronomia O curso Técnico em Cozinha do Instituto Federal do Paraná (IFPR) - Campus Foz do Iguaçu será contemplado com um novo espaço para a prática de seus alunos. Uma Ordem de Serviço, assinada hoje (02), às 10h, marcará a formalização do início das obras de construção do Laboratório de Gastronomia. Na ocasião, o reitor do IFPR, Odacir Zanatta, assinará o documento, numa solenidade que reunirá professores, alunos e autoridades. Com um orçamento de R$1,1 milhão, a obra prevê a construção de uma cozinha demonstrativa - destinada ao desenvolvimento de técnicas gastronômicas; um laboratório de habilidades básicas - funcionando como uma cozinha pedagógica; um laboratório multiuso para panificação, confeitaria e cozinha fria; e um restaurante pedagógico - que simulará um ambiente de um restaurante, com todas as dinâmicas envolvidas. O objetivo da obra é aprimorar a formação técnica dos alunos por meio de atividades práticas na área de Cozinha Quente, Cozinha Fria, Cozinha Brasileira, Cozinha Étnica, Cozinha Contemporânea, Panificação e Confeitaria. Anualmente, o curso Técnico em Cozinha do IFPR - Foz do Iguaçu forma, em média, 25 alunos, com capacitação para trabalhar em restaurantes, bares, panificadoras, hotéis, bufês e outros. Conforme explica o coordenador do curso, Thiago Henrique Lopes, com a construção do Laboratório de Gastronomia o curso poderá ampliar suas possibilidades e, consequentemente, diversificar seu público. "Além de pessoas que querem se qualificar numa nova profissão, queremos atrair, cada vez mais, profissionais que já atuam no mercado e oferecer uma oportunidade de aperfeiçoamento profissional". Turismo e Gastronomia O curso Técnico em Cozinha tem duração de um ano e meio e foi criado em 2011 com o objetivo de capacitar a população da região oeste paranaense, sobretudo de Foz do Iguaçu pelo potencial turístico, para se inserir no mercado de trabalho do setor de serviços, hospedagem e gastronomia. A formação inclui disciplinas práticas e teóricas, visando à formação de um profissional completo. "O técnico formado pelo IFPR não é um fazedor de comida, mas um profissional da área da gastronomia com um perfil diferenciado, com noções de empreendedorismo, inovação, gestão, logística, história, sustentabilidade e outras áreas", destaca Thiago Lopes.