Views
7 months ago

Moda & Negócios_EDIÇÃO 12

José Urbano CANGAÇO E

José Urbano CANGAÇO E CANGACEIROS UMA VIAGEM PELA MITOLOGIA DO NORDESTE Fenômeno social ocorrido no sertão nordestino, no período de 1630 a 1940, o cangaço expandiu-se por uma era de 310 anos, desenvolveu-se como uma luta de pessoas participantes das diversas classes sociais, e para sua melhor compreensão precisamos conhecer o cenário geográfico (interior dos estados, castigados pelas secas, êxodo rural, escasso de oportunidades, dominação político-coronelista e exploração de mão de obra) e também seus personagens: coronéis (grandes proprietários de terras e animais) cangaceiros (personagens armados a margem das leis) coiteiros (aqueles que, nem sempre de boa vontade, davam guarida aos cangaceiros) e volantes (grupos policiais que transpassavam as fronteiras dos estados caçando os cangaceiros). A mudança do sistema político brasileiro de monarquia para República, em 1889, não promove mudanças sociais no nordeste, que, na periferia do poder, sobrevive no modelo do arcaico coronelismo, dos currais eleitorais, do analfabetismo, da construção de riqueza de poucos às custas da exploração de muitos. Cidadãos explorados e revoltados veem no cangaço uma forma de reação isolada, e espontaneamente se inserem nos vários grupos que haviam, também conhecidos como bandoleiros, ou bandidos sociais. Os motivos são comuns: falta de perspectiva, ou para vingar alguma causa familiar ou pessoal não contemplada pela justiça, essa atrelada aos interesses dos poderes econômicos dos coronéis. Dos líderes dos vários grupos da época, ninguém teve tanta repercussão quanto Virgulino Ferreira da Silva, ou simplesmente Lampião, que durante 16 anos (1922 – 1938) foi o mais afamado cangaceiro, denominado Cap. Virgulino, ou autodenominado o “Governador do Sertão”. Figura extremamente controversa, fez da vingança e da violência seu lema de vida. Mas também promoveu atos que seus antecessores nem sucessores poderiam imaginar, entre os quais destacamos: a estética visual LAMPIÃO Sh 8 Prezad em ch

do cangaço (fardamento, cores, simbolismos, patentes); a aceitação de mulheres no bando a partir de 1930 (Maria Bonita, Sila, Maria de Pancada, Dadá entre outras); a aventura na mídia (cotidiano filmado e fotografado por Benjamim Abrão, em 1936); a patente de Capitão recebida no Juazeiro do Norte (04/03/1926); a veneração por Padre Cícero, que criou suas irmãs; o gosto pelos cordéis; a introdução do sequestro no nordeste; os hábitos “femininos” para a época (costurava, bordava, exibia enorme vaidade pessoal). Suas muitas peripécias renderam-lhe fama, respeito, intimidação, ódio, e várias sortes de sentimentos humanos, chegando a transpor as fronteiras do Brasil. Defini-lo não é possível em um só adjetivo. Fez-se múltiplo, a ponto de tornar-se ainda atual, 78 anos depois de sua morte. Contemporaneamente, em 2008 foi tema de Doutorado da pesquisadora Elysé Jasmin, em Sorbonne, França. No site de relacionamentos Facebook, tem milhares de membros na sua comunidade. Inúmeras lendas nascem no imaginário popular dos seus feitos transmitidos oralmente. Cientificamente, é o brasileiro mais biografado da história, com 86 títulos, superando até os nossos dois imperadores, esses favorecidos pela assessoria pessoal e registros históricos da época. Pesquisando esse tema nos últimos 26 anos, não tenho qualquer pretensão de esgotá-lo, até porque não acho essa tarefa possível, porém entendo que, discussões do tipo “herói ou bandido”? são secundárias, mas tenho sim a certeza de que esse personagem enquadra-se na nossa história como um mito, ao lado de Padre Cícero e Luiz Gonzaga, esses – também - mitos do nordeste. Na esteira da história nordestina, encontramos trabalhos sociais extremamente relevantes, tais como Zumbi, Antonio Conselheiro, Frei Caneca, Joaquim Nabuco, Agamenon Magalhães e outros, mas essas personalidades parecem ficar reservadas aos livros de história e aos currículos escolares, pois nenhum deles mexem tanto com o imaginário popular do que o tema cangaço e seu maior personagem, o Lampião. Se os gregos têm sua mitologia, nós os nordestinos também as possuímos. José Urbano Prof. de História, Técnico em Educação da UFPE e membro da ACACCIL DIA DOS NAMORADOS É COM A CVC OS MELHORES DESTINOS PARA O DIA DOS NAMORADOS É NA CVC! GRÁTIS DECORAÇÃO DE LUA DE MEL NO APARTAMENTO GRÁTIS 1 PANACHÊ DE FRUTAS GRÁTIS UPGRADE PARA APARTAMENTO LUXO GRÁTIS FONDUE DE CHOCOLATE GRÁTIS CAFÉ DA MANHA NO APARTAMENTO E 1 ESPUMANTE NACIONAL Shopping Difusora ..... Fone: (81) 3727.9000 | Caruaru Shopping ..... Fone: (81) 3727-7750 | Vitória Park Shopping ..... Fone: (81) 3526-4787 Prezado cliente: os preços por pessoa em apartamento duplo. Não inclui taxas, passeios, bebidas e ingressos, exceto quando mencionado. Parcelamento sem juros mediante aprovação cadastral, sendo taxas no ato da compra e demais parcelas em cheque ou cartão. Ofertas válidas por tempo limitado ou enquanto houver disponibilidade de lugares para tarifas anunciadas. Imagens meramente ilustrativas. Reservamo-nos o direito de corrigir possíveis erros de digitação.