Views
4 months ago

Moda & Negócios_EDIÇÃO 10 PARA IMPRESSÃO

Fisioterapia Thaísa

Fisioterapia Thaísa Batista Labirintite Reabilitação Labiríntica A fisioterapia tem uma grande abrangência que poucas pessoas conhecem. Uma das coisas que me motivam a redigir matérias para nossa revista Moda & Negócios, é justamente mostrar as diferentes áreas em que nós, fisioterapeutas, podemos atuar, ajudando os pacientes com as mais diferentes doenças. Pessoas que têm a famosa labirintite podem ser tratadas pela fisioterapia. E para esclarecer melhor o assunto, contei com a ajuda da fisioterapeuta Wêdja Câmara que é especialista em Fisioterapia Neurofuncional, com capacitação em Reabilitação Vestibular.e atua na ClínicaMultifisio, em Caruaru. O que é Labirintite? Labirintite é o termo habitualmente usado para designar as desordens que acontecem no sistema vestibular, porém que se refere a uma infecção no labirinto. Devendo o mesmo ser substituído por labirintopatia ou vestibulopatia que englobam as disfunções do sistema vestibular que trazem alterações do equilíbrio corporal. Quais os sinais e sintomas? Como principal sinal/sintoma destaca-se a tontura, descrita como sensação de perturbação do equilíbrio corporal, de desorganização espacial, podendo ser: Rotatória quando o indivíduo sente os objetos girarem em torno de si (objetiva), ou quando ele tem a impressão de estar girando no ambiente (subjetiva); ou ainda, Não Rotatória, apresentando instabilidade e desequilíbrio corporal. As disfunções vestibulares apresentam ainda como sinais e

sintomas: diminuição da audição (hipoacusia) e zumbido; instabilidade postural; alteração na marcha (deambulação); desvio postural; quedas; desorientação espacial; perda do domínio sobre o corpo; dificuldade de concentração; distúrbios neurovegetativos como náuseas e vômitos; alterações psicológicas e visuais. Como é feito o diagnóstico? As vestibulopatias podem ser de origem periférica, central ou mista. Para serem diagnosticadas precisa-se realização de exames solicitados após avaliação médica específica, sendo esta, por Otorrinolaringologista ou ainda, Neurologista. Onde os mesmos solicitam exames específicos otoneurológicos, como a vectonistagmografia. E havendo identificação do quadro e fechamento diagnóstico, há encaminhamento para Reabilitação Vestibular, onde o paciente é submetido à avaliação com testes que envolvem aspectos visuais, labirínticos e de equilíbrio. Quais os tratamentos conservadores? Para tratamento do quadro apresentado é necessário que haja integração multiprofissional, tendo na equipe o profissional médico, com função de acompanhar o paciente quanto à orientação medicamentosa própria para cada manifestação e o profissional capaz de promover a reabilitação funcional do mesmo, sendo ele Fisioterapeuta ou ainda Fonoaudiólogo. Como a fisioterapia atua no tratamento da labirintite? Para a fisioterapia cabe a função de promover a reabilitação vestibular do mesmo, que tem por objetivo promover a estabilização visual e a interação vestíbulo-visual durante os movimentos cefálicos (cervicais/cabeça), ampliar a estabilidade corporal estática e dinâmica, diminuir a sensibilidade aos movimentos, além de promover funcionalmente o equilíbrio. E o que é Reabilitação Vestibular? É um conjunto de exercícios terapêuticos que visam atenuar ou eliminar os distúrbios do equilíbrio, através da Compensação Vestibular, que ocorre através da neuroplasticidade (capacidade de readaptação cerebral), a partir das entradas sensoriais dos sistemas proprioceptivo, vestibular e visual, que permitam adaptação, habituação e substituição. É a opção terapêutica, pois utiliza mecanismos estimulantes do sistema vestibular, promove ganho da autoconfiança do paciente na realização das atividades diárias, além de apresentar praticidade em sua execução e não ter efeitos colaterais. Thaisa Batista Pereira Silva Bacharel em Fisioterapia e com especialidade em Fisioterapia Dermato Funcional e Cosmetologia, Método de Linfotaping e Fisioterapia Pélvica. thaiginha@gmail.com 25