Views
9 months ago

Revista Apólice #206

editorial Ano 20 - nº

editorial Ano 20 - nº 206 Dezembro 2015 Esta revista é uma publicação independente da Correcta Editora Ltda e de público dirigido Diretora de Redação: Kelly Lubiato - MTB 25933 klubiato@revistaapolice.com.br Diretor Executivo: Francisco Pantoja francisco@revistaapolice.com.br Repórteres: Amanda Cruz amanda@revistaapolice.com.br Lívia Sousa livia@revistaapolice.com.br Executiva de Negócios: Graciane Pereira graciane@revistaapolice.com.br Diagramação e Arte: Ozzie Gheirart arte@revistaapolice.com.br Articulistas: Luciano Máximo Tiragem: 15.000 exemplares Circulação: Nacional Periodicidade: Mensal CORRECTA EDITORA LTDA Administração, Redação e Publicidade: CNPJ: 00689066/0001-30 Rua Loefgreen, 1291 - cj. 133 V. Clementino Cep 04040-031 - São Paulo/SP Telefones (11) 5082-1472 / 5082-2158 Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva de seus autores, não representando, necessariamente, a opinião desta revista. Alternativas para a crise econômica PIB negativo, retração da produção industrial, queda no nível de emprego. Estes indicativos mostram que a economia caminha para trás. Como o mercado de seguros demora algum tempo para vivenciar os efeitos da crise econômica, mas não muito, logo veremos a arrecadação no mercado cair. Os executivos do setor já se preparam para esta situação. Se há algum tempo a maioria das companhias de seguros tiveram que ajustar sua subscrição para melhorar o resultado das carteiras, agora, têm a opção de voltar aos ganhos financeiros para aumentar participação de mercado, ou manter uma subscrição rígida para ganhos sustentáveis. A receita para enfrentar esta crise ainda é uma incógnita. Alguns economistas sustentam que ela tem mais a ver com o humor do mercado do que com questões financeiras. Bastou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, anunciar a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma para que o dólar baixasse. Vivemos uma crise de credibilidade. Ainda não é possível saber se, ao final dela, as instituições brasileiras sairão fortalecidas. Se as punições para crimes de corrupção (como na Lava Jato) ou ambientais (lama de Mariana) forem exemplares, talvez as empresas comecem a compreender que aqui não é mais terra de ninguém. Caso nada de mais rígido aconteça, voltaremos à estaca zero e, logo, cada um volta a fazer o que quer, dependendo apenas da força da sua conta bancária. Vamos aguardar. Boa leitura! Acesse nosso site www.revistaapolice.com.br Siga nosso twitter.com/revistaapolice Diretora de Redação Curta nosso Revista Apólice Mande suas dúvidas, críticas e sugestões para redacao@revistaapolice.com.br 3