Views
9 months ago

revista Apólice #205

projeto | Liberty

projeto | Liberty Mulheres seguras aposta nas empreendedoras O empoderamento das mulheres é o principal mote do novo projeto da seguradora Kelly Lubiato O empoderamento feminino é o principal mote do novo projeto da Liberty Seguros, lançado em outubro, 21, em São Paulo. Através do blog www. mulheresseguras.com.br a companhia criou uma plataforma para trazer conteúdos informativos que permitam a transferência de conhecimentos sobre assuntos genéricos e novos, que possam contribuir para o desenvolvimento profissional das novas. Segundo dados do SEBRAE, o número de mulheres empreendedoras cresceu 80% no Brasil nos últimos 10 anos. 48 Rosy Herzka, diretora de property da seguradora, disse que o foco da Liberty em projetos de forte apelo social, como os de mobilidade urbana, levaram seus esforços para as mulheres empreendedoras. “Ele foi criado para mulheres que ❙❙Rosy Brode Herzka, da Liberty Seguros decidiram encarar o desafio de começar o próprio projeto”, ressaltou. A linha editorial do Mulheres Seguras irá se apoiar em três pilares: empoderamento das mulheres, ‘não’ ao perfeccionismo e autossuficiência. Herzka avisou que este é apenas o começo de várias iniciativas voltadas especialmente ao público feminino, e que este projeto quer mostrar que a Liberty é uma seguradora de serviços. Para elaborar o projeto, foram realizadas pesquisas com diversas instituições, como SEBRAE, IBGE, Fecomércio etc, para entender as necessidades do público feminino. A gerente de comunicação e marca institucional da seguradora, Larissa Vecchi, disse que o principal é que este é um projeto perene, para médio e longo prazos. “No futuro, queremos agregar experiências de seguradas da Liberty que tenham algo a compartilhar”, adiantou.

painel saúde saúde Otimismo para encontrar soluções Na última reunião da Gestão Profissional da Ameplan Assistência Médica Planejada, realizada em 29 de outubro, foi apresentada aos gestores uma informação muito importante: apesar do cenário econômico ameaçador lá fora, o planejamento estratégico da operadora para 2015 está sendo cumprido com resultados satisfatórios. Esta constatação não foi de fato uma novidade, pois desde o início do ano a equipe vem sendo orientada para potencializar seus talentos, entusiasmo e sabedoria com otimismo, sem se deixar abater pelas notícias sobre crise. “Não significa que estamos ignorando os fatos econômicos que ocorrem no mercado”, comenta José Silva dos Santos, diretor Administrativo Financeiro da operadora, acrescentando que “a idéia é não ser influenciado pelo pessimismo ou, muito menos, cruzar os braços achando que não há mais saída. A equipe da Ameplan é corajosa, criativa e está muito engajada para vencer obstáculos e encontrar oportunidades.” “Sabíamos que o ano seria difícil”, continua, “mas, a despeito dos anos anteriores, em que as previsões também não eram animadoras, a Ameplan cresceu com consistência, apresentando um resultado muito acima do crescimento conquistado pelo próprio segmento de saúde.” O grande segredo, segundo o administrador, é trabalhar com transparência e ética, adaptando produtos, estrutura e rede para oferecer o que o mercado precisa e entregar um produto confiável e com qualidade. A operadora acredita que a premissa da excelência no atendimento foi absorvida completamente pela equipe e está impregnada de tal forma que já faz parte do cotidiano. Celebrando os resultados até o terceiro trimestre de 2015, a Ameplan já prepara estudos e previsões no seu planejamento estratégico para 2016. inflação Custo médico-hospitalar aumenta Os custos das operadoras de planos de saúde com consultas, exames, terapias e internações, apurado pelo Índice de Variação de Custos Médico-Hospitalares (VCMH) do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), cresceram 15,4% nos 12 meses encerrados em março de 2015. Um crescimento bastante superior à variação da inflação geral no País, que registrou alta de 8,1% no mesmo período. gestantes Taxa de partos normais cresce 7,4% Os primeiros resultados das ações para incentivar o parto normal e melhorar a assistência à saúde de gestantes e bebês nos hospitais que integram o projeto Parto Adequado já mostram alguns avanços. Em seis meses de implantação, a iniciativa, desenvolvida pela ANS, Hospital Albert Einstein e Institute for Healthcare Improvement (IHI), ajudou a aumentar em 7,4 pontos percentuais a taxa de partos normais nos estabelecimentos participantes. Nos 42 hospitais públicos e privados que desenvolvem a iniciativa, a taxa de partos normais está em uma curva ascendente: de 19,8% em 2014 (média) para 27,2% em setembro de 2015. A redução da taxa de cesáreas para 72,8% após a implantação do projeto equivale ao salto que o índice deu em uma década -, período em que passou de 75,5% para 85,5%.

Revista em - Clube Vida em Grupo
clique aqui e confira a edição de novembro da revista jrs!
Ambiente Regulatório no Mercado de Seguros - Willis
Uma publicação da - Revista Jornauto