Views
9 months ago

GAZETA DIARIO 521

28 Viver Saúde Foz do

28 Viver Saúde Foz do Iguaçu, segunda-feira, 5 de março de 2018 DOR INTENSA Bebe pouca água? Você pode ter cálculos renais Popularmente conhecido como pedra nos rins, deve-se evitar refrigerantes, sucos artificiais e, principalmente cerveja O cálculo renal é uma massa dura que se desenvolve a partir da cristalização de elementos presentes na urina. Este problema pode estar associado a quanto líquido você bebe ou se existem substâncias em sua urina que desencadeiam a formação das pedras. Pacientes que tiveram pedras uma vez podem formar novas pedras no futuro se não tomarem medidas preventivas. Pessoas chamadas formadores de cálculos podem ter um risco de até 80% de formar novos cálculos, se não fizerem qualquer mudança na alimentação e estilo de vida. Sintomas Se uma pedra bloquear o fluxo normal de urina através do ureter (tubo que conduz a urina para a bexiga) você sentirá uma dor muito severa nas costas e no flanco, chamada de Cólica Renal. A dor vem em ondas e não diminui mesmo se você mudar de posição. Existem também as pedras assintomáticas e, normalmente, são pequenas. Elas não bloqueiam o fluxo de urina e, em geral, são encon- tradas durante exames de imagem de rotina. Outros sintomas que podem acompanhar a Cólica Renal são náusea, vômitos, sangue na urina e febre. Tratamento Em pacientes que apresentam cólica renal o tratamento imediato é feito com antibióticos e descompressão do sistema urinário. A maioria dos cálculos renais e ureterais pequenos são expelidos na urina, neste caso o médico pode prescrever medicamentos para ajudar a pedra a passar mais rapidamente e limitar a dor enquanto ela se move. Entretanto, se a pedra é composta por ácido úrico puro, talvez seja possível dissolve- -la. Isto é feito através de medicamentos que alteram a acidez da urina, tornando-a mais alcalina. Há casos em que o paciente já não apresenta mais sintomas, mas a pedra continua crescendo dentro do rim pode estar presa no ureter e causa dor frequentemente, será necessário o uso de tratamento cirúrgico. Dicas para prevenção: • Beba dois litros de líquido por dia; • Monitore a cor de sua urina, ela deve ser leve e clara; • Beba ainda mais líquido se você vive em um clima quente ou faz atividade física; • Cerveja causa desidratação devido ao álcool; • Evite refrigerantes e sucos artificiais; • Tenha uma dieta equilibrada e variada; • Coma muitos vegetais, fibras e frutas (frutas cítricas em especial); • Mantenha o consumo de cálcio normal (leite e seus derivados); • Reduza a quantidade de sal em sua dieta; • Reduza o consumo de proteína animal, especialmente carnes de animais jovens. Dê preferência para carnes brancas. Dr. Gustavo Zepka Cruz Médico Urologista graduado pela Fundação UFRS, Residência médica em cirurgia geral no hospital São Vicente de Paulo/ RS e Hospital das Clínicas de Porto Alegre. Também foi Preceptor da Residência Médica de Urologia do Hospital Central da Aeronáutica. Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia e Membro da Sociedade Europeia de Urologia. Sorriso saudável influencia na hora da entrevista de emprego Quando o assunto é mercado de trabalho, a beleza do seu sorriso pode ter um peso muito maior do que se imaginava. Boca e dentes, especialmente, têm forte apelo atrativo, sendo uma das principais regiões observadas no primeiro contato. Em estudo realizado no King’s College London, no Reino Unido, o pesquisador Tim Newton chegou à conclusão de que o bom estado dentário é capaz de transmitir a sensação de confiança, de bom relacionamento interpessoal e até, pasmem, de mais inteligência! DR MOHAMAD EL WANNI Cirurgião-Dentista CRO-PR 14025 45) 3523-0132 / (45) 99941-3043

Foz do Iguaçu, segunda-feira, 5 de março de 2018 VISÃO PERFEITA Problemas de refração na visão e na vida escolar Miopia, astigmatismo, hipermetropia são alguns dos erros refrativos mais comuns na infância e pode prejudicar o aprendizado Viver Saúde 29 Com o início da vida escolar podem surgir problemas na visão que influenciam no aprendizado da criança, causando baixo rendimento. Conhecidos como “grau”, os erros refrativos são a causa mais comum de deficiência visual, nestes se incluem a hipermetropia, a miopia e o astigmatismo. Hipermetropia: É a condição em que o olho é menor que o normal. A maioria das crianças é hipermetrope, em grau moderado. Neste caso, a visão é boa de longe com dificuldade em focalizar as imagens de perto. Os sintomas são cansaço, desconforto ocular após esforço na visão e dores de cabeça frequentes, principalmente no final do dia. A hipermetropia não chega a ser um problema, porque em grande parte dos casos o grau diminui conforme o crescimento do olho, sendo assim, é bastante comum que a necessidade de óculos durante a infância termine na idade adulta. A correção pode ser feita através do uso de óculos e lentes de contato. Miopia: Erro refrativo que ocorre quando o olho é mais longo que o normal, fazendo com que a imagem seja projetada antes da retina. Uma condição hereditária geralmente descoberta na idade escolar e que tende a aumentar durante o período de crescimento. A criança míope enxerga com clareza os objetos próximos a ela, mas possui enorme dificuldade de visualizar os objetos distantes. Por isso, as crianças que possuem miopia preferem realizar atividades em que não seja preciso usar a visão a distância, como a leitura. As formas de correção são: óculos e lentes de contato. Astigmatismo: Pode ser definido como irregularidade na córnea, que faz com que a imagem fique distorcida. Por visualizar os objetos de forma embaçada, em geral, as crianças que possuem astigmatismo são dispersas e não gostam de ler ou, então, se aproximam demais dos cadernos ou dos livros para enxergar. É comum que apresentem também sintomas como dores de cabeça, cansaço e irritação nos olhos, náuseas, sensibilidade à luz, ou até cuidado excessivo, por esbarrarem ou tropeçarem com facilidade. O uso de óculos e lentes de contato pode corrigir o astigmatismo. Estima-se que existem cerca de 148 milhões de pessoas com deficiência visual provocada por erros refrativos, no mundo. Aproveitamento escolar deficiente, menor produtividade profissional e acidentes de trabalho estão diretamente relacionados à baixa visão, e são frequentemente causados por esta condição. Os pais e professores devem ficar atentos a qualquer sinal de desconforto na visão das crianças, porque o diagnóstico precoce é fundamental para garantir a saúde ocular infantil e o bom desenvolvimento escolar. Além dos erros refrativos temos: Ambliopia é a baixa visão em um, ou em ambos olhos, sem alteração orgânica, fazendo com que ele deixe de desenvolver a sua capacidade visual. Na maioria dos casos, esse impedimento ocorre porque a criança enxerga mais nitidamente com um olho, e o cérebro escolhe a melhor imagem recebida. Com isso, o olho com pior visão é ignorado, fazendo com que não se desenvolva. O tratamento se dá de forma bem simples, o olho com melhor visão é tapado com um oclusor oftálmico para que o olho deficiente se desenvolva. O procedimento será bem sucedido, se for diagnosticado logo nos primeiros anos de vida da criança (antes dos sete anos), caso contrário, o problema pode levar a uma condição permanente de baixa visual. É importante ressaltar que, embora a cirurgia seja uma alternativa de tratamento para os erros refrativos, as crianças não poderão ser submetidas a esse procedimento porque seu sistema visual não alcançou a maturidade. Dr. Renato Tolazzi CRM: 16005 Médico Oftalmologista Diretor Técnico do IMOF Membro da Sociedade Brasileira de Oftalmologia