Views
9 months ago

GAZETA DIARIO 521

30 Viver Saúde Foz do

30 Viver Saúde Foz do Iguaçu, segunda-feira, 5 de março de 2018 FUNCIONAL E AUTOESTIMA Hidroginástica na melhor idade: melhora a frequência cardíaca e o condicionamento físico Exercícios na água ajudam a manter a força e estabilidade muscular, equilibrio e movimentos A temperatura no trabalho não agrada? Norma regulamenta as condições ideais Quando a idade avança, fisicamente as pessoas muitas vezes enfrentam o que pode ser um dilema frustrante. Por um lado, o exercício pode prolongar a sua vida útil e melhorar sua qualidade de vida, por outro lado, muitos exercícios podem prejudicar a situação física de cada um, como por exemplo, exercícios de muito impacto. Exercícios na água, como a hidroginástica, proporcionam benefícios do exercício que diminui os riscos de lesão proporcionando mais segurança. Como é uma aula de Hidroginástica? Hidroginástica é uma variação de exercícios praticada em água na altura dos ombros. Os participantes irão realizar exercícios aeróbicos ou anaeróbicos de ginástica na água. Uma aula de hidroginástica dura entre 45 e 60 minutos, e pode ou não ser acompanhada de músicas de vários tipos. Benefícios do exercício A Hidroginástica proporciona um aumento na frequência cardíaca e melhora o condicionamento físico. O exercício cardiovascular é especialmente importante para os idosos, pois reduz o risco diretamente dos participantes para problemas circulatórios, tais como doenças cardíacas. A aula de hidroginástica é um bom lugar para encontrar outras pessoas com necessidades semelhantes. Água oferece uma massagem calmante e aumenta a sensação de bem-estar. Muitos de nossos alunos acham que o exercício na água é muito divertido. Exercícios de resistência ajudam a manter a força e estabilidade nos músculos, o que pode percorrer um longo caminho no sentido de preservar o equilíbrio, amplitude de movimento e mobilidade que os idosos muitas vezes começam a perder. Na Academia Tecpool temos professores capacitados e aulas especiais para todas as idades. Venha conhecer nosso trabalho! Tecpool Natação e Hidroginástica- R. Emílio de Menezes 335 Jd. América Trabalhar em um ambiente muito quente ou muito frio pode causar desconforto a algumas pessoas. E o que nem todos sabem é que existe uma legislação que dispõe sobre temperatura. A norma regulamentadora 17, do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), prevê diversas regras que precisam ser seguidas no ambiente de trabalho para garantir as condições adequadas. Trabalhar sentindo calor pode ser prejudicial à produtividade do colaborador. Segundo o médico Rui Bocchino Macedo, clínico geral da Paraná Clínicas, “o calor aumenta o gasto de energia consumido pelo corpo. Assim, quando ficamos expostos a temperaturas mais altas, ocorrem mais comumente sintomas como cansaço, sono e fadiga”. O médico indica que o ideal é trabalhar em um ambiente arejado com ar natural. Se não houver janelas, a saída pode ser procurar equipamentos que climatizem o ambiente. “Quando o organismo sofre com a alta temperatura, ele tenta economizar energia e, ainda, pode aumentar a sudorese. No suor estão contidos elementos como sódio, potássio, entre outros. O aumento na sudorese faz com que haja a perda desses eletrólitos, o que pode gerar outros problemas, como câimbra e fraqueza”, explica o clínico geral. Para evitar problemas graves e o desconforto nos funcionários, as empresas precisam ficar atentas às normas regulamentadoras. “A NR 17, do Ministério do Trabalho e Emprego, determina que a temperatura do ambiente de trabalho deve ficar entre 20 e 23ºC e a umidade relativa do ar não pode ser menor do que 40%. Já a ISO 9241 recomenda temperatura entre 20º e 24ºC no verão e 23 a 26ºC no inverno, com umidade relativa entre 40% e 80% e velocidade máxima do ar a 0,75 m/s”, esclarece Ângela Glomb, advogada especialista em Direito do Trabalho. A advogada também orienta como a empresa deve proceder, já que não há como ter o controle sobre a temperatura em todos os ambientes. “O que a gente indica é colocar um papel com estas recomendações próximo ao aparelho de ar-condicionado ou ao controle. Assim, cada um que for mexer no equipamento fica sabendo das orientações. Se tiver pessoas que não gostam do ar e outras que preferem o ambiente mais fresco, é possível também remanejar os colaboradores e deixar os que não gostam mais longe”, recomenda Ângela Glomb. A escolha do que vestir também ajuda na hora de enfrentar o calor do verão. E aqueles trabalhadores que ficam expostos ao sol, também precisam tomar alguns cuidados. “O uso de roupas leves e claras é o ideal. A hidratação também é um item fundamental nestes casos. Para aqueles que trabalham ao ar livre, existe a preocupação da exposição solar. Esse trabalhador deve se expor o mínimo possível à exposição solar, por isso o uso de protetor é de fundamental importância. Sempre que possível, o trabalhador deve procurar lugares com menor incidência de raios solares, mas, mesmo em um ambiente com sombra, deve ser usado o protetor solar”, finaliza o médico. Sobre Glomb & Advogados Associados O escritório Glomb & Advogados Associados tem sua atuação especializada em Direito do Trabalho e Direito Previdenciário. Com escritório próprio em Curitiba e São Paulo, parceiros no Rio de Janeiro, Porto Alegre e Brasília, o escritório Glomb & Advogados Associados tem em suas origens mais de 39 anos de advocacia do seu titular, José Lucio Glomb. Tem na sua história milhares de clientes atendidos com eficiência e resultados positivos. Causas notórias foram patrocinadas com sucesso atestado pelos clientes.

Você sabia que o bagre é um peixe que não possui escamas ? As corujas são capazes de girar o pescoço em 270 graus Foz do Iguaçu, segunda-feira, 5 de março de 2018 AMIGO 4 PATAS Dirofilariose: o verme do coração O que é a dirofilariose*: o verme Dirofilaria Immitis, pertence à mesma classe das lombrigas. Eles até se parecem com as lombrigas, mas é aí que terminam as semelhanças. O Dirofilaria Immitis passa a vida adulta no lado direito do coração e dos grandes vasos sanguíneos que conectam o coração e os pulmões. Os vermes adultos que ficam no coração botam larvas minúsculas que são chamadas de microfilárias e vivem na corrente sanguínea. Estas microfilárias entram em mosquitos quando eles sugam o sangue de um animal infectado. Em 2 a 3 semanas a microfilária fica maior dentro do mosquito e migra para sua boca. Quando o mosquito morde outro animal, as larvas entram em sua pele. As larvas crescem e em cerca de três meses terminam a sua migração até o coração, onde fi- cam adultas, podendo atingir o comprimento de até 35 centímetros. Sintomas e diagnóstico do verme do coração: a maior parte dos cães com dirofilariose não apresentam sinais de doença. Alguns cães podem apresentar diminuição do apetite, perda de peso e apatia. Muitas vezes, o primeiro sinal da doença é a tosse. Os animais com muitos vermes começam a apresentar falta de resistência durante os exercícios. Alguns acumulam líquido no abdômen (ascite), o que os faz parecer barrigudos. Em poucas situações em que os animais têm muitos vermes adultos, eles podem morrer de insuficiência cardíaca súbita. Testes sanguíneos são feitos para identificar cães infectados, entretanto não são precisos, é necessário interpretar os seus resultados com relação ao histórico e sintomas que o animal apresenta. Tratamento da Dirofilariose O tratamento depende da severidade da infecção. Em casos menos graves, o cão pode ser tratado por quatro meses, com a medicação preventiva, para matar larvas de verme migrando até coração, bem como para diminuir o tamanho dos vermes fêmeas. Depois, uma injeção é dada para matar os vermes adultos. Cinco semanas mais tarde, o cão é tratado com mais duas injeções. Quatro meses após o tratamento, o cão deve ser testado para verificar a presença dos vermes. Alguns animais podem precisar se submeter a uma segunda rodada de injeções se os testes ainda deem resultado positivo. É recomendado que os cães permaneçam com medicação preventiva mensalmente durante o tratamento. Consulte sempre o veterinário. Seu gato e destro ou canhoto Se você está com o seu gato, pode descobrir agora mesmo se ele é destro ou canhoto. Você vai apenas precisar de um petisco que ele ame e um copo ou uma garrafa, que te permita colocar o petisco lá dentro. Comece por colocar o petisco dentro do frasco e deixe ele ao alcance do seu gato num lugar da casa onde ele se sinta seguro e confortável. A curiosidade é algo inerente à natureza felina. O apurado olfato do seu gato vai fazer com que ele se aproxime do frasco para espreitar o que tão delicioso está lá dentro. Agora você só precisa esperar e observar qual das patas o teu felino utiliza para tirar o petisco de dentro do frasco. É recomendável que você repita a experiência pelo menos 3 vezes para ter certeza de qual das patas o seu gato usa mais vezes. Se ele utiliza a pata direita, é destro. Caso utilize mais vezes a pata esquerda, pois o seu gatinho é canhoto! Caso você observe que ele vai alternando regularmente entre as duas patas, você tem um felino ambidestro!