004 - O FATO MANDACARU - ABRIL 2018 - NÚMERO 4

ofatomandacaru

Ano 01 | Edição 004 | Maringá, abril de 2018 | Jornal Comunitário de Maringá

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA! | Pág. 3

Em Maringá atualmente já

existem mais de 30 uniões

de moradores que se

contrapõem às antigas

Associações de Bairros.

Ligiane Ciola

MARINGÁ • A Posse da diretoria

da União dos Moradores da

Vila Vardelina, Jardim São Jorge,

Tropical I e II, Jardim Petrópolis,

Conjunto Residencial Planville,

Jardim Brasilia e Núcleo Social Papa

João XXIII aconteceu dia 16 de

março na sede do Núcleo social.

A cerimônia contou a participação

de cerca 50 moradores, de vários

presidentes de bairros e uniões

de moradores, de representantes

dos vereadores Mariucci e Telles,

do atual presidente da Câmara de

Vereadores, Mario Verri e também

do Deputado Federal Enio Verri.

Cleide Santiago, presidente da

recém criada União dos Moradores,

foi escolhida pelo grupo em

uma reunião que de acordo com os

membros fundadores, aconteceu no

final de novembro do ano passado.

“Já há algum tempo percebemos

a necessidade de uma organização

que trabalhe em prol dos moradores

e que tenha um olhar para

todos, que busque soluções para

nossas necessidades. O prefeito nos

apoia e hoje já existem mais de 30

uniões de moradores que começaram

a ser formar há menos de um

ano. Na verdade, a associação que

existia não dava espaço para a participação,

já a União dos Moradores

nesse conceito de participação

quer construir com transparência

um percurso de administração comunitária.”

Paulo Borghi, vicepresidente

se diz entusiasta e acredita

que “a união de moradores será

um elo de ligação entre os bairros e

a administração municipal, tanto o

executivo como o legislativo”.

Os membros da atual diretoria

VILA VARDELINA

ENCABEÇA UNIÃO

DE MORADORES

Posse da Diretoria com a participação de moradores, presidentes de bairros, uniões de moradores, Vereador e Deputado Federal.

dizem que a politização das associações

de bairros foi o motivo que os

levaram a criação da nova entidade.

Após a cerimônia de posse,

uma das moradoras presentes quis

saber “por que se está criando uma

união se já existe a associação e se

isso não criaria uma competição

Cleide Santiago - Presidente U. Moradores

entre as mesmas”. A essa questão

respondeu José Cortez, coordenador

da equipe que organizou o grupo

que compõem a diretoria.

“Se trata de uma entidade nova

e não há necessidade de eleição.

Houve uma reunião antes dessa na

Capela João XXIII e os moradores

foram avisados através de carro de

som e outros meios”. De acordo

com Cortez, à reunião participaram

cerca de 30 pessoas, “está tudo

na ata”.

“Quando nós tentamos entrar

nas associações era para disputar

nos bairros, não era para fundar

uma entidade nova. Conseguimos

disputar somente em 2 bairros, no

Jardim Madrid e na Vila Esperança

mas nas outras associações,

sempre que procurávamos registrar

uma chapa os atuais presidentes

já haviam registrado em cartório

a realização de eleições com testemunhas

e tudo mais e não tinha

como disputar as eleições, por isso

criamos as Uniões de Bairros”.

Ainda segundo Cortez, 90%

das associações de bairros se encontravam

inativas, somente algumas

ainda funcionavam.

Os membros das mais de 30

uniões de bairros dizem que “não

havia mais como participar democraticamente

das eleições nas associações

de bairros e por isso, seguindo

orientações do Prefeito Ulisses

Maia, de vários vereadores, do

Deputado Enio Verri e também de

advogados, se decidiu instituir a figura

da união de moradores.”

A diretoria atual tem mandato

de 3 anos e pode se candidatar à reeleição.

As associações de bairro,

continuam tendo reconhecimento

perante o município desde que estejam

com todos os documentos e

com o CNPJ em ordem.■

More magazines by this user
Similar magazines