30.03.2018 Views

CAT_ TUBERCULOSE - INDICADORES DE 2016 _ Mundo e Brasil

O Centro de Apoio ao Tabagista - CAT divulga os indicadores mais recentes sobre a tuberculose no Brasil e no mundo, a partir de apresentação recebida do Ministério da Saúde _ Programa Nacional de Controle da Tuberculose - PNCT.

O Centro de Apoio ao Tabagista - CAT divulga os indicadores mais recentes sobre a tuberculose no Brasil e no mundo, a partir de apresentação recebida do Ministério da Saúde _ Programa Nacional de Controle da Tuberculose - PNCT.

SHOW MORE
SHOW LESS

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

Programa Nacional de Controle<br />

da Tuberculose<br />

CGPNCT / <strong>DE</strong>VIT<br />

Secretaria de Vigilância em Saúde<br />

Ministério da Saúde<br />

tuberculose@saude.gov.br<br />

Fevereiro/2018


Tuberculose no <strong>Mundo</strong><br />

• É a doença infecciosa que mais mata no mundo superando as<br />

mortes causadas pelo HIV/Aids<br />

• 10,4 milhões de casos estimados em <strong>2016</strong><br />

• 87% dos casos de TB em 30 países<br />

• 10% dos casos estimados são HIV positivo<br />

• 1,3 milhão de mortes estimadas em <strong>2016</strong> (HIV negativo)<br />

• 374 mil óbitos estimados com TB-HIV em <strong>2016</strong><br />

• 490 mil casos de MDR estimados em <strong>2016</strong><br />

Fonte: Global Tuberculosis Report (WHO, 2017)


Tuberculose no <strong>Mundo</strong><br />

• Aumento do número de casos estimados globalmente - 9<br />

milhões de casos novos em 2013<br />

• Metas globais de redução da incidência, prevalência e<br />

mortalidade atingidas em nove países de alta carga<br />

• BRICS, responsáveis por aproximadamente 50% dos casos no<br />

mundo, mobilizam mais de 95% dos recursos necessários através<br />

fontes domésticas<br />

• Os demais 25 países prioritários dependem (75%) de doações<br />

internacionais<br />

Fonte: Global Tuberculosis Report (WHO, <strong>2016</strong>)


Classificação de países prioritários para TB, TB-HIV e TB-<br />

MDR – 2015 a 2020<br />

Fonte: Adaptado do documento Global Tuberculosis Report (WHO, 2015)


Tuberculose no <strong>Brasil</strong> – <strong>2016</strong> e 2017<br />

• 69 mil casos novos de TB diagnosticados<br />

• Cerca de 4,5 mil mortes por tuberculose em <strong>2016</strong><br />

• De acordo com a nova classificação da OMS <strong>2016</strong>-2020, o <strong>Brasil</strong> ocupa a<br />

20ª posição na lista dos 30 países prioritários para TB e a 19ª posição na<br />

lista dos 30 países prioritários para TB-HIV<br />

•4ª causa de mortes por doenças infecciosas<br />

• 1ª causa de mortes dentre as doenças infecciosas definidas dos<br />

pacientes com AIDS<br />

Fonte: Sinan/SIM/OMS


INCIDÊNCIA


Por 100.000 hab.<br />

70<br />

60<br />

Coeficiente de incidência de tuberculose.<br />

<strong>Brasil</strong>, 1990 a 2017*<br />

50<br />

51,8<br />

40<br />

30<br />

33,5<br />

20<br />

10<br />

0<br />

Fonte: SES/MS/Sinan e IBGE.<br />

* Dados preliminares sujeitos a revisão<br />

Ano


Por 100.000 hab.<br />

60<br />

Coeficiente de incidência de tuberculose.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2001 a 2017*<br />

50<br />

40<br />

30<br />

42,8<br />

33,5<br />

20<br />

10<br />

0<br />

Fonte: SES/MS/Sinan e IBGE.<br />

* Dados preliminares sujeitos a revisão<br />

Ano


Por 100.000 hab.<br />

60<br />

Coeficiente de incidência de tuberculose.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2001 a 2017*<br />

50<br />

46,3<br />

40<br />

30<br />

42,8<br />

36,5<br />

33,5<br />

20<br />

10<br />

0<br />

Fonte: SES/MS/Sinan e IBGE. *Dados preliminares sujeitos a revisão<br />

Caso novo = Caso Novo + Não sabe + Pós óbito<br />

Caso Novo + Recidiva<br />

Caso Novo<br />

Ano


Coeficiente de incidência de tuberculose por região.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2001 a 2017*<br />

Por 100.000 hab.<br />

70<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

51,2<br />

46,0<br />

44,4<br />

32,2<br />

28,7<br />

42,7<br />

37,7<br />

31,2<br />

27,2<br />

20,0<br />

0<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong> 2017<br />

Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste<br />

Região<br />

Fonte: SES/MS/Sinan e IBGE. * Dados preliminares sujeitos a revisão


Por 100.000 hab.<br />

80<br />

70<br />

74,1<br />

Coeficiente de incidência de tuberculose por<br />

unidade federada. <strong>Brasil</strong>, 2017*<br />

60<br />

50<br />

40<br />

<strong>Brasil</strong>: 33,5<br />

30<br />

20<br />

10<br />

9,5<br />

0<br />

Fonte: SES/MS/Sinan e IBGE.<br />

*Dados preliminares sujeitos a revisão<br />

UF


120<br />

Coeficiente de incidência de tuberculose por capitais.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2017*<br />

Por 100.000 hab.<br />

100<br />

104,7<br />

80<br />

60<br />

Capitais: 51,9<br />

40<br />

20<br />

5,6<br />

0<br />

Fonte: SES/MS/Sinan e IBGE.<br />

*Dados preliminares sujeitos a revisão<br />

Capitais


Percentual de casos novos de tuberculose por sexo.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2001 a 2017*<br />

%<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

36,1<br />

31,0<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

63,9<br />

69,0<br />

10<br />

0<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong> 2017<br />

Feminino<br />

Masculino<br />

Fonte: SES/MS/Sinan. * Dados preliminares sujeitos a revisão


Coeficiente de incidência por sexo.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2001 a 2017*<br />

Por 100.000 hab.<br />

80<br />

70<br />

60<br />

54,0<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

30,0<br />

46,9<br />

20,5<br />

0<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong> 2017<br />

Masculino<br />

Feminino<br />

Fonte: SES/MS/Sinan e IBGE. *Dados preliminares sujeitos a revisão


Percentual de casos novos de tuberculose por faixa<br />

etária. <strong>Brasil</strong>, 2001 a 2017*<br />

%<br />

60<br />

50<br />

45,5 45,1<br />

40<br />

41,3 41,5<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

8,5<br />

2,7 1,9<br />

1,8 1,2<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong> 2017<br />

10,2<br />

Fonte: SES/MS/Sinan. * Dados preliminares sujeitos a revisão<br />

0-4 a 5-14 a 15-34 a 35-64 a 65 + a


Coeficiente de incidência de tuberculose por faixa<br />

etária. <strong>Brasil</strong>, 2001 a 2017*<br />

Por 100.000 hab.<br />

80<br />

70<br />

66,2<br />

60<br />

63,1<br />

50<br />

40<br />

30<br />

48,2<br />

41,8<br />

40,3<br />

42,0<br />

20<br />

10<br />

7,9<br />

5,9<br />

0<br />

5,8 4,1<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong> 2017<br />

0-4 a 5-14 a 15-34 a 35-64 a 65 + a<br />

Fonte: SES/MS/Sinan e IBGE. * Dados preliminares sujeitos a revisão


Percentual de casos novos de tuberculose por<br />

escolaridade. <strong>Brasil</strong>, 2001 a 2017*<br />

%<br />

100<br />

90<br />

22,4<br />

80<br />

70<br />

46,3<br />

60<br />

50<br />

40<br />

60,9<br />

30<br />

47,1<br />

20<br />

10<br />

0<br />

16,7<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong> 2017<br />

6,6<br />

Analfabeto Menos de 8 anos 8 anos ou mais<br />

Fonte: SES/MS/Sinan. *Dados preliminares sujeitos a revisão


%<br />

Percentual de casos novos de tuberculose por raça.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2001 a 2017*<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

64,5<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

54,6<br />

40,4<br />

33,5<br />

10<br />

0<br />

4,9<br />

2,0<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong> 2017<br />

branca preta/parda amarela/indígena<br />

Fonte: SES/MS/Sinan. * Dados preliminares sujeitos a revisão


Coeficiente de incidência de tuberculose por raça.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2013*<br />

Por 100.000 hab.<br />

100<br />

94,4<br />

90<br />

80<br />

70<br />

60<br />

50<br />

40<br />

38,4<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

25,9<br />

21,3<br />

Branca Preta/ parda Amarela Indigena<br />

Fonte: SES/MS/Sinan/DASIS; IBGE e estimativas <strong>DE</strong>VIT. *Dados preliminares, sujeitos a revisão.


MORTALIDA<strong>DE</strong>


p/100.000 hab.<br />

Coeficiente de mortalidade por tuberculose. <strong>Brasil</strong>,<br />

1990 a <strong>2016</strong>*<br />

4,0<br />

3,5<br />

3,6<br />

3,0<br />

2,5<br />

2,0<br />

2,1<br />

1,5<br />

1,0<br />

0,5<br />

0,0<br />

1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014 <strong>2016</strong><br />

Fonte: MS/SVS/DASIS; IBGE.<br />

*Dados provisórios<br />

Ano do óbito


P/100.000 hab.<br />

Coeficiente de mortalidade por tuberculose. <strong>Brasil</strong>,<br />

2001 a <strong>2016</strong>*<br />

<strong>2016</strong>: 4.426<br />

3,5<br />

3,0<br />

3,1<br />

2,5<br />

2,0<br />

2,1<br />

1,5<br />

1,0<br />

0,5<br />

0,0<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong><br />

Ano do óbito<br />

Fonte: MS/SVS/DASIS; IBGE.<br />

*Dados provisórios


p/100.000 hab.<br />

Coeficiente de mortalidade por tuberculose nas<br />

Unidades Federadas. <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*<br />

5,0<br />

4,5<br />

4,4<br />

4,0<br />

3,5<br />

3,0<br />

2,5<br />

2,0<br />

<strong>Brasil</strong>: 2,1<br />

1,5<br />

1,0<br />

0,5<br />

0,0<br />

RJ PE AM AL PI PA MA MS CE RS MT AC SE ES PB SP BA RN RR AP RO PR MG SC GO DF TO<br />

Fonte: MS/SVS/DASIS; IBGE.<br />

*Dados provisórios<br />

UF de residência


p/100.000 hab.<br />

Coeficiente de mortalidade por tuberculose nas<br />

capitais. <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*<br />

7,0<br />

6,4<br />

6,0<br />

5,0<br />

4,0<br />

3,0<br />

Capitais: 3,0<br />

2,0<br />

1,0<br />

0,0<br />

Capitais<br />

Fonte: MS/SVS/DASIS; IBGE.<br />

*Dados provisórios


%<br />

Percentual de óbitos de tuberculose por sexo. <strong>Brasil</strong>,<br />

2001 a <strong>2016</strong>*<br />

100<br />

90<br />

80<br />

26,9 25,4<br />

70<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

73,1 74,6<br />

20<br />

10<br />

0<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong><br />

Ano do óbito<br />

Masculino Feminino<br />

Fonte: MS/SVS/DASIS.<br />

*Dados provisórios


%<br />

Proporção de óbitos por tuberculose segundo raça.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2001 a <strong>2016</strong>*<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

60<br />

47,2 63,3<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

39,0<br />

31,6<br />

0<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong><br />

Ano do óbito<br />

Branca Negros Amarelos Indígenas Ignorado<br />

Fonte: MS/SVS/DASIS.<br />

*Dados provisórios<br />

Negros = negra + parda


p/100.000 hab.<br />

Coeficiente de mortalidade de tuberculose por sexo.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2001 a <strong>2016</strong>*<br />

5,0<br />

4,5<br />

4,5<br />

4,0<br />

3,5<br />

3,0<br />

3,2<br />

2,5<br />

2,0<br />

1,5<br />

1,6<br />

1,0<br />

1,1<br />

0,5<br />

0,0<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong><br />

Masculino<br />

Feminino<br />

Ano do óbito<br />

Fonte: MS/SVS/DASIS; IBGE.<br />

*Dados provisórios


%<br />

Percentual de óbitos de tuberculose por faixa etária.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2001 a <strong>2016</strong>*<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

26,7<br />

30,2<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

57,2<br />

56,9<br />

20<br />

10<br />

0<br />

14,5<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong><br />

12,1<br />

Fonte: MS/SVS/DASIS.<br />

*Dados provisórios<br />

0-4 a 5-14 a 15-34 a 35-64 a 65 a +<br />

Ano do óbito


p/100.000 hab.<br />

Coeficiente de mortalidade de tuberculose por faixa<br />

etária. <strong>Brasil</strong>, 2001 a <strong>2016</strong>*<br />

16<br />

14<br />

14,3<br />

12<br />

10<br />

8<br />

6<br />

4<br />

6,0<br />

7,9<br />

3,4<br />

2<br />

0<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong><br />

0-4 a 5-14 a 15-34 a 35-64 a 65 a +<br />

Ano do óbito<br />

Fonte: MS/SVS/DASIS; IBGE.<br />

*Dados provisórios


Proporção de óbitos por tuberculose segundo forma<br />

clínica. <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*<br />

Forma clínica<br />

Frequência<br />

n %<br />

Tuberculose pulmonar 3.376 76,3<br />

Tuberculose respiratória extrapulmonar 668 15,1<br />

Tuberculose do sistema nervoso 93 2,1<br />

Tuberculose de outros órgãos 73 1,6<br />

Tuberculose miliar 216 4,9<br />

Total de óbitos 4.426 ***<br />

Nota: TB pulmonar: A15.0 a A15.3; A16.0 a A16.2; TB respiratória extrapulmonar: A15.4 a A15.9 e A16.3 a A16.9; TB sistema nervoso: A17.0† a<br />

A17.9†; TB outros órgãos: A18.0 a A18.8 e TB miliar: A19.0 a A19.9.<br />

Fonte: MS/SIM<br />

*Dados preliminares, sujeitos a revisão.


Proporção de óbitos por tuberculose sem menção de<br />

confirmação laboratorial. <strong>Brasil</strong>, 2005 a <strong>2016</strong>*<br />

%<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

82,1<br />

80,2<br />

77,0<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong><br />

Fonte: MS/SIM *Dados preliminares, sujeitos a revisão.<br />

Nota: A16.0 a A16.9<br />

Ano do óbito


Causa básica dos óbitos que apresentaram tuberculose<br />

como causa associada. <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*<br />

N= 2.703<br />

Causa básica n %<br />

Doença pelo vírus da imunodeficiência humana 1.694 62,7<br />

Neoplasias 228 8,4<br />

Doenças do aparelho circulatório 184 6,8<br />

Doenças do aparelho respiratório 151 5,6<br />

Doenças do aparelho digestivo 112 4,1<br />

Outras causas 334 12,4<br />

Fonte: MS/SVS/DASIS.<br />

*Dados provisórios


ENCERRAMENTO


%<br />

Percentual de cura, abandono, em branco/ignorado e<br />

transferência dos casos novos de tuberculose.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2001 a <strong>2016</strong>*.<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

67,8<br />

73,1 70,6<br />

11,0 10,0 9,6<br />

8,4 3,7<br />

6,8 4,9 5,1<br />

7,0<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong><br />

cura abandono transferência branco/ignorado<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. *Dados preliminares, sujeitos a revisão.<br />

São retirados da análise os encerramentos por: Mudança de diagnóstico, TBDR, Mudança de esquema e Falência


Percentual de cura de casos novos de tuberculose por<br />

unidade federada. <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*<br />

% 100<br />

Não avaliados: 12,1%<br />

90<br />

80<br />

70<br />

83,2<br />

<strong>Brasil</strong>: 70,6%<br />

60<br />

50<br />

49,4<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

UF<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão.<br />

São retirados da análise os encerramentos por: Mudança de diagnóstico, TBDR, Mudança de esquema e Falência<br />

Não avaliados = Ignorados + Transferências


Percentual de abandono de casos novos de tuberculose<br />

por unidade federada. <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*<br />

%<br />

18<br />

16<br />

14<br />

12<br />

10<br />

8<br />

6<br />

15,7<br />

Não avaliados: 12,1%<br />

<strong>Brasil</strong>: 9,6%<br />

4<br />

3,5<br />

2<br />

0<br />

UF<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão.<br />

São retirados da análise os encerramentos por: Mudança de diagnóstico, TBDR, Mudança de esquema e Falência<br />

Não avaliados = Ignorados + Transferências


Percentual de cura de casos novos de tuberculose por<br />

capital. <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*<br />

% Não avaliados: 11,6%<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

84,5<br />

Capitais: 68,6%<br />

10,3<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão.<br />

São retirados da análise os encerramentos por: Mudança de diagnóstico, TBDR, Mudança de esquema e Falência<br />

Não avaliados = Ignorados + Transferências<br />

Capitais


Percentual de abandono de casos novos de tuberculose<br />

por capital. <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*<br />

%<br />

30<br />

Não avaliados: 11,6%<br />

25<br />

20<br />

20,3<br />

15<br />

Capitais: 12,0%<br />

10<br />

5<br />

0<br />

1,6<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão.<br />

São retirados da análise os encerramentos por: Mudança de diagnóstico, TBDR, Mudança de esquema e Falência<br />

Não avaliados = Ignorados + Transferências<br />

Capitais


Percentual de cura e abandono de casos novos de<br />

tuberculose pulmonares com confirmação laboratorial.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2001 a <strong>2016</strong>*<br />

% Não avaliados: 10,9%<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

70,4 70,5<br />

72,6 73,1 75,0<br />

77,8 76,8 76,6 75,9 76,0 76,7 75,2 76,4 76,2 75,2<br />

10,7 9,9 9,5 9,3 9,3 9,6 10,3 10,6 11,4 11,1 10,8 11,4 12,0 11,7 11,0 10,3<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong><br />

73,0<br />

cura<br />

abandono<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão.<br />

Retirados da análise os encerramentos por: Mudança de diagnóstico, TBDR, Mudança de esquema e Falência<br />

Não avaliados = Ignorados + Transferências


%<br />

Percentual de cura de casos novos de tuberculose<br />

pulmonares com confirmação laboratorial por unidade<br />

federada. <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*<br />

90<br />

84,2<br />

Não avaliados: 10,9%<br />

80<br />

70<br />

<strong>Brasil</strong>: 73,0%<br />

60<br />

54,8<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão.<br />

São retirados da análise os encerramentos por: Mudança de diagnóstico, TBDR, Mudança de esquema e Falência<br />

Não avaliados = Ignorados + Transferências<br />

UF


Percentual de cura de casos novos de tuberculose<br />

pulmonares com confirmação laboratorial por capital.<br />

<strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*<br />

% Não avaliados: 10,8%<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

86,1<br />

Capitais: 70,6%<br />

10,9<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão.<br />

São retirados da análise os encerramentos por: Mudança de diagnóstico, TBDR, Mudança de esquema e Falência<br />

Não avaliados = Ignorados + Transferências<br />

Capitais


Tratamento Diretamente Observado (TDO)


Percentual de casos novos em Tratamento Diretamente<br />

Observado (TDO). UF e <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*<br />

%<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

74,2<br />

<strong>Brasil</strong>: 35,0%<br />

16,5<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. *Dados preliminares, sujeitos a revisão<br />

UF de residência


Percentual de retratamento em Tratamento Diretamente<br />

Observado (TDO). UF e <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*<br />

%<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

73,8<br />

<strong>Brasil</strong>: 30,5%<br />

5,8<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. *Dados preliminares, sujeitos a revisão<br />

Retratamento: recidiva + reingresso após abandono<br />

UF de residência


Percentual de casos novos de tuberculose pulmonares<br />

com confirmação laboratorial em Tratamento<br />

Diretamente Observado (TDO). UF e <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*<br />

90<br />

80<br />

70<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

%<br />

77,2<br />

<strong>Brasil</strong>: 38,7%<br />

14,3<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. *Dados preliminares, sujeitos a revisão<br />

UF


Percentual de casos novos de tuberculose pulmonares<br />

com confirmação laboratorial em Tratamento<br />

Diretamente Observado (TDO). Capitais, <strong>2016</strong><br />

%<br />

90<br />

80<br />

76,6<br />

70<br />

60<br />

50<br />

Capitais: 35,8%<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. Dados preliminares, sujeitos a revisão<br />

Capitais


Encerramento dos casos novos de tuberculose em TDO* e<br />

não-TDO*. <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>**<br />

%<br />

100<br />

80<br />

84,6<br />

72,9<br />

60<br />

40<br />

20<br />

0<br />

Cura<br />

5,3<br />

Abandono<br />

12,9<br />

TDO<br />

não-TDO<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. *Tratamento Diretamente Observado **Dados preliminares, sujeitos a revisão


Encerramento dos retratamentos em TDO* e não-TDO*.<br />

<strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>**<br />

%<br />

100<br />

80<br />

71,0<br />

60<br />

49,9<br />

40<br />

33,8<br />

20<br />

15,3<br />

0<br />

Cura<br />

Abandono<br />

TDO<br />

não-TDO<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. *Tratamento Diretamente Observado. **Dados preliminares, sujeitos a revisão


Avaliação de contatos


%<br />

100<br />

90<br />

Percentual de contatos examinados entre os contatos<br />

identificados dos casos novos de tuberculose. UF e <strong>Brasil</strong>,<br />

2017*<br />

80<br />

77,0<br />

70<br />

60<br />

<strong>Brasil</strong>: 49,0%<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

20,2<br />

10<br />

0<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. *Dados preliminares, sujeitos a revisão<br />

UF


Percentual de contatos examinados entre os contatos<br />

identificados dos casos novos confirmados<br />

laboratorialmente. UF e <strong>Brasil</strong>, 2017*<br />

%<br />

100<br />

90<br />

80<br />

80,0<br />

70<br />

60<br />

<strong>Brasil</strong>: 52,4%<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

21,2<br />

10<br />

-<br />

UF<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. *Dados preliminares, sujeitos a revisão


Testes diagnósticos com controle de<br />

qualidade


%<br />

Percentual de realização de exames diagnósticos e<br />

positividade em casos novos pulmonares de tuberculose.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2001 a 2017*<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

82,9 87,2 85,3<br />

83,2 83,7<br />

77,4<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong> 2017<br />

Positivos entre os exames realizados<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. *Dados preliminares, sujeitos a revisão<br />

Exames Diagnóstico = Baciloscopia, Cultura ou Teste Rápido Molecular -TB<br />

Exames Realizados<br />

Ano


Percentual de exames de diagnóstico realizados entre os<br />

casos novos pulmonares de tuberculose.<br />

UF e <strong>Brasil</strong>, 2017.*<br />

%<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

99,4<br />

<strong>Brasil</strong>: 85,3%<br />

69,1<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. *Dados preliminares, sujeitos a revisão<br />

Exames Diagnóstico = Baciloscopia, Cultura ou Teste Rápido Molecular -TB<br />

UF


%<br />

Percentual de exames diagnósticos positivos entre<br />

os casos novos pulmonares de tuberculose.<br />

UF e <strong>Brasil</strong>, 2017.*<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

92,6<br />

<strong>Brasil</strong>: 83,7%<br />

71,1<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. *Dados preliminares, sujeitos a revisão<br />

Exames Diagnóstico = Baciloscopia, Cultura ou Teste Rápido Molecular -TB<br />

UF


Percentual de Teste Rápido Molecular para TB realizado<br />

entre os casos novos pulmonares positivos de tuberculose.<br />

UF e <strong>Brasil</strong>, 2017.*<br />

100<br />

90<br />

%<br />

80<br />

70<br />

70,1<br />

60<br />

50<br />

40<br />

<strong>Brasil</strong>: 32,1%<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

AP RR AM AL SP RN ES GO RO RJ PR DF TO BA AC MG RS PI SC PB MA PE SE CE MS MT<br />

8,5<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. *Dados preliminares, sujeitos a revisão<br />

UF


Realização de cultura entre os casos de retratamento de<br />

tuberculose. <strong>Brasil</strong>, 2001 a <strong>2016</strong>*<br />

%<br />

50<br />

40<br />

35,3<br />

38,1<br />

39,7<br />

41,4 41,5<br />

44,4<br />

42,3<br />

30<br />

21,1<br />

23,3<br />

25,1<br />

27,5<br />

20<br />

12,5 12,8<br />

14,2 15,0<br />

17,2<br />

10<br />

0<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong><br />

Ano<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão. Realizados = positivo + negativo


Realização de cultura entre os casos novos e retratamentos<br />

de tuberculose pulmonar. <strong>Brasil</strong>, 2001 a <strong>2016</strong>*.<br />

%<br />

50<br />

40<br />

35,3<br />

38,1<br />

39,7<br />

41,4 41,5<br />

44,4<br />

42,3<br />

30<br />

20<br />

10<br />

21,1<br />

17,2<br />

14,2 15,0<br />

12,5 12,8<br />

13,2<br />

12,0<br />

8,3 8,8<br />

9,7 10,2<br />

27,5<br />

25,1<br />

23,3<br />

17,7<br />

15,7<br />

15,0<br />

21,0 22,2 22,5<br />

24,2<br />

26,0<br />

30,4 30,3<br />

0<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong><br />

Retratamento Casos novos<br />

Ano<br />

Fonte: SES/MS/SINAN.<br />

*Casos novos = caso novo + não sabe + pós-óbito<br />

** Retratamento = recidiva + reingresso após abandono


Percentual de cultura realizada entre os casos de<br />

retratamentos de tuberculose. UF e <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*.<br />

%<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

60<br />

100,0<br />

50<br />

40<br />

<strong>Brasil</strong>: 42,3%<br />

30<br />

20<br />

10<br />

11,6<br />

0<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão. Realizados = positivo + negativo<br />

UF


Realização de cultura e TS entre os casos novos de<br />

tuberculose pulmonar. <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>.<br />

60.507 casos novos pulmonares<br />

Realização de cultura<br />

42.159 (69,7%) não 18.348 (30,3%) sim<br />

4.980 (27,1%) negativos 13.368 (72,9%) positivos<br />

Realização de TS<br />

7.404 (55,4%) não<br />

5.964 (44,6%) sim<br />

5.522 (92,6%)<br />

sensíveis<br />

442 (7,4%)<br />

resistentes<br />

Fonte: SES/MS/SINAN.<br />

Pulmonar = pulmonar e pulmonar+extrapulmonar<br />

TS – Teste de Sensibilidade


Realização de cultura e TS entre os casos de retratamentos<br />

de tuberculose pulmonar. <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>.<br />

12.833 casos de retratamentos<br />

Realização de cultura<br />

7.402 (57,7%) não 5.431 (42,3%) sim<br />

1.655 (30,5%) negativos 3.776 (69,5%) positivos<br />

Realização de TS<br />

1.743 (46,2%) não<br />

2.033 (53,8%) sim<br />

1.735 (85,3%)<br />

sensíveis<br />

298 (14,7%)<br />

resistentes<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. *Retratamento = recidiva + reingresso após abandono<br />

Pulmonar = pulmonar e pulmonar+extrapulmonar<br />

TS – Teste de Sensibilidade


Coinfecção TB-HIV


Proporção de coinfecção TB-HIV. UF e <strong>Brasil</strong>, 2017*<br />

%<br />

18<br />

16<br />

17,0<br />

HIV ignorado 2017: 26,6%<br />

14<br />

12<br />

10<br />

8<br />

<strong>Brasil</strong>: 9,2%<br />

6<br />

4<br />

4,3<br />

2<br />

0<br />

Fonte: SES/MS/Sinan e IBGE. *Dados preliminares sujeitos a revisão<br />

UF


Percentual de casos novos de tuberculose que realizaram<br />

teste para HIV. <strong>Brasil</strong>, 2001-2017*<br />

%<br />

100<br />

80<br />

60<br />

40<br />

25,8 28,3 30,8 33,0 37,3 41,8 47,1 51,1 55,5 62,0 65,1 67,2 71,7 75,1 79,2 79,5 73,4<br />

20<br />

0<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong> 2017<br />

Ano<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão.


Percentual de casos novos de tuberculose segundo<br />

coinfecção, solicitação e realização do teste para HIV.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2001-2017*<br />

%<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

80,8 81,3 81,8<br />

79,2 79,5 73,4<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

36,6<br />

25,8<br />

7,5<br />

9,9 9,4 9,2<br />

0<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong> 2017<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão.<br />

Solicitado Realizado Coinfecção


Percentual de casos novos de tuberculose segundo<br />

realização e positividade do teste para HIV.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2001-2017*<br />

%<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

79,5<br />

73,4<br />

28,9<br />

25,8<br />

11,9 12,5<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong> 2017<br />

Realizado<br />

Positividade<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão.


Percentual de realização de teste para HIV. UF e <strong>Brasil</strong>,<br />

2017*<br />

%<br />

100<br />

90<br />

92,1<br />

80<br />

70<br />

60<br />

<strong>Brasil</strong>: 73,4%<br />

54,7<br />

50<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão. Realizado = positivo + negativo<br />

UF


%<br />

100<br />

Percentual de realização de teste para HIV por capital.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2017*<br />

96,3<br />

90<br />

80<br />

Capitais: 73,7%<br />

70<br />

60<br />

50<br />

40<br />

40,7<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

Capital<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão. Realizado = positivo + negativo


Percentual de casos novos de coinfecção TB-HIV segundo<br />

realização de TARV. UF e <strong>Brasil</strong>, 2017*<br />

%<br />

100<br />

90<br />

80<br />

70<br />

67,7<br />

60<br />

50<br />

<strong>Brasil</strong>: 43,7%<br />

40<br />

30<br />

20<br />

21,4<br />

10<br />

0<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão.<br />

UF


Comparação entre o encerramento dos casos novos de TB-<br />

HIV- e TB-HIV+. <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*<br />

90<br />

80<br />

70<br />

% HIV ignorado <strong>2016</strong>: 20,5%<br />

78,0<br />

60<br />

50<br />

50,1<br />

40<br />

30<br />

20<br />

10<br />

0<br />

21,9<br />

13,6<br />

8,3<br />

4,7<br />

Cura Abandono Óbito<br />

TB/HIV-<br />

TB/HIV+<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão.


Controlar a Tuberculose Drogarresistente


Casos novos de tuberculose drogarresistente (TBDR) .<br />

<strong>Brasil</strong>, 2001 a 2017.<br />

Fonte: MS/SITE TB<br />

Ano<br />

TBDR<br />

2001 332<br />

2002 333<br />

2003 316<br />

2004 313<br />

2005 389<br />

2006 320<br />

2007 335<br />

2008 355<br />

2009 397<br />

2010 617<br />

2011 712<br />

2012 810<br />

2013 733<br />

2014 805<br />

2015 1097<br />

<strong>2016</strong> 826<br />

2017 982


Número de Casos de tuberculose MDR* e Proporção de<br />

Cultura Realizada. UF e <strong>Brasil</strong>, 2001 a 2017<br />

Nº casos<br />

1200<br />

1000<br />

800<br />

600<br />

400<br />

200<br />

%<br />

50<br />

45<br />

40<br />

35<br />

30<br />

25<br />

20<br />

15<br />

10<br />

5<br />

0<br />

Fonte: SES/MS/SINAN/SITE TB<br />

*MDR: Multidrogarresistente<br />

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong> 2017<br />

Casos novos de TBMR<br />

% Cultura Realizada<br />

0<br />

Ano


Tuberculose em populações vulneráveis


População<br />

Risco relativo<br />

Carga entre os<br />

casos novos*<br />

Fonte: Sinan/MS e IBGE.<br />

*<strong>Brasil</strong> (2017); **Tbweb, SP, 2015 e Pessoa em Situação de Rua: Censo São Paulo, capital (2015)


População Privada de Liberdade


Por 100.000 pessoas presas<br />

3000<br />

Taxa de incidência de tuberculose na População<br />

Privada de Liberdade (PPL). <strong>Brasil</strong>, 2017*<br />

2500<br />

2648,7<br />

2000<br />

<strong>Brasil</strong>: 1036,3<br />

1500<br />

1000<br />

500<br />

125,3<br />

0<br />

Fonte: SES/MS/Sinan e projeção linear da PPL de 2003 a 2017 das UF<br />

provenientes do Infopen. * Dados preliminares sujeitos a revisão<br />

UF


Proporção da População Privada de Liberdade (PPL) entre<br />

os casos novos de tuberculose. UF e <strong>Brasil</strong>, 2017*<br />

%<br />

18<br />

16<br />

14<br />

12<br />

10<br />

8<br />

6<br />

4<br />

2<br />

0<br />

16,6<br />

Total de casos 2017: 7.317<br />

<strong>Brasil</strong>: 10,5%<br />

0,8<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares sujeitos a revisão.<br />

UF


Comparação entre o encerramento dos casos novos de<br />

TB institucionalizados (presídio) ou não. <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong>*<br />

%<br />

80<br />

70<br />

60<br />

50<br />

40<br />

30<br />

73,4<br />

70,3<br />

20<br />

10<br />

7,8<br />

9,7<br />

6,2<br />

10,7<br />

5,0 6,6<br />

0<br />

Cura Abandono Transf. Ignorado<br />

PPL<br />

N PPL<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares sujeitos a revisão.


População em Situação de Rua


Número de casos novos de tuberculose na população em<br />

situação de rua por ano de diagnóstico. <strong>Brasil</strong>, 2014 a<br />

2017.<br />

n<br />

2000<br />

1800<br />

1600<br />

1608<br />

1675<br />

1733<br />

1400<br />

1200<br />

1000<br />

800<br />

850<br />

600<br />

400<br />

200<br />

0<br />

2014 2015 <strong>2016</strong> 2017<br />

Fonte: SES/MS/Sinan. * Dados preliminares sujeitos a revisão<br />

Ano de Diagnóstico


Percentual de casos novos de tuberculose na população em<br />

situação de rua. UF e <strong>Brasil</strong>, 2017*<br />

%<br />

4,5<br />

4,0<br />

3,5<br />

3,0<br />

2,5<br />

<strong>Brasil</strong>: 2,5%<br />

2,0<br />

1,5<br />

1,0<br />

0,5<br />

0,0<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão.<br />

UF


Indicadores operacionais para a PSR. <strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong> e 2017<br />

Indicadores operacionais Resultados (%)<br />

Cura de casos novos 1 40,3<br />

Abandono de tratamento de casos novos 1 32,6<br />

Óbito³ 15,6<br />

Testagem para HIV² 77,7<br />

Coinfecção² 20,5<br />

Cultura de escarro em casos novos pulmonares² 37,4<br />

Cultura de escarro em casos de retratamentos de<br />

tuberculose pulmonar²<br />

40,8<br />

Fonte: SES/MS/Sinan. *Dados preliminares sujeitos a revisão<br />

¹Dados referentes <strong>2016</strong><br />

²Dados referentes 2017<br />

³Encerramento óbito por TB e por outras causas no SINAN – <strong>2016</strong><br />

PSR = população em situação de rua


População Indígena


Os Povos Indígenas no <strong>Brasil</strong><br />

Características Gerais<br />

• Censo 2010 - 817.963 Indígenas - 0,4% da população<br />

brasileira<br />

• 63,4% residentes em área rural<br />

• 27,3% residentes em área urbana<br />

• 4/10* em situação de extrema pobreza (*MDS)<br />

• Representam 1,1% de todos os casos novos de TB notificados<br />

no Sinan<br />

• 63% das notificações entre os povos indígenas são de áreas<br />

rurais<br />

• Taxa de incidência em 2013 – 93,9/ 100.000 habitantes<br />

*MDS - Ministério do Desenvolvimento Social


Taxa de Incidência de TB na População Indígena.<br />

<strong>Brasil</strong>, 2004 a 2013*<br />

Por 100.000 hab.<br />

Fonte: SES/MS/Sinan e estimativa populacionais CGIAE/SVS/MS.<br />

* Dados preliminares sujeitos a revisão<br />

Ano


Percentual de população indígena entre casos novos de<br />

tuberculose. UF e <strong>Brasil</strong>, 2017*<br />

%<br />

20<br />

18<br />

18,1<br />

16<br />

14<br />

12<br />

10<br />

8<br />

6<br />

4<br />

2<br />

<strong>Brasil</strong>: 1,1%<br />

0<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. * Dados preliminares, sujeitos a revisão.<br />

UF


%<br />

Proporção de casos de tuberculose pulmonar com<br />

diagnóstico laboratorial na população indígena. <strong>Brasil</strong>,<br />

2006 a 2017*<br />

100<br />

80<br />

60<br />

55,9<br />

63,4<br />

59,4<br />

63,0<br />

65,1<br />

67,4<br />

65,2<br />

67,1<br />

61,7<br />

49,4<br />

54,7<br />

60,6<br />

40<br />

20<br />

0<br />

2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 <strong>2016</strong> 2017<br />

Ano<br />

Fonte: SES/MS/Sinan.<br />

* Dados preliminares sujeitos a revisão


Indicadores operacionais para a população indígena.<br />

<strong>Brasil</strong>, <strong>2016</strong> e 2017<br />

Indicadores operacionais Resultados (%)<br />

Cura de casos novos 1 78,1<br />

Abandono de tratamento de casos novos 1 7,0<br />

Óbito³ 5,1<br />

Testagem para HIV² 77,8<br />

Coinfecção² 3,1<br />

Cultura de escarro em casos novos pulmonares² 26,1<br />

Cultura de escarro em casos de retratamento de<br />

tuberculose pulmonar²<br />

29,8<br />

Fonte: SES/MS/Sinan. * Dados preliminares sujeitos a revisão<br />

¹Dados referentes <strong>2016</strong><br />

²Dados referentes 2017<br />

³Encerramento óbito por TB e por outras causas no SINAN - <strong>2016</strong>


Tuberculose e<br />

Determinantes Sociais


TB e Determinantes Sociais<br />

• “Condições de vida, trabalho dos indivíduos e grupos da<br />

população estão relacionados com sua situação de saúde”*.<br />

• “Fatores sociais, econômicos, culturais, étnicos/raciais,<br />

psicológicos e comportamentais que influenciam a ocorrência<br />

de problemas de saúde e seus fatores de risco na população”<br />

(Comissão Nacional sobre os Determinantes Sociais da<br />

Saúde)*.<br />

• Tuberculose, doença que mais emblematicamente caracteriza a<br />

determinação social da pobreza no processo saúde/ doença de<br />

uma população<br />

• Buss e Pellegrini Filho, 2007;<br />

• ** IPEA: a relação da TB com a miséria e a exclusão social.


Determinantes Sociais<br />

Auxílio doença INSS gerado pela TB<br />

Levantamento do INSS sobre as doenças infecciosas<br />

que mais afastaram segurados do trabalho em 2012:<br />

• A tuberculose foi a enfermidade que mais gerou o pagamento<br />

de auxílios-doença concedido aos trabalhadores celetistas ou<br />

contribuintes avulsos da previdência social: 12.997 casos


Relacionamento entre Sinan-TB and Cad.Único<br />

2010<br />

23,8% dos casos<br />

novos registrados<br />

no Cad.Único<br />

2011<br />

25% dos casos<br />

novos registrados<br />

no Cad.Único<br />

2011<br />

14% dos casos<br />

novos<br />

beneficiários do<br />

Bolsa Família<br />

*Excluídos: PPL; baixa cobertura: pop rua e indígenas


Fonte: Sinan-TB e Cad.Único<br />

%<br />

Proporção de casos novos de TB beneficiários do<br />

Programa Bolsa Família. <strong>Brasil</strong>, UF, 2011


Proporção de casos novos de TB inscritos no<br />

CadÚnico não BF. <strong>Brasil</strong>, UF, 2011<br />

%<br />

18<br />

16<br />

14<br />

12<br />

16,7<br />

<strong>Brasil</strong>: 11,2<br />

10<br />

8<br />

8,1<br />

6<br />

4<br />

2<br />

0<br />

Fonte: Sinan-TB e Cad.Único<br />

UF


Fonte: Sinan-TB e Cad.Único<br />

%<br />

Proporção de casos novos de TB beneficiários do<br />

Programa Bolsa Família. <strong>Brasil</strong> e Capital, 2011.


Fonte: Sinan-TB e Cad.Único<br />

Características do domicílio dos casos novos de TB<br />

cadastrados no Cad.Único. <strong>Brasil</strong>, 2011<br />

Características do domicílio<br />

CN cadastrados<br />

n %<br />

Zona<br />

Urbano 15.772 85,4<br />

Rural 2.628 14,2<br />

Ignorado 65 0,4<br />

Quantidade de cômodos<br />


Características socioeconomicas dos casos novos de<br />

TB cadastrados no Cad.Único. <strong>Brasil</strong>, 2011<br />

• Grau de parentesco com representante da família<br />

- 43,3% chefe de família<br />

- 55,3% familiar<br />

- 1,4 não parente e ignorado<br />

• Renda média per capita familiar<br />

Média: 109,00 reais, DP 136,00 reais<br />

Mediana: 66,00 reais, (min 0,0; 2.560,00 máx)<br />

*n=18.465 observações


Desfecho de tratamento dos casos novos de TB<br />

segundo situação cadastral. <strong>Brasil</strong>, 2010<br />

%<br />

Fonte: Sinan-TB e Cad.Único


Percentual de casos novos de tuberculose que são<br />

beneficiário de programa de transferência de renda.<br />

<strong>Brasil</strong> e UF, 2017*<br />

%<br />

14,0<br />

12,0<br />

10,0<br />

8,0<br />

6,0<br />

<strong>Brasil</strong>: 5,1%<br />

4,0<br />

2,0<br />

0,0<br />

RR CE MA RN TO PI PA AC AM BA AL SE ES PE RO PR MT AP MG RS PB RJ MS GO DF SC SP<br />

Fonte: SES/MS/SINAN. *Dados preliminares, sujeitos a revisão<br />

UF


Avanços<br />

Determinantes Sociais<br />

Instrução Operacional Conjunta SVS/MS e SNAS/MDSA – Nº<br />

01/2014<br />

OBJETIVO: orientar os serviços socioassistenciais sobre<br />

os sinais e sintomas da tuberculose e encaminhamento<br />

do caso suspeito aos serviços de saúde, bem como a<br />

importância de se garantir a proteção social do<br />

paciente com tuberculose, ajudando-o a superar<br />

barreiras determinadas pela doença.<br />

Instrução<br />

Operacional<br />

Conjunta<br />

Diretrizes para atuação conjunta entre a rede<br />

socioassistencial, a rede de saúde e da gestão local<br />

Orientações para a atuação dos profissionais da rede<br />

socioassistencial junto às pessoas com tuberculose.


Avanços<br />

Determinantes Sociais<br />

Conselho Nacional de Saúde - Resolução nº 444/2011<br />

• Aprofundar a articulação com os movimentos sociais, com o Congresso<br />

Nacional e com instituições intra e intersetoriais para pautar a necessidade<br />

de benefícios sociais, políticas específicas para as populações mais<br />

vulneráveis, de modo a enfrentar os determinantes sociais da TB e com isso<br />

eliminar a doença como um problema de saúde pública no país e,<br />

• Continuar descentralização AB<br />

• Implantar TRM-TB<br />

• Ampliar ações coinfecção TB-HIV<br />

• Produção nacional medicamentos dose fixa combinada<br />

• Controle TBDR<br />

Comissão Patologias do CNS recomenda revisar<br />

Resolução 444/2011 com base na nova estratégia<br />

nacional (julho, 2017)


Envolver os setores públicos e<br />

privados e os organismos de<br />

cooperação


Envolver os setores públicos e privados e<br />

organismos de cooperação<br />

• Política de ampliação das parcerias (fortalecimento da Parceria<br />

<strong>Brasil</strong>eira contra a TB, criação dos comitês metropolitanos, fóruns<br />

de ONGs, etc.)<br />

• Ampliação da participação da Sociedade Civil e do controle social<br />

• Articulação com CONASS e CONASEMS e Conselhos de Saúde<br />

das três esferas da administração pública<br />

• Articulação com organismos de cooperação nacionais e<br />

internacionais


Parceria <strong>Brasil</strong>eira contra a Tuberculose<br />

STOP-TB/BRASIL


Essa Rede reúne os gestores e representantes da sociedade civil<br />

para discutir estratégias locais para o enfretamento da<br />

tuberculose. Atualmente, há 11 comitês no país.


Cooperação Internacional<br />

• Ênfase na cooperação Sul-Sul:<br />

• Construção de laboratório de tuberculose em São Tomé e Príncipe<br />

• Instituição da Rede de Investigação e Desenvolvimento em Saúde<br />

de Tuberculose (RI<strong>DE</strong>S-TB) no âmbito da CPLP<br />

• Projetos com América Latina e zonas de fronteira<br />

•Doação de medicamentos em caráter de ajuda humanitária<br />

• Participação no Grupo Temático de Cooperação Internacional em Saúde<br />

• Acesso a mecanismos de compras de medicamentos para TB: Green<br />

Light Committee (GLC) e Global Drug Facility (GDF-Stop TB)<br />

• BRICS: desenvolvimento de um plano de cooperação em tuberculose


Visite o site do PNCT:<br />

http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/tuberculose


Visite o blog da tuberculose:<br />

http://blogdatuberculose.blogspot.com.br/


Visite o site do Portal Sinan - TB:<br />

http://portalsinan.saude.gov.br/tuberculose


www.saude.gov.br/svs<br />

Disque Saúde - 136<br />

Disque Notifica<br />

0800-644-6645<br />

notifica@saude.gov.br<br />

www.saude.gov.br/combateaedes

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!