Views
5 months ago

edição de 9 de abril de 2018

merCado Consumidor está

merCado Consumidor está otimista este ano e aberto a realizar compras online Global Consumer Insights, da PwC, mostra interesse por inteligência artificial e drones; 71% desejam aumentar ou manter despesas em 2018 Felipe Turlão especial para o propMArK consumidor brasileiro está mais otimista em rela- O ção às compras em 2018, segundo a nova edição do estudo Global Consumer Insights, da PwC. São 71% aqueles que desejam aumentar ou manter as despesas neste ano. Diante da perspectiva positiva, após anos de recessão, também é interessante o aumento da propensão das pessoas já dispostas a fazer compras pelo meio mobile: 41%, contra 58% que o fazem pelo PC e outros 61% que vão às lojas físicas. Embora tenha crescido o número de brasileiros comprando em lojas físicas (foram 55% no estudo anterior), a PwC notou o aumento do interesse em compras online em todas as categorias de produtos. Em eletrônicos, 27% das compras já são feitas dessa forma; em entretenimento, 34%. Uma área com potencial é a de alimentos, em que 58% dos entrevistados têm intenção de comprar comida pela internet. Isso é reflexo de uma maior segurança para se efetuar transações na internet. Em 2015, 47% das pessoas viam a insegurança como obstáculo para uso de smartphone para compras. Esse número caiu para 29%. “As pessoas começaram a perceber que é seguro e confortável fazer o pagamento em serviços mobile como o Uber e demais aplicativos de transporte, por exemplo”, afirma Alexandre Horta, diretor de varejo e consumo da PwC Brasil. O brasileiro perdeu receio de, por exemplo, fornecer sua localização e dados para receber ofertas personalizadas. Além disso, 57% não se Ricardo Neves: “As pessoas querem mais possibilidades de consumo personalizado” importam com monitoramento de padrões e históricos de compra. FoCo em inovação Da mesma forma que são abertos a oferecer os seus dados, os brasileiros demonstram curiosidade por tecnologias que facilitem a compra. “As pessoas querem mais possibilidades de consumo personalizado. O varejo brasileiro tem muito potencial Divulgação “As pessoAs começArAm A perceber que é seguro e confortável fAzer o pAgAmento em serviços mobile como o uber e demAis AplicAtivos de trAnsporte” para crescimento e as empresas que apostarem em tecnologias disruptivas, como inteligência artificial, estarão à frente das demais na oferta de produtos e experiências customizadas”, explica Ricardo Neves, sócio da PwC Brasil. Poucos ainda têm um dispositivo de inteligência artificial como Google Home ou Amazon Echo, que podem auxiliar nas compras. Mas as assistentes pessoais automatizadas, bem como robôs, fazem parte do interesse de 59% de pessoas do país, contra apenas 27% que não têm e não se interessam por possuir um. Para se comparar, na média global, foram 58% os que se enquadraram na situação de não desejar de forma alguma esse tipo de dispositivo. O Brasil é o segundo país do mundo com mais interesse em inteligência artificial, atrás apenas da China. Outra tendência futura, que é o consumo compartilhado, também encontra nos brasileiros um perfil de early adopter. Dividir carros está nos planos de 47% dos brasileiros, contra 38% da média mundial. Outros produtos como equipamentos esportivos (40%), meios de transporte em geral menos carro (38%), calçados (26%), itens para reforma de casas (25%) e até bolsas de grife (21%), jóias (21%) e móveis (20%) também têm grande propensão a serem usados de forma colaborativa. A veia tecnólogica do brasileiro também se mostra na aceitação a entregas via drone. Metade dos entrevistados disse que confiaria no mecanismo para entrega de qualquer produto (25%) ou de um produto de baixo valor (25%). Na média mundial, apenas 38% topariam esse tipo de entrega. 46 9 de abril de 2018 - jornal propmark

meRcado The Good Report indica os melhores da comunicação para causas sociais Anunciantes, agências e campanhas estão no ranking Claudia Penteado instituto Warc, a ONG Act O Responsible e o Gunn Report criaram o The Good Report, ranking que apontou campanhas, agências, redes de agências e anunciantes que fizeram o melhor uso da comunicação na promoção de causas de responsabilidade social e sustentabilidade em 2017. Nesta quinta edição, Fearless Girl, da McCann NY para State Street Fearless Girl, que figura no topo do ranking de campanhas Divulgação Corporation, figura no topo do ranking de campanhas; seguida por Switch it off, da Ogilvy Germany (Berlin) para a Anistia Internacional; Meet Graham, da Clemenger BBDO Melbourne para a Transport Accident Commission; Evan, da BBDO NY para Sandy Hook Promise; e The First Braille Smartwatch, da alemã Serviceplan para a Dot Incorporation. A BBDO Nova York venceu entre as agências, seguida pela McCann NY, Ogilvy Berlin, Clemenger BB- DO Melbourne e Serviceplan München (Alemanha). Já a BBDO Worldwide conquistou a primeira posição como rede, seguida de FCB Worldwide, McCann Worldgroup, Ogilvy & Mather Worldwide e Young & Rubicam Group. A Anistia Internacional foi a marca de maior sucesso ao promover causas do bem no ano passado, seguida de WWF, Unicef, Cruz Vermelha e Greenpeace. Ao todo, foram avaliadas 104 campanhas, de 680 agências para 850 anunciantes, de 80 países. O reconhecimento em premiações foi combinado com o desempenho medido pelo Gunn Report. DIREITOS E CUIDADOS QUE ENVOLVEM OS ANÚNCIOS COM O TEMA COPA DO MUNDO. Dr. Paulo Gomes Data: 25/04/2018 Horário: das 10h00 às 12h00 Local: Faculdade Belas Artes Rua Alvaro Alvim, 90 Vila Mariana - SP Alunos Belas Artes e associados da APP: gratuito Não associados: R$ 180,00 Dra. Mariana Galvão Curso para preparação de divulgação: • Direitos dos Organizadores; • Legislação Aplicável; • Elementos Protegidos; • Orientações FIFA; • Casos Práticos; • Cuidados na elaboração de ações publicitárias. Informações e inscrições: (11) 3813-0188 www.appbrasil.org.br APOIO: REALIZAÇÃO: ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE PROPAGANDA ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE PROPAGANDA AF_ANC_APP_COPA_DO_MUNDO_21.7X15.5.indd 2 jornal propmark - 9 de 3/19/18 abril de 12:28 2018 PM 47