Views
2 months ago

GAZETA DIARIO 549

02 Opinião Foz do

02 Opinião Foz do Iguaçu, sábado e domingo, 7 e 8 de abril de 2018 ÍNDICE Página 1 até 40 EDITORIAL E COLUNA 2 CIDADE 3 CIDADE 4 POLÍTICA 5 BICO DO CORVO 6 CIDADE 7 CAMPANA/POLÍTICA 8 CIDADE 9 CIDADE 10 CIDADE 11 GERAL 12 ESTADUAL 13 ESTADUAL 14 PANORAMA 15 INTERNACIONAL 16 COTIDIANO 17 A 24 IMOBILIÁRIO 25 A 33 CLASSIFICADOS 34 EDITAL 35 POLÍCIA 36 ESPORTE 37 A 39 CELL SHOP 40 EDITORIAL É preciso muita calma O dia foi tenso ontem no Brasil. A grande questão era se o ex-presidente da República compareceria ou não à sede da Polícia Federal em Curitiba, onde e quando deveria ocorrer a execução da ordem de prisão de Lula — um dos mantras mais popularizados no Brasil recentemente. Infelizmente, houve muita expectativa e aposta na explosão de atos violentos com enfrentamentos entre os pró-Lula e os anti-Lula, esquerda e direita. Felizmente entrou em ação o time da negociação da Polícia Federal com a defesa do expresidente sobre o cumprimento do que tem de ser cumprido. Nossas forças policiais estaduais e federais possuem profissionais na arte da negociação e diálogo, algo a que a população parece não dar importância. Ainda se prefere resolver as coisas no grito, na bala ou no recém-criado recurso da "ouvada". Seria melhor se confiássemos em nossa estrutura de Estado e torcêssemos para que saiamos todos desta experiência histórica mais maduros e mais experimentados. Vale a pena repetir parte da recente mensagem do general Villas Bôas, comandante do Exército Brasileiro: "Nessa situação que vive o Brasil, resta perguntar às instituições e ao povo quem realmente está pensando no bem do País e das gerações futuras e quem está preocupado apenas com interesses pessoais"? Um autoexame importante que pode ser feito individualmente, em grupo, pelo partido, por instituições, por todos nós. O Brasil não pode continuar parado enquanto se aproveita o intervalo para brigar. Há urgência em virar a página na qual escrevemos o roteiro de uma das mais sérias crises que o Brasil atravessa, com a queda de produtividade, desaceleração da economia e perda de qualidade de vida da população brasileira. É chegada a hora de colocar o país e os interesses reais do povo brasileiro em primeiro lugar. Visita ao Gazeta Diário O empresário André Alliana (à direita), do Iguassu Secret Falls, visitou o Gazeta Diário extrapauta Cida dá posse a novos secretários de estado Na solenidade de transmissão de cargo, a governadora Cida Borghetti deu posse ontem (6) a novos secretários de estado e anunciou que, pela primeira vez no Paraná, uma mulher estará à frente do Comando-Geral da Polícia Militar. Confira as mudanças. Assume a Secretaria de Chefia de Gabinete Lucília Felicidade Dias. A coronel Audilene Rosa de Paula Dias é a nova comandante-geral da Polícia Militar. Ela deixa a chefia do Estado Maior. O novo secretário da Saúde é Antônio Carlos Nardi. Silvio Barros fica à frente da Secretaria do Desenvolvimento Urbano e assume interinamente a chefia da Casa Civil. O coronel Maurício Tortato deixa o Comando-Geral da PM e assume a chefia da Casa Militar. O novo chefe do Estado Maior é o coronel Elio de Oliveira Manoel, que deixa o cargo de chefe da Casa Militar. Novo ministro da Fazenda terá apoio total do presidente, diz Meirelles O novo ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, terá o apoio total do presidente Michel Temer para continuar a reestruturar a economia brasileira, disse ontem (6) o titular da pasta, Henrique Meirelles, ao anunciar que deixará o cargo. Segundo Meirelles, ainda persistem desafios para a equipe econômica que deverão ficar a cargo do futuro ministro. "A crise está superada, mas ainda há coisas a serem enfrentadas. Esse legado não pode ser perdido, nem esquecido. Precisamos persistir neste caminho que levou o país à rota do crescimento. É preciso perseverança e coragem. O novo ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, vai garantir que essa política continue", declarou Meirelles. Segundo o ministro, apesar de a reforma da Previdência não ter sido votada e de várias medidas provisórias de ajuste fiscal estarem perdendo a validade, a equipe econômica continuará trabalhando para que o Congresso aprove dois projetos importantes para o governo nos próximos meses: a privatização da Eletrobras e a simplificação do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).

Foz do Iguaçu, sábado e domingo, 7 e 8 de abril de 2018 VISITA Cidade 03 Presidente pode nomear novo diretor- -geral da Itaipu durante visita a Foz Temer participa na cidade do 3º Simpósio Nacional de Varejo e Shopping; Vianna se despede e deixa sua marca Adelino de Souza Freelancer No dia 13 de março do ano passado, o presidente Michel Temer anunciou o nome de Luiz Fernando Vianna como novo diretor-geral de Itaipu. Neste sábado, 7 de abril, quando o presidente chegar a Foz do Iguaçu, ele poderá anunciar o substituto de Vianna, que deixou a Itaipu nessa sexta-feira (6). Temer participará em Foz do Iguaçu do 3º Simpósio Nacional de Varejo e Shopping na manhã deste sábado, evento que reúne mais de 200 empresários, economistas, especialistas e representantes do setor público. Entre as presenças confirmadas estão Flávio Rocha (CEO da Riachuelo), Alexandre de Moraes (ministro do STF), Rodrigo Maia (presidente da Câmara dos Deputados), Nabil Sahyoun (presidente da Alshop), Alberto Saraiva (fundador do Habib’s), Luiz Costa (presidente da Record TV) e Carlos Amastha (presidente da Frente Nacional dos Prefeitos). Temer será recebido pelo prefeito Chico Brasileiro (PSD) e pela governadora Cida Borghetti (PP) em seu primeiro compromisso oficial depois da posse, ocorrida na sexta-feira. O cargo de diretor-geral da maior hidrelétrica do mundo está vago desde ontem porque a exoneração foi publicada no Diário Oficial da União. No mesmo decreto presidencial foi publicada a exoneração do ministro das Minas e Energia, Fernando Coelho Filho. Um cargo dessa importância não pode ficar vago por muito tempo, e Temer deve anunciar o nome do novo diretor-geral aproveitando sua estada em nossa cidade. É muito provável que o presidente encontre uma "solução caseira", nomeando um dos atuais diretores para acumular as funções até o final do ano. Diversos grupos políticos já tentaram pressionar Temer a nomear um A maior hidrelétrica do mundo está sem diretor-geral desde o dia 6 substituto desde que Vianna anunciou sua decisão, há dez dias. O presidente quer evitar especulações em torno do cargo vago, por isso a "solução caseira" pode ser a medida mais acertada. Luiz Fernando Vianna era da cota do ex-governa- Dona Léa recebe de João Pereira um ramalhete de flores coloridas; Vianna volta para casa com um capacete personalizado dor Beto Richa, que deixou o cargo nessa sexta (6) para disputar uma vaga no Senado. Os deputados Ricardo Barros, Dilceu Sperafico (PP) e Fernando Giacobo (PR) pretendiam emplacar o substituto de Vianna. O presidente Michel Temer fez mistério. Produção em alta Vianna permaneceu em Itaipu durante um ano e 13 dias. Enquanto esteve no cargo, a usina manteve a produção em alta, inclusive com recorde histórico de geração nos três primeiros meses deste ano, melhores janeiro e março. Em sua gestão, a equipe técnica preparou os editais para a atualização tecnológica da usina, que devem ser publicados ainda neste ano, e tiveram início os estudos para a negociação com os paraguaios sobre o Anexo C do Tratado de Itaipu. Outro ponto forte foi a gestão de pessoas, com alinhamento estratégico entre todo o corpo funcional. Antes de deixar a empresa, Vianna gravou um vídeo de despedida para os empregados da Itaipu, no qual agradece pelo acolhimento, elogia o corpo funcional e dá um recado importante para o sucessor: "Já trabalhei com grandes profissionais, vida afora, e posso garantir: aqui estão aqueles e aquelas que alinho entre as melhores pessoas com as quais se pode fazer um trabalho decente, digno e à altura de uma empresa fundamental para o setor elétrico do Brasil e do Paraguai". Vianna planta muda de ipê-branco na despedida Já na condição de ex-diretor-geral brasileiro de Itaipu, o engenheiro eletricista Luiz Fernando Leone Vianna deixou, na manhã desta sexta-feira (6), no Centro de Recepção de Visitantes (CRV), a sua última marca na empresa. Ao lado da mãe, Léa Vianna, e do diretor administrativo, João Pereira dos Santos, ele plantou uma muda de ipê-branco no bosque ao lado da Barreira de Controle. "Agradeço a todos. Não sou mais diretor-geral de Itaipu, mas sou um amigo de vocês", declarou. Superintendentes, assistentes, gerentes e pessoal de apoio acompanharam o plantio. O engenheiro ganhou de presente um capacete de Itaipu personalizado, preparado pela equipe da Divisão de Imagem Institucional. A mãe, dona Léa, recebeu um ramalhete de flores e, com sorriso aberto, não escondeu o orgulho do filho. (JIE)