Views
7 months ago

Manufatura digital | O Mundo da Usinagem - 118

Soluções de Usinagem 1: MANUFATURA HIPERCONECTADA; Como a fabricação baseada em nuvem melhora a qualidade na produção. RITCH, Francis Página: 04 Soluções de Usinagem 2: RAMPA HELICOIDAL; Técnicas específicas asseguram maior produtividade e precisão ao processo. CAVICHIOLLI, Francisco Página: 10 Produtividade: NEM SÓ DE TECNOLOGIA VIVE A ERA 4.0; Importantes players do setor refletem sobre os significados por trás dos avanços da indústria mundial. NATALE, Vera Página: 14 Entrevista: ENTENDA A REFORMA TRABALHISTA; Convidamos um expert para elucidar as novas regras e os impactos sobre empresas e funcionários. PEREIRA, Inês Página: 20 Negócios da Indústria 1: O AMANHECER DO CONSUMIDOR PHYGITAL; O modelo de negócios que combina a desintermediação do digital com a experiência sensorial do meio físico. ALONSO, Júlio Página: 24 Negócios da Indústria 2: MEGATENDÊNCIA TECNOLÓGI CA; A conectividade estará presente em toda a cadeia produtiva da indústria automotiva.

soluções de usinagem 2

soluções de usinagem 2 Rampa helicoidal Técnicas específicas asseguram maior produtividade e precisão ao processo *Por Francisco Cavichiolli | Ilustrações: Sandvik Coromant (Suécia) Executar corretamente cada Rampa helicoidal interna passo das técnicas de usinagem é fundamental lação helicoidal interna, o fresa- Também chamado de interpo- para atingir as metas desejadas. E quanto mais se dominar essas operações, melhores serão os resultados. mento em rampa helicoidal interna é um método que demanda, pelo menos, o uso de máquinas Quando precisamos 3-eixos, pois a programação é feita abrir um furo, a primeira coisa que pensamos é o uso de uma broca e, sem dúvida, a furação é o método mais prático e rápido para isso. Porém, não o mais flexível e nem sempre o mais econômico. Na indústria de fabricação de moldes e matrizes, nos deparamos constantemente com situações inusitadas que demandam flexibilidade para produzir furos de dimensões variadas e com formatos não tradicionais para uma broca, mas que o fresamento pode desempenhar com facilidade. A usinagem ou fresamento em rampa helicoidal interna é uma técnica desenvolvida para abertura de cavidades ou bolsões que geralmente são muito grandes para uma broca, seja em diâmetro ou profundidade e, também, quando o formato final não é cilíndrico. com os movimentos simultâneos dos eixos X, Y e Z, onde X e Y descrevem o movimento circular, juntamente com um avanço no eixo Z. Esse avanço em Z é definido como sendo o passo da interpolação. O fresamento em rampa helicoidal interna é frequentemente aplicado para abrir uma cavidade ou um bolsão. É um método alternativo para a usinagem de furos em relação à furação e ao mandrilamento. Comparado à rampa linear, abordada no artigo anterior, a rampa helicoidal interna tem um corte muito mais suave devido ao corte radial reduzido e melhor formação dos cavacos, enquanto a rampa linear é uma operação de rasgo em cheio. O processo pode ser utilizado tanto para usinagem interna, na abertura de furos a partir de uma superfície sólida, ou ainda para Definições D 3 : Diâmetro máximo de corte da ferramenta D c : Diâmetro de corte da ferramenta = D3 para fresas a 90° D m : Diâmetro do furo P: Passo Figura 1: Rampa helicoidal interna 10 o mundo da usinagem novembro/dezembro.2017/118

alargar um furo ou cavidade préexistente, como também externa para gerar saliências ou usinar contornos de peças. Como aplicar A interpolação helicoidal interna é um processo sensível a erros e se alguns cuidados não forem tomados problemas podem ocorrer. 1. Escolha o diâmetro da ferramenta de acordo com o furo a ser usinado; 2. O passo por rotação é limitado pelas características da fresa; 3. Deve-se fazer o cálculo de correção do avanço 1. Escolha o diâmetro da ferramenta a) Considerando-se a abertura de um furo a partir de superfície sólida e com o uso de fresas com pastilhas intercambiáveis, ou seja, sem corte central, o diâmetro da fresa deve garantir que a pastilha execute o corte sobre a linha de centro do furo. b) Fresas muito pequenas, em relação ao diâmetro do furo, deixarão o centro sem usinar, o que poderá demandar uma operação extra ou até mesmo causar acidentes para a fresa. c) Fresas muito grandes, em relação ao furo, também deixarão um núcleo sem usinar e este colidirá com o topo da fresa, danificando a ferramenta após poucos milímetros de penetração. De posse dessas informações, podemos definir o diâmetro da fresa como sendo: Diâmetro máximo da fresa (D 3 ) = Diâmetro do furo (D m )/2 2. Passo por rotação O passo nunca pode ser maior do que a máxima profundidade de corte para o conceito da fresa e depende do diâmetro do furo, do diâmetro da fresa e do ângulo para usinagem em rampa. Figura 3: Passo Figura 2: Seleção da fresa novembro/dezembro.2017/118 o mundo da usinagem 11