Views
2 months ago

Rolf Neubarth Dissertacao Defesa FINAL REVISADO

82 alto nível de boas

82 alto nível de boas práticas e especializações técnicas. Entretanto, este não é um tema com uma grande abrangência acadêmica e, por este motivo, aspectos corporativos e de mercado contaram muito para definição da experiência de quem pode ser considerado como um especialista para participar do estudo de caso e atender à análise especializada sobre a investigação. Para a fundamentação teórica, foram utilizados, como referência, alguns artigos e, mais especificamente, a utilização de autores de livros sobre a abordagem do tema para contribuir para proposição do estudo, apresentado juntamente com a NBR ISO 22301. A partir dessa prerrogativa, as escolhas dos profissionais para fazer parte da etapa de obtenção de depoimento de especialistas em Gestão de Risco Operacional e Continuidade de Negócios foram efetuadas em uma primeira análise, levando-se em consideração a disponibilidade de acesso a esse tipo de profissional no Brasil, o nível de certificação nas entidades DRII e BCI, a experiência profissional em atuação em gestão de risco no mercado para a indústria financeira brasileira, participação em workshops e congressos relacionados aos temas supracitados. Os dois profissionais contatados possuem todas as características mencionadas acima e, por isso, a coleta dos seus depoimentos foi crucial para a investigação do tema e a devida fundamentação de uma conclusão. Outro ponto importante a mencionar é que profissionais que são certificados por institutos, como o Disaster Recovery International Institute – DRII, passam por um rigoroso processo seletivo para a obtenção de qualquer nível de certificação na entidade. Estar certificado neste instituto significa que o profissional precisa demonstrar um nível de conhecimento variado nos temas de gestão de risco e continuidade de negócios e a devida confirmação da experiência nas disciplinas, sendo feita uma verificação dessa experiência com evidências requisitadas pelo instituto, juntamente com o conhecimento para diferentes atuações na gestão de risco. São elas: • Continuidade de negócios • Gerenciamento de emergências • Gerenciamento de riscos • Resposta a desastres • Gestão de crises • Avaliação de níveis de resiliência Levando-se em consideração este importante aspecto da investigação para uma alta contribuição do nível de estudo para a pesquisa, por meio de contatos utilizados na FEBRABAN no comitê de gestão de risco desta entidade, foi possível contatar o profissional Alexandre Guindani para ser um dos participantes da análise de investigação, no estudo de caso

83 sobre a resiliência da indústria financeira brasileira. Atualmente, Guindani é o gerente executivo responsável pelo Programa de Continuidade de Negócios de uma das maiores instituições financeiras de capital público de serviços bancários múltiplos (varejo e corporativo) no Brasil, possui MBA em Gestão de Segurança da Informação, pós-graduação em Gestão de Crises Corporativas, possui a certificação Certification Business Continuity Professional – CBPC, do instituto americano DRII (Disaster Recovery Institute International). Possui ainda a certificação em Master of Business Continuity Institute – MBCI do instituo britânico BCI (Business Continuity Institute), que é a escola inglesa para gestão de continuidade de negócios, é ISO 22301 Technical Expert – BSI e ISO 27001 Lead Auditor. Guindani ainda é membro da Subcomissão de Gestão de Continuidade dos Negócios da Federação Brasileira dos Bancos no Brasil, a FEBRABAN, membro do GT Infraestruturas Estratégicas Finanças, ligado à presidência da república, autor do livro – Deus é Brasileiro – O Guia da Gestão de Continuidade dos Negócios, considerado como registro único sobre a disciplina no país, e ainda é responsável por manter o site www.gcnbrasil.com, com ampla experiência em palestras, workshops e eventos no Brasil. As credencias deste profissional para o assunto de gestão de risco operacional e continuidade de negócios no Brasil são bastante relevantes, considerando que não há muitos profissionais com este nível de experiência na indústria financeira brasileira. Quando perguntado sobre como é o nível de resiliência operacional da indústria financeira brasileira, Guindani refletiu que esta possui o que ele considera um nível médio, ou seja, de baixa maturidade de nível de governança em continuidade de negócios, devido a aspectos culturais do país e das empresas. A gestão de continuidade de negócios, segundo a opinião do profissional, é algo que se encontra focado em empresas de grande porte, que em geral adotam boas práticas de governança para disciplinas de Risco Operacional e Tecnologia da Informação, pois, culturalmente, entendem que esses investimentos são de grande valor agregado para seus controles, fornecendo o nível de governanças para assegurar o retorno aos investidores e o nível de transparência requisitado pelos seus conselhos e mercado. Guindani ainda pontua que o nível de regulamentação do mercado obteve um avanço com a criação da Resolução 3380, de 29 de junho de 2006, do Banco Central Brasileiro, que dispõe, em forma de um artigo de lei, de uma determinação às instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil. A resolução incorre na implementação de uma estrutura de gerenciamento do risco operacional, na qual se devem observar aspectos da natureza e a complexidade das operações estabelecidas na instituição. A resolução define, como risco operacional, toda e qualquer possibilidade de ocorrência de perdas resultantes de falha, deficiência ou inadequação de processos internos, pessoas e sistemas, ou de eventos

Dissertação - USP
DEFESA DO CONSUMIDOR - ACRA
fomentar a indústria nacional de defesa
DEFESA DO CONSUMIDOR - ACRA
Mecanismos de Defesa Respiratória
Estratégia Nacional de Defesa
atendimento à fiscalização e defesa do contribuinte - DGA
Apresentação dissertação - Faculdade de Engenharia da ...
Final Report - กรมทรัพยากรน้ำบาดาล
MSTTR na luta pela defesa e fortalecimento da Pessoa ... - Contag
Guia de Orientação e Defesa do Segurado - Superintendência de ...
A importância da autorregulação da mídia para a defesa da ...
A importância da autorregulação da mídia para a defesa da ...
Pediatria em defesa da saúde pública! - Sociedade Brasileira de ...
A transição defesa-ataque nos escalões de sub14 e sub16: como ...
TODOS EM DEFESA DA FAMILIA - OTONI FEDERAL RJ 5110