Views
3 months ago

GAZETA DIARIO 551

10 Cidade Foz do

10 Cidade Foz do Iguaçu, terça-feira, 10 de abril de 2018 REDE MUNICIPAL Educação Infantil de Foz recebe novo sistema de gerenciamento de matrículas Desenvolvido pela Secretaria de Tecnologia e Informação, sistema traz mais celeridade e transparência no controle de matrículas dos CMEIs PMFI/AMN Reportagem Buscando eficiência, transparência e a modernização tecnológica nos serviços de informações públicas, a Prefeitura de Foz do Iguaçu, por meio da Secretaria Municipal de Tecnologia e Informação (SMTI), desenvolveu um programa para auxiliar no gerenciamento das vagas dos Centros de Educação Infantil (CMEIs). Com a nova ferramenta, as matrículas e pedidos de transferência serão executados com mais celeridade, segurança e transparência. Hoje, mais de oito mil crianças estão matriculadas em um dos 37 CMEIs da cidade. De acordo com o secretário de Tecnologia e Informação, Evandro Ferreira, o desenvolvimento de novos softwares integra a política da SMTI de digitalizar os processos públicos no município. "Desde setembro de 2017 estamos trabalhando Com a nova ferramenta, as matrículas e pedidos de transferência serão executados com mais celeridade, segurança e transparência para digitalizar todos os processos dentro do governo. Este sistema para os CMEIs é fruto deste trabalho. Através do novo mecanismo, os pais poderão acompanhar todas as solicitações." "Nós estamos muitos felizes e satisfeitos pelo trabalho desenvolvido pela Secretaria da Tecnologia e Informação. Este programa está trazendo muita agilidade, eficiência para o fluxo de trabalho e controle de matriculas da nossa educação infantil", afirmou o secretário municipal de Educação, Fernando Lima. As secretarias de Educação e Tecnologia da Informação já estão trabalhando na alimentação do sistema. A previsão é que nas próximas semanas o programa esteja em pleno funcionamento e os cidadãos possam acompanhar o andamento das solicitações. Justiça determina que Unioeste de Foz contrate tradutores de Libras O campus de Foz do Iguaçu (Oeste paranaense) da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) deverá contratar tradutores de Libras para atendimento aos alunos de graduação e pós-graduação com deficiência auditiva. A determinação decorre de decisão cautelar concedida pela 2ª Vara da Fazenda Pública da comarca, atendendo a pedido liminar feito em ação civil pública ajuizada pela 15ª Promotoria de Justiça de Foz. A ação foi ajuizada após uma aluna de pós-graduação procurar o Ministério Público para relatar que a universidade havia encerrado contrato com os tradutores, sem contratar novos profissionais para atender os alunos com deficiência auditiva. Em decorrência da decisão, a Unioeste tem prazo até o final de setembro para providenciar a contratação de tradutores em número suficiente, sob pena de pagamento de multa de R$ 1 mil para cada aula ministrada sem a presença do profissional em turmas que dele necessitem. (AI MP PR) Educadores participam de conferência municipal na Unioeste Cerca de 300 profissionais da educação, representantes de entidades sindicais, conselhos e a comunidade escolar participaram da Conferência Municipal de Educação, realizada no campus da Unioeste em Foz do Iguaçu. O evento foi coordenado pelo Fórum Municipal Permanente de Educação (FMPE) com o apoio da Secretaria Municipal de Educação (Smed) e Unioeste. Além de eleger os delegados que representarão o município na Conferência Estadual de Educação, os participantes debateram e avaliaram os desafios e avanços da educação local. "Todos os participantes têm a oportunidade de aprovar ou não as contribuições já colocadas nas préconferências, além de sugerir outras que formarão o documento final de avaliação e monitoramento do Plano Nacional da Educação a ser enviado para a Conferência Estadual, ainda sem data prevista, através dos delegados eleitos como representantes do município", explicou o professor Carmo Bráz de Oliveira, presidente do Fórum Municipal. As pré-conferências, que serviram de base para a Conferência Municipal, aconteceram no dia 12 de março em todas as 51 escolas e 37 CMEIs da cidade. Entre os temas abordados no evento, a gestão democrática, políticas educacionais, transparência e controle social, gestão, valorização dos profissionais da educação, direitos humanos, entre outros. De acordo com o professor Carmo de Oliveira, as conferências são consideradas fundamentais para a "efetivação da gestão democrática e o elo para a construção do Sistema Municipal de Educação, parte do Sistema Nacional Articulado, preconizado no Plano Nacional de Educação". As conferências municipais e estaduais antecedem a terceira edição da Conferência Nacional de Educação (Conae), que será realizada em novembro de 2018. Mesmo com a realização do evento, as aulas na rede municipal de ensino estão mantidas normalmente. (PMFI/AMN)

Foz do Iguaçu, terça-feira, 10 de abril de 2018 PESQUISA EUROMONITOR Turismo internacional não registrou Cidade 11 crescimento em Foz entre 2012 e 2017 Pesquisa se limita a números gerados pelo turismo transcontinental e da América do Norte, contabilizando movimento de países da América Latina Jackson Lima Reportagem Uma pesquisa divulgada durante o WTM Latin America, realizado entre 3 e 5 de abril em São Paulo, apresentou a Taxa Composta de Crescimento Anual (CAGR, em inglês) dos principais destinos latino-americanos em relação a turistas que vêm dos Estados Unidos, Canadá, Oceania, Ásia e Europa. A CAGR é a taxa média anual de crescimento de um investimento dentro de um período maior que um ano. A taxa divulgada pela pesquisa da Euromonitor International cobriu o período entre 2012 e 2017. Segundo a pesquisa, Foz do Iguaçu teve crescimento zero nesse período. Os números não levam em conta o movimento de turistas domésticos (nacionais) nem aqueles que venham de países latinoamericanos entre o México e a Argentina. No Brasil, a pesquisa só incluiu Rio de Janeiro, 34º país no ranking CAGR latino-americano, que teve crescimento de 7%, e Foz do Iguaçu, que não pontuou. Segundo a assessoria de imprensa da Euromonitor, no escritório de São Paulo da empresa, isso significa que Foz do Iguaçu não registrou crescimento no fluxo de turistas de fora da América Latina nesses seis anos. Comparando com as chegadas a Foz do Iguaçu de turistas dos principais emissores mundiais, a cidade teria perdido 164 mil viagens entre 2012 e 2017. De acordo com a pesquisa, o crescimento da chegada de turistas internacionais na casa dos 7% foi considerado pequeno apesar da Copa do Mundo em 2014 e dos Jogos Olímpicos em 2016. O país latino-americano que mais recebeu turistas foi o México. O principal emissor de turistas para o México continuam sendo os Estados Unidos, com 27,8 milhões de turistas. Os Estados Unidos são também os maiores emissores para a América Latina. Mas a China está ocupando um lugar cada vez mais importante. No período do estudo, o país asiático apresentou crescimento de 186 mil viagens, o maior entre os dez principais emissores mundiais. Entre as cidades que apresentaram pouco ou nenhum crescimento entre 2012 e 2017 estão Buenos Aires, Bogotá, Caracas e Foz do Iguaçu. Tiveram crescimento as mexicanas Cancún, Playa del Carmen e Cabo San Lucas; as peruanas Lima, Cusco, Tacna e Arequipa; as chilenas Santiago, Valparaíso-Viña del Mar e Arica; a dominicana Santo Domingo; além das brasileiras Rio de Janeiro e São Paulo. A pesquisa também divulgou as principais tendências para o futuro do turismo. O nome é Experiência de Valor Agregado (EVA), que lembra o Imposto sobre Valor Agregado (IVA) praticado em países como Paraguai, Argentina e Portugal. "Mais experiência é uma mudança fundamental nas atitudes do consumidor desde a Grande Recessão de 2008-2009, com tendência a deixar de lado o consumo, dando preferência a produtos e experiências de valor agregado", destaca a pesquisa. Os autores ressaltam o modelo de negócios do Airbnb como ligado à busca do real e do autêntico em que os viajantes desejam viver como um local.