Views
2 months ago

GAZETA DIARIO 552

06 Opinião Foz do

06 Opinião Foz do Iguaçu, quarta-feira, 11 de abril de 2018 Doniseti cidadão Pensa na felicidade deste Corvo quando soube da indicação do jornalista e cronista esportivo Doniseti Melo para receber o título de Cidadão Honorário de Foz! É uma homenagem muito merecedora! Doniseti, além de dedicado, é um grande incentivador do esporte e revelador de muitos talentos que hoje brilham em competições no Brasil e até no exterior. Pessoalmente, o Corvo tem a relatar que Doniseti, mesmo enfrentando momentos dos mais difíceis na sua vida, lutando pela saúde, lembrava do próximo e saía em ajuda a quem fosse. Os colegas da redação sabem do enorme privilégio que é poder dividir o espaço com uma pessoa que consegue ser tão humilde e ao mesmo tempo tão nobre! Vai que é sua, Doniseti! Você merece! O Corvo quer parabenizar os vereadores Anderson Andrade e Márcio Rosa pela feliz escolha. Bronca desnecessária Senhor Corvo, eu costumo pesquisar os políticos. Entro na vida deles, e hoje em dia isso é muito fácil, graças à internet. Venho acompanhando a luta política do Vermelho desde que chegou a Foz, e olha que isso faz quase 30 anos. O homem gera mais de uma centena e meia de empregos em Foz; e multiplique o número por quatro se for contar as filiais na região. Portanto temos alguém com perfil para enfrentar uma eleição. E avaliando o terreno, filiado no PSD, ele possui enormes chances, independentemente dos outros candidatos na região. E sabe, né Corvo, teremos outros candidatos de vários partidos, por isso também sou pela soma, e não divisão. Fiquei meio de cara com essa refugada que o partido deu em Foz, e só pelo fato de o Vermelho filiar-se por meio de um convite do Ratinho e do Chico. Se eles convidaram é porque sabem o potencial do pré-candidato. Arnaldo Medeiros Vermelho Então, seu Corvo, não entendo essas coisas. O Ratinho não é a maior estrela do PSD no Paraná? Pois se resolveu convidar e filiar o Vermelho em seu partido, foi um gesto de honra, e neste caso ficaria difícil o convidado ter recusado. E no dia seguinte, o pessoal do PSD de Foz, pelo que sei uma "Executiva Provisória", fica de bico e diz que não apoia a pré-candidatura do novo filiado e ainda por cima declara que vai ajudar alguém de Cascavel? Puxa vida, Corvo, depois dessa vou ter de tomar uma Kaiser! Que vocação para o ciúme que essa cidade tem, hein? Nem conheço esse Vermelho pessoalmente, mas se é um empresário em Foz, bem conectado em muitas cidades e já foi bem na eleição passada, qual o problema da cidade apoiá-lo? Ou será que preferem os candidatos de fora? Mário Cristiano Delgado O Corvo responde: prezados leitores e colaboradores, a política tem dessas coisas, e Foz do Iguaçu padece de não possuir deputados como outras cidades, justamente por essas birras que ninguém entende. Você tem razão, qualquer pessoa se sentiria honrada em aceitar o convite de uma figura como o Ratinho; veja as pesquisas recentemente divulgadas. Mas parece que a poeira já está baixando e as coisas encaixando-se no lugar. Veja, nada temos contra o deputado Evandro Roman, de Cascavel, pelo contrário, ele fez o que pôde por Foz, mas está na hora de a gente formar representação própria. Em nosso entendimento, Evandro e Vermelho juntos ajudariam, e muito, o Ratinho, caso os números se mantenham. Pesquisa IBOPE Os números mostram uma polarização entre Ratinho Junior e Osmar Dias, apesar da diferença que o Ratinho mantém na dianteira. A dona Cida Borghetti deve ter levado um susto quando viu o resultado, ao amargar apenas 5%. Ela está quase empatada com o pré-candidato do PT, Dr. Rosinha, que, aliás, é o mais rejeitado (53%). Segundo o IBOPE, cuja pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do estado do Paraná sob o protocolo nº PR-06410/2018, Ratinho Junior tem 34% das intenções, e Osmar, 28%. Osmar ou Ratinho? Existe todo um ambiente propício para Ratinho acertar-se com Osmar e lançarem juntos uma chapa pela disputa ao governo, mas os números revelados pelo IBOPE balançam essa possibilidade. Os dois podem acabar disputando a cadeira de governador. Mas como há muita água para passar embaixo das pontes, o bom mesmo é aguardar pelo que virá. Requião em ebulição A pesquisa do IBOPE foi encomendada pela CBN de Cascavel. Na formulação dos nomes, não constou o senador Roberto Requião e Jorge Bernardi. Vai ver a emissora estava mais interessada em saber o laboratório entre Ratinho, Osmar e Cida, e isso é um problema dela. Mas Requião largou o verbo, bem ao seu estilo: "Se eu quero comprar peixe, vou à peixaria; se eu quero comprar pesquisa, eu vou ao IBOPE". Depois disso, será difícil ele conquistar pontinhos nas próximas avaliações. Bom, briga entre Requião, IBOPE e institutos de pesquisa é coisa antiga. Quando a empresa Gepeto fez uma avaliação negativa sobre ele, Requião saiu com esta: "Quem vai acreditar num instituto cujo nome é igual ao do pai do Pinóquio"? Só por Deus mesmo... Digam o que quiserem, mas eleição sem Requião é igual casquinha sem sorvete. Outra confusão A Câmara de Foz parece ser um vulcão de escândalos e situações que colocam os vereadores "no bico do Corvo". Agora é o João Miranda que se vê na saia-justa, acusado de ter assediado alguém em seu gabinete. Será isso verdade? O João Miranda? Com aquela cara de ovelha do pastoral? Aqui entre nós, é difícil imaginar, pois ao que se sabe é um homem bem casado e que anda na linha em casa, do contrário o pau de macarrão come doído. A esta altura, com a notícia explodida no Tribuna Popular, João já deve ter sido sovado. E não para por aí, segundo disseram a este Corvo, há mais duas bombas para estourar, envolvendo outros legisladores. O que será que acontecerá naquele aparentemente sossegado reduto dos políticos eleitos? Laranjas? Uma coisa é um político possuir empresas ou ser ligado a elas, como é o caso de João Miranda, nas quais nos contratos sociais constam os nomes de filhos e genros. Sendo assim, não se poderia chamar as pessoas de "laranjas", pois as empresas são de características familiares. Mas como em terreno político o campo é minado, cada um que trate de saber onde pisa. João Miranda que tome tento, pois entrou na fila do alvo, como os patinhos no estande de tiro dos parques de diversão. Terreno perigoso A proibição da inclusão do tema sobre a ideologia de gênero nas escolas municipais pode ser um tiro no pé. E todo mundo pensava que isso era coisa do Dr. Brito! Essa vocação de vidraça é perigosa, sobretudo ao se saber que há um monte de gente com pedras nas mãos. Não deveria ser tão complicado deixar os professores ensinarem o que deve ser compreendido pelos alunos. Ou será que vivemos na Coreia do Norte ou no Irã? Centro de Convenções Mesmo diminuindo o valor do edital, a parada ainda é duríssima para quem vê chance de fazer funcionar o Centro de Convenções de Foz do Iguaçu, até com o parcelamento em 36 vezes. A empresa ou grupo que resolver entrar no negócio sabe que necessitará o dobro desse tempo (do parcelamento) para fazer a coisa pegar. É um negócio de longuíssimo prazo. Mas mesmo assim, com as aparentes dificuldades, haveria uma fila de três interessados. Tomara que o elefante mude de cor. De novo, o ISSQN Segundo um release da prefeitura de ontem pela manhã, as "decisões judiciais sustentam revogação da Lei Municipal que alterou cobrança". Sendo assim, o prefeito Chico Brasileiro se reuniu com os vereadores para tocar a proposta adiante. A cobrança pode voltar a "ser feita em taxas fixas e não sobre o valor de nota". O pedido já foi protocolado. Uma coisa que o Chico e o seu governo não perdem de vista é a cobrança de impostos. Também, depois do strike que o Reni causou nas contas públicas, só assim pra arrumar o caixa. Perigos no abastecimento Colocar gasolina no Paraguai já tinha lá as suas desvantagens com relação ao efeito causado nos motores. Agora o problema é outro, um pouco mais sério, com uma porção de meliantes de plantão, loucos para sequestrar e assaltar quem atravessa a fronteira para abastecer. Isso se tornou uma aventura! Efeito Corvo, fui abastecer no Paraguai e vi vantagem. Gastei bem menos que no Brasil. O caso é que depois de umas horas o carro começou a fazer uns barulhos estranhos, como estivesse soltando gases. Pensei: será que o efeito de abastecer coisa ruim nos veículos é igual quando a gente come alguma coisa estragada? Vai ver é por isso que o meu carro está peidando, Corvo! Marilda Dantas O Corvo responde: calma, minha senhora, vá até um posto perto de sua casa e coloque o combustível indicado para a octanagem do motor do seu veículo. Não podemos com isso dizer que a gasolina do Paraguai e Argentina é ruim, ela possui outra composição, e isso causa sim efeitos no motor de seu carro. É quando o molho sai mais caro que o peixe. Romaria Até parece que mudaram para Curitiba a estátua do Padre Cícero! É para lá onde vários governadores do Nordeste estão fazendo peregrinação, na tentativa de pedir uma bênção e beijar a mão do Lula, que depois da prisão só falta ser canonizado. Se ele forçar um pouco mais no papel de vítima, vai acabar recebendo a visita do Papa Francisco! Foz, capital da droga Corvo, mais uma vez sou ultrajado com uma notícia de que apreenderam toneladas de droga em nossa cidade. Até quando vou precisar ver isso nas páginas dos jornais e emissoras de TV e demais veículos? Até parece que somos uma sucursal do inferno! Aqui vão os meus protestos. Raúl Golzales O Corvo responde: muitos moradores da fronteira sentem revolta toda vez que sai uma notícia envolvendo Foz com o tráfico de drogas. E como é que faz? A PF e Receita apreendem quase duas toneladas de cocaína, isso é notícia no mundo inteiro, e os veículos de Foz não vão poder divulgar? Hipocrisia pensar assim. Foz é uma cidade de duas faces, a das maravilhas e a das mazelas, e as pessoas precisam conformar-se com isso.

Foz do Iguaçu, quarta-feira, 11 de abril de 2018 POLÊMICA Vereador João Miranda é acusado de assédio sexual e promete processar a denunciante Parlamentar diz que irá acionar a Justiça "para estabelecer a verdade"; possível vítima alega que o político condicionou pagamento de dívida a encontro amoroso Bruno Soares Reportagem A Câmara Municipal de Foz do Iguaçu volta a ser alvo de polêmica. Desta vez o parlamentar que se encontra no foco das discussões é o vereador João Miranda (PSD). De acordo com boletim de ocorrência registrado na Delegacia da Mulher, no dia 13 de março, o político teria condicionado o pagamento de uma dívida familiar a uma mulher à consumação de um encontro amoroso. A denúncia foi feita pela própria possível vítima. "Comparece a noticiante e passa a declarar que há cerca de 7 meses efetuou a venda de uma empresa ao noticiado (João Miranda) de forma parcelada em 10 pagamentos mensais. Que a empresa em tela se chama (S.). Que o noticiado solicitou que o negócio jurídico fosse celebrado em nome de uma terceira pessoa, qual seja o seu genro, de nome D. S. M. Que o noticiado efetuou dois pagamentos, vindo a inadimplir os demais", consta. De acordo com o boletim de ocorrência, a denunciante teria buscado por inúmeras vezes tentar receber os valores que lhe são devidos, um montante de R$ 80 mil. João Miranda: "Todas as pessoas que me conhecem sabem da minha índole. Não tenho declaração a fazer porque daqui para frente vou acionar a Justiça" "Que na data informada no presente boletim, em 13/03, esteve pessoalmente no gabinete do vereador, solicitando a este que lhe pagasse, pois os valores devidos e acordados estavam atrasados desde novembro de 2017", relata. Em seguida a possível vítima acrescenta que nesse encontro o noticiado teria dito a ela: "Eu vou lhe pagar sim, depois que você sair comigo". Para a denunciante, a conversa se deu em conotação sexual, sendo dito por ela que jamais faria tal ato, pois o político é casado. "E que novamente afirmou que queria apenas receber os valores que lhe são devidos. Sendo dito pelo noticiado (João Miranda) a seguinte frase: "Então você vai ter de esperar". Neste momento, a denunciante afirma ter se levantado e deixado o gabinete do político. Política 07 Versão do vereador João Miranda atendeu a imprensa na manhã de ontem para se posicionar sobre o caso. Sem negar de modo expresso que o fato não ocorreu, o vereador se limitou a afirmar que irá acionar a Justiça para que a verdade seja estabelecida. "Não vou negar a situação porque isso eu tenho conhecimento meu, próprio. Sou uma pessoa de família. Graças a Deus não dependo disso. Vivo desde a década de 90 aqui em Foz do Iguaçu. Todas as pessoas que me conhecem sabem da minha índole. Não tenho declaração a fazer porque daqui para frente vou acionar a Justiça. Aí, sim, irei chamar a imprensa para comunicar o porquê esta dona está fazendo isso", garantiu João Miranda. Nos bastidores da Câmara, informações dão conta de que o caso seria perseguição aos parlamentares que integram a Comissão de Ética da Casa de Leis. Antes de Miranda, a vereadora Nanci Rafain, então presidente da comissão, terminou por renunciar temporariamente ao cargo no Conselho de Ética após ser denunciada por possível quebra de decoro em razão de apresentar um atestado médico para justificar uma ausência e no dia seguinte participar de um evento cultural na cidade do Rio de Janeiro. "Observe, o caso da Nanci e do João Miranda estão relacionados. Isto é política, política baixa. Outros vereadores deverão ser acusados de coisas absurdas nos próximos dias. Querem a todo custo desestabilizar a Comissão de Ética e a Câmara Municipal. A sociedade precisa fazer esta leitura", pontuou uma fonte ligada ao meio político que pediu para não ter seu nome divulgado.