Views
7 months ago

dissertação parcial r1 11042018 formatacao igor rev02

TÍTULO DA HORA COM

TÍTULO DA HORA COM MUITAS LINHAS! 2.1. A pluralidade desigual paulistana Para José Antônio Pasta Júnior (2011) a modernização brasileira e paulista sempre aconteceram por métodos conservadores, com olhares voltados para o passado – e tratava-se de um passado recente, se comparado a movimentos modernos na Europa, por exemplo – e as mudanças realizadas sempre objetivavam um desenvolvimento acelerado, fazendo com que “tal” passado estivesse em constante processo de apagamento, sendo possível compreender que as transformações urbanas e culturais de São Paulo coexistiam em uma “[...] experiência dúplice, na qual se cruzam, em quiasmo, o sentimento de mudança avassaladora e o de renitência do passado.” (PASTA, 2011. P. 62). O que se buscava para São Paulo com todo esse progresso acelerado era alcançar uma modernidade que parecesse harmônica e homogênea, mas que, não obstante tais desejos escondessem suas desigualdades. Durante o governo do presidente Juscelino Kubitschek havia um estímulo de caráter nacional para que se atingisse os gloriosos desenvolvimentos de “cinquenta anos em cinco”, o que culminou nacionalmente com a construção do símbolo maior desse projeto, que foi a construção de Brasília (GARCIA, 2012). Esse Brasil idealizado – e muito colocado em prática – era grande consumista de marcas ◊ 92 ◊

São Paulo: a metrópole do “pogréssio” internacionais, que idolatrava o cinema norte-americano, e tinha orgulho de muitas livrarias da capital paulista estarem repletas de livros exclusivamente em francês (MORAES, 2000). Enquanto nas ruas e nos bairros operários, mal se falava português, e muitos dialetos e novas vertentes de idiomas se fundiam numa complexidade cultural incontrolável. A modernidade paulistana nem sempre ia em acordo com o desenvolvimento nacional projetado. Além de complexa, também é relevante notar como ela muitas vezes fechava os olhos para seus problemas, decorrentes ou não do próprio processo transformador, e quase sempre evitava que suas tragédias atrapalhassem a imagem de cidade metropolitana. Sob uma perspectiva de progresso e crescimento, a cidade de São Paulo se consolidou como metrópole e automaticamente se tornou detentora de contradições e uma extensa variedade de pontos de vista e formas de apreensão do espaço e do cotidiano. Durante a primeira metade do século XX pensamentos carregados de racionalidade técnica foram aplicados à exaustão de forma a tentar organizar o que se passava no território urbano fervilhante. Tal abordagem teve seus méritos, mas inevitavelmente também trouxe desvantagens em alguns aspectos. A utilização de tal racionalidade como argumento e meio de ação para a modernização de São Paulo acabou por ◊ 93 ◊

Formatação: Guilherme Augusto Pinotti - COPEN
Os Valores de Deus - Igor Oliveira Ferreira
MSDesktopMC-1.3-M.1057.20.02-pt_BR-A-r1 - IFBa
Fundamentos de Web Design e Formatação de Imagem
Manual Aquecedor Halógeno Mondial A-07 02-13 Rev02
Laringectomia Parcial - Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço
Material: Derivadas Parciais - Sec 1 - Página