Views
1 week ago

GAZETA DIARIO 553

4 Cidade Foz do Iguaçu,

4 Cidade Foz do Iguaçu, quinta-feira, 12 de abril de 2018 Chico de Alencar chicoalencarfoz@hotmail.com Quinteto maravilha Nestes 104 anos de história, foram mais de cem cidadãos honorários escolhidos pela nossa Câmara Municipal, dos quais agora são cinco jornalistas, com a escolha do colega Doniseti Jacinto de Melo. Tive a honra e a casualidade de ser o primeiro jornalista honorário da nossa cidade, seguido por Gilmar Piolla, Juvêncio Mazarollo, Rogério Bonato e agora o Doniseti. A categoria se sente agradecida e honrada. Centro de eventos Já vem tarde, mas em boa hora a iniciativa ou intenção do prefeito Chico Brasileiro de privatizar o nosso Centro de Convenções, paralisado há muitos anos. Sua criação foi fruto da iniciativa e do árduo trabalho do honorável pioneiro Sérgio Lobato Machado, que acompanhei desde o primeiro passo, sendo parte do primeiro grupo de associados do projeto, cujo título patrimonial vendi anos depois para o então diretor-presidente do centro, Salvador Ramos, um dos grandes acionistas do projeto. Localizado numa das áreas mais nobres da cidade — BR-369, esquina com o acesso ao Aeroporto Internacional Cataratas —, o centro é um prato cheio para a iniciativa privada, depois de tantos anos inexplicavelmente abandonado. Chute no saco Já temos até agora 14 pré-candidatos à presidência da nossa republiqueta; estes já oficializados, fora o que vem por aí. No Paraná temos quatro pré-candidatos já anunciados oficialmente: Ratinho Junior, Osmar Dias, Cida Borghetti e Dr. Rosinha, fora o Requião — que ninguém sabe para onde vai. Haja cachimbo Numa operação de rotina, as polícias do Paraná, mais especificamente do nosso Oeste, apreenderam a cinematográfica quantidade de cocaína em trânsito pela BR-277: duas toneladinhas de droga pura... É mole? Fazendo as contas com base no preço do graminha vendido por aí, imaginem o rombo nos cofres dos nossos anjinhos traficantes! Olho no "leão" Está esgotando o prazo para a entrega das nossas declarações do Imposto de Renda — 30 de abril; daqui a duas semaninhas, portanto. Negócio é correr porque nos últimos dias vai ser aquele sufoco, que todos imaginamos e conhecemos. Olho nas urnas Dia 22 que vem acontecerá a eleição presidencial no nosso hermano Paraguai, e o clima por lá está tranquilo, com a provável vitória de Mário Abdo Benítez, que lidera as pesquisas com mais da metade dos votos já garantida. DIÁLOGO Alinhamento de ações entre Secretaria de Saúde e Comus está em pauta nesta quinta É o primeiro encontro de Kátia Yumi Uchimura e sua equipe com as seis comissões internas do conselho A nova secretária municipal de Saúde, Kátia Yumi Uchimura, reúne-se hoje, pela primeira vez, com conselheiros do Comus Bruno Soares Reportagem O alinhamento de ações em prol das melhorias necessárias à prestação do serviço público de saúde ofertado em Foz do Iguaçu estará em pauta na manhã de hoje (12) durante reunião entre o Conselho Municipal de Saúde (Comus) e a nova secretária responsável pelo comando da pasta na cidade, a nutricionista Kátia Yumi Uchimura. Alçada ao cargo pelo prefeito Chico Brasileiro (PSD) desde o início deste mês, o ato marca o primeiro encontro oficial de Kátia e sua equipe com os conselheiros que integram o órgão. Regimentalmente, cabe ao Comus, além de fiscalizar o trabalho desempenhado pela secretaria, planejar e deliberar ações a serem executadas. "Na verdade esta reunião partiu da própria secretária Kátia logo que assumiu o posto ainda no início de abril. Ela acionou o conselho e solicitou uma agenda para que, juntos, possamos discutir um alinhamento sobre o trabalho que precisa ser promovido para a devida prestação do serviço de saúde em Foz", explicou o presidente do Comus, Sadi Buzanelo. Procurada pela reportagem para comentar como pretende tocar a relação da Secretaria de Saúde com o órgão, a chefe da pasta respondeu, por meio de sua assessoria, que o diálogo será uma constante. "Temos sempre que manter um bom relacionamento com o Conselho Municipal de Saúde, pois estamos todos imbuídos de um mesmo projeto, que é o fortalecimento do SUS e atenção adequada às necessidade de saúde da população, e para isso o bom relacionamento entre secretaria e Comus é essencial", defendeu. Sobre os temas que pretende levar aos conselheiros, Kátia pontua que irá "apresentar ao Comus nossas linhas prioritárias de ação, a partir da estruturação e fortalecimentos das linhas de cuidado transversais que envolvem a articulação e organização de todas as ações do sistema de saúde, para uma atenção à saúde que seja mais acessível e mais qualificada para a população". Já quanto ao papel efetivo do Comus diante das necessidades da saúde municipal, a secretária defendeu que espera "desenvolver um trabalho que esteja alinhado às necessidades da população. O Comus, como instância de controle social, é responsável por fazer essa aproximação da Secretaria Municipal de Saúde com os anseios da população de Foz". Por sua vez, Sadi Buzanelo compartilhou de maneira mais específica o que de fato deverá ser debatido hoje. "Nesta quinta-feira, os conselheiros, a nova secretária e sua equipe vão tratar de assuntos estratégicos e importantes como, por exemplo, a re- visão da programação anual de saúde com a versão de 2018, que é uma parte do Plano Municipal de Saúde. A garantia do financiamento por parte do Governo do Estado para a Fundação Municipal de Saúde. Vamos tratar também das melhorias necessárias para o acolhimento dos usuários do SUS na rede básica, mas também nas unidades de urgência e emergência, além de melhoria das equipes do Programa Saúde da Família e outros temas importantes", detalhou. As discussões serão acompanhadas pelos conselheiros divididos entre as seis comissões internas que integram o órgão. "Ao todo serão 30 itens. O que esperamos é consolidarmos uma agenda positiva para a cidade. Buscamos trabalhar para alcançarmos resultados práticos e a consolidação dos instrumentos de controle de gestão, uma bandeira constante do Comus", concluiu Sadi Buzanelo.

Foz do Iguaçu, quinta-feira, 12 de abril de 2018 PAUTA DO DIA Câmara vota hoje projeto de lei pela igualdade racial Proposta estimula atividades de combate ao racismo e a todo tipo de discriminação Elson Marques Freelancer Os vereadores voltam a se reunir hoje, a partir das 9h, em uma sessão ordinária e duas extraordinárias. Entre os assuntos em pauta está a votação de projeto de lei da vereadora Rosane Bonho (PP) em defesa da igualdade racial. A proposta estimula atividades de conscientização e combate ao racismo, incluindo no Calendário de Eventos Oficiais do Município a Semana Municipal de Promoção da Igualdade Racial. A ideia é realizar as atividades anualmente, sempre na semana que antecede o dia 20 de novembro, Dia Mundial da Consciência Negra. Conforme consta no texto do projeto, a Semana Municipal de Promoção da Igualdade Racial tem como objetivos ampliar a reflexão, o diálogo e a conscientização sobre o processo histórico de formação da sociedade brasileira, promover e valorizar as diversas culturas, bem como combater o racismo e a discriminação. A proposta prevê que o município, no âmbito de sua Nesta quinta-feira acontecem uma sessão ordinária e duas extraordinárias competência, assegurará os meios eficazes para coibir a prática de racismo ou qualquer outra forma de preconceito. Conscientização O texto traz uma série de sugestões de atividades como a divulgação da participação da cultura afrodescendente na formação histórica cultural brasileira e de ideias e práticas de valorização em relação à diversidade cultural; e representação proporcional dos grupos étnicos em todas as campanhas e atividades de comunicação do município e de entidades que tenham investimento político ou econômico do poder público. Relaciona ainda o desenvolvimento de programas que assegurem igualdade de oportunidade e tratamento nas políticas culturais do município; valorização das práticas relacionadas ao cuidado e à promoção da saúde na cultura afro-brasileira e nas demais etnias nas unidades de saúde; campanhas educativas para o conjunto das etnias presentes na cidade para prevenir discriminação. E também: garantir e ampliar, na educação infantil e nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), a inclusão de atividades educativas que valorizem a diversidade étnico-racial e cultural; fomentar discussões dentro dos espaços de uso da comunidade, por meio de rodas de conversas, para um posicionamento mais crítico frente à realidade social em que vivemos; e promover, por meio de palestras e atividades pedagógicas, discussões das questões relacionadas à valorização das diversas culturas. Política 05 Requerimentos sobre saúde Na sessão ordinária, vários requerimentos serão analisados, entre eles alguns relacionados à saúde. A vereadora Inês Weizemann (PSD) está solicitando ao prefeito Chico Brasileiro (PSD) informações sobre o processo de contratação de empresa responsável pelo atendimento oftalmológico na saúde pública de Foz do Iguaçu. Requer que indique "o andamento do processo, se há alguma empresa habilitada atualmente, quantas e quais empresas se apresentaram e quando o serviço deverá voltar a ser prestado". A vereadora observa que em novembro de 2017, depois de apontamentos da Controladoria e do Conselho Municipal de Saúde (Comus), foi encerrado o contrato entre a prefeitura e a empresa que prestava serviços oftalmológicos (Cristalink). "Para contemplar a real necessidade da população, foi confeccionado um novo edital para a contratação de nova empresa", diz. Inês acrescenta que "houve uma empresa habilitada para a prestação dos serviços, mas o processo não evoluiu. Após cinco meses, foi apontada uma falha no edital, que foi corrigido e republicado. Diante disso, solicitamos informações sobre o andamento do processo", encerra. Falta de leitos O vereador Adenildo Kako (Podemos) entrou com outro requerimento solicitando informações do Executivo sobre a quantidade de leitos no Hospital Municipal Padre Germano Lauck. De acordo com o vereador, há reclamações sobre falta de leitos. "São denúncias de munícipes que estão na UPA e precisam ser transferidos para o Hospital Municipal, e não conseguem transferência devido à falta de leitos, permanecendo por mais de 24 horas na unidade", aponta.