Views
7 months ago

GAZETA DIARIO 553

08 Cidade Foz do

08 Cidade Foz do Iguaçu, quinta-feira, 12 de abril de 2018 Fábio Campana Segue o baile Na política nativa, as dores da transição. É óbvio que Cida Borgheti terá que substituir gente que está no poder. Há cargos que exigem ocupantes do relacionamento pessoal da nova governadora. A secretária chefe do gabinete, por exemplo. É ela quem cuida da agenda e quem filtra e ordena os compromissos de Cida Borgheti. Lucília Felicidade Dias faz isso há anos e sabe muito bem quais são as prioridades. Há as contradições políticas. Espaços ocupados por adversários explícitos, como Ratinho Jr, são agora comandados pelo novo governo. A Secretaria do Desenvolvimento Urbano mudou todos os cargos em comissão. E as necessidades políticas. Os que saíram para se candidatar a alguma coisa, devem desocupar a moita com toda a sua entourage. Há certa flexibilidade nesse processo, considerando que é um governo de continuidade. Mas não há dúvida que muitos terão que desocupar a moita. Isso impõe sacrifícios e até alguma revolta. Inevitável. Quem ocupa cargo de confiança não é vitalício nem tem estabilidade garantida. Devem sair, sem chororô de preferência, para não dar aquele show de indignidade e opróbrio. Ah, ah, ah Em seu Twitter, Requião dá o troco porque ficou fora da pesquisa do Ibope. Diz que recebeu outra pesquisa, impublicável, óbvio, e insinua que está arrombando. A desfaçatez é incrível. Olha a mensagem: "Apesar do Ibope e a CBN terem retirado meu nome da pesquisa para o governo do Paraná, chega, hoje, a meu conhecimento, pesquisa de instituto idôneo. Deus meu! obrigado Paraná!" Lupi entre Osmar e Ciro Pré-candidato ao governo do Paraná, Osmar Dias (PDT) já avisou ao presidente da legenda, Carlos Lupi, que não vai apoiar Ciro Gomes ao Planalto. Isso porque não abre mão de trabalhar pela candidatura do irmão, o senador Alvaro Dias (Podemos). Apesar de Lupi garantir que a situação não abala o partido, o clima interno é ruim. E Lupi terá problemas para montar o palanque de Ciro no Paraná. Gleisi muda sobrenome A nova moda vermelha: adotar o nome de Lula em documentos e votações. Gleisi pediu para se chamar Gleisi Lula Hoffmann, se o caso for permitido oficialmente, novas contas surgirão para pagarmos: carimbos, cartões e todo novo material de divulgação parlamentar. Acampamento cresce O acampamento de vigília por Lula permanente no bairro Santa Cândida quadruplicou de tamanho. Segundo o Movimento Sem Terra (MST), cerca de mil pessoas ocupam o entorno da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, em sua maioria sem-terra, mas há também sindicatos e movimentos de esquerda. Vai ter que rebolar Luizão, o prefeito de Pinhais que foi símbolo de administração do PT, resolveu mudar de partido quando deu-se a hecatombe que ainda prossegue e que arrastou Lula à prisão. Seu amigo Osmar Dias ofereceu-lhe o PDT, mas Luizão não quer nada que tenha a ver com os governos de Lula e Dilma. Para descolar de vez da esquerda, preferiu ingressar no PRB, na época em que Edir Macedo namorava com Osmar. Agora o barco mudou de rumo. O PRB vai de Ratinho Jr e Luizão já não pode mudar de partido. Vai ter que rebolar. FALTA DE PROVAS Acusado de assassinar Valdecir Vasconcelos é inocentado em júri popular Crime ocorreu em 2006 e chocou a população pela crueldade; réu já havia sido absolvido por falta de provas em fevereiro do ano passado Da redação Reportagem Marcos Alves dos Santos, acusado de assassinar Valdecir Vasconcelos, foi inocentado em júri popular, nessa quarta-feira (10), em Foz do Iguaçu. O julgamento teve início pouco depois das 12h30 e durou cerca de três horas. Os assistentes de acusação do Ministério Público e o advogado de defesa do réu, que não compareceu à sessão, tiveram cerca de duas horas para expor seus argumentos. Santos já havia sido absolvido por falta de provas em um julgamento realizado em fevereiro do ano passado. O Ministério Público recorreu da decisão e solicitou um novo julgamento alegando que o depoimento das testemunhas incriminava o réu. O acusado estava em liberdade desde que foi inocentado pela primeira. Ele respondia pelos crimes de homicídio qualificado por motivo torpe e corrupção de menor, já que, segundo informações, um adolescente teria participado do homicídio. O crime ocorreu em dezembro de 2006 e, conforme as investigações, foi motivado por ciúmes. A vítima, na época com 19 anos, supostamente teria acariciado de forma desrespeitosa a mulher do acusado. O jovem foi assassinado com vários tiros e 27 facadas nas costas, às margens do Rio Boicy, na região do Portal da Foz. Conforme a promotoria, o rapaz foi atraído Foto: reprodução RPC Réu estava em liberdade e não compareceu à sessão, que durou cerca de três horas para o local com a ajuda de um adolescente, que seria irmão do acusado, e executado de maneira fria com resquícios de crueldade. Após ser morto, Valdecir teve o corpo esquartejado em várias partes e abandonado no local. Ele ainda teve um bilhete deixado na boca com a frase: "Ladrão que passa a mão na mulher de ladrão fica sem a mão". A defesa de Marcos Santos reforçou durante o julgamento que o réu não cometeu o crime e que na época dos fatos estava solteiro. Lourdes Aleixo Na semana passada, o julgamento de um caso igualmente motivado por ciúmes movimentou o Fórum de Foz do Iguaçu. Quatro homens foram levados a júri popular pelo assassinato de Lourdes Rodrigues Aleixo em março de 2014. A vítima supostamente mantinha um relacionamento amoroso com a mulher de José Carlos Pereira, mandante do crime, que teria contratado uma terceira pessoa para agenciar o atirador. Aleixo foi morta a tiros na porta de casa quando se preparava para deslocar-se ao trabalho. Pereira foi condenado na última quinta-feira (5) a 15 anos e nove meses de prisão em regime fechado, junto com Mário Ângelo Veiga, piloto da moto na qual estava o atirador, sentenciado a 13 anos e nove meses de reclusão. Ambos responderão por homicídio duplamente qualificado por motivo torpe e emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima. Os outros dois réus, Clademir de Souza e Luiz Carlos Moraes, apontados como o dono da arma da qual partiram os disparos e o agenciador, foram inocentados por falta de provas. Para o julgamento foram convocadas 37 testemunhas. O Ministério Público disse que irá recorrer das absolvições.

Foz do Iguaçu, quinta-feira, 12 de abril de 2018 ELEIÇÃO 2018 PRB fecha com Ratinho Junior Pré-candidatura é reforçada com apoio de evangélicos e empreendedores; na semana passada, Ratinho conquistou o PR, de Giacobo e Yared Política 09 Adelino de Souza Freelancer Depois de conquistar o apoio do Partido da República (PR), capitaneado por Fernando Giacobo e Christiane Yared, o pré-candidato a governador Ratinho Junior (PSD) recebeu também o apoio do Partido Republicano Brasileiro (PRB). O acordo foi firmado em São Paulo com a presença do comandante nacional do PSD, Ricardo Kassab, e do presidente nacional do PRB, Marcos Pereira. Os dirigentes estaduais do partido, Valdemar Bernardo Jorge e Aroldo Martins, também estiveram presentes. O acordo firmado em São Paulo é resultado das negociações que Ratinho Junior já vinha promovendo com as lideranças estaduais do partido. A adesão do PRB reforça a candidatura de Ratinho junto aos evangélicos da Igreja Universal, bem como ao empresariado, já que o presidente da FIEP, Edson Campagnolo, está filiado à sigla. A plataforma de Ratinho pesou muito para a decisão do PRB. "Apoiando essa candidatura majoritária, teremos condições de apresentarmos à população o que consideramos fundamentais para o crescimento do nosso estado com perspectivas de desenvolvimento nas regiões que mais necessitam do poder público", comentou o presidente estadual, Valdemar Jorge, empresário do ramo do agronegócio. Outra liderança com destaque no PRB é a do ex-prefeito de Pinhais Luizão Goulart, que chegou a ser reeleito com 94% dos votos, o maior percentual do país. Dirigentes do PSD e do PTB na reunião em São Paulo "O PRB está trabalhando muito na renovação dos quadros e certamente fará uma grande contribuição no governo inovador que estamos propondo para o estado. Esse apoio engrandece o nosso projeto e solidifica ainda mais a nossa pré-candidatura", comentou Ratinho Junior. O candidato conta agora com apoio do PSD, PSC, PR e PRB. Com isso, terá o segundo maior tempo na televisão, depois da chapa que será encabeçada por Cida Borghetti (PP). Osmar Dias diz que irá fortalecer as estatais Ao participar da Expo- Londrina na manhã dessa quarta-feira (11), o pré-candidato do PDT, Osmar Dias, disse que irá fortalecer as estatais paranaenses se for eleito governador do estado. Ele acusou outros candidatos de enfraquecerem a Copel e a Sanepar. "No meu governo, as estatais serão fortalecidas. Eu não estou falando só no Iapar. A Sanepar deu lucro de um R$ 1 bilhão no ano passado, mas não é certo explorar os con- Osmar Dias: "Quero um bom projeto para o Paraná" sumidores com aumento de 135% na tarifa para agradar os sócios privados", comentou Osmar. O pedetista voltou a criticar "o governo neoliberal" por "ter retirado a capacidade de investimento dessas empresas". Ele acrescentou que, na área rural, a energia ainda é monofásica, "mas o produtor precisa de energia trifásica". Em entrevista a uma rádio de Londrina, Osmar condenou também o loteamento de cargos. "Vou acabar com o loteamento de cargos no estado. Alguns candidatos estão prometendo e loteando cargos desde agora", revelou. Alianças Ao ser questionado sobre alianças partidárias, Osmar Dias respondeu: "Estou preocupado em elaborar um bom projeto para o Paraná. Não corro atrás de legendas para rechear a minha candidatura. Eu apenas coloco o planejamento na mesa, e aqueles que aceitarem as propostas serão bem-vindos. Tem que ser do meu jeito". Marcos Stamm poderá ser nomeado diretor-geral da Itaipu Diretor-geral da Itaipu pode ser nomeado nesta quinta-feira A Itaipu Binacional entra no sexto dia sem direção-geral da margem brasileira. Enquanto grupos políticos antagônicos brigam pela indicação, o presidente Michel Temer faz mistério. Mas a publicação do nome do novo diretor-geral deverá sair na edição de hoje (12) do Diário Oficial da União. Até o fechamento desta edição, o nome mais cotado para o cargo era o do atual diretor financeiro, Marcos Vitório Stamm, ligado ao grupo do deputado federal Sérgio Souza e do ex-governador Orlando Pessuti. Os principais colunistas do estado já davam como certa essa indicação, mas Temer não havia confirmado até o final da tarde dessa quarta-feira (11). Também foi aventada a hipótese da nomeação de Mauro Corbelini, atual diretor técnico da usina, e de Cezar Ziliotto, atual diretor jurídico. Quem é Stamm Marcos Vitório Stamm é londrinense, formado em Direito pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), em 1981, com pós-graduações em Direito Administrativo — Licitações e Contratos Administrativos, e em Direito Administrativo — Controle da Administração Pública, ambas pela Faculdade de Direito de Curitiba. Ele já foi secretário de estado, diretor da Cohapar e assessor técnico de Sérgio Souza.