Views
1 week ago

Almanaque2

Almanaque número 2, com o conteúdo completo das edições nº 7 a nº 12 da Revista Mensal Peripécias Contendo as Seções Destaques, Túnel do Tempo, Sociais, Turismo, Literatura, Sala de Leitura, Teatro, Arte, Personalidades, Poesias, Atualidades, do Fundo do Baú, Fotografia, Formaturas, Humor, Culinária, Esportes, Curiosidades, Aniversariantes, Classificados, Biblioteca, História de Família e Espaço do Leitor.

VOVÓ MARICOTA Nossa

VOVÓ MARICOTA Nossa homenagem ao 143º aniversário de nascimento vai para a aniversariante do mês, Maria Nunes Corrêa, a “Vó Maricota”, filha de João Machado Nunes e Maria do Carmo Nunes, nasceu em 16 de fevereiro de 1875. Maricota casou-se com Antônio Alves Corrêa e tiveram 9 filhos: Deolinda, José (Juca), Antônio (Antoniquinho), João (Sissão), Francisco (Chiquinho), Manoel (Manduca), Luzia, Waldemiro e Deolinda (Deo). Na foto abaixo com os filhos e o neto (Antoninho). Maricota era simples, carinhosa, inteligente e muito querida por todos. Quando estava com 67 anos quebrou a perna jogando bola com o bisneto (Ney Francisco). Negou-se a ir para o hospital, foi tratada em casa e ficou mancando a partir daí. Nos 24 anos em que esteve viúva só usou roupas na cor preta, zelou para que fossem mantidas as tradições das novenas do Espírito Santo e patrocinava a barraca de alimentos na festa da Igreja de Santo Antônio de Lisboa. Faleceu poucos dias antes de completar 78 anos, em 03 de fevereiro de 1953, 65 anos atrás.

Nilson Simões Alves Corrêa Nilson nasceu em 27 de março de 1924 Em 1928, no dia em que completava 4 anos, Nilson foi com os pais – Francisco e Francisquinha – e com os irmãos Nilda, Neuza e Antoninho para Portugal. Nilson ganhou como presente de aniversário um colete, para usar durante a viagem. Embarcaram no navio alemão “Madrid” em 27 de março de 1928, chegando na Ilha da Madeira em 11 de abril. Não existia naquela época (e não existe até hoje) uma linha direta até a Ilha Terceira, distante 1566 Km de Portugal, obrigando aos que fossem para lá – ou que de lá viessem – fazer uma “baldeação” na Ilha da Madeira, distante 1138 Km da Ilha Terceira. Quando chegaram à Ilha da Madeira Nilson encontrou um passarinho ferido. Adotou o passarinho como mascote, cuidou dele e se afeiçoou ao pássaro. Improvisou com uma caixa de papelão uma casinha enquanto estavam no Hotel e onde ele ia levava o passarinho escondido no bolso do colete. O pai do Nilson foi cientificado que teria que pagar uma multa pois não era permitido o transporte de animais silvestres e o pássaro seria apreendido. Nilson, com muito pesar e para evitar que tivessem que pagar uma multa decidiu soltar o mascote que já estava restabelecido e saiu voando alegremente... Nilson nunca esqueceu do seu “amiguinho”... A família seguiu viagem no navio São Miguel, desembarcando na Ilha Terceira em 28 de abril de 1928. Duas semanas depois a família dirigiu-se para o Cais do Porto onde embarcariam no paquete São Miguel para a Ilha Terceira. Durante a fiscalização para o embarque o passarinho resolveu cantar e os agentes Aduaneiros descobriram o passarinho escondido no colete do Nilson. Nilson casou-se em 15 de abril de 1948, com Edina de Almeida Alves Corrêa, na Igreja dos Capuchinhos e chegaram a comemorar Bodas de Diamante com uma missa na mesma Igreja. Desta união nasceram Maria Regina, Maria da Penha, José Geraldo, Maria da Glória e Antônio José. Nilson faleceu em 23 de julho de 2013.

Almanaque nº 1
Peripécias 12