Views
6 months ago

Almanaque2

Almanaque número 2, com o conteúdo completo das edições nº 7 a nº 12 da Revista Mensal Peripécias Contendo as Seções Destaques, Túnel do Tempo, Sociais, Turismo, Literatura, Sala de Leitura, Teatro, Arte, Personalidades, Poesias, Atualidades, do Fundo do Baú, Fotografia, Formaturas, Humor, Culinária, Esportes, Curiosidades, Aniversariantes, Classificados, Biblioteca, História de Família e Espaço do Leitor.

Amanda Lapagesse Coelho

Amanda Lapagesse Coelho Louise Lapagesse de Camargo Pinto A Amanda ganhou o concurso para escrever a história “O Menino do Sol” e foi a autora do conto ilustrado pelo Ziraldo. Myriam Brito Corrêa Nunes Mirinha foi com a neta assistir "60! Década de Arromba" no Theatro NET Rio e não resistiu ao cartaz quando viu Clark Gable e foi dar um "selinho" no ídolo! Louise comemorando os 18 anos de formatura na turma de Medicina da Universidade de Santa Catarina. Graduada pela Universidade de Caxias do Sul (1999). Especialista em Genética Médica pela Sociedade Brasileira de Genética Clínica (2003). Mestrado em Genética e Biologia Molecular e Doutorado em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009). Leila Marise Farnesi Ferreira Leila e família foram curtir o frio na Disney!

RECORDANDO Colaboração: José Francisco Desde que fiz quinze anos, sempre gostei de sair com amigos na segunda feira de carnaval, fantasiado de sujo, como se dizia, e dar uma volta na cidade. Íamos de bonde até o Largo de São Francisco e de lá para o Largo da Carioca, acompanhar Blocos que passavam pelo local. O Ponto era na Galeria Cruzeiro, onde hoje é o Prédio Avenida Central. Também no Tabuleiro da Baiana, onde era ponto final dos bondes da zona sul. Isso à tarde até umas 5 horas. Voltávamos para casa de bonde. Uma vez fui até o Palanque, na hora do desfile carnavalesco na rua, falar com o Prefeito que era meu amigo, e tinha sido meu chefe na CSN. Dessa vez o Hélcio Luiz foi meio distante acompanhando, ele não estava fantasiado. A partir de 1985 não saí mais. Antes existia mais segurança. Hoje em dia é perigoso, não me arriscaria. Em 2002, quando ainda só tinha dois netos, resolvemos fazer um bloco em casa, após passar o dia brincando na piscina. E a Andréia fotografou. Por vezes, andávamos pelo bairro. Cheguei a sair com meu filho Márcio Luiz dando volta pelo Bairro e nos divertindo. Em Volta Redonda também cheguei a sair, até o ano de 1984. Esse chapéu era do meu avô e está na família desde 1930!

Almanaque nº 1
Peripécias 12