Views
9 months ago

Almanaque2

Almanaque número 2, com o conteúdo completo das edições nº 7 a nº 12 da Revista Mensal Peripécias Contendo as Seções Destaques, Túnel do Tempo, Sociais, Turismo, Literatura, Sala de Leitura, Teatro, Arte, Personalidades, Poesias, Atualidades, do Fundo do Baú, Fotografia, Formaturas, Humor, Culinária, Esportes, Curiosidades, Aniversariantes, Classificados, Biblioteca, História de Família e Espaço do Leitor.

REALIZANDO SONHOS

REALIZANDO SONHOS Colaboração: Antônio Carlos L A Corrêa Agora vou realizar o sonho. Não consegui levar meus filhos, mas vou levar um neto Quando era um menino eu tinha um sonho para a Disney! de conhecer a Disney, mas parecia tão difícil que me conformei logo em não realizar. Depois quando me tornei pai, este sonho reacendeu, comecei a pensar em levar meu filho para a Disney e só consegui leva-lo ao Tivoli Parque, não o de Copenhagen, o da Lagoa Rodrigo de Freitas mesmo... Ganhei outros filhos, mas cada vez mais difícil realizar o sonho de levar meus Meu filho caçula também nutre este filhos para a Disney. A “grana” sempre foi sonho e sabendo que não poderá realizar muito curta, as despesas muito grandes. a curto prazo então comprou a passagem para meu neto e ele e Aline, sua esposa, nos deram este presente, levar o filho deles conosco aos USA! Nosso voo será pela UNITED com conexão em Houston – Texas e o comandante Vitor está muito animado. Estou animadíssimo, a vovó Mara também, mal dormi de tanta felicidade! No máximo consegui levar os 3 para Buenos Aires e a Foz do Iguaçu em outra ocasião. É verdade que depois consegui levar minha filha para a Europa. Quando eu já tinha 60 anos finalmente fui aos EUA e conheci a Flórida, a Disney e os parques de Orlando. O sonho voltou a aflorar, mas permaneceu a dificuldade em realizar, agora por outras razões. Com certeza serão dias inesquecíveis!

DENTE DE LEITE Colaboração: Antônio Carlos L A Corrêa Na festa de abertura do Campeonato Mundial de Dente de Leite, durante o desfile das equipes, surgiu garbosamente com seus pupilos, o Patrono da equipe da França, conquistando com seu entusiasmo e alegria de viver, toda a multidão que assistia a solenidade. abraçaram ternamente. Refeiitos da emoção, o Márcio comentou: - Foi o meu grande Mestre! E Vovô Francisco, relembrando, dizia: -sempre foi muito estudioso, também jogava a sua bola, mas era muito namorador... Neste momento, o Presidente Franciisco Horta, fingindo-se de enciumado, disse: - o vovô Francisco foi seu professor, mas é “póde-arroz” doente, sempre foi Fluminense. E o Márcio, confiante respondeu: “Vou recuperar o Mestre”! Quando já se encerrava a festa de abertura do Campeonato e as equipes se retiravam, o Presidente Márcio Braga foi convidado para ser fotografado com a equipe do Flamengo, no mesmo momento em que o vovô Francisco se retirava com sua equipe, com todo o charme e simpatia. Aconteceu então o “momento ternura” de toda a programação: o Márcio, profundamente surpreso e emocionado reconheceu o vovô Francisco, seu saudoso professor da época de ginásio. Os dois se Em 27 de novembro de 1976 o “Jornal da Tijuca” sugeriu que fosse ofertada uma medalha ao Vovô Francisco, como o patrono padrão. Em 16 de setembro de 1977 o jornal da Tijuca apresentou um pedido, em nome de toda a família Marista, à Direção do Colégio e à Associação de Pais e Mestres, para que o campeonato do próximo ano tivesse a denominação de “Copa Vovô Francisco”.

Almanaque nº 1
Peripecias 11
Peripécias 12