Views
4 months ago

Almanaque2

Almanaque número 2, com o conteúdo completo das edições nº 7 a nº 12 da Revista Mensal Peripécias Contendo as Seções Destaques, Túnel do Tempo, Sociais, Turismo, Literatura, Sala de Leitura, Teatro, Arte, Personalidades, Poesias, Atualidades, do Fundo do Baú, Fotografia, Formaturas, Humor, Culinária, Esportes, Curiosidades, Aniversariantes, Classificados, Biblioteca, História de Família e Espaço do Leitor.

A FAMILIA EM VOLTA

A FAMILIA EM VOLTA REDONDA – Destino - Coincidências ou Acaso ? Colaboração: José Francisco S. Corrêa Desde meus 6 anos de idade, já ouvia falar em Volta Redonda. Tia Carolina Rebouças (09.04.1886 – 13.07.1961) que era casada desde 08.11.1902 com um sogro, e irmão do Amigo do Meu Pai, veio trabalhar em Volta Redonda. A Regina Maria que nasceu também na Rua Santa Luiza, estava com um ano de idade. Já irmão de minha avó materna, o tio morava aqui, com sua família, e Francisco Menezes (05.05.1875 – trabalhando na CSN - Paulo Mascarenhas 04.06.1958) quando ia lá em casa, sempre acompanhada do tio Francisco, contava casos e causos, que no início do século XX presenciou na Fazenda situada em Volta Redonda , que à época era Distrito de da Costa, primo do amigo do meu Pai. Na Década de 50, foi construída uma Sede do Banco do Brasil, e meu primo Carlos Sá Corrêa Alves, filho do Tio Joaquim, irmão de meu, pai veio trabalhar Barra Mansa. Volta Redonda foi no Banco. Nessa década, também, meu emancipada em 17.07.1954. Essa Fazenda era dos irmãos Menezes, tio Francisco e mais dois irmãos que não sei como, vieram da Ilha Terceira nos Açores, parar em Volta Redonda. Mas, ela contava que na região, também, houve surto de malária e dois dos irmãos vieram a falecer. Francisco e Carolina casaram no Mosteiro da Glória no Rio de Janeiro. Ela nasceu no primo José Mauro Alves Corrêa, filho de José Rocha Alves Corrêa - conhecido como (Zé Gordo) tinha concluído o Curso de Técnico Químico, feito no Rio de Janeiro, na Escola Rezende Ramel. Veio estagiar na CSN, e acabou ficando até se aposentar. Casou no Rio com Georgete e tiveram dois filhos Mauro André e Ana Cristina. Tínhamos estudado na mesma Rio de Janeiro. Eram padrinhos de turma no curso Ginasial, no Colégio Batismo da Neuza, minha irmã. Maiores detalhes sobre o tempo que viveram ou costumavam vir em Volta Redonda, não sei. Mas na Enciclopédia dos Municípios Felisberto de Menezes, no Rio de Janeiro. Ao aposentar-se mudaram para o Rio de Janeiro. Em 1967 quem resolveu se candidatar a trabalhar na CSN, fui eu. Brasileiros, Jurandir Pires Ferreira Viemos então morar em Volta Redonda, escreveu em 31.01.1959 sobre a criação do Distrito de Volta Redonda e cita essa Fazenda, dos Irmãos Menezes. eu, minha esposa Regina Maria e os filhos Sônia Cristina (que depois casou com Carlos e nos deu o neto Vinicius) e Marcio Em 09.04.1941 foi inaugurada pelo Luiz (que depois casou com Andreia e nos Presidente Getúlio Vargas a Companhia Siderúrgica Nacional. No ano de 1944, em 19 de outubro Mário Neves de Faria, meu deu um casal de netos Ana Paula e Luiz Marcelo). Para aumentar nossa alegria nasceu em 06.10.1969, (época em que o

Homem foi à Lua) nosso filho Hélcio Luiz. Que no início do trabalho de Parto, fez uma PERIPÉCIA. Deu uma virada dentro da barriga e ficou sentado com a cabeça para cima, o que obrigou após horas de espera, que fosse realizada uma Cesariana. Os outros dois partos da Regina Maria tinham sido normais. Passamos a ter um filho Volta- Redondense. Anos depois nos deu duas netas, que aqui também nasceram, fruto de dois casamentos, respectivamente Maria Cecília, atualmente com 15 anos e Manuela com 6 anos. Na década de 70 o José Geraldo, filho do Nilson, que tinha trabalhado também na FNM, mostrou interesse em vir trabalhar na CSN, conseguiu aprovação e ficou morando aqui por um tempo solteiro, e depois casado. Nessa época José Mauro Farnesi, neto de José Alves Martins Corrêa, irmão de meu Pai, tinha terminado o curso de Engenharia na Escola de Engenharia Metalúrgica de Volta Redonda da UFF e ficou também trabalhando na CSN. Quando casou com a Sônia, que também morava em Paracambí, fomos padrinhos de casamento. Tiveram 3 filhos Leandro, Fernanda e Raphael. Na década de 80 Antônio José filho do Nilson, veio trabalhar no Banco do Brasil, e morava com sua família em frente à casa do José Geraldo. Nesta época, o Nilson, meu irmão, vendeu o Apartamento no Rio de Janeiro, e comprou uma casa ao lado ao filho Antônio, e moraram por um tempo ele e a Edina, até um pouco depois do José Geraldo ir trabalhar em São Paulo, e o Antônio José em Brasília. Voltaram para residir no Rio de Janeiro em Jacarepaguá. Os dados apresentados, sugerem várias interpretações. Realmente o mundo é pequeno como dissemos na Coletânea da Família. Como Açorianos vieram para o interior do Estado, principalmente em Volta Redonda? A tia Carolina nasceu, no dia 09 de abril e a CSN foi criada em 09 de abril de 1941. Ano que eu nasci. E que meus sogros casaram, em 25 de setembro de 1941. E que segundo minha mãe foi o dia em que dei os primeiros passos, estava fazendo oito meses. E 25 de setembro foi dia que minha avó materna nasceu em 1863. Já morava aqui, um primo do Amigo de Meu Pai, que era avô da Regina Maria. Que nasceu na mesma rua que eu – Santa Luiza. Que veio morar em Volta Redonda com um ano de idade. Mas ia sempre ao Rio de Janeiro na casa da avó. Eu a conhecia desde pequena, e algumas vezes a vi andando de patinete e bicicleta. Até que um dia..... Tudo começou. Casamos em 09.02.1963, ficamos morando no Rio de Janeiro até 17.08.1967, quando viemos para Volta Redonda e por incrível que pareça dia 17.08.1985, viemos morar nesse endereço que estamos há 32 anos. Destino – Coincidência ou Acaso? Tirem suas conclusões.

Almanaque nº 1