Views
1 week ago

Revista +Saúde - 10ª Edição

MAIS SAÚDE PELO MUNDO

MAIS SAÚDE PELO MUNDO 118, NARGUILÉ É 100 VEZES MAIS PREJUDI- CIAL QUE CIGARRO Popular entre os jovens, o narguilé é uma espécie de cachimbo de água perfumada. Apesar de parecer inofensivo, as essências geralmente são compostas por uma mistura de tabaco com frutas ou aromatizantes. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma hora de sessão de narguilé equivale a fumar cem cigarros comuns. Embora tenha a mesma quantidade de substâncias tóxicas – 4.700, segundo o Instituto Nacional do Câncer – uma sessão com o instrumento dura mais do que tragar um cigarro inteiro. O narguilé pode ter uma ou mais tubulações por onde o fumo chega até a boca do usuário – o que o torna compartilhável. Riscos Além dos riscos para a saúde relacionados ao tabaco e ao fumo passivo, os especialistas ressaltam a possibilidade da transmissão de doenças infecciosas devido ao compartilhamento da piteira, como hepatite, herpes e tuberculose. Porta de entrada Para Jaqueline Scholz, cardiologista e coordenadora do Programa de Tratamento ao Tabagismo do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas, o uso do narguilé torna-se atrativo aos jovens devido ao uso de aromatizantes e ao estímulo de compartilhar com amigos, mas ainda assim tem um alto teor de nicotina. “É uma forma antiga de fumar a que a indústria do tabaco recorreu para que não tivesse essa imagem tão danosa”, disse a médica. “Você é atraído pelo cheiro, pela cor. Hoje é vendido com o mesmo glamour que o cigarro no passado, mas é preciso acabar com esse mito de que o narguilé é seguro.” Fonte: https://veja.abril.com.br/saude/narguile-e-100-vezes-mais- -prejudicial-que-cigarro/ DEPRESSÃO É A DOENÇA QUE MAIS ROUBA ANOS SAUDÁVEIS DOS BRASILEIROS Ninguém imagina que por trás de um bom emprego, da convivência tranquila com família e amigos, pode ter uma depressão. Hoje, no mundo inteiro, mais de 300 milhões de pessoas sofrem com a depressão. Por isso, é muito importante conhecer os remédios e tratamentos que podem ajudar quem está sofrendo com a doença. Um estudo comprovou a eficácia dos medicamentos em casos graves. E como identificar os casos? Os psiquiatras Daniel Barros e Fabio Martins Fonseca explicaram porque é importante entender os sinais que a depressão manda ao longo da vida. Ninguém imagina que por trás de um bom emprego, da convivência tranquila com família e amigos, pode ter uma depressão. A doença tira a vaidade, o ânimo, até levar ao isolamento e a perda completa da vontade de viver. Cada paciente tem um tratamento diferente para a depressão. Depende de quanto as atividades rotineiras são afetadas e o grau de sofrimento para executar aquilo que é necessário e/ou prazeroso. O remédio é ainda mais individual. Se o paciente tem excesso de sono, ele precisará de uma droga mais estimulante. Se for insone, uma que cause sonolência. Casos mais leves podem ser tratados com exercícios e alterações ambientais. Eles podem ser mais eficientes e trazerem mais benefícios do que os remédios. Se o caso for grave, além dos remédios é preciso investir também em melhora dos outros fatores. Fonte: https://g1.globo.com/bemestar/noticia/depressao-e-a-doenca-que-mais-rouba-anos-saudaveis-dos-brasileiros.ghtml

,119

Revista +Saúde - 2ª Edição
Revista 015 - 10ª Edição
Revista Em Diabetes - Edição 4
Revista do cliente Voith Report Edição 1/2013
Revista LiteraLivre 4ª edição
Revista LiteraLivre 5ª edição
Revista Fúcsia - Edição 18
Revista dependências - Novembro 2007
Revista Resultados Oficiais 2ª edição - Português
Preview da útima edição - Assine a Revista Forbes
Camões. Edição conforme a revista pelo autor, com um estudo por ...
6ª Edição da FGR em Revista - Fundação Guimarães Rosa