Views
5 days ago

GAZETA DIARIO 555

02 Opinião Foz do

02 Opinião Foz do Iguaçu, sábado e domingo, 14 e 15 de abril de 2018 ÍNDICE Página 1 até 40 EDITORIAL E COLUNA 2 CIDADE 3 POLÍTICA 4 POLÍTICA 5 BICO DO CORVO 6 GERAL 7 CAMPANA/CIDADE 8 POLÍTICA 9 CIDADE 10 CIDADE 11 ESTADUAL 12 ÓTICAS CAROL 13 NACIONAL 14 NACIONAL 15 CONSTRUTORA PULCINELLI 16 COTIDIANO 17 A 24 IMOBILIÁRIO 25 A 33 CLASSIFICADOS 34 EDITAL 35 POLÍCIA 36 ESPORTE 37 A 39 CELL SHOP 40 Foto: Agenário L. dos Santos EDITORIAL Fim de semana de compromissos A campanha para a vacinação de 10.427 jovens contra a dengue em Foz do Iguaçu não tinha atingido seu objetivo até quinta-feira, 12. Até essa data, só 1.577 jovens tinham aceitado receber a dose. Por isso, este sábado, hoje, foi escolhido pelas autoridades para a realização de um superesforço de imunização. Na prática, o principal símbolo deste esforço será manter abertas as 28 Unidades Básicas de Saúde do município para receberem pessoas de 15 a 27 anos. Vinte e uma delas ficarão abertas das 8h às 17h. Outras sete, entre 8h e 12h. O horário e a lista exata das unidades podem ser conferidos em material publicado nesta edição do Gazeta Diário (GDia, na internet). A preocupação das autoridades tem a ver com os 562 casos notificados de dengue na cidade até a segunda-feira, dia 9. Já o domingo tem programação especial para 10.633 pessoas inscritas no concurso público municipal que visa a contratar 134 servidores. A disputa está concorrida. As provas serão aplicadas nas unidades Centro, Anglo-Americano, CEPE e Empresarial do Centro Universitário UDC. Um dos conselhos dos organizadores é que os candidatos acessem o site da Fundatec para conferir em quais das unidades e em que sala passarão pelo menos cinco horas neste domingo. É bom verificar também o horário, já que o evento ocorre pela manhã e à tarde para diferentes públicos. Além das regras que também aparecem em matéria nesta edição sobre o que se pode e não se pode levar à sala da prova, outras sugestões têm a ver com a cabeça — que deve estar tranquila. Tomar água neste sábado, passar o dia tranquilamente e dormir bem à noite, e de preferência cedo, e levantar no domingo sem correria. Torcemos por todos e que tudo saia bem. Só o fato de o candidato ou candidata estar nessa batalha já faz de todos os aspirantes verdadeiros vencedores. Eu leio o Gazeta Diário A supervisora do setor administrativo da Rádio Manancial 95.1 FM, Celina Simon, é leitora do Gazeta Diário extrapauta Shopping Catuaí Palladium promove evento gratuito para Declaração do Imposto de Renda O Shopping Catuaí Palladium, em parceria com a Faculdade Uniamérica, promove neste sábado (14) e domingo (15) mais uma ação gratuita no Espaço Catuaí Palladium: "Faça as pazes com o seu Imposto de Renda". Será uma oportunidade de o público esclarecer dúvidas e fazer na hora a declaração de pessoa física com orientação acadêmica do curso de Ciências Contábeis e apoio institucional da Receita Federal. O atendimento aos contribuintes interessados será realizado também nos próximos sábados, domingos e feriado de abril, ou seja, nos dias 21, 22, 28 e 29. O horário de atendimento será das 12h às 21h aos sábados e das 14h às 20h aos domingos e feriado. A ação no Catuaí Palladium tem o propósito de unir dois públicos bem específicos: os contribuintes que ficam cheios de dúvidas para fazer sua declaração do Imposto de Renda e os acadêmicos de Ciências Contábeis que poderão colocar em prática o conhecimento teórico. "Parcerias estratégicas como esta com a Uniamérica nos possibilitam prestar um serviço que vem de encontro com uma necessidade do público em geral nesta época do ano", comenta Francisco Cartaxo Júnior, superintendente do shopping. "Essa parceria com o shopping é muito importante e o local mais apropriado para reunir os contribuintes e acadêmicos. Para os alunos é uma oportunidade de aprendizagem efetiva, onde iremos aplicar o conhecimento e legislação específica de Imposto de Renda aprendido em sala de aula, elaborando e entregando a declaração para a Receita Federal, auxiliando os contribuintes a manterem as suas obrigações com o fisco em dia", explica o professor André Antonio Baraldi, coordenador do curso de Ciências Contábeis da Uniamérica.

Foz do Iguaçu, sábado e domingo, 14 e 15 de abril de 2018 PROTESTO Cidade 03 Eletricitários de Furnas promovem ato em Foz contra privatização da Eletrobras Manifestação deverá mobilizar cerca de 200 trabalhadores a partir das 7h30 de segunda-feira; proposta do governo federal tramita na Câmara dos Deputados Da redação Reportagem Foz do Iguaçu marcará presença no mapa das manifestações contrárias à proposta de privatização da Eletrobras previstas em âmbito nacional para a próxima segunda-feira (16). A data evidenciará o Dia Nacional de Luta Contra a Privatização da Estatal e deverá mobilizar cerca de 24 mil funcionários federais contrários à medida encampada pelo presidente Michel Temer (MDB) e sua equipe. Em âmbito local são esperados aproximadamente 200 trabalhadores lotados em Furnas e que deverão cruzar os braços a partir das 7h30 em frente ao portão de acesso à empresa. "Acompanhamos uma luta nacional em defesa da soberania brasileira. A privatização certamente trará o aumento da energia. Afinal privatizar o setor representa que a lógica passará a ser a busca pelo lucro, e não o compromisso social de uma estatal. Além disso, lutamos pela defesa de nossos bens naturais e a qualidade do serviço que prestamos. Não podemos aceitar esta situação de maneira omissa", pontuou José Laércio Gaspar, diretor jurídico do Sindicato dos Eletricitários de Foz do Iguaçu (Sinefi). Foto: Robson Meireles/arquivo Cerca de 200 funcionários de Furnas estarão mobilizados, a partir das 7h30 de segunda-feira, em protesto contra a proposta de privatização da Eletrobras O sindicalista ponderou em entrevista ao jornal Gazeta Diário, na tarde de ontem (13), que, em respeito à legislação, "os serviços essenciais serão mantidos e a população não será prejudicada pelo ato". O projeto de lei com regras para a privatização da Eletrobras tornou-se público em janeiro deste ano. O argumento do governo Temer é de que com a privatização o caixa do Tesouro Nacional possa arrecadar aproximadamente R$ 12,2 bilhões. Pelo texto, a privatização se dará por meio do aumento do capital social da empresa, que oferecerá novas ações na bolsa e, com isso, a participação dos atuais acionistas será diluída. De acordo com a proposta, o aumento de capital social poderá ser acompanhado de oferta pública secundária de ações da União. Isso significa que o governo pode vender suas ações na empresa e o dinheiro arrecadado vai para os cofres públicos — e não para o caixa da empresa. Empresas controladas pelo governo, direta ou indiretamente, também poderão vender suas ações na Eletrobras. Atualmente a União tem 51% das ações ordinári- as (com direito a voto) e fatia de 40,99% no capital total da Eletrobras. Além disso, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BN- DES) e seu braço de investimentos, o BNDESPar, têm, juntos, 18,72% do capital total da empresa. O projeto também propõe a alteração do estatuto social da Eletrobras, para impedir que qualquer acionista tenha mais de 10% das ações com direito a voto. Segundo o governo, esse limite evita "a concentração de mercado e a tomada hostil de controle por outra companhia". Parado na comissão Ao chegar à Câmara dos Deputados há quase um mês, a comissão especial que analisa o projeto de privatização da Eletrobras ainda não avançou. A expectativa é de que o relatório do projeto seja apresentado a partir do início de maio. A informação foi anunciada recentemente pelo relator do projeto de lei, deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA). Inicialmente, Aleluia previa a apresentação do relatório no próximo dia 17. Mas o deputado disse que quer ouvir a oposição e discutir o projeto e, por isso, ainda não pretende propor a votação da proposta pelo plenário. Aleluia destacou que na próxima semana a comissão especial criada para avaliar a proposta dará um passo importante com a primeira audiência pública com o presidente da estatal, Wilson Ferreira Jr. Após reunião com o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, Aleluia disse que o governo está sinalizando mais disposição de tocar o projeto. "O governo está sinalizando o desejo de caminhar", confirmou. Segundo ele, Guardia reafirmou que o projeto é prioridade. O deputado disse ainda que a proposta tem o apoio do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). "Por esta situação devemos somar forças e nos mobilizarmos para demonstrarmos à população o quanto esta proposta é negativa ao interesse dos brasileiros", ressaltou José Laércio Gaspar em nome do Sinefi.