Views
4 months ago

Revista VOi 151

mulheres d+ Cris Osike

mulheres d+ Cris Osike Paixão em dose dupla “Sou apaixonada pela comunicação. Adoro estar com pessoas e poder inspirá-las” Foto: Anderson Netto A fusão entre o amor pelo jornalismo e a maestria na organização de eventos fez com que Cris Osike se tornasse referência hoje em Curitiba no segmento de casamentos. O dom pela comunicação, foi aperfeiçoado durante a faculdade, agora a paixão por festas a acompanhou desde sempre. “Eu que organizava todos os eventos em casa, aniversário, bodas, festa surpresa. Então essa veia sempre esteve comigo”, lembra Cris. Durante sete anos Cris esteve à frente de sua própria empresa de cerimonial, o que lhe garantiu imenso know-how na área e abriu portas para unir esse mundo com o jornalismo. “Comecei a escrever sobre casamentos para sites, blogs, jornais, sempre com assuntos específicos e de bastante interesse das noivas e noivos”, conta. Em uma pesquisa, Cris foi eleita a fada madrinha dos casais de Curitiba e bingo! Foi a deixa para ela criar um programa web com esse nome. Mais tarde foi convidada a ter um quadro em rede estadual em uma forte emissora de TV. “Então passei a me dedicar apenas ao jornalismo, mas com foco em organização de eventos”, revela. Assim nasceu a Cris Osike Nova Comunicação, uma ponte entre o mercado e o consumidor. “Por ter atuado muito tempo nessa área sei o que as empresas necessitam, quais são as demandas e como solucionar os problemas”, aposta. E não para por aí, Cris se prepara para estrear um novo programa na TV. “Ainda não posso revelar detalhes, mas adianto que será voltado ao público feminino”, revela Cris seus próximos passos. 38 abril 2018 revistavoi.com.br

Foto: Marcos Mancinni Alita Rusch Causas sociais “Nós mulheres, carregamos na essência a garra e a força. Somos sinônimo de luta, perseverância e, principalmente, amor” A vida de Alita Rusch é divida entre Marechal Cândido Rondon, no oeste do Paraná – cidade onde nasceu e foi criada – e Curitiba, capital que a acolheu há 28 anos. Mas foi em sua cidade natal que ela conheceu o marido Elio Rusch, com o qual se casou e tem dois filhos. Lá ele era vereador, cargo que ocupou por 14 anos e a mudança para a capital paranaense veio devido à eleição para deputado estadual, o qual ele concorre neste ano ao oitavo mandato. Sempre envolvida com a causa social, Alita foi a primeira presidente do Provopar Estadual em Marechal Cândido Rondon (PR), em 1980, mas mesmo quando entregou a faixa não deixou o amor pela causa morrer. “Tenho 41 anos de experiência na área social, para isso é preciso ter muita habilidade. Desenvolvo esse trabalho orientando as pessoas, mostrando o caminho correto, e como pode ser feito”, frisa. Alita também ajuda prestando trabalho voluntário no gabinete do marido. Ela percorre junto a ele muitas cidades do interior do Estado tanto durante o mandato quanto em período de eleição. “São muitos municípios que visitamos e todos requerem o mesmo cuidado e atenção. É impossível se fazer presente em todos. Então nos dividimos. Ninguém chega sozinho ao sucesso”, garante. Outra luta de Alita é pela inclusão da mulher na sociedade, que começou lá atrás na cidade natal quando encabeçou uma campanha para que as mulheres pudessem fazer parte da JCI – associação mundial de pessoas jovens, de dezoito a quarenta anos de idade, que buscam no aprimoramento individual as bases para o desenvolvimento de suas comunidades. “Na minha época, a mulher não podia participar, começamos uma luta para conquistar esse direito. Em Marechal fui a primeira mulher a fazer parte”, relembra nostalgica Alita. abril 2018 39