Jornal Paraná Maio 2018

LuRecco

OPINIÃO

Um gigante ainda adormecido

Esperamos que, nos próximos anos, o etanol se torne uma das fontes

energéticas diferenciadas mais valorizadas do mundo e o RenovaBio vai ajudar

ANTONIO EDUARDO TONIELO (*)

ORenovaBio foi criado

para incentivar a participação

de biocombustíveis

na matriz

energética nacional e cumprir

uma das metas do Brasil no

Acordo de Paris. As diretrizes

foram aprovadas pelo Conselho

Nacional de Política Energética

em 2017, e, desde então, se

criou uma esperança enorme

de retomada de crescimento do

setor sucroenergético.

Isso porque, na prática, vai promover

ganhos de eficiência

energética, redução de emissão

de gases de efeito estufa, estabilidade

e previsibilidade para

toda a cadeia. É um programa

estruturante, que deixa claro

qual é o papel dos biocombustíveis

na matriz de transportes e

de energia.

Para cumprir a meta de produzir

54 bilhões de litros nos próximos

anos, será preciso investir

em mais usinas e lavouras, indústrias

de máquinas agrícolas

e implementos, sementes, equipamentos

industriais, indústria

automobilística, pesquisa e desenvolvimento,

postos de combustíveis

e distribuição.

A cadeia de cana é imensa, gera

emprego e renda, desenvolve

setores e cidades, mas estava

esquecida e fora das políticas

públicas nacionais. Esperamos

que, nos próximos anos, nosso

etanol se torne uma das fontes

energéticas diferenciadas mais

valorizadas do mundo. O RenovaBio

vai ajudar a conquistarmos

esse valor. Temos a expertise

que nenhum outro país tem,

disponibilidade de terra, clima

favorável, tecnologia desenvolvida

e infraestrutura.

Se tivermos segurança e demanda,

não faltarão investidores.

Mas é preciso colocar na

mesa as regras do jogo. A hora

de atrairmos a atenção do resto

do planeta é agora. Estamos falando

de tecnologia com sustentabilidade.

Esse é o lado brasileiro

que empreende, trabalha,

confia e cresce!

A evolução deve começar pela

cana energia, o etanol de segunda

geração e na busca de

solução de alguns impasses

existentes à produção. O setor

vai continuar incrementando a

inserção da bioeletricidade na

matriz elétrica. Segundo a Empresa

de Pesquisa Energética, a

capacidade instalada das plantas

à biomassa que atendem ao

Sistema Interligado Nacional alcançou

13 GW no ano passado.

E o bagaço de cana foi o principal

combustível utilizado na geração

de 85% do total. No caso

do biodiesel, são esperados

avanços importantes já em

2018, com uma produção superior

a 5 bilhões de litros, com

percentual obrigatório de 10%

de adição ao diesel. O biogás e

o bioquerosene estão contemplados

no RenovaBio e devem

passar por grande desenvolvimento.

Enfim, o RenovaBio está em

total consonância com os programas

globais de conservação

do ambiente e da sustentabilidade.

Se olharmos para o horizonte,

o enxergaremos completamente

favorável para a cadeia

de biocombustíveis. Mas é preciso

muita cautela. O RenovaBio

ainda é um gigante adormecido

e deve ser colocado em prática

apenas em 2020.

A safra 2018/19 será ainda

menor do que a de 2017/18 –

com 640 milhões de toneladas.

Os canaviais estão envelhecidos,

com falhas e sofreram

com as secas entre junho e novembro

de 2017, que prejudicaram

a brotação das soqueiras.

Os produtores terão que

cuidar dos canaviais para não

comprometerem a renda no

final da safra. O mix deve ser

favorável ao etanol devido a

queda do preço do açúcar no

mercado internacional e da alta

nas cotações de preços do petróleo.

Isso vai contribuir para a recuperação

dos preços do açúcar

junto com a firme demanda por

etanol no mercado interno. As

novas relações de comercialização

de etanol começaram a

mudar no final de 2016, quando

a Petrobras passou a adotar

uma nova política de preços.

Houve o aumento de PIS/Cofins

sobre o etanol; em maio, atingiu-se

o recorde de importação

de gasolina; foi criada a alíquota

de 20% para importação de etanol;

a demanda e os preços do

etanol avançaram; e, em outubro,

as usinas começaram a

mudar seu mix. Estamos em

uma realidade positiva para o

biocombustível, em um momento

ímpar, em que o mercado

está absorvendo essa mudança.

A Organização Internacional do

Açúcar estima uma produção

mundial, em 2017/18, em

179,45 milhões de toneladas,

6,58% superior à temporada

passada, devido ao crescimento

na expectativa de colheita

da Índia, União Europeia,

Tailândia e China.

O Brasil é o maior produtor de

açúcar, com 39,46 milhões de

toneladas em 2017/18. Porém,

na safra 2018/19 o país pode ter

reduzida sua disponibilidade de

açúcar. Há incertezas em relação

ao percentual de cana que

será destinado a produção. Isso

pode ajudar na recuperação dos

preços. Mas não podemos olhar

apenas para a cana quando falamos

em projeções para 2018.

Enfrentaremos a batalha da reforma

da Previdência e o resultado

das eleições presidenciais.

Precisamos de grande engajamento

de todos para eleger pessoas

com ética, valores morais,

honestidade e espírito empreendedor.

Não podemos retroceder.

Esse é o momento de os brasileiros

se debruçarem sobre

uma agenda positiva para o

País. Temos que levar as eleições

a sério. O Brasil precisa

crescer, e isso depende de todos

os brasileiros, não apenas

de um setor.

(*) Empresário e conselheiro

da Unica

2

Jornal Paraná


SEGURANCA

Foco na prevenção

Várias Normas Regulamentadoras

são trabalhadas diariamente

visando proteger o trabalhador

Acada ano crescem os

investimentos feitos

pelas empresas do

setor sucroenergético

em prevenção de acidentes

e segurança no trabalho. Segundo

Wesley Martins de Lima,

engenheiro de Segurança

do Trabalho da Usina Cooperval

Açúcar e Etanol, de Jandaia

do Sul, e coordenador do

Comitê de Segurança, Saúde

e Meio Ambiente do Trabalho

das Usinas Associadas no Estado

do Paraná/Alcopar, várias

Normas Regulamentadoras

são trabalhadas diariamente

visando proteger o trabalhador.

Dentre estas destacam-se a

NR-04 que estabelece os critérios

para organização dos

Serviços Especializados em

Engenharia de Segurança e

em Medicina do Trabalho

(SESMT), e a NR-05 que regulamenta

a Comissão Interna

de Prevenção de Acidentes –

CIPA, além da NR-06 que

orienta sobre o uso de Equipamentos

de Proteção Individual

(EPI), e a NR-07 que determina

a elaboração e implementação

do Programa de

Controle Médico e Saúde Ocupacional

(PCMSO) com o objetivo

de controlar e prevenir o

aparecimento de eventuais doenças

ocasionadas ou agravadas

pelo trabalho.

Para garantir a segurança de

trabalhadores de forma específica,

as usinas ainda seguem

as regras da NR-10 para os

que interagem com instalações

elétricas e serviços com

eletricidade; a NR-11, para os

que atuam com transporte,

movimentação, armazenagem

e manuseio de materiais; a

NR-12, que assegura o trabalho

em máquinas e equipamentos;

e a NR-13, que estabelece

requisitos mínimos para

a gestão da integridade estrutural

de caldeiras a vapor,

vasos de pressão e suas tubulações

de interligação nos aspectos

relacionados à instalação,

inspeção, operação e

manutenção, visando à segurança

e à saúde dos trabalhadores.

Também segue se a NR-17,

que estabelece parâmetros

que permitam a adaptação das

condições de trabalho às características

psicofisiológicas

dos trabalhadores, de modo a

proporcionar um máximo de

conforto, segurança e desempenho

eficiente e atenta se para

os cuidados a serem observados

em trabalhos em espaço

confinado (NR-33) e em

altura (NR-35).

Outras preocupações das usinas

são com a identificação e

prevenção dos Riscos Ambientais

do Trabalho - Físico, Químico,

Biológico, Ergonômico e

de Acidente - (NR-09) que prevê

a criação do Programa de

Prevenção de. Riscos Ambientais

(PPRA); e com a Prevenção

de Incêndio (NR-23).

“É obvio que nada tem maior

valor do que a saúde e a vida

dos nossos trabalhadores,

mas também sabe se que os

custos com a prevenção são

muito menores do que os de

um acidente, o que viabiliza

todo investimento nessa

área”, afirma Wesley.

O engenheiro de Segurança no

Trabalho destaca ainda que a

CIPA e o SESMT organizam

anualmente a SIPAT – Semana

Interna de Prevenção de Acidentes,

onde são debatidos

vários temas sobre segurança

e medicina do trabalho, através

de palestras, shows, cursos,

exames médicos, doação

de sangue, exposição de

EPI´s entre outros.

A Cooperval realiza

todos os anos a sua

Semana Interna de

Prevenção de Acidentes

com várias ações

Jornal Paraná 3


SEGURANÇA

Prevenir para ter qualidade de vida

Esse foi o foco da Sipat 2018 da Nova Produtiva, de 12 a 22 de março,

com o apoio do Sesi, Senai, Sescoop e prefeituras de Santa Fé e Astorga

Com o tema “Qualidade

de Vida - Vista

Essa Camisa”, a

Cooperativa Agroindustrial

Nova Produtiva, com

sede em Astorga, realizou a

Semana Interna de Prevenção

de Acidentes do Trabalho (Sipat)

2018, de 12 a 22 de março,

com o apoio do Sesi (Serviço

Social da Indústria), do

Senai (Serviço Nacional de

Aprendizagem Industrial),

Sescoop (Serviço Nacional de

Aprendizagem do Cooperativismo)

e Departamento de

Saúde de Astorga.

As ações, realizadas na sede,

em Astorga, na unidade de

Santa Fé e na Agrícola Cana

abrangeu todas as unidades

operacionais, com visitas da

unidade móvel de atendimento

do Sesi, com o programa

“Cuide-se Mais” destinada

a realização de exames;

e da unidade móvel Cozinha

Brasil, com aulas sobre alimentação

saudável, aproveitamento

integral dos alimentos,

cuidados com obesidade

e hipertensão.

Dentro do programa “Cuidese

Mais”, a Carreta da Prevenção

do Câncer contou com

estrutura e profissionais que

realizaram gratuitamente exames

de mamografia, exame

físico das mamas, o de prevenção

do câncer de colo do

útero (Papanicolau), e de câncer

da próstata (PSA - exame

de sangue) e avaliação da

pele. Enfermeiros, educador

físico e nutricionista orientaram

ainda sobre vida segura e

saudável, fizeram exames de

glicemia capilar, pressão arterial,

índice de massa corporal,

hepatite e outros.

No período também foi lançado

o Programa de Prevenção

Cuide-se Mais, desenvolvido

em parceria com o Sesi, e que

visa a prevenção ao uso de álcool,

drogas e tabagismo,

com palestras sobre riscos

que esses vícios trazem e aulas

sobre alimentação saudável.

Será um ano de ações

preventivas através de comitês

que serão formados para

um trabalho mais aprofundado.

Teve ainda o evento de celebração

da vida, uma tarde festiva

com foco em saúde e

segurança no trabalho, com

brinquedos recreativos, apresentação

de artistas circenses,

sorteio de brindes e distribuição

de lanches.

Segundo Taís Emilene Boscarioli

Busíquia, psicóloga Organizacional

do Departamento

de Recursos Humanos da

cooperativa, o objetivo da Sipat

é desenvolver a consciência

e orientar o trabalhador,

cooperado e a comunidade

sobre a importância da

prevenção de acidentes de

trabalho e de doenças ocupacionais,

contribuindo para a

qualidade de vida e redução

na ocorrência de acidentes

de trabalho e mesmo de doenças

relacionadas ao tabagismo,

uso de álcool e drogas

ou câncer.

Programa ReNOVA

Dentro da programação da

Sipat 2018, teve ainda a visita

da Carreta Texaco –

Programa ReNOVA, dia 16

de março, na unidade de

Ângulo, da Nova Produtiva.

Foram oferecidos, das 8 às

17 horas, atendimento gratuito,

avaliação odontológica,

testes de glicemia, colesterol

e PSA, verificação

da pressão arterial, prevenção

do câncer de mama e

próstata, massoterapia e

treinamentos técnicos.

O Programa ReNOVA é uma

iniciativa da Nova Produtiva

que tem como objetivo

promover ações envolvendo

a família cooperada, funcionários

e as comunidades

onde a cooperativa está inserida,

voltadas para os

cuidados com a saúde, a

necessidade do voluntariado,

com a doação de

sangue, e iniciativas para

melhorar a qualidade de

vida.

4 Jornal Paraná


Bolsa de Qualificação

O Programa de Bolsa Qualificação

Profissional, desenvolvido

há anos pela Nova Produtiva,

teve seu foco este ano

em segurança do trabalho. A

bolsa é concedida ao trabalhador

com contrato de trabalho

suspenso, durante o período

de entressafra de canade-açúcar,

desde que matriculado

em curso ou programa

de qualificação profissional

oferecido pelo empregador.

Cursos sobre

segurança do

trabalho ocuparam

65% da carga

horária

A adesão ao programa minimiza

a necessidade de demissão

dos empregados no período

e possibilita a capacitação

da equipe preparando

melhor o trabalhador para o

exercício de sua atividade. Este

ano a bolsa qualificação foi

ofertada a 148 empregados

que ficaram com contrato

suspenso de 01/03 a 31/03/

2018, divididos em oito turmas

que tiveram uma formação

especifica como eletricista

de veículos, qualificação

de motoristas, qualificação

administrativa e operador

mantenedor agrícola.

O foco principal de todas as

turmas, entretanto, ocupando

em média 65% da carga horária,

foi resolver as questões

de segurança do trabalho, realizamos

os cursos para

atender as normas regulamentadoras

NR12; NR 20;

NR 23; NR 33; NR 35; NR 31

entre outras.

Jornal Paraná 5


SEGURANÇA

Usina Bandeirantes

chega a sua XIX Sipat

Objetivo foi conscientizar os colaboradores quanto a segurança e saúde no

ambiente de trabalho, prevenindo acidentes e doenças e gerando qualidade de vida

AXIX Sipat - Semana

Interna de Prevenção

de Acidentes de Trabalho

da Usina de

Açúcar e Álcool Bandeirantes

S/A foi marcada por uma série

de atividades realizadas com o

objetivo de conscientizar os

colaboradores quanto à segurança

e à saúde no ambiente

de trabalho, prevenindo acidentes

e doenças e gerando

qualidade de vida não só a

estes e seus familiares, mas a

comunidade como um todo.

O evento foi realizado no período

de 20 a 24 de março, com

palestras multidisciplinares,

com experientes profissionais,

organizadas com o objetivo de

resgatar valores esquecidos

no dia a dia, gerando conscientização,

além de convidar

os colaboradores a detectar os

riscos existentes na prática

diária de suas atividades. Isso

ajuda a ampliar a responsabilidade

e comprometimento de

toda equipe, aspectos essenciais

para a saúde e qualidade

de vida dentro das organizações.

Dentre os palestrantes estavam

o médico do Trabalho,

Hugo Leonardo Guaita Calixto,

que ministrou palestras com

os temas “DST’s e AIDS”; o fisioterapeuta

Raphael Piceli

Moretti, que falou sobre os riscos

ergonômicos e suas prevenções;

e o eletricista Jocee

Nunes Dourado, que abordou

o tema “Cuidados com a eletricidade”.

O engenheiro de Segurança do

Trabalho, Tiago Fraxino de Almeida

e a equipe do Serviço

Especializado em Engenharia

de Segurança e em Medicina

do Trabalho (SESMT) finalizaram

a semana com palestras

referente a Segurança do Trabalho,

enfatizando as principais

medidas de proteção para

garantir a integridade física dos

trabalhadores, e os requisitos

mínimos para a prevenção de

acidentes durante a utilização

de máquinas e equipamentos,

conforme determina a NR-12,

que trata sobre Segurança no

Trabalho de Máquinas e Equipamentos.

O evento contou ainda com a

colaboração da equipe de

Saúde e Medicina do Trabalho,

que disponibilizou “testes rápidos”

de Sílifis, Hepatite e HIV

para os colaboradores. Houve

a distribuição de brindes, de

materiais educativos (livros e

DVD’s) e preservativos masculinos

e femininos para todos

os colaboradores.

A realização anual da Sipat é

uma das atribuições obrigatória

da Comissão Interna de

Prevenção de Acidente (CIPA)

e da Comissão Interna de Prevenção

de Acidente do Trabalho

Rural (CIPATR), em conjunto

com o SESMT, conforme

determina a Portaria nº 3.214,

NR-5, item 5.16 “Atribuições

da CIPA”.

Evento foi

realizado

de 20 a 24

de março

6

Jornal Paraná


SEGURANÇA

Semana agitada na Santa Terezinha

Sipat teve extensa programação nas diversas unidades, com temas

que reforçam a educação para atitudes e hábitos preventivos

Visando o bem-estar

dos seus funcionários,

a Usina Santa Terezinha

tem investido na

Sipat (Semana Interna de Prevenção

de Acidentes do Trabalho).

Durante o evento na empresa,

os colaboradores das

áreas da Indústria, Agrícola e

Administrativo participaram de

ampla programação voltada para

ações de conscientização,

principalmente, nos aspectos

que evidenciam a saúde e a segurança.

Cada unidade possui uma programação

própria, criada de

acordo com as necessidades e

possíveis riscos no ambiente de

trabalho do funcionário. Essa

programação é realizada pela

Cipa (Comissão Interna de Prevenção

de Acidentes), Cipatr

(Comissão Interna de Prevenção

de Acidentes no Trabalho

Rural), Sesmt (Serviço Especializado

em Engenharia de Segurança

e Medicina do Trabalho)

e Setor de Segurança do Trabalho.

Em Paranacity, "Sua maior proteção

é a prevenção!" foi o tema

da Sipat que contou com pit

stop, stands, brindes e palestras

sobre exercício físico, DST

(Doenças Sexualmente Transmissíveis),

prevenção de acidentes,

meio ambiente, drogas

e alcoolismo. Com foco no tema

"Faça da atitude preventiva

um hábito constante, sua vida

não tem preço", em Cidade Gaúcha

foram feitas campanhas,

atividades motivacionais, distribuição

de preservativos e palestras

sobre dengue, DST, Aids

e trânsito. Evento contou com o

apoio da 46ª Ciretran de Cidade

Gaúcha e Prefeitura Municipal.

Com palestras sobre DST, motivação

no trabalho, segurança

com energia elétrica, importância

da ginástica laboral e segurança

no trânsito, além de gincanas

e brindes, a programação

da unidade de Ivaté teve

como tema"A segurança só para

alguns é insegurança para

todos" e contou com parceria

Secretaria Municipal de Ivaté,

Copel, Polícia Militar Rodoviária

do Paraná e Plano A Desenvolvimento

Profissional, de Umuarama.

Em Rondon, além de testes de

glicemia foram feitas palestras

sobre tabagismo, segurança,

motivação, direção defensiva e

economia familiar em parceria

com a Unipar, Unidade Cianorte,

Senai Paraná, Fapan (Faculdade

de Paraíso do Norte) e

Polícia Rodoviária de Tamboara.

O tema foi "Na copa da segurança,

sua vida é nossa vitória".

Saúde da mulher e do homem,

stress no trabalho, qualidade de

vida e prevenção de acidentes

foram os temas das palestras

no Corporativo e Logística, em

Maringá, que teve ainda concurso

de frases, blitz e sorteios.

Organizadores contaram com o

apoio da Avaliare Avaliação Física

& Nutricional, de Maringá,

e Amputados Vencedores, de

Londrina. O tema foi "Seja inteligente,

faça diferente, previnase

de acidente para um trabalho

excelente".

Em Iguatemi, programação

contou com campanhas educativas,

ginástica laboral e palestra

sobre alimentação

saudável, hipertensão, IMC (Índice

de Mas-sa Corporal), AVC

(Acidente Vascular Cerebral),

uso do EPIs, DSTs, alcoolismo,

tabagismo, reposição hidroeletrolítica

e poluição respiratória.

“Trabalhe com segurança, cuidado

não se apresse, não seja

mais uma vítima do ‘comigo

não acontece’”, esse foi o tema

da Sipat de Terra Rica com exposição,

show e DDS (Diálogo

Diário de Segurança) e palestras

sobre ergonomia, segurança

com solda e oxicorte e no

corte de cana, impactos do acidente

de trabalho e direção defensiva

(com o apoio da Polícia

Rodoviária Federal).

Os temas das palestras também

foram bastante variados

em Moreira Sales: glicemia, hipertensão,

combate ao alcoolismo,

drogas ilícitas e tabaco,

saúde preventiva, gestão de 5S,

cuidados com animais peçonhentos,

alimentação saudável

e obesidade, cuidados com

energia elétrica (, com o apoio

da Copel), dengue, chikungunya,

zika e febre amarela. Teve

ainda blitz educativas. DDS, testes

de glicemia, aferição de

pressão arterial e sorteio de

brindes.

Em Tapejara, teve blitz, distribuição

de material educativo, aferição

da pressão arterial, testes

de diabetes e audição, além de

palestras sobre DSTs, diabetes,

dengue, proteção auditiva (com

a parceria da 3M), meio ambiente,

sedentarismo e segurança

do trabalho.

Teve palestras,

testes de saúde,

trabalho de

conscientização

e outros

Jornal Paraná 7


CAPACITAÇÃO

Usinas investem em

especialização da equipe

O curso de Gerência Agrícola na Cultura de Cana-de-açúcar,

iniciado em 17 de março de 2017, vai até agosto deste ano

Com o objetivo de

aprimorar ainda

mais as suas equipes,

a Usina Santa

Terezinha, a Companhia

Melhoramentos Norte do

Paraná e a Cooperativa Nova

Produtiva, além do Senar

PR, investiram na capacitação

de 36 colaboradores

da área da Engenharia

Agronômica, sendo 25

só da Santa Terezinha. A

iniciativa conta com o

apoio do Sistema Faep (Federação

da Agricultura do

Estado do Paraná) e da

Universidade Federal do Paraná

(UFPR).

O curso de Especialização

em Gerência Agrícola na

Cultura de Cana-de-açúcar,

iniciado em 17 de março

de 2017, vai até agosto

deste ano, com aulas realizadas

quinzenalmente em

Mandaguaçu. São 34 disciplinas

em nove módulos, finalizados

com um trabalho

de conclusão de curso

baseado em um case da

usina onde trabalham.

“O grande investimento de

uma empresa é no seu pessoal.

O dia a dia da usina,

em plena safra, é complicado,

é uma loucura. E só

se muda isso com capacitação,

investindo no ser humano.

Esse é o caminho

também para aumentar a

produtividade”, afirma o

professor doutor Edelclaiton

Daros, da UFPR.

Para Alisson Alexandre

Sherbai, chefe de controle

de qualidade da unidade

de Umuarama da Santa Terezinha,

é muito importante

que a empresa invista

em capacitação da

equipe, mesmo num momento

de crise. “Tem muito

espaço de ganho na

Aulas são quinzenais e ocorrem em Mandaguaçu

empresa, onde o conhecimento

técnico é indispensável.

A especialização

traz melhores resultados, é

um investimento que com

certeza traz retorno individual

e para a empresa”,

destaca.

De modo semelhante,

Julio Cesar Meneguetti Junior,

supervisor de tratos

culturais da unidade da

Santa Terezinha em Iguatemi,

ressalta a importância

dessa troca de informações

entre o setor

profissional e as universidades

e instituições de

pesquisa, para que seja

possível o desenvolvimento

dos profissionais e

também uma atualização

dos mesmos quanto às diretrizes

técnicas da área.

Uma das poucas mulheres

participantes do curso,

Adélia Mendes, analista

de planejamento,

agrícola da unidade da

Santa Terezinha em Moreira

Sales, acrescentou

que é um tipo de beneficio

que estimula o vestir a camisa

e o compartilhar essas

informações com o

restante da equipe. Os

três destacaram os vários

conteúdos que já estão

aplicando no dia a dia da

usina em ensaios práticos

e em treinamentos do

pessoal.

8

Jornal Paraná


PALESTRAS

Syngenta e Alcopar realizam o

1º Syntegração Paraná 2018

Evento, que tem se tornado tradicional no Estado, foi no último

dia 21 de março, em Maringá, e contou com grande participação

Com o objetivo de

capacitar e trazer

as últimas novidades

do setor aos

profissionais que atuam

nas usinas sucroenergéticas

paranaenses, além da

troca de experiências e o

congraçamento, a empresa

Syngenta em parceria com

a Alcopar, realizaram a primeira

edição em 2018 do

já tradicional evento Syntegração

Paraná, no último

dia 21 de março, em Maringá.

Foram discutidos dois temas

atuais sugeridos pelos

agrônomos. Primeiro, o engenheiro

agrônomo Hilário

Gonçalves, consultor e exdiretor

Agrícola da Usina

Alta Mogiana, de São Paulo,

falou sobre quão rentável

é a prática da meiosi

com mudas pré-brotadas

para as empresas. Na sequência,

o entomologista e

consultor Luis Carlos Tonon

palestrou abordando

como tema: “Sphenophorus

- estamos preparados

para conviver com essa

praga?”.

Durante o evento, em vários

momentos, Adriano

Mastro, do Departamento

Técnico de Mercado da

Syngenta, apresentou o posicionamento

técnico da

empresa sobre a tecnologia

Plene de mudas pré-brotadas

e falou sobre a importância

de planejar a maturação

do canavial com

Adriano Mastro falou sobre linha de produtos da empresa

um produto que ofereça

uma janela maior para se

trabalhar. Também foi apresentada

a linha Syngenta

de produtos para controle

de pragas, especialmente

para sphenophorus e cigarrinha,

destacando o modo

de ação diferenciado, o

amplo controle e as vantagens

e benefícios no aumento

de produtividade.

Mastro lembrou que foi a

empresa que despertou o

setor para o potencial de

melhoria dos sistemas de

plantio e que buscou mudança

na forma de plantar

cana. “Várias empresas entraram

no segmento de mudas

pré-brotadas, mas é preciso

atentar para o conceito

de muda sadia e os ganhos

com taxa de multiplicação.

Tem que se avaliar a tecnologia

e a origem da muda”,

afirmou. Agora, a Syngenta

busca redução de custos e o

aumento da eficiência de

plantio com o Plene Emerald,

que é a “semente” de cana,

e deve ser lançado em breve

no mercado.

Mastro disse ainda que Plene

Evolve e Plene PB são

dois produtos com foco no

aumento de produtividade

no viveiro e da taxa de multiplicação

com material puro,

com vigor e sanidade e

livre de doenças. “Os resultados

de campo mostram

que um plantio originário de

uma muda de Plene PB pode

produzir 15% a mais de

toneladas de cana por hectare

em relação à cana planta,

e a taxa de multiplicação

pode ser 28% maior”, destacou.

Jornal Paraná 9


DOIS

PONTOS

Os preços do açúcar têm espaço

para avançar ao longo

da safra 2018/19 do Centro-

Sul do Brasil, como resultado

do foco na produção de etanol

na região, ajustes de posições

na Bolsa

de Nova

York e perspectivas

de

uma oferta

menor. O movimento,

caso se

confirme, reverteria

o atual

Bolívia

Missa

A Bolívia anunciou que começaria a produção de etanol

a partir de cana-de-açúcar e sorgo. O mandado de etanol

vai exigir uma mistura de gasolina de pelo menos 10%

começando em 2018 e aumentaria para 25% em 2025.

Tanto o governo como o setor privado apoiam o programa

que terá um impacto positivo na economia boliviana porque

substitui as importações de gasolina.

Reversão

Biodiesel

cenário de pressão sobre as

cotações, que começaram a

temporada no menor nível

em mais de dois anos na

Bolsa de Nova York, perto

de 12 centavos de dólar

por libra-peso,

enquanto no

mercado doméstico

estão

28% aquém

do observado

há um ano, na

casa dos 54

reais por saca.

A elevação do porcentual

de 8% para 10% de biodiesel

no diesel comercializado

no Brasil deve proporcionar

uma demanda

adicional pelo biocombustível

de 1,3 milhão de metros

cúbicos já em 2018. Em receita,

isso equivale a R$

3,5 bilhões, segundo estimativas

da consultoria Terrafirma.

A Nova Produtiva, de Astorga,

realizou no último dia

16 de março, na Indústria de

Etanol, sua tradicional Missa

de Início da Safra de Canade-Açúcar

2018, com objetivo

de pedir bênçãos para o

ano e promover a integração

dos funcionários, familiares

e demais presentes. O evento

contou com a participação

de 400 pessoas entre

empregados, cooperados e

autoridades, entre elas o

prefeito de Astorga.

15 anos

Há 15 anos nascia comercialmente

no Brasil o carro

com motor flexível. O sistema

permite abastecer o

tanque com gasolina ou etanol

em qualquer proporção.

Hoje ele equipa praticamente

todos os modelos

vendidos no País, entre nacionais

e até importados. A

proporção ronda os 95%. A

ideia não é nova, mas ganhou

força a partir dos anos

1990 com a oscilação na

oferta do etanol nas bombas.

O primeiro carro com

motor flexível lançado no

País foi o Volkswagen Gol

com motor 1.6.

A inclusão do etanol na lista

dos produtos americanos

que a China sobretaxará como

represália às taxas sobre

o aço está deixando o mercado

brasileiro do biocombustível

desnorteado. Se por

um lado os importadores

Renovabio

A nova Política Nacional de

Biocombustíveis (Renova-

Bio) deverá reduzir em 27%

as emissões de gases poluentes

em dez anos no Brasil,

pelas projeções iniciais

do governo. Criado para a regulamentação

do programa,

o comitê, composto por sete

Estratégia

As entidades que integram o

Conselho do Agro, entre elas

a Sociedade Nacional de

Agricultura (SNA), aprovaram

a elaboração de um documento

com as principais reivindicações

do setor, que deverá

ser entregue aos candidatos

à Presidência da República.O

objetivo é colaborar

Etanol

Solução

chineses terão que buscar o

etanol em outra origem, o

que poderia estimular as exportações

brasileiras, os

EUA terão excedentes e preços

menores. Isso significa

que as importações do Brasil

podem aumentar.

ministérios, apoiará o Conselho

Nacional de Política

Energética na definição e no

cumprimento das metas de

redução compulsória de

emissões dos combustíveis.

Elas serão conhecidas em

julho e serão adotadas em

2019.

Com preços deprimidos das

commodities, a melhor solução

para a economia agrícola

dos Estados Unidos

seria permitir uma expansão

de 15% na mistura de etanol

com a gasolina, defendeu o

líder e fundador de uma das

maiores empresas de biocombustíveis

do mundo,

Jeff Broin, CEO da POET, em

evento da Associação de

Biotecnologia de Iowa, em

Ankeny. Os biocombustíveis

tem sido o único motivo de

crescimento significativo no

mercado de milho nas últimas

duas décadas.

com a implementação de políticas

públicas de médio e

longo prazos e estabelecer

um programa para o agronegócio

até 2030.

10 Jornal Paraná


Novo sulcador

Um melhor perfilhamento da cana,

o aprimoramento e o barateamento

do preparo do solo estão entre os

principais benefícios que deverão

ser proporcionados pelo sulcador

com dispositivo destorroador, novo

acessório da Plantadora de Cana Picada

- PCP 6000 Automatizada, que

será lançado pela DMB Máquinas e

Implementos Agrícolas na Agrishow

2018, que acontece em Ribeirão

Preto, de 30 de abril a 4 de maio.

Segundo Auro Pardinho, o preparo

do solo é um item que tem custo

elevado, com grade aradora pesada

e intermediária, que precisam de trator

de alta potência. O novo sulcador

da DMB, além de melhorar os resultados,

proporcionam um melhor

perfilhamento da cana deve simplificar

a operação e reduzir custos

Ensaios

Segundo o engenheiro agrônomo

Auro Pereira Pardinho, gerente de

marketing da empresa, o acessório

forma um colchão de terra, de

quinze centímetros, abaixo do tolete,

a camada de cobertura fica destorroada

e com maior umidade,

criando um ambiente propicio para

a brotação da gema da cana e reduzindo

o número de falhas e a quantidade

de mudas utilizadas no

plantio.

com o preparo mínimo do solo, só

eliminando a soqueira e iniciando as

operações da plantadora. Ensaios

realizados pela Faculdade de Ciências

Agrárias da Universidade Estadual

Paulista "Julio de Mesquita

Filho" (FCAV/ Unesp), campus de

Jaboticabal, SP, comprovam esses

dados.

Benefícios

O rápido desenvolvimento inicial da cana, onde foi usado o novo sulcador,

é muito benéfico, porque a cana absorve mais o adubo, sombreia mais

a entrelinha, evitando a proliferação de ervas daninhas, garantindo um

canavial mais vigoroso, sem falha. E como a folhagem e sistema radicular

são mais desenvolvidos, existe uma condição propicia para a cana

perfilhar de maneira mais rápida e suportar possíveis veranicos diz Auro

Pardinho,da DMB. Nas próximas etapas do ensaio serão analisados a altura

e número de colmos por metro, crescimento e desenvolvimento do

sistema radicular e a produção de cana e de ATR por hectare.

Jornal Paraná 11

More magazines by this user
Similar magazines