Views
7 months ago

Revista Apólice #232

insurtech | corretores

insurtech | corretores Modernizando e fortalecendo o corretor Mais uma vez, as startups entram no meio de campo. Os profissionais que continuarem inovando tendem a prosperar cada vez mais e muito mais rapidamente Lívia Sousa O mercado de seguros é vital para a economia e para a vida das pessoas. Um setor em que, ao que tudo indica, o ritmo de crescimento continuará acelerado e acelerando. A maioria das seguradoras também deve perdurar, mas para isso precisarão aproveitar o movimento de transformação digital e de inovação para pensar e criar o futuro que desejam. E assim será com os corretores de seguros, que não devem esperar pela inovação. Quem pensa que a tsunami digital ainda vai chegar, infelizmente, já perdeu metade da história. Ela não só já chegou como, daqui para frente, vai escalar e ser cada vez mais rápida. “A preocupação com a disrupção da tecnologia chegou ao mercado segurador”, afirma Omar Ajame, CEO da TEx. Sinal de que mais gente está reconhecendo o impacto da tecnologia e o ritmo acelerado com que as transformações ocorrem atualmente no mundo, mas também um índice de que a maioria das pessoas que atuam no segmento não entende que existem muito mais oportunidades do que ameaças. “Corretoras e seguradoras devem criar soluções inovadoras e disruptivas, aproveitando canais de distribuição atuais e criando novos de maneira inclusiva”, atenta. Mais uma vez, as startups entram no 22 meio de campo – agora para ajudar os corretores a se modernizarem e se fortalecerem. Em uma de suas ferramentas, o Teleport, a TEx reúne todas as funcionalidades que uma corretora de seguros precisa para funcionar, incluindo sistema de gestão, CRM, gerenciamento eletrônico de documentos, financeiro e o multicálculo. Assim, é possível economizar 90% do ❙❙Omar Ajame, da TEx tempo no Comercial de uma corretora, uma das áreas mais importantes para as empresas, aumentando a eficiência da equipe e garantindo a precisão dos cálculos. “Não há erro de cadastros e os demais processos de negócios da corretora como emissão, tratamento de recusas e comissão se tornam muito mais eficientes e seguras, sem retrabalho ou perda de tempo, já que o sistema é completo e totalmente integrado”, garante Ajame. Por sua vez, o Nimble, plataforma B2B2C (conceito de vendas pela internet que inclui toda a cadeia comercial, desde a indústria até o consumidor final), permite que corretoras tradicionais se tornem corretoras online e comecem a vender seguros online. Ainda que tenham objetivos diferentes, Teleport e Nimble são plataformas complementares, totalmente integradas. Assistente pessoal Existe uma máxima no mercado que, quanto mais o corretor vende, mais ele se afoga em tarefas operacionais. E,

❙❙ Leonardo Rochadel, da O2OBOTS hoje, percebe-se que cada vez mais esses profissionais estão sentindo a necessidade de conversar melhor com os seus clientes. A O2OBOTS, detentora da ferramenta Segurobot, desenvolveu uma inteligência artificial com personalidade de Inside Sales (vendas internas, na tradução). São robôs de atendimento treinados para vender. “Educamos a inteligência artificial para qualificar leads em grande escala e entregá-los para os corretores de seguros para que eles vendam mais. É como se entregássemos um assistente pessoal para cada corretor”, explica Leonardo Rochadel, CEO da empresa. “Fazemos um esforço muito grande para ‘democratizar’ a tecnologia que está à disposição das seguradoras, no topo da pirâmide. Estamos tornando essa solução acessível para todos os corretores. Entre nossos clientes estão corretoras que contam com menos de dez profissionais, até aquelas que têm mais de 50 colaboradores”. O executivo ressalta que o objetivo não é tirar corretores do mercado, mas colocar à disposição dos canais de distribuição uma inteligência artificial que execute todas as tarefas operacionais e repetitivas que, por vezes, podem prejudicar os profissionais no momento da venda. “Estamos alinhados com o que o setor entende não ser uma postura de confrontamento. A gente vem com o posicionamento de dar ferramenta de trabalho para empoderar esses canais”, assegura Rochadel, que não vê resistências por parte dos corretores em aderir às soluções digitais. “Na verdade, eles nos olham como um norte, alguém para ajudá-los e conduzi-los no processo de como interagir com o novo consumidor – ou o mesmo consumidor de dez anos atrás, só que com novos hábitos”, diz. Open Insurance No mercado há 12 anos, a Solutions One lançou, em 2017, o Plethora, uma insurtech B2B (business to business) com a proposta de distribuir produtos de seguros utilizando conceito de Open Insurance, ou seja, através de APIs Restful para canais digitais e físicos com produtos de seguros, assistências e capitalização que podem ser ofertados por Apps, e-commerces, Insurtechs b2C, Blogs, Varejos etc. “Nossos parceiros precisam apenas integrar com nossa API Restful para ter acesso aos produtos de seguros e, também, aos meios de pagamento ou usar front ends que podem ser telas responsivas ou apps para vendas e pós- -vendas. Venda de seguros com chatbots também é ofertado”, explica Alessandro Maracajá, CEO and Owner da Solutions One. Além de corretoras e seguradoras, a empresa atende os segmentos de varejo e call centers. O executivo ressalta que os corretores de seguros serão ponto de contato entre o cliente final e as insurtechs. Numa fase de transição, serão geradores de negócios e, também, solucionadores de questões de alta complexidade. No longo prazo, serão um fator de humanização da relação e terão um papel importante na fidelização dos mesmos. “Assim como muitas pessoas têm preferência de comprar online, mas buscar fisicamente na loja, ou mesmo ❙❙Alessandro Maracajá, da Solutions One ❙❙ Mauricio Marques, da Moshe passar na loja para conhecer o produto antes de comprar online, os mundos físico e digital também se fundirão em outros setores, inclusive no setor de seguros”, pontua. Ele crê que uma humanização do processo de seguros pode fazer sentido para muitas pessoas, já que os produtos são complexos para o grau de educação financeira da maioria da população em um país como o Brasil e, portanto, uma parcela dos clientes pode se sentir mais segura se ouvir explicações de um especialista em lugar de uma máquina, e ao vivo. Um produto, várias utilizações A Moshe investe em um sistema de gerenciamento para corretoras nas versões Cloud e Local, um produto que engloba Área do Segurado, Área do Cliente e Perfil do Segurado. O cliente tem acesso a essa área onde, através de um link, pode fazer com que o segurado responda sobre o seu perfil. Uma vez feito isso, quando termina o preenchimento, esses dados são carregados no sistema para que seja feito um cálculo. Esta é uma das maneiras de auxiliar os corretores, que, na opinião do CEO da empresa, Mauricio Marques, por vezes usam ferramentas muito simples para fazer algum tipo de trabalho. “Os corretores precisam ser mais treinados, entender um pouco mais. Eles têm vontade, mas no dia a dia sinto que precisam se dedicar mais para que isso ocorra. Eles esperam muitas soluções mágicas, mas precisamos dessa força de vontade para que dê certo”, conclui. 23

clique aqui e confira a edição de novembro da revista jrs!
Revista em - Clube Vida em Grupo