Revista SINCOR_PR Ed 52

deiadudu

Ano 10 • Nº 52 • Mar/Abr/2018

Venha para o

Os Sincors do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do

Sul organizam o maior Congresso do Sul do Brasil para os

Corretores de Seguros, o Brasesul. Dias 19 e 20 de julho, em

Florianópolis. Páginas 9 a 15.

06 07 16 18 26

FUTURO DA

CARTEIRA DE

AUTOMÓVEIS

É TEMA DE

PALESTRAS.

PROJETO MULHERES

EM AÇÃO REÚNE

TODA A FAMÍLIA EM

PONTA GROSSA E

CURITIBA.

DPVAT PAGA

MAIS DE 87 MIL

INDENIZAÇÕES DE

JANEIRO A MARÇO

DESTE ANO.

ARTIGO JURÍDICO:

RETENÇÃO INDEVIDA

DO ISS PARA

CORRETORES DE

SEGUROS.

SAIBA COMO

SE PREVENIR

DAS PERIGOSAS

DOENÇAS DO

INVERNO.


Mensagem do Presidente

Convite para o Brasesul

Quero lhe fazer um convite,

Corretor de Seguros! Um

convite para estar conosco,

nos dias 19 e 20 de julho, em

um dos maiores Congressos já

realizados por nossa categoria,

na região Sul do Brasil.

Quero ver você no Congresso Sul

Brasileiro de Corretores de Seguros, o

Brasesul, que nós do Sincor-PR, juntamente

com os Sincors de Santa Catarina e Rio

Grande do Sul, realizaremos em Florianópolis.

Estamos, desde o ano passado,

trabalhando arduamente para poder fazer

deste evento um dos mais importantes

para a nossa categoria. Já temos, desde

já, como você verá em algumas páginas

desta edição, muitas novidades.

A programação está sendo complementada

dia a dia. E ótimas atrações

não faltarão. Quem já confirmou presença

e estará conosco nesta empreitada é o

presidente da Bombril, Marcos Scaldelai.

Também teremos a palestra internacional

com Joe Jordan.

As novidades, até a data do evento,

você poderá conferir em nossa E-News

e, também, poderá acessar o site www.

brasesul.com.br .

Destaco que todas as palestras e

painéis estarão voltados para os avanços

tecnológicos atuais e as novas opções de

atuação do mercado. Tudo para que você

possa colher os ensinamentos e aplicar

no seu dia a dia de trabalho, visando ao

bem-estar dos seus clientes.

O Brasesul terá como tema Caminhos,

Alternativas e Soluções. Isso mesmo.

Vamos apontar os caminhos, buscar

alternativas e encontrar soluções para o

que de mais importante aflige nosso mercado.

Por isso é muito, mas muito importante

mesmo que você esteja presente.

Espero você lá!

José Antonio de Castro

Presidente do Sincor-PR

Índice

3 | Mensagem do Presidente

4 | Expediente/Diretoria

5 | Ministério Público do PR ajuíza ação

contra associação de proteção veicular

6 | Palestras, em Ponta Grossa e Curitiba,

abordam futuro da carteira de automóveis

7 | Projeto Mulheres em Ação deste ano reúne

toda a família de corretores e corretoras

10 | Venha participar do Brasesul, um

evento para entrar na história

16 | Dpvat - Nos três primeiros meses do ano

seguro registra mais de 87 mil indenizações

pagas

18 | Artigo Jurídico - Sobre retenção do ISS dos

corretores de seguros

21 | Debate & Opinião - Marca é medo

22 | Recadastramento PJ continua suspenso

23 | Benefícios - Faça cursos de PNL, Coaching e

Constelação Sistêmica Familiar

25 | Entretenimento - Veja algumas curiosidades

sobre a Copa do Mundo

26 | Saúde & Bem-Estar - Saiba como se prevenir

das perigosas doenças do inverno

3


Expediente

Diretoria

Edição nº 52 • Ano 10 • Mar/Abr/2018.

A Revista Crescimento Seguro tem circulação bimestral e é o órgão

oficial de comunicação do Sincor-PR Sindicato dos Corretores de Seguros,

Resseguros, Vida, Capitalização, Previdência Privada e Saúde

no Paraná. Rua Dr. Reynaldo Machado 1309 | 80215.010 | Curitiba

- PR. | Fone 41.3213.9999 | Fax 41.3213.9998.

Venha para o

Ano 10 • Nº 52 • Mar/Abr/2018

Presidente

1º Vice Presidente

2º Vice Presidente

3º Vice Presidente

1º Secretário

2º Secretário

1º Tesoureiro

2º Tesoureiro

SUPLENTES DA DIRETORIA

1º Suplente

2º Suplente

3º Suplente

4º Suplente

5º Suplente

6º Suplente

7º Suplente

José Antonio de Castro

Osnir Roberto Gaspar

Robert Bittar

Paulo Henrique Moreira Baena

Wilson Pereira

Pedro Eyng

Artur Oscar Nogueira Hoff

Dilermando Garcia

Edison Sebastião Bertolazo

Claudemir Rossetto

Ricardo Vieira Ausek

Fabiana Pacheco Guarenghi

Carlos Alberto Tiem

Álvaro Ângelo Lima

João Crisóstomo de M. Freire

MEMBROS DO CONSELHO FISCAL

Presidente

Elcio Ricardo de Miranda

1º Membro

Deniz Pacheco de Carvalho

2º Membro

Luiz Antonio Abib

Projeto editado por

Nota 10 Produções

Jornalista Responsável

Helio Marques (MTb 2524)

Revisão

Andrea Marques

Reportagens

Helio Marques

Fotos

Equipe Kandyany

Projeto Gráfico

William Bedene Jr.

Diagramação / Capa

Marcelo Lise

Impressão

Topgraf Editora e Gráfica Ltda.

Tiragem

2 mil exemplares

Contato Comercial/Publicidade

Nota 10 Produções

(41) 3524-5575 / (41) 99844-3677

helio@nota10.com.br

Circulação Estadual

O Sincor-PR não se responsabiliza por artigos assinados, anúncios

e imagens enviadas por terceiros e anunciantes, tampouco endossa,

avaliza ou recomenda qualquer produto ou serviço anunciado. As fotos

dos produtos e/ou serviços são meramente ilustrativas.

Sugestões e reclamações

(41) 3524-5575

comunicacao@sincor-pr.org.br

Os Sincors do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do

Sul organizam o maior Congresso do Sul do Brasil para os

Corretores de Seguros, o Brasesul. Dias 19 e 20 de julho, em

Florianópolis. Páginas 9 a 15.

06 07 16 18 26

FUTURO DA

PROJETO MULHERES DPVAT PAGA

ARTIGO JURÍDICO: SAIBA COMO

CARTEIRA DE

EM AÇÃO REÚNE MAIS DE 87 MIL RETENÇÃO INDEVIDA SE PREVENIR

AUTOMÓVEIS

TODA A FAMÍLIA EM INDENIZAÇÕES DE DO ISS PARA

DAS PERIGOSAS

É TEMA DE

PONTA GROSSA E JANEIRO A MARÇO CORRETORES DE DOENÇAS DO

PALESTRAS.

CURITIBA.

DESTE ANO.

SEGUROS.

INVERNO.

SUPLENTES DO CONSELHO FISCAL

1º Suplente

José Bento Ferreira Ribas

2º Suplente

Antonio Marcos Sedoski

3º Suplente

Luiz Cesar Dullius

ASSESSORIAS

Diretoria

Eventos

Imprensa

Institucional

Jurídico

DPVAT

Coordenadoria da Mulher

Coord. Interlocução

Coord. Seguro Automóveis

Benefícios

Gerência

DELEGACIAS

CASCAVEL: Av. Brasil, 6.282 - Sl. 21 - CEP 85810-000 - Telefone (45) 3223-9344

Diretores Regionais

Delegado

Delegado Adjunto

Subdelegados

Interlocução

LONDRINA: Av. Higienópolis, 174 - Sl. 301 - CEP 86020-080 - Telefone (43) 3324-2468

Diretores Regionais

Delegado

Subdelegados

Interlocução

MARINGÁ: Av. Carneiro de Leão, 135 - Sl. 1101 - CEP 87013-080 - Telefone (44) 3262-1522

Diretores Regionais

Delegado

Delegado Adjunto

Subdelegados

Interlocução

William Bedene Jr.

Carolina Hasse

Helio Marques

Julio César Oliveira

Antônio Carlos Cordeiro

Luiz Antonio Abib

Paulo Henrique Moreira Baena

Angélica Rocha

Dilermando Garcia

Gilberto Pereira

Cinthia Izidoro Oliveira

Edison Sebastião Bertolazo

Luiz Cláudio Trindade Gomes

Carlos Alberto Tiem

Luiz Cesar Dullius (Toledo)

Luiz Cesar Dullius

Tersi Antônio Reichert

Mauro Luiz Vendruscolo (Pato Branco)

Rodrigo Otávio Teigão (Foz do Iguaçu)

Cristiano Dall’Oglio da Rocha (Toledo)

Marcos Antonio Pesavento / Carlos Alberto Tiem

Claudemir Rossetto

João Crisóstomo de M. Freire (Jacarezinho)

Albery Garcia Duarte

Keli Vanessa da Silva (Apucarana)

João Crisóstomo de M. Freire (Jacarezinho)

Luiz Carlos Nascimento (Vale do Ivaí)

Claudemir Rossetto / Donizetti Márcio de Oliveira

Ricardo Vieira Ausek

Álvaro Ângelo de Lima

Vagner Fabricio

Edinei Roberto Zuim

Valderir Jesus de Oliveira (Campo Mourão)

Carlos Alberto Mendes (Cianorte)

Marcio de Almeida Manso (Paranavaí)

Renato Real (Umuarama)

Vanio Cesar Poppi / Ednei Roberto Zuim

PONTA GROSSA: Rua Dr. Colares, 257 - Sl. 303 - CEP 84.010-010 - Telefone (42) 3222-8091

Acesse nosso site pelo endereço • www.sincor-pr.org.br

Facebook • www.facebook.com/sincor.parana

Diretores Regionais

Delegado

Subdelegado

José Bento Ferreira Ribas

Antonio Marcos Sedoski

José Bento Ferreira Ribas

Joel Horbux do Amaral Junior (Guarapuava)

Jackson André de Lara (Castro)

4


Ministério Público do PR ajuíza ação

contra associação de proteção veicular

Legislação

O Sincor-PR e o Sindseg-PR/MS têm mais de 30 ações no Ministério Público do Paraná contra as associações de proteção veicular.

A juíza da 7ª Vara Cível de Curitiba, Carla

Melissa Martins Tria, concedeu liminar a favor do

Sincor-PR e Sindseg-PR/MS contra a Aprovepar -

Associação de Proteção Veicular do Paraná.

A informação é do advogado Luiz Carlos Checozzi, que

ajuizou a ação civil pública em 27 de fevereiro passado contra a

associação. O processo, segundo Checozzi, se encontra em fase

de expedição de notificações/ofícios e de mandado de citação à

Aprovepar.

A íntegra do despacho da juíza você pode conferir no site

do Sincor-PR.

Veja, a seguir, a relação de associações rés nas ações movidas pelo

Sincor-PR e Sindseg-PR/MS no Ministério Público do Paraná:

1. Averbras Assoc. Veículos do Brasil e Cooper-Seg Represent.

2. Aspem Brasil - Associação dos Pastores e Ministros do Brasil

3. AGS - Associação de Grupos Solidários

4. Assoc. Benefícios aos Amigos Caminh. Nacional Truck

5. Associação para o Desenvolvimento Mútuo e Social - Soma

6. Transdesk Service Ltda ME - Cruzeiro do Oeste

7. Astep Brasil Proteção Veicular

8. Associação de Proteção aos Transport. de Cargas - Assotrans

9. Associação Bras. Proprietários de Veículos Brasil Protege

10. GP - Grupo Paraná

11. Proauto Proteção Veicular

12. Associação dos Caminhoneiros dos Campos Gerais

13. Unidos Proteção Veicular

14. Lions Proteção Veicular

15. Associação de Transportadores do Oeste do Paraná

16. Asaclube Rastreamento e Assistência

17. Adaup - Associação dos Amigos do Paraná - Unidos Proteção

Veicular

18. Asscar Clube de Assistência

19. Transdesk Service Ltda ME - Cascavel

20. Associação de Benefícios aos Propriet. de Veículos - Clubsul

21. Atransmut - Associação de Transp em Regime de Mutua

22. Horizonth Clube de Benefícios

23. Aprocar Benefícios e Proteção Veicular

24. Smart Car Associação de Proteção Veicular

25. APVS Brasil Proteção Veícular

26. APV Sul Paraná

27. Premium Assistance Club - Pleno Clube de Benefícios

28. AASC Clube de Benefícios - Associação dos Amigos de São

Cristóvão

29. Clubvel

30. A.B.A – Associação Beltronense de Autônomos

31. Clube Fenacam de Benefício

5


Eventos

Palestras, em Ponta Grossa e Curitiba,

abordam futuro da carteira de automóveis

O professor da Escola Nacional

de Seguros, Bruno Kelly,

fez palestra dia 21 de março em

Ponta Grossa, em formato de

talk -show, para Corretores de

Seguros.

Durante sua explanação o professor

destacou alguns pontos que têm causado

preocupação aos Corretores, como

os novos canais de vendas, o mercado

marginal, os veículos autônomos, dentre

outros itens.

Kelly deu um panorama do mercado

mundial e brasileiro sobre a carteira de

Automóveis, destacou valores de comissionamentos

e sinistralidade e apontou

alguns direcionamentos para quem atua

fortemente neste ramo.

Na sequência Kelly integrou o talk-

-show com o presidente do Sincor-PR,

José Antonio de Castro, e o diretor-executivo

do Sindseg-PR/MS, Ramiro Fernandes

Dias, que responderam questionamentos

da plateia.

Em Ponta Grossa estiveram presentes

a coordenadora de Automóveis,

Cinthia Izidoro Oliveira; o coordenador

do DPVAT, Luiz Antonio Abib, os subdelegados

Jackson André de Lara, de Castro;

e Joel Horbux do Amaral Júnior, de Guarapuava,

além do assessor institucional

Julio César Oliveira.

A palestra também foi realizada

em Curitiba, no dia 22 de março, na sede

do Sindicato. Participaram Cinthia Izidoro

Oliveira, os diretores Edison Bertolazo e

Luiz Antonio Abib e o assessor institucional

Julio César Oliveira.

A realização das palestras foi do

Sincor-PR, Escola Nacional de Seguros e

Sindseg-PR/MS.

Veja algumas imagens do evento

em Ponta Grossa e em Curitiba.

Ponta Grossa

Curitiba

6


O projeto Mulheres em

Ação deste ano tem proporcionado

atividades diferenciadas

dos tradicionais Cafés da Tarde

realizados até o ano passado,

só com as corretoras de seguros.

As primeiras edições do

novo modelo - realizadas em

Ponta Grossa e Curitiba - têm

possibilitado a reunião de toda

a família.

A palestrante, Rosana Sá, da Escola

Nacional de Seguros e sócio-diretora

da Cyclos Consultoria, aborda o tema

“Sintonia Pessoal e Familiar. Uma abordagem

sobre planejamento estratégico

pessoal e familiar para inspirar pessoas e

famílias inteiras. Isso também é seguro!”

O evento em Ponta Grossa foi

aberto pelo presidente José Antonio de

Castro e pela coordenadora Angélica Rocha.

“A ideia é que os participantes - pais,

mães, maridos, esposas, filhos, irmãos etc

Eventos

Projeto Mulheres em Ação deste ano reúne

toda a família de corretores e corretoras

Ponta Grossa

- possam vivenciar e aproveitar o conhecimento

que nossa palestrante levará para

essas localidades”, explica Castro. O diretor

Dilermando Garcia também participou

da atividade em Ponta Grossa. Ele esteve

presente também em Curitiba, cidade que

contou com as participações de outros diretores,

como Artur Oscar Nogueira Hoff,

Gilberto Pereira e Wilson Pereira, e do assessor

institucional, Julio César Oliveira.

Veja como foi o evento em Ponta

Grossa e Curitiba

7


Eventos

Curitiba

8


Venha para o BRASESUL 2018

19 e 20 de julho

Caminhos, Alternativas e Soluções

Um evento para entrar na história do mercado segurador.

Com o objetivo de congregar os Corretores de Seguros dos Estados do Sul, em um evento único, proporcionando

a integração da categoria e a troca de informações, conhecimento, atualização profissional e também fortalecer o

relacionamento com o Mercado Segurador.

Todas as palestras e painéis estarão voltados aos avanços tecnológicos da atualidade, as novas opções de atuação

no mercado, que visem a proporcionar o melhoramento da relação com seus clientes.

Inscrições abertas. Mais informações www.brasesul.com.br

9


Mercado

Venha participar do Brasesul, um

evento para entrar na história

Durante os dias 19 e 20

de julho, Florianópolis se tornará

a capital brasileira do mercado

de seguros, pois receberá

o Congresso Sul Brasileiro do

Mercado de Seguros (Brasesul)

- iniciativa idealizada pelos Sincors

do Paraná, Santa Catarina

e Rio Grande do Sul.

Com o tema “Caminhos, Alternativas

e Soluções”, o evento contará com

palestras nacionais e internacionais destinadas

aos corretores de seguros, debatendo

seus desafios e oportunidades no

mercado regional e nacional, proporcionando,

além da integração da categoria,

a troca de informações capazes de fortalecer

o setor e a atividade da corretagem

de seguros.

A intenção dos presidentes das entidades

realizadoras do congresso é que

esse seja um evento marcante na agenda

do setor de todo o País. Para isso, todos

os profissionais corretores de seguros são

peças importantes dessa iniciativa, especialmente

os do Sul, que poderão mostrar

a representatividade e a força da região

no mercado nacional. “Convocamos todos

os corretores de seguros do Sul e do Brasil

a estarem conosco neste grande evento,

demonstrando nossa força e união em

prol do mercado que desejamos: cheio de

oportunidades e de acesso a todos”, conclama

José Antônio de Castro, presidente

do Sincor-PR.

FEIRA DE NEGÓCIOS - O Brasesul

contará ainda com a Feira de Negócios,

que ocorrerá simultaneamente no local

do evento, desenhada para que os

players do mercado possam estreitar a

interação e dialogar com colegas e seguradores

em seus estandes, reforçando a

importância do relacionamento comercial

para o desenvolvimento do mercado.

“O Brasesul reunirá palestrantes

do mais alto gabarito. Todas as palestras

serão voltadas aos avanços tecnológicos

da atualidade e às novas opções de atuação

no mercado que visam a oportunizar

o aprimoramento da relação dos corretores

de seguros com seus clientes e com

os parceiros seguradores, que estarão

presentes também na Feira de Negócios”,

ressalta o presidente do Sincor-SC, Auri

Bertelli.

“As principais seguradoras e prestadoras

de serviços já confirmaram a sua

participação na Feira de Negócios. Este

fato já garante a oportunidade ímpar de

rever, integrar e estreitar relacionamento

com esses importantes parceiros do nosso

dia a dia”, reforça Ricardo Pansera, presidente

do Sincor-RS.

O evento é voltado para os profissionais

que querem estar presentes

e participar ativamente dos processos

de inovação e disrupção que surgem no

mercado, tendo a chance de conhecer e

debater as novidades e ideias do setor de

seguro.

Para atender ao chamado dos líderes

das entidades representantes da

categoria na região e fazer parte do evento,

basta realizar sua inscrição no hotsite:

http://www.toindo.com.br/brasesul2018/

index.php/ .

Objetivo é congregar corretores de seguros dos estados do Sul

Surgido da iniciativa e união dos Sincors do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, o Brasesul é um evento para

entrar na história do mercado segurador, com objetivo de congregar os corretores de seguros dos estados do Sul em um

evento único, proporcionando a integração da categoria e a troca de informações, conhecimento, atualização profissional,

feito também para fortalecer o relacionamento com o mercado segurador.

QUINTA-FEIRA, DIA 19

Confira a programação completa

• 9h - Abertura da secretaria – credenciamento

• 15h - Abertura da Feira do Mercado Segurador

• 16h - Tarde das Mulheres – Café/Palestra com Maria Helena Monteiro

• 18h30 - Solenidade de Abertura

• 19h - Palestra - 99,9% não é 100% Você Pode Mais com Marcos Scaldelai

• 20h30 - Jantar e show com a Banda Dazaranha – Patrocínio HDI Seguros

10


Mercado

FEIRA DO MERCADO SEGURADOR

• 15h - Início Feira do Mercado Segurador - A Feira contará com a participação das maiores seguradoras e prestadores de

serviço do Brasil.

• 22h - Encerramento Feira do Mercado Segurador

SEXTA-FEIRA, DIA 20

• 8h30 - Abertura da secretaria

• 9h - Painel – Dirigentes de Seguradoras e Corretores de Seguros

• 11h - Palestra sobre Sucessão nas empresas

• 12h30 - Almoço – Patrocínio Allianz Seguros

• 14:00 - Palestra Internacional com Joe Jordan – Patrocínio Porto Seguro Seguros “Tradução Simultânea”

• 15h30 - Palestra - Inovação e Criatividade na Era Digital com Martha Gabriel

• 17h - Educação Continuada – Funenseg – Robert Bittar, Mario Pinto e Maria Helena Monteiro

• 17h45 - Palestra - Tempo de Oportunidades - “Criando defensores de sua marca e do seu negócio” com o conferencista

Gilclér Regina

• 19h - Atividades no Espaço do Mercado Segurador

• 21h30 - Jantar de encerramento com mini Oktoberfest - Patrocínio Bradesco Seguros - Sorteio dos 3 carros (participarão do

sorteio final dos carros, os contemplados com as chaves sorteadas durante as palestras e painel)

FEIRA DO MERCADO SEGURADOR

• 10h - Início Feira do Mercado Segurador - A Feira contará com a participação das maiores seguradoras e prestadores de

serviço do Brasil.

• 22h - Encerramento Feira do Mercado Segurador

Tire todas suas dúvidas sobre como participar

O Sincor-PR divulga para você uma relação das principais dúvidas

relacionadas à participação no Brasesul. Confira:

Onde posso realizar minha inscrição para

o evento?

Acesse www.brasesul.com.br e acesse o link para inscrição.

A inscrição contempla o quê?

Acesso aos dois dias de evento com participação nas palestras,

almoço, coffee break, jantar festivo, sorteios de carros,

brindes e traslados hotel / evento / hotel.

* translado somente será oferecido no percurso hotel/evento/

hotel e para os participantes que estiverem hospedados em

hotéis conveniados ao evento.*

Qual a idade mínima para participar?

O evento é voltado a todos desde que ele tenha 15 anos completos.

Quantos acompanhantes posso levar?

Você poderá levar quantos acompanhantes quiser, desde que

tenha realizado com antecedência a inscrição como Acompanhante

no site.

Qual o procedimento para a hospedagem

de visitantes de fora de Florianópolis?

Consultar a agência de viagens oficial do evento: Tô Indo Viagens

Telefone: +55 47 3322-6622

WhatsApp: +55 47 99188-9787

E-mail: toindo@toindoviagens.com.br

Site: www.toindoviagens.com.br

Será disponibilizado transporte gratuito

do hotel até o local do evento?

Sim, mas o translado somente será oferecido no percurso hotel/evento/hotel

e para os participantes que estiverem hospe-

11


Mercado

dados em hotéis conveniados ao evento.

Quais os hotéis conveniados ao evento?

A Tô Indo Viagens negociou uma tarifa especial para os participantes

do evento.

Consultar a lista disponibilizada no site www.brasesul.com.br

Os hotéis conveniados possuem

estacionamento?

Sim, todos os hotéis possuem estacionamento, porém cobram

o valor separadamente, que normalmente não está incluso

na diária de hospedagem.

É possível levar animais de estimação?

Não será permitida a entrada de animais no evento. Consulte

o hotel desejado, pois alguns permitem.

O evento irá disponibilizar passeios?

A Tô Indo Viagens disponibilizará opções de passeios. Caso

o participante tenha interesse deverá se dirigir à central de

vendas na secretaria do evento. O valor dos passeios será

cobrado no ato da compra.

Veja quem serão os palestrantes:

Marcos Scaldelai

Tema: Dedicação e

liderança

Gilclér Regina

Tema: Criando defensores de

sua marca e do seu negócio

Gustavo Sette

Tema: Como transformar

uma empresa de família em

uma companhia reconhecida

e respeitada em seu setor

Joe Jordan

Palestra internacional, com

tradução simultânea. Tema:

Como um bom desempenho

pode afetar diretamente

a vida do profissional e

de seus clientes

Martha Gabriel

Tema: A inserção dos meios

digitais e das tecnologias

disruptivas nas empresas

aliando modernidade e

praticidade

Apoiadores:

12


Mercado

Confira os patrocinadores já confirmados até agora:

Os presidentes que estão à frente da organização do evento:

Auri Bertelli (Sincor-SC)

“Venham para o Brasesul 2018! Um

evento para entrar para a história do

mercado segurador”

José Antonio de Castro (Sincor-PR)

“Mostraremos força e união, em

prol de um mercado que desejamos,

cheio de oportunidades e de acesso

a todos”.

13

Ricardo Pansera (Sincor-RS)

“Além da troca de experiências, você

só irá crescer, participando deste

grande congresso”.


Mercado

MAPA DA FEIRA

14


No final do primeiro dia, o Brasesul contará

com jantar oferecido pela HDI Seguros e

show com a Banda Dazaranha.

Atrações e jantares

Mercado

No segundo dia o jantar de encerramento

terá uma mini Oktoberfest, com patrocínio

da Bradesco Seguros.

Sorteio de Carros

Os corretores inscritos participarão do sorteio de três veículos. As chaves para a

disputa serão distribuídas por meio de sorteio, durante as palestras e painéis do

evento. O corretor que estiver com a chave que ligar o carro será o contemplado.

Sincor-PR disponibiliza transporte gratuito para o Brasesul

DELEGACIA REGIONAL LONDRINA

End. Avenida Higienópolis, 174 – sala 301

Tel. (43) 3324-2468 – e-mail londrina@sincor-pr.org.br

Atendimento: das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 18 horas.

O Sincor-PR disponibilizará transporte gratuito para

todos os corretores de seguros interessados em participar do

Brasesul, desde que haja número suficiente de interessados.

Para isso, a sede, em Curitiba, e as delegacias, no interior do

estado, estão organizando as caravanas.

Se você tem interesse, entre em contato. Veja os endereços:

SEDE EM CURITIBA

End. Rua Dr. Reynaldo Machado, 1.309 – Prado Velho

Tel. (41) 3213-9999

Atendimento: das 8h30 as 11h30 e das 13h30 às 18 horas.

DELEGACIA REGIONAL MARINGÁ

End. Avenida Carneiro de Leão, 135 – sala 1101

Tel. (44) 3262-1522 – e-mail maringa@sincor-pr.org.br

Atendimento: das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 18 horas.

DELEGACIA REGIONAL CASCAVEL

End. Avenida Brasil, 6282 – sala 21 CEP. 85810-000

Tel. (45) 3223-9344 – e-mail cascavel@sincor-pr.org.br

Atendimento: das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 18 horas.

DELEGACIA REGIONAL DE PONTA GROSSA

End. Rua Dr. Colares, 257 - sala 303

Tel. (42) 3222-8091 – e-mail pontagrossa@sincor-pr.org.br

Atendimento: das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 18 horas.

Para se inscrever acesse www.brasesul.com.br

15


DPVAT

Nos três primeiros meses do ano seguro

registra mais de 87 mil indenizações pagas

A Seguradora Líder, administradora

do Seguro DPVAT,

registrou o pagamento de

87.508 indenizações a vítimas

de acidentes de trânsito no primeiro

trimestre de 2018. O número

mostra uma redução de

11% em relação ao mesmo período

do ano passado.

Entre janeiro e março, as indenizações

por morte (9.196) e invalidez permanente

(62.781) apresentaram queda de

2% e 15%, respectivamente, ante 2017. Já

o reembolso de despesas médicas teve

crescimento de 6% na mesma comparação.

Seguindo a tendência dos anos

anteriores, a motocicleta permanece sendo

responsável pela maior parte das indenizações:

76%, apesar de representar

apenas 27% da frota nacional de veículos,

de acordo com dados do Denatran. Do

total de indenizações pagas no trimestre,

66.201 foram para acidentes envolvendo

motocicletas. Destas, 76% foram para invalidez

permanente (50.469) e 7% para

morte (4.578).

A região Nordeste também lidera

o número de indenizações pagas pelo Seguro

DPVAT, embora sua frota seja a terceira

maior do país (17% dos veículos). De

janeiro a março, os estados nordestinos

registraram 27.345 casos, o que corresponde

a 31% do total. A região é impactada,

principalmente, pelos acidentes com

motocicletas (64% dos casos). Já a região

Sudeste teve a maior incidência dos acidentes

com vítimas fatais (34% do total

de 9.196). A área concentra 49% da frota

nacional de veículos do país.

No primeiro trimestre do ano, a

maioria das indenizações pagas foi para

vítimas do sexo masculino. A faixa etária

mais atingida foi de 18 a 34 anos, representando

48% do total pago. Além disso,

23% dos acidentes indenizados ocorreram

no período do anoitecer, entre 17h e 20h.

A Seguradora Líder divulga, mensalmente,

os dados de indenizações

pagas para que eles se tornem insumos

para a construção de políticas públicas

que contribuam para que o trânsito brasileiro

se torne menos violento. A companhia

tem o compromisso de contribuir na

formulação de ações para prevenção de

acidentes e educação no trânsito.

Visita à Volvo

No início do mês de março o Sincor-PR, por intermédio

do coordenador da área do DPVAT, Luiz Antonio Abib, esteve

em visita à Volvo do Brasil. Na ocasião apresentou o trabalho

de atendimento às vítimas e familiares realizado pelo Sindicato

e detalhou o funcionamento do Seguro. A convite da

responsável pelo Comunicação Corporativa, Anaelse Oliveira,

Abib conheceu também o Memorial da Segurança no Transporte,

mantido pela Associação Viking, de funcionários da Volvo.

16


17


Artigo Jurídico

Sobre retenção do ISS dos corretores de seguros

Por que é indevida a retenção

do ISS incidente sobre

a prestação de serviços das

corretoras de seguro optantes

pelos Simples Nacional ?

Em determinados Municípios, a

exemplo de Cascavel e Londrina, há uma

regra geral, prevista em lei municipal, determinando

que os tomadores dos serviços

sempre estão obrigados a reter o ISS em

relação a quaisquer serviços por eles contratados,

prestados e devidos em seus territórios,

independentemente de os tomadores

serem ou não optantes do Simples

Nacional.

Entretanto, será demonstrado que é

indevida a retenção do ISS, quando o serviço

for o de corretagem de seguros, previsto

no item 10.01 da lista de serviços anexa à

Lei Complementar nº 116/2003 e a empresa

estiver enquadrada no Simples Nacional,

ainda que a legislação municipal obrigue a

retenção.

Como se sabe, as corretoras de seguro

são contribuintes do Imposto Sobre

Serviços em razão da previsão do item 10.01

da Lista de Serviços anexa à Lei Complementar

nº 116/2003 e também da Lei Complementar

nº 01/2001.

LC nº 116/2003:

10.01 – Agenciamento, corretagem

ou intermediação de câmbio, de seguros,

de cartões de crédito, de planos de saúde e

de planos de previdência privada.

Em razão da Lei Complementar

147/2014, as empresas corretoras de seguro

passaram a ter direito a optar pelo regime

tributário do Simples Nacional, nos seguintes

termos:

Art. 18. O valor devido mensalmente

pela microempresa ou empresa de pequeno

porte optante pelo Simples Nacional

será determinado mediante aplicação das

alíquotas efetivas, calculadas a partir das

alíquotas nominais constantes das tabelas

dos Anexos I a V desta Lei Complementar,

sobre a base de cálculo de que trata o § 3o

deste artigo, observado o disposto no § 15

do art. 3o.

§ 5º-B Sem prejuízo do disposto no §

1º do art. 17 desta Lei Complementar, serão

tributadas na forma do Anexo III desta Lei

Complementar as seguintes atividades de

prestação de serviços:

XVII - corretagem de seguros.

O problema de a lei municipal atribuir

a obrigatoriedade de retenção na fonte

para as seguradoras é que isso pode resultar

num ônus tributário maior do que aquele

realmente previsto na lei, prejudicando

as corretoras de seguros enquadradas no

Simples Nacional, conforme será melhor

explicado, além de desrespeitar o regime

jurídico previsto no art. 21, § 4º da Lei Complementar

nº 123/2006 (Simples Nacional).

Compreendendo o ponto de vista

dos Municípios

Os Municípios que defendem o entendimento

de que é adequado que a lei

municipal obrigue as seguradoras realizem

a retenção do Imposto Sobre Serviços, devido

pelas corretoras de seguros enquadradas

no Simples Nacional, argumentam:

• A legislação municipal tem autonomia

para fixar as regras de retenção

na fonte em relação aos serviços de corretagem

de seguros, independente do que

preveja a Lei Complementar nº 123/2003

(Simples Nacional), visto que foi outorgada

a competência tributária ao Municípios pelo

art. 156 da Constituição Federal para instituir

normas referentes a forma de recolhimento

do ISS;

• Quando a seguradora estiver estabelecida

no Município e o serviço de corretagem

de seguro seja executado em seu

território, surge a obrigação do tomador em

efetuar a retenção, ainda que o prestador

seja optante pelo Simples Nacional;

Compreendendo a retenção na fonte

A retenção na fonte é um tema que

está inserido num outro tema mais complexo

que é a Guerra Fiscal entre Municípios,

visto que cada Prefeitura tende a interpretar

a legislação de maneira que isso possa

resultar no aumento da arrecadação, ainda

que implique em desrespeito à legislação

nacional.

Desse modo, a retenção na fonte é

uma forma de responsabilidade tributária

que obriga a fonte pagadora a recolher o

ISS devido pelo prestador de serviço, nos

casos especificados em lei. Portanto, é

uma forma que os Municípios encontraram

para coibir a sonegação fiscal por parte

das corretoras de seguro, concentrando a

responsabilidade do recolhimento do ISS

nas seguradoras, facilitando a fiscalização

18

e garantindo que o imposto seja destinado

com maior viabilidade aos cofres públicos,

visto que aparentemente é muito mais simples

fiscalizar 5 ou 10 seguradas do que 80

corretores de seguro.

Primeiro é preciso entender que a

Constituição Federal, em seu art. 146, III, diz

que somente lei complementar, aprovada

no Congresso Nacional, pode dispor sobre

“regras gerais em matéria tributária”. Essa

lei complementar é o Código Tributário Nacional

que prevê no art.121 que o Município

pode instituir a retenção na fonte por meio

da lei municipal.

O problema é que, além do art. 121

do CTN, que é uma norma aberta, ainda os

Municípios precisam respeitar as regras da

Lei Complementar nº 123/2006 que também

é uma lei complementar aprovada

pelo Congresso Nacional que estabelece as

regras gerais sobre o regime tributário específico

para às microempresas e empresas

de pequeno porte optantes pelo Simples

Nacional.

No caso em exame, a Lei Complementar

nº 123/2006 institui regras gerais

sobre o regime tributário específico para

às microempresas e empresas de pequeno

porte.

Lei Complementar nº 123/2006:

Art. 1º Esta Lei Complementar estabelece

normas gerais relativas ao tratamento

diferenciado e favorecido a ser

dispensado às microempresas e empresas

de pequeno porte no âmbito dos Poderes

da União, dos Estados, do Distrito Federal

e dos Municípios, especialmente no que se

refere:

I - à apuração e recolhimento dos

impostos e contribuições da União, dos Estados,

do Distrito Federal e dos Municípios,

mediante regime único de arrecadação, inclusive

obrigações acessórias; (grifo)

O que está acontecendo é que os

certos Municípios estão interpretando erroneamente

a legislação, principalmente

quando afirmam estarem autorizados a

exigir a retenção do ISS devido pelas corretoras

de seguro, desde que a Câmara

Municipal aprove lei nesse sentido, apenas

com fundamento no art. 121 do CTN, mas ignoram,

propositalmente, a existência do art.

21, § 4º da LC 123/2006 que trata de regra

específica para a retenção de empresas optantes

pelo Simples Nacional.


Artigo Jurídico

Por outro lado, é verdade que a lei

municipal pode impor a obrigação de retenção

do ISS devido por empresa enquadradas

no Simples, em certos serviços, mas

jamais em relação a corretagem de seguros,

conforme será demonstrado.

Entendendo o Regime Jurídico do

Simples Nacional

O entendimento quanto a obrigatoriedade

ou não das seguradoras efetuarem

a retenção do Imposto Sobre Serviços devido

pelas corretoras de seguro enquadradas

no Simples Nacional, passa necessariamente

pela dificuldade de compreensão a respeito

de qual regime jurídico se aplica nesse

caso.

Por conta disso, surgem pareceres

jurídicos, elaborados pelas Prefeituras, com

conclusões diversas, ora no sentido de que

é cabível a retenção para empresas optantes

pelo Simples Nacional, ora no sentido de

que é indevida.

Caso se compreenda que o “regime

jurídico” adequado seja aquele instituído

pela Lei Complementar nº 123/2006 (Simples

Nacional), certamente que não se aplica

as regras previstas na legislação municipal,

ainda que ela exija a retenção.

Em sentido contrário, prevalecendo

o “regime jurídico” previsto na legislação

municipal, não se aplicam as regras do Simples

Nacional, sendo que sempre um regime

jurídico é excludente do outro, visto que não

há que se falar em “regime tributário misto”.

Regime é aquele sistema que estabelece

e regula o funcionamento de algo.

Jurídico, por sua vez, é aquilo que está vinculado

ao direito. Já a expressão “regime jurídico”

consiste no conjunto de leis e normas

a que se deve submeter uma determinada

matéria. Toda a relação jurídica, seja ela privada

ou pública, ou então público-privada

está sujeita a um determinado regime jurídico,

cujos contornos são desenhados pela

legislação em vigência que se aplica para a

solução dos litígios.

Disso se conclui que o termo “regime

jurídico” é utilizada amplamente em

todos os ramos do Direito, inclusive no Direito

Tributário. Conforme Plácido e Silva: “o

sentido jurídico, regime importa no sistema

ou no modo de regular, por que as coisas,

instituições ou pessoas se devam conduzir”.

Por isso, que a definição do regime

jurídico depende da aprovação das leis que

se prestam a regular determinadas relações

jurídicas.

O Tribunal Regional Federal da 4ª

Região tem invocado o princípio da especialidade

para negar a aplicação de “regime

tributário o misto”. Logo, uma vez determinada

empresa enquadrada no Simples

Nacional, o contribuinte não poderá requer

regime tributário mais benéfico previsto na

lei municipal, nem mesmo a Fazenda Pública

está autorizada impor regra diferente

daquela prevista na LC nº 123/2006 (Simples

Nacional).

O caso abaixo foi julgado pelo Tribunal

Regional Federal da 4ª Região e embora

tenha sido contra a retenção do INSS para

empresas do Simples Nacional a essência

desse entendimento se aplica também para

o ISS e as empresas optantes pelo Simples

Nacional.

TRIBUTÁRIO. AÇÃO ORDINÁRIA. SIM-

PLES. RETENÇÃO DE 11% SOBRE NOTA FISCAL

OU FATURA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS.

ART. 31 DA LEI Nº 8.212/199. EMPRESAS OP-

TANTES PELO SIMPLES. INCOMPATIBILIDA-

DE. As empresas que recolhem seus tributos

pelo Sistema Integrado de Pagamento de

Impostos e Contribuições das Microempresas

e das Empresas de Pequeno Porte não

estão submetidas à técnica de arrecadação

de contribuições previdenciárias prevista no

art. 31 da Lei nº 8.212/91. Precedentes do

STJ. (TRF4, APELREEX 2008.71.07.002587-6,

SEGUNDA TURMA, Relatora LUCIANE AMA-

RAL CORRÊA MÜNCH, D.E. 10/02/2010)

Inclusive há determinados Municípios,

a exemplo de Porto Alegre, que inseriu

na legislação municipal que uma vez optado

pelo Simples Nacional, esse será o “regime

tributário”, inclusive em relação a aplicação

das alíquotas.

LEI COMPLEMENTAR Nº 07/07/73

O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO

ALEGRE Faço saber que a Câmara Municipal

aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 19 - A. O contribuinte que aderir

ao Regime Especial Unificado de Arrecadação

de Tributos e Contribuições devidos pelas

Microempresas e Empresas de Pequeno

Porte - Simples Nacional - instituído pela Lei

Complementar Federal n° 123, de 14 de dezembro

de 2006, e alterações posteriores,

não poderá gozar de nenhuma isenção, redução

de base de cálculo ou qualquer outro

tipo de benefício fiscal disposto na legislação

deste Município referente ao ISSQN e

será tributado pela alíquota aplicável por

meio das regras da Lei Complementar Federal

instituidora do regime.

Ainda na Consulta 70/2012 da Receita

Federal do Brasil foi exarado entendimen-

19

to de que não há regime jurídico misto para

as empresas optantes do Simples Nacional.

SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 70 de

27/07/2012.

ASSUNTO: Contribuições Sociais Previdenciárias

EMENTA: CONTRIBUIÇÃO SUBSTITU-

TIVA. EMPRESAS OPTANTES PELO SIMPLES

NACIONAL. NÃO APLICAÇÃO.

1. Às empresas optantes pelo Simples

Nacional, cujos segmentos tenham sido

contemplados pelo art. 7º da Medida Provisória

nº 540, de 2011, e pelo art. 7º da Lei nº

12.546, de 22. Havendo interesse da pessoa

jurídica de recolher as contribuições na forma

do regime substitutivo, ela deverá solicitar

sua exclusão do Simples Nacional, considerando

que não é possível a utilização de

regime misto, com incidência, concomitante,

da Lei Complementar nº 123, de 2006, e das

normas que regulam o regime substitutivo

de desoneração da folha de pagamento.

Embora os Municípios estejam interpretando

a legislação ao seu favor e com

objetivo de aumentar a receita tributária, por

outro lado, a própria lei apresenta a solução

para essa discussão, quando o art. 21, § 4º

da Lei Complementar nº 123/2006 determina

que os Municípios estão impedidos de impor

às seguradoras a obrigação de realizem

a retenção na fonte do ISS incidente sobre

a prestação dos serviços de corretagem de

seguro, conforme abaixo descrito:

Lei Complementar nº 123/2006:

Art. 21. Os tributos devidos, apurados

na forma dos arts. 18 a 20 desta Lei

Complementar, deverão ser pagos:

§ 4º A retenção na fonte de ISS das

microempresas ou das empresas de pequeno

porte optantes pelo Simples Nacional

somente será permitida se observado

o disposto no art. 3o da Lei Complementar

no 116/2003, e deverá observar as seguintes

normas:

Com efeito, a retenção na fonte

quanto as empresas do Simples Nacional,

conforme se verifica da norma supra descrita,

somente pode ser atribuída nas hipóteses

previstas no art. 3º da Lei Complementar

nº 116/2003, pois esse foi o critério utilizado

pela lei. Assim, nesse artigo, estão elencados

os itens da lista de serviço em que,

por convenção legal, o ISS incide no local

da execução do serviço, isso para os casos,

por exemplo, em que a empresa tenha sede

administrativa em Cascavel, mas presta serviço

em Londrina.

O ponto essencial é compreen-


Artigo Jurídico

der que no art. 3º da Lei Complementar nº

116/2003 não foi relacionado o item 10.01 da

lista de serviços, ou seja, o serviço de corretagem

de seguros, logo o ISS é devido no

local da sede administrativa e não no local

da prestação do serviço. Assim, em se tratando

de empresas enquadradas no Simples

Nacional e prestadoras dos serviços de

corretagem de seguros, a lei municipal não

pode instituir regra de retenção na fonte,

sob pena de violação da regra geral prevista

no art. 146, II da Constituição Federal e o art.

21, § 4º da Lei Complementar nº 123/2006,

bem como o art. 3º da Lei Complementar nº

116/2003.

Ora, a lei municipal não flutua fora

no Sistema Tributário Nacional, muito pelo

contrário, precisa estar inserido nele e por

isso deve respeitar as regras gerais instituídas

pelo Congresso Nacional.

Ainda cabe alertar quanto a interpretação

adequada do art. 21 da LC nº

123/2006, pois não é possível que dele se

extraia o entendimento de que todo o contribuinte

deve informar a alíquota na nota

fiscal, sob pena do tomador se tornar obrigado

a efetuar a retenção. Portanto, repare

que o art. 21 obriga que a alíquota seja informada

na nota fiscal, mas apenas naquelas

hipóteses em que se aplica a retenção, ou

seja, quando forem prestados os serviços

descritos no art. 3º da Lei Complementar nº

116/2003, conforme determina o art. 21, § 4º

da LC nº 123/2006.

Lei Complementar nº 123/2006:

Art. 21 Os tributos devidos, apurados

na forma dos arts. 18 a 20 desta Lei Complementar,

deverão ser pagos.

§ 4º A retenção na fonte de ISS das

microempresas ou das empresas de pequeno

porte optantes pelo Simples Nacional

somente será permitida se observado

o disposto no art. 3o da Lei Complementar

no 116/2003, e deverá observar as seguintes

normas:

Com o objetivo de fazer um paralelo

com o regime jurídico aplicado ao serviço de

corretagem de seguro, cumpre esclarecer

que a LC nº 123/2006 afastou a retenção

na fonte do ISS para as sociedades de profissionais

que estejam concomitantemente

enquadradas no regime do ISS-Fixo e no

Simples Nacional, ou seja, as sociedades de

contadores, conforme segue abaixo:

Lei Complementar nº 123/2006:

Art. 21 Os tributos devidos, apurados

na forma dos arts. 18 a 20 desta Lei Complementar,

deverão ser pagos.

IV – na hipótese de a microempresa

ou empresa de pequeno porte estar sujeita

à tributação do ISS no Simples Nacional por

valores fixos mensais, não caberá a retenção

a que se refere o caput deste parágrafo.

Com efeito, nesse caso, aqui a lei

municipal também não está autorizada a

instituir a retenção na fonte para sociedades

de profissionais optantes pelo Simples Nacional,

pois prevalece a regra geral prevista

na Lei Complementar nº 123/2006.

Assim, segundo a regra do § 4º, do

art. 21 da Lei Complementar nº 123/2006,

não cabe a retenção na fonte para os serviços

prestados por corretoras de seguro, ainda

que a legislação municipal preveja regra

diversa e o serviço seja executado em seu

território, cabendo a cada contribuinte realizar

diretamente o recolhimento do Imposto

Sobre Serviços em DAS – Documento de Arrecadação

Municipal seguindo o art. 39 da

Resolução nº 94/2011 do CGSN, segundo as

regras estabelecidas na Lei Complementar

nº 123/2006.

Quanto as corretoras de seguro não

enquadradas no regime do Simples Nacional,

evidentemente que o Município poderá

atribuir na legislação municipal a retenção,

segundo a alíquota prevista na legislação

municipal, visto que nesse caso não se aplica

a Lei Complementar nº 123/2006.

E para encerrar, importante comentar

que a Lei Complementar nº 155/2016,

alterou a regra de apuração da alíquota do

ISS devido pelas corretoras de seguro, pois

a partir de agora ficou muito mais complexa

essa tarefa. Segundo a nova lei, o valor

devido mensalmente pela microempresa

ou empresa de pequeno porte optante pelo

Simples Nacional será determinado mediante

aplicação das “alíquotas efetivas”,

calculadas a partir das “alíquotas nominais”

constantes das tabelas dos Anexos I a V sobre

a base de cálculo.

Para efeito de determinação da “alíquota

nominal”, deverá ser utilizada a receita

bruta acumulada nos doze meses anteriores

ao do período de apuração. E para

encontrar a “alíquota efetiva”, que será utilizada

para determinar os valores devidos,

segundo formula prevista na lei.

Assim, a partir dessa nova sistemática,

trazida pela LC nº 155/2016, se tornou

mais complexo para as seguradoras apurar

a alíquota incidente sobre a prestação do

serviço de corretagem de seguro, visto que

essa pode variar para cada contribuinte, provocando

inclusive eventualmente erros no

recolhimento do imposto, além de aumentar

o custo dos tomadores do serviço que inclusive

necessitarão de novos instrumentos de

controles específicos quanto a receita bruta

nos doze últimos meses de cada corretora.

Desse modo, se num primeiro momento

a retenção mostrava-se um instrumento

de simplificação da arrecadação,

a partir da vigência da LC nº 155/2016, se

prevalecer o entendimento de que as seguradoras

devem reter o ISS devido pelas

corretoras de seguro optantes pelo Simples

Nacional, certamente poderá trazer ainda

mais complexidade e menos racionalidade

a arrecadação do imposto municipal.

Por fim, dada a parceria com o Sincor-PR,

ficamos à disposição dos corretores

de seguro filiados ao sindicato para esclarecimentos

por e-mail (lirani@marinsdesouza.

adv.br) de qualquer questão tributária afeta

aos tributos municipais, estaduais e federais.

Juliano Lirani é advogado atuante em Curitiba, especialista e mestre em Direito Tributário pela

Unibrasil, ex-conselheiro do CARF em Brasília, ex-conselheiro do Conselho de Contribuintes

do Estado do Paraná e ex-conselheiro do Conselho de Contribuintes do Município de Curitiba.

20


Debate & Opinião

Marca é medo

Como diz, com rara sabedoria, o

consultor francês Georges Chetochine,

o grande capital das empresas no século

XXI será a marca. Marca, como o próprio

nome diz é a imagem impressa, marcada

na cabeça de um consumidor sobre tal e

qual produto ou serviço.

Quanto vale uma marca?

O valor de uma marca é medido pelo quanto

ela é capaz de sustentar o preço de um produto ou serviço

frente a uma marca concorrente. Ou seja, quanto

o consumidor está disposto a pagar a mais para adquirir

aquela marca.

Por que uma pessoa opta por uma marca e não

por outra?

A resposta é medo!

Você compra uma marca de televisor e não

outra porque você tem medo que a outra não tenha

a qualidade da primeira, ou não ofereça a assistência

técnica ou que seja mais frágil, ou qualquer outro

medo.

Você compra um iogurte de uma marca conhecida

e não de uma marca própria de um supermercado,

porque você tem medo que a marca própria não

tenha a qualidade da marca conhecida ou qualquer

outro medo.

Você compra uma marca de veículo e não outra

porque tem medo que a outra marca não tenha uma

rede disponível de assistência técnica, etc. Você vai a

um restaurante e não em outro porque tem medo que

a refeição do outro seja de pior qualidade, mais cara,

não tenha estacionamento ou qualquer outro medo.

E o medo vale até para o status. Você usa uma

griffe de roupa e não outra porque tem medo que

achem você pobre ou brega se usar uma roupa sem

griffe. Da mesma forma você usa um relógio de marca

famosa porque tem medo que pensem que você é desatualizado

ou fora de moda por usar marcas simples.

Sempre há um medo por trás da decisão por

uma marca!

Assim, a primeira coisa que uma empresa tem

que fazer é uma análise profunda e séria dos possíveis

medos que seus clientes ou prospects podem ter em

relação à sua marca ou à sua empresa.

Por que os clientes poderiam optar por marcas

concorrentes? Quais os medos que sua marca deixa

na cabeça de um cliente? Será o preço? Qualidade?

Localização? Assistência pós-venda?

Esse exercício é fundamental e deve ser baseado

em alguma pesquisa qualitativa, mesmo que seja a

mais informal possível.

A mesma realidade ocorre com a nossa “marca

pessoal”. Quais medos as pessoas podem ter de nossa

“marca”, de nossa pessoa?

Só descobrindo os medos é que poderemos

atuar para tirar das pessoas o medo de nossa marca.

∙ Uma das formas de combater o medo é justamente

reforçar o não-medo, ou seja, reforçar o oposto

do medo no sentido positivo.

∙ Assim, mostrar que seu produto é robusto e

forte pode ser usado para combater o medo da fragilidade

ou de uma assistência técnica precária.

∙ As chamadas “minorias” são um componente

importante do mercado. Essas minorias são, muitas

vezes, vítimas de medos em relação a marcas e

empresas. Assim, negros podem ter medo de ir a um

restaurante mais fino e serem discriminados. Homossexuais

podem ter medo de ir a um bar e igualmente

serem discriminados, etc.

∙ Tire o medo que seu mercado possa ter de

você e de sua marca!

Pense nisso. Sucesso!

Luiz Marins

é antropólogo e palestrante.

21


Mercado

Recadastramento PJ continua suspenso

A Susep ainda não divulgou

uma data de início para o recadastramento

Pessoa Jurídica,

suspenso no final do mês de fevereiro.

O recadastramento teria

início no dia 1º de março e seria

encerrado em 30 de agosto.

Segundo o superintendente da Susep,

Joaquim Mendanha, a medida decorreu

da necessidade de ajustes no sistema,

que até o momento ainda não foram concluídos.

“O sistema atual é ruim. Estamos

concluindo um sistema totalmente novo e

definitivo para os Corretores de Seguros”,

A Escola Nacional de Seguros comunica que, desde o

dia 15 de março, tem novo endereço na web. O domínio do site

institucional passou a ser ens.edu.br.

Conheça os motivos da mudança:

ens – iniciais de Escola Nacional de Seguros. Segundo a Escola,

traz transparência e facilita a compreensão de todos sobre

a atividade fim da instituição. A sigla Funenseg não está mais

presente na nova logomarca e não será mais utilizada;

edu – extensão de domínio exclusiva para instituições de ensino,

como é o caso da Escola;

disse.

O superintendente acrescentou que

esse sistema novo, além do recadastramento,

vai fazer registro de novas empresas e

alterações. “É algo atualizado e de acordo

com o que a categoria precisa. Como não

ficou pronto, decidimos não usar sistema

antigo para não ocorrer tantos problemas

quanto foi verificado no caso dos corretores

de seguros pessoas físicas”, observou Mendanha.

PESSOA FÍSICA - Semanalmente, o

Ibracor, braço da Susep nesse processo de

recadastramento, tem informado novos números

dos processos de recadastramento

Escola Nacional de Seguros utiliza novo domínio na internet

White Consultoria em Seguros

Corretores de Seguros e Empresários

Houve sinistro?

Atendemos a todos os ramos de seguros:

Nacionais, Internacionais, Vida, Automóveis,

Transporte, Garantia, Prestamistas etc.

pessoa física, cujo prazo já foi encerrado.

Veja no quadro abaixo os números

mais recentes:

Os últimos dados do recadastramento

dos Corretores de Seguros, atualizados

em 5 de março, são:

Deferidos: 36.248

Não finalizados: 1.262

Em exigência preliminar e revisão segunda

exigência: 7.801

Aguardando análise preliminar (Ibracor): 57

Aguardando análise (Susep): 2.229

Em análise (Susep): 471

Indeferidos: 2.858

Total: 50.926

br – A Escola é uma instituição brasileira.

Para acessar o novo site acesse www.ens.edu.br

Nós o auxiliaremos em processos de sinistros.

Processo administrativo junto à SUSEP.

Departamento Jurídico com 20 advogados.

Helio Rodrigues de Oliveira

Ex-Delegado da SUSEP Paraná

Economista com pós-graduação em Administração

Financeira pela FAE | CRE nº 5772

Consulte nosso site: www.whiteconsultoria.com.br

E-mail contato@whiteconsultoria.com.br | helio@whiteconsultoria.com.br

Avenida Marechal Deodoro, 51, conjunto 410 - Centro - Curitiba - PR - CEP 80020-310

(41) 3224-5328/3019-3224/3225-5331.

22


Benefícios

Faça cursos de PNL, Coaching e

Constelação Sistêmica Familiar

Agora é possível você fazer cursos de Programação Neurolinguística

(PNL), Coaching e Constelação Sistêmica Familiar. O

Sincor-PR firmou parceria com a PAN Desenvolvimento Curitiba,

que atua na área de desenvolvimento de pessoas e empresas.

A PAN prioriza em seus programas, projetos e ações, o desenvolvimento

do potencial humano, capacitando e estimulando

com fundamentações científicas e práticas, os pilares de poderes

para uma vida mais saudável e feliz.

A empresa é dirigida pela trainer, master coach e consultora

Alda Colombo, que conta com mais de 30 anos de atuação

nas áreas de capacitação e treinamento, consultoria e gestão.

Atende organizações de grande porte para a elaboração de estratégias

de aprendizagem e formatação de soluções.

É especialista em Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas.

Ministra cursos e palestras. Desenvolve e executa programas

e treinamentos dirigidos a executivos, empresários e líderes

em geral.

Veja um dos principais produtos da PAN, o curso de

Programação Neurolinguística (PNL).

Saiba como a PNL pode ajudar você!

Você deve estar se perguntando: o que a PNL pode

fazer por mim?

A PNL é procurada por muitos executivos, administradores,

consultores para desenvolver seu poder de influência,

mas esta ferramenta tem muito mais a oferecer.

É uma ferramenta extremamente poderosa e usada

para melhorar o autodesenvolvimento e a transformação

pessoal e profissional.

A mente inconsciente é uma parte poderosa de você.

É onde seus pensamentos, seus comportamentos, o seu pensamento,

suas memórias, seus hábitos ... todo o seu modelo

de mundo vive a partir deste lugar mágico e místico!

O inconsciente contém cada detalhe de tudo que você

já viu, fez, ouviu, sentiu, provou. Não é incrível?

A PNL é extremamente eficaz, porque ao invés de

apenas usar habilidades de questionamento para que você

consiga identificar ou clarificar algo, outras técnicas podem

ser usadas para ajudar a mudar o comportamento, seus pensamentos

e suas emoções. Isto permite-lhe ser libertado(a)

das memórias negativas, pensamentos ou sentimentos que

o estão puxando para trás e impedindo o seu progresso em

determinado contexto.

Como a PNL pode me ajudar?

Você deseja mudar algum hábito ou comportamento?

Você procrastina constantemente quando você precisa completar

um projeto ou prazo?

Você quer melhorar seu controle emocional?

Você quer pensar mais positivamente?

Você quer desenvolver seu poder pessoal?

Você deseja melhorar as suas relações pessoais ou profissionais?

Você quer se conhecer mais e buscar soluções com base no

que faz sentido para você?

Você deseja superar limitações nas forma de agir sentir e

pensar?

Você é vendedor e deseja obter mais vendas?

Você deseja desenvolver seu poder de influenciar positivamente

as pessoas?

Você quer aprender a lidar melhor com pessoas que julga

difíceis?

Você quer melhorar sua liderança e sua comunicação?

Você quer administrar melhor conflitos?

Você deseja mais ferramentas para desenvolver pessoas?

Estes são apenas alguns exemplos de como a PNL

pode ajudá-lo. Lembrando que estas ferramentas podem ser

utilizadas tanto no ambiente pessoal quanto no profissional,

na identificação de padrões de comportamentos, comunicação

e Gestão de Pessoas.

A PNL pode ser aplicada a praticamente qualquer coisa

que você quer melhorar.

A PAN atende empresas de todo o Paraná e está localizada na Rua Domingos Gulin, 380, no bairro de Santa Felicidade, em

Curitiba. Os telefones para você entrar em contato são (41) 99738-5214 ou (41) 3095-0506 / (41) 3121-0707. Ou pelo e-mail

contato@pandesenvolvimento.com.br . Acesse também o site da PAN pelo www.pandesenvolvimento.com.br

23


Benefícios

Veja os convênios que o Sincor-PR

oferece a seus associados

Academia Curves - A maior

rede de academias para mulheres

do Brasil possui um método inovador

e exclusivo para deixar o

público feminino em forma. Com

a missão de oferecer, em um único

lugar, atividade física de qualidade,

informação nutricional, atendimento

personalizado e muita

motivação, e tudo isso com preços acessíveis, a Curves já ajudou

milhões de mulheres a transformarem em realidade o sonho de

um corpo em forma e saudável. E agora possui parceria com o

Sincor-PR. Informe-se!

Desconto em pós na UP -

Os associados têm direito a 10%

de desconto nas mensalidades de

cursos superiores de tecnologia,

cursos de especialização (Lato

Sensu) e cursos de extensão na

Universidade Positivo (UP). Os cursos superiores são realizados

nas unidades de Curitiba. Alguns cursos na modalidade educação

a distância também estão incluídos no benefício, e Corretores

de Seguros do interior do estado também podem aproveitar

a oportunidade de se aperfeiçoar com novos conhecimentos.

Plano de Previdência - O

Sincor-PR celebrou convênio com

a Mapfre Seguros para oferecer,

aos Corretores de Seguros associados,

um plano de Previdência

Privada com diferenciais atrativos

para os profissionais. O valor para

investimento é partir de R$ 100

mensais e pode ser agregado cônjuge

e filhos.

Matfin Cursos Empresariais

- A parceria permitirá aos associados

obter 10% de desconto na

realização de cursos presenciais

e in company. Os interessados

poderão se atualizar nas áreas

financeira e comercial. A Matfin

também disponibiliza cursos de

Excel e Power Point. Os cursos presenciais

são realizados em Curitiba.

A realização de cursos no interior do estado será negociada

conforme a demanda de interessados.

Seguro Centauro Plus - O

Seguro Centauro Plus, que já é

ofertado há algum tempo, passa

a oferecer uma nova cobertura:

Risco Cirúrgico. A novidade é

uma cobertura adicional de Risco

Cirúrgico que garante o pagamento

de uma indenização única

ao segurado titular, independente

dos gastos efetuados, caso o

mesmo seja submetido a um dos procedimentos cirúrgicos cobertos

e sua ocorrência tenha sido decorrente de enfermidade

diagnosticada após o período de carência. São mais de 700 cirurgias

com níveis de indenizações que variam de acordo com o

porte do procedimento, sendo que o capital base é de R$ 10 mil

a R$ 50 mil. Não deixe de se informar sobre outras coberturas.

Planos de Saúde - Bradesco-FENACOR

- Por meio de

um sistema administrado pela

Extramed a Bradesco-FENACOR

oferta oito opções diferenciadas

de assistência aos Corretores de

Seguros vinculados ao Sincor-PR

e a FENACOR em todo o Paraná.

Os profissionais têm vantagens

exclusivas, como reembolso de despesas, atendimento sem burocracia

e isenção da taxa de cadastro. O plano conta com 37

mil prestadores de serviços na área médica, em 1.400 cidades

de todo o país. Os Corretores de Seguros de Curitiba e região

metropolitana podem solicitar a visita de um representante

para o suporte necessário. Os profissionais de outras localidades

do estado serão atendidos por telefone.

Seguro RC Profissional

- O Sincor-PR oferece a possibilidade

de o Corretor de Seguros

fazer um Seguro RC Profissional,

com a seguradora Berkley. As

vantagens são muitas. O segurado

pode ser pessoa jurídica ou

física. As coberturas envolvem

danos materiais, corporais e morais,

extravio, furto ou roubo de

documentos de clientes, entre

outras. Consulte o setor de Benefícios e informe-se a respeito

das condições de cada uma das duas seguradoras que oferecem

o serviço.

24


Benefícios

Plano de Saúde Unimed

- O Plano de Saúde Empresarial

da Unimed Curitiba

tem abrangência nacional e

conta com a qualidade e os

diferenciais da operadora, em

condições e preços especiais

aos Corretores de Seguros associados

ao Sincor-PR. Os interessados podem migrar de qualquer

outro plano de saúde da prestadora sem a necessidade do

cumprimento de carências. A estrutura da Unimed Curitiba garante

atendimento em território nacional, utilização desburocratizada,

quatro mil médicos cooperados, 88 laboratórios, 56 hospitais

e 220 clínicas, entre diversas outras comodidades. Podem aderir

ao plano Corretores de Seguros com vínculo associativo com o

Sincor-PR e seus dependentes.

O Sincor-PR oferece aos seus associados o plano odontológico

DentalUni. A parceria com o Sincor contempla os associados

Pessoa Física e Pessoa Jurídica, com valores diferenciados

(até 40% de desconto no PF e 20% no PJ). Sendo R$ 15,90 (por

pessoa) para o Corretor PJ e R$ 21,90 (por pessoa) no individual/

familiar. O Plano é o Avançado (Rol da ANS ampliado) com 213

procedimentos (consultas, radiografias, restaurações, tratamento

de canal, cirurgia, entre outros). A contratação é realizada por

meio da plataforma comercial Vitalmed, pelo telefone (41) 3512-

5969.

Nos meses de junho e julho

o mundo irá respirar a Copa

do Mundo. Então, preparamos

algumas curiosidades sobre

este que é o maior campeonato

mundial de futebol. Confira:

1. A Fifa, Federação Internacional de Futebol

e Associação, possui 213 países afiliados,

mas apenas 76 delas conseguiram

participar de uma Copa do Mundo;

2. Das seleções que participam da Copa do

Mundo, apenas oito delas conseguiram ser

campeãs do mundo;

3. O Brasil é o maior vencedor das Copas

do Mundo, com cinco títulos;

4. Todos os campeões do mundo têm o seu

nome gravado no troféu;

5. A primeira Copa do Mundo foi realizada

no Uruguai, com os próprios se tornando

campeões do mundo;

6. A Copa do Mundo é um evento que ocorre,

initerruptamente, de 4 em 4 anos. A

única vez que não aconteceu foi durante o

período das guerras mundiais;

7. Brasil é o único país a participar de todas

as edições da Copa do Mundo;

8. A maior goleada registrada numa partida

de Copa do Mundo foi: Hungria 10 x 1 El Salvador,

em 1982;

9. O gol mais rápido das Copas do mundo

foi marcado por Sukür, da Turquia, ao 11 segundos

do jogo Turquia x Coréia do Sul, em

2002;

10. O maior artilheiro de uma edição de

Copa do Mundo foi Just Fontaine, da França,

com 13 gols, em 1958;

11. O único jogador a marcar gols em todas

as partidas numa mesma edição de Copa

do Mundo foi Jairzinho, em 1970, pelo Brasil;

12. O jogador que mais jogos fez em partidas

de Copa do Mundo foi Lotthar Mathaus,

da Alemanha, com 25 partidas;

13. Essa é a primeira vez que a Copa será

disputada na Rússia;

25

Entretenimento

Veja algumas curiosidades sobre a Copa do Mundo

14. Somente países da América do Sul e da

Europa ganharam a Copa do Mundo;

15. O único país que jogou a Copa do Mundo

e não sofreu gol na edição foi a Suíça,

em 2006;

16. O Brasil é o país que teve mais jogadores

expulsos: 11;

17. A Copa do Mundo de 1930, no Uruguai,

foi a única que não teve eliminatórias;

18. A copa do Mundo da França, em 1998,

foi a edição que mais teve gols marcados:

171;

19. A Alemanha é o país que mais disputou

finais de Copa do Mundo;

20. Os horários de seis jogos da Copa da

Rússia foram alterados para combinar melhor

com o fuso horário dos países envolvidos;

21. O goleiro que passou mais tempo sem

levar gols numa edição de Copa do Mundo

foi Walter Zenga, da Itália, com 517 minutos,

em 1990;

22. O jogador que mais venceu Copa do

Mundo foi Pelé, com três conquistas: 1958,

1920 e 1970;

23. A partida com mais gols foi: Áustria 7 x

5 Suíça, em 1954.

24. Em 1930, na Copa do Uruguai, o jogador

uruguaio Héctor Castro não tinha uma das

mãos. Ele recebeu o apelido de “o divino

manco”. Vale lembrar que o time nacional

do Uruguai ganhou essa edição da Copa

do Mundo.


Saúde & Bem-Estar

Saiba como se prevenir das perigosas

doenças do inverno

Já estamos no outono e

o inverno, a estação mais fria

do ano, está chegando! É nesta

época que a saúde registra

maiores problemas a crianças,

adultos e idosos. O inverno e

sua queda brusca de temperatura

faz com que nosso organismo

fique mais propenso a uma

série de problemas devido à

baixa imunidade que também é

provocada pelo frio.

Em crianças e idosos

as consequências são

mais preocupantes devido

à sensibilidade desse público,

que quase sempre

é maioria em consultórios

médicos e hospitais com

sintomas de doenças crônicas

que se intensificam

nesse período mais seco.

Para entender os

motivos que levam milhares

de pessoas a ficar doentes

é preciso primeiro

entender porque o inverno

traz tantos problemas ao

corpo humano. Para começar,

a baixa umidade do ar desidrata as

células, principalmente das mucosas e da

pele, ressecando olhos e nariz.

Além disso, a poluição do ar potencializa

esses sintomas. Aliados à baixa

umidade do ar, o resfriamento, a ventilação

reduzida, a concentração de pessoas

em lugares fechados e o contato com

ácaros de roupas, cobertores e itens que

estavam guardados por tempos causam

inúmeras doenças respiratórias.

Em 90% dos casos as infecções

respiratórias são causadas por vírus e bactérias,

mas os ácaros também são grandes

vilões e podem ocasionar diversas reações

alérgicas.

Fique ligado: Procure um médico

ao perceber qualquer sintoma

As doenças respiratórias são aquelas

que atingem nariz, boca, garganta,

faringe, laringe, traqueia e pulmões. Esse

conjunto de órgãos é considerado um dos

aparelhos mais sensíveis do corpo humano.

De acordo com o Ministério da Saúde,

cerca de 44 mil brasileiros morreram em

2017 por doenças respiratórias.

Mesmo identificando os sintomas,

muitas pessoas acabam adiando uma visita

ao médico devido aos obstáculos muitas

vezes encontrados na hora de marcar

uma consulta. Seja por se deparar com a

indisponibilidade de médicos de imediato

ou por encontrar consultórios lotados,

muitos pacientes acabando deixando pra

depois, o que pode agravar o problema.

Uma forma de driblar esse problema, é recorrendo

às plataformas online de agendamento.

Com poucos cliques e sem sair

de casa, sites e Apps aproximam médicos

e pacientes, garantindo comodidade na

hora de marcar as consultas..

Veja aqui as principais doenças

respiratórias e seus riscos:

Pneumonia: Causada por bactérias,

vírus ou fungos, a pneumonia é a infecção

aguda dos pulmões e surge após

gripes mal curadas ou crises mais fortes

de bronquite. Dores torácicas ao respirar,

cansaço e moleza são alguns sintomas da

doença que, se não tratada, pode levar a

óbito.

Alergias: As alergias são causadas

por inúmero fatores, como odores, poeira,

mofo, etc. Alérgicos podem sentir coceira,

tosse, espirro e irritação dos olhos. O

tratamento é diferenciado para cada paciente.

Deve ser feita uma análise para

averiguar o elemento que causa a doença

e assim tratá-la.

Asma: Doença que causa inflamação

dos pulmões e das vias aéreas. Chiado

no peito, falta de ar e tosse são sintomas

dessa doença que no frio costuma se

agravar.

Rinite: Uma das doenças

mais comuns existentes,

a rinite causa espirros

contínuos, entupimento

do nariz, coriza e coceira.

Ambientes com sujeira ou

ácaros fazem com que a

doença seja ativada com

mais frequência. Medicamentos

e vacinas podem

ser uma forma eficaz de

tratamento.

Sinusite: Muito comum

no inverno, a sinusite

causa dores nos olhos, nariz

entupido, inchaço nas pálpebras, dores

no nariz e próximo as maçãs do rosto e,

em alguns casos, sangramento nasal. Esses

sintomas acontecem devido à inflamação

dos chamados seios nasais, que são

as cavidades do crânio em torno do nariz.

O frio e o vento são inimigos da sinusite,

que pode ser tratada com a procura de um

médico especialista.

Gripe: A mais comum dentre as

doenças do inverno, a gripe pode vir de

diversas maneiras e tipos. A gripe chamada

de “comum” é causada pelo vírus

Influenza e causa febre alta, dores no corpo,

coriza, dores na garganta e espirros,

se assemelhando a um resfriado. Se não

tratada de forma adequada a gripe pode

evoluir e trazer complicações.

26


Anuncie na Revista Crescimento Seguro

Se você está vendo,

muitos também verão!

Há diversos tamanhos de anúncios disponíveis.

Solicite mais informações pelo e-mail

comunicacao@sincor-pr.org.br ou telefone/whats (41) 99844-3677.

27


A SUA ESCOLA AGORA É...

Um domínio que traduz de forma imediata a atividade de uma instituição de ensino: ens.edu.br

Esse é o novo endereço da Escola Nacional de Seguros na internet!

O domínio mudou, mas o site continua o mesmo: responsivo, rápido para navegar e com todas as

informações para quem busca formação e capacitação em seguros.

Acesse e guarde nosso novo endereço entre os seus favoritos!

28

More magazines by this user
Similar magazines