O Lavrador das Lavras Vazias

VitorCorleoneBH

Livro de poesias escrito em 2006 na cidade mineira de Lavras, retratando as dificuldades intrínsecas a uma nova realidade do serviço público na polícia. A solidão espiritual e a certeza de que muitas vezes na vida o ouro que se procura vem manchado de sangue e sofrimento. Às vezes uma oportunidade não é mais que uma desilusão.

Vinho

Vê, que o vinho me fez insídia...

Devolveu-me à lembrança meu peditório

Fez minha boca regurgitar poemas antigos

Meus atos serem reprovados pela teleologia

Vê, que o vinho me fez injúria...

Pensamentos perdidos revoar em coração cheio de nada

Pensar que o sofrimento não é recidivo

E por um momento as palavras cheias de prazer

Vê, que o vinho me fez incúria;

O meu corpo repleto de vigor

Tirou dos meus olhos a policromia

Retirou a lucidez e me levou ao fundo do poço

Vê que o vinho não teve piedade

Dores passadas me debelaram

Grilhão de meu infortúnio me enclausurou

Rastejar perante minha face no espelho

Vê, o vinho fez de mim um escravo

15/04/2001

14

More magazines by this user