O Lavrador das Lavras Vazias

VitorCorleoneBH

Livro de poesias escrito em 2006 na cidade mineira de Lavras, retratando as dificuldades intrínsecas a uma nova realidade do serviço público na polícia. A solidão espiritual e a certeza de que muitas vezes na vida o ouro que se procura vem manchado de sangue e sofrimento. Às vezes uma oportunidade não é mais que uma desilusão.

Vida vazia

Se não vem o pranto

Vai-se o riso

Uma gota de encanto

Forma um paraíso

Se não murcha a rosa

Floresce a dor

A vida é chorosa

Carente de amor

A figura de morte

Afoga a vida

E acaba, perdida...

Seca e sem sorte

Se não vai juventude

A velhice vem

O tempo ilude

E mata também

Se não vem a fome

Vai-se a fartura

A dor consome

Os prazeres da cura

Se não vem a fúria

Vai-se a paz

Extrema penúria

Alegria jaz

Se não vem vingança

Vai-se o perdão

Adeus esperança

Como vai solidão

Se não vem saudade

Vai-se o costume

Não há piedade

Só medo e ciúme

Sem forças, mudo

Sem ter alegria

É um homem no escuro

É uma vida vazia

22/05/2001

17

More magazines by this user