O Lavrador das Lavras Vazias

VitorCorleoneBH

Livro de poesias escrito em 2006 na cidade mineira de Lavras, retratando as dificuldades intrínsecas a uma nova realidade do serviço público na polícia. A solidão espiritual e a certeza de que muitas vezes na vida o ouro que se procura vem manchado de sangue e sofrimento. Às vezes uma oportunidade não é mais que uma desilusão.

A bailarina

Num arranjo divino a estrela sob os olhos do público

Graciosamente

Desenvolve passo a passo sua arte

O seu encanto

É a bailarina

Ela me faz gostar de coisas que jamais gostei

Ela me faz pensar em coisas que jamais pensei

Despertou os sonhos que não eu já nem sonhava

E puderam acordar de tão profundo sono dentro de mim

É como se a gravidade se ajoelhasse aos seus pés

A bailarina voa graciosamente

É como se o vento a carregasse

Só que exageradamente pra longe, pra muito longe

Sua alma suspira paz e tranqüilidade

Só lhe faltam asas – é um anjo

Voando sobre o palco de um lado a outro

Encantando nossos olhos que não se cansam

De admirar a bailarina

Que perfeição

Quanta paz ela proporciona

Quem dera que ela bailasse

Com tanta magia e sutileza só para mim - seria belo

Mas a bailarina é um anjo

E como todo anjo, não voa em um canto só

O seu brilho é intenso – minha alma suspira

Quando acaba o espetáculo fico ansioso

Para ver novamente a bailarina

Que consegue com sua tranqüilidade brilhar mais que uma estrela

Ela brilha mais do que uma estrela

29/12/2002

25

More magazines by this user