O Lavrador das Lavras Vazias

VitorCorleoneBH

Livro de poesias escrito em 2006 na cidade mineira de Lavras, retratando as dificuldades intrínsecas a uma nova realidade do serviço público na polícia. A solidão espiritual e a certeza de que muitas vezes na vida o ouro que se procura vem manchado de sangue e sofrimento. Às vezes uma oportunidade não é mais que uma desilusão.

Monotonia

Só se passaram dois

Ainda faltam muitos

Stress, exaustão, fadiga

Monotonia, fim de tarde

E eu preso à essa função

Regrada, complexa e numérica

Monotonia, um segundo mais

Ah! ‘Pasárgada’

Me espera que eu vou!

Movimentos inúteis

Palavras que nada dizem

Horas que não passam

Elas demoram a ir mas vão

Monotonia

Do meu lado e à minha frente

Um segundo mais

Meus olhos hipnotizados

Mórbidos somente contam

Parado no tempo

Monotonia

Olhando o ponteiro do relógio

18/05/2006

6

More magazines by this user
Similar magazines