O Lavrador das Lavras Vazias

VitorCorleoneBH

Livro de poesias escrito em 2006 na cidade mineira de Lavras, retratando as dificuldades intrínsecas a uma nova realidade do serviço público na polícia. A solidão espiritual e a certeza de que muitas vezes na vida o ouro que se procura vem manchado de sangue e sofrimento. Às vezes uma oportunidade não é mais que uma desilusão.

Amazona

Livre como as andorinhas

A amazona do campo

O perfume – um encanto

Que provoca o meu desejo

Os mais brilhantes cacheados

Os mais sorridentes e macios

Nos olhos a fonte de brilho

Perfumes que voam nos ares

Se a aurora vem tarde

Amazona acorda o dia

Com sua presença que radia emoção

A terra tem o cheiro dela

Os passos têm a maciez das nuvens

Pura como os passarinhos

Perfeita como flor que se abre

Marchando com o Manga-larga

Um corcel branco imponente

A presença dela é um alegre soneto

Cantilena, seu som ofegante

Que já fez versos em muitos corações

O alecrim saúda a sua passagem

Amazona morena

O corpo mais lindo do mundo

Os lábios mais perfeitos

Cor e perfume do campo

Dona de muitos corações

E do coração que a ninguém pertence

07/08/2001

8

More magazines by this user