REVISTA MEU AMIGO PET VI - AGO / SET DE 2018

adilson1951

Revista virtual grátis sobre animais de estimação

Meu Amigo

PET

ago/set 2018

Ano II - nº 06

Versão virtual

ANIMAIS EXÓTICOS

Coruja

COMPORTAMENTO

Após passar três anos esperando por tutor falecido,

cachorro morre em pátio de hospital

Jacqueline Albrecht

CONTO - CLÁUDIA REIS

Pitoko, um simpático Beagle Harrier

POODLE MICRO TOY

Origem - característica - e cuidados especiais


ANIMAIS EXÓTICOS

Poodle Micro Toy: Origem - características - e cuidados especiais

8 alimentos que seu cachorro NUNCA pode comer

COMPORTAMENTO

CONTO - CLÁUDIA REIS

Cinomose

POODLE MICRO TOY

Nossa capa

Jacqueline da Cruz Albrecht

Carazinho - RS

EXPEDIENTE:

Edição Virtual nº 6 - Ano 2

Agosto e Setembro de 2018

Editor: Adilson Gonzaga Teodoro

Colaboradora: Cláudia Reis

Vendas: (48) 9.9920-0951

E-mail: revistameuamigopet@gmail.com

Site: revistameuamigopet.wixsite.com/pets

Facebook:

Fanpage: revistameuamigopet

Grupo: groups/1862546873958192


Jessy Winchester

Natal - RN

Aninha

Daise Espírito Santo

São José - SC

Lana

4

MEU AMIGO PET

Revista Virtual

Lucia H. Góes e

Pedro Góes

Belém - PA

Eufrates

Simone B. R. Fortunato

Florianóplis - SC

Beatriz e Nina


Groomer Mylena Salomé

Axel - Bichon Frisé - 4 anos

Best in Show

LINDINHA Concurso COM DODOI Groom Brasil 2018

Campinas - SP

MEU AMIGO PET

Revista Virtual

5


MEU AMIGO PET

Revista Digital

TABELA DE PREÇOS

LOCAL

SITUAÇÃO

TAM. MM

VALOR

CAPA

Menção na

Capa, mais

uma Página

Inteira

200,0 x 265,0 mm

135,00

1 página

200,0 x 265,0 mm

85,00

1/2 página

190,0 x 125,0 mm

55,00

MIOLO

1/3 de página

1/4 de página

190,0 x 80,0 mm

190,0 x 60,0 mm

40,00

35,00

(48) 9 9920- 0951

Whatsapp

6

MEU AMIGO PET

Revista Virtual


Cinomose: o que é, quais são os sintomas e como tratar

Cinomose é uma doença que, geralmente, acomete cães filhotes, em seu primeiro ano de vida,

mas também pode acontecer em cães mais velhos que não tenham sido imunizados

anteriormente com vacinas próprias, ou que por alguma doença têm seu sistema imunológico

debilitado. Por isso, é importante acompanhar a saúde do seu cachorro desde os primeiros dias

de vida, aplicando a vermifugação corretamente e também a vacinação corretamente.

Felizmente, a cinomose não é uma zoonose, ou seja, não tem a capacidade de atingir seres

humanos, que podem interagir com animais doentes sem maiores preocupações.

No entanto, a situação muda de figura quando esta interação é entre os animais, já que um cão

doente pode transmitir a doença para um animal sadio de maneira quase imediata, por meio de

apenas um contato direto entre eles.

Para saber tudo sobre cinomose, continue lendo este texto.

O que é a cinomose?

A cinomose é sistêmica, ou seja,

pode atingir vários órgãos e atuar

em todo o organismo, além de

ser altamente contagiosa, por isso,

é importante tomar cuidado com

locais por onde passaram cães

com a doença recentemente. É

um vírus “invisível”, portanto, o

melhor jeito de prevenir é evitá-lo.

A cinomose é causada por um

vírus que sobrevive por muito

tempo em ambiente seco e frio, mas que é muito sensível ao calor, à luz solar e desinfetantes

comuns, sendo assim, dura em média três meses no ambiente após a retirada do portador

(cão doente).

É um vírus muito perigoso que, infelizmente, leva à morte muitos cães. Mas tenha atenção aos

sintomas, pois cinomose tem cura!

Quais são os sintomas da cinomose?

Observe sempre o comportamento do seu cachorro e em caso de qualquer sinal estranho,

procure médico veterinário! Observe alguns sintomas característicos da cinomose, como

estes: inicialmente, apresenta perda de apetite, corrimento ocular e nasal, diarreia e vômito,

depois, começa a ficar cambaleante (não anda em linha reta) e ter tiques nervosos,

convulsões e paralisias, além de dificuldade para respirar e febre, neste estágio, o vírus já

chegou ao sistema nervoso, ou seja, é a pior fase da doença.

A doença é grave e muitas vezes, cruel. Muitas pessoas

ficam com muita aflição e pena ao ver seu cãozinho

passando por tudo isso.

O ideal a se fazer é levar ao veterinário e seguir as

orientações, e acima de tudo, ser forte e firme para tentar

salvar a vida do cachorro doente.

MEU AMIGO PET

Revista Virtual

7


Cinomose tem cura! Continue lendo para saber como é o tratamento.

Qual é o tratamento para a cinomose?

Na verdade, um tratamento específico para a cinomose ainda está em fase de testes. O que

pode ser feito é a confirmação do vírus por meio de exames solicitados pelo veterinário do seu

cão. Não existe um remédio que acabe com o vírus diretamente. Quem terá que matar o vírus é

o próprio organismo do cachorro e, para isso, a medicação dada visa ajudá-lo nessa tarefa.

Cada fase da doença é tratada de uma maneira e sempre, de acordo com as condições físicas e

com o histórico do animal. Vitaminas, antibióticos, anticorpos prontos entre outros

medicamentos poderão ser administrados. Alguns terão que ser administrados pelo próprio

médico veterinário, por serem injetáveis.

Siga sempre as instruções do veterinário e o quanto antes identificar a doença, melhor!

Embora ela seja difícil, a cura para cinomose é possível. Depende muito da reação do animal,

do tipo de tratamento que ele tem antes de contrair a doença, entre outros fatores.

Por exemplo, um animal bem alimentado com uma boa ração é mais saudável e acaba tendo

mais força para lutar contra o vírus. Muitos dos que sobrevivem, ficam com sinais neurológicos,

que são espasmos no músculo ou dificuldade de andar. Nesses casos, o tratamento com

acupuntura pode ser um grande aliado para melhorar as sequelas.

Agora que você já viu como a cinomose é agressiva e perigosa, deve saber que o melhor jeito

é evitar que o seu cãozinho se contamine com o vírus, não é mesmo?

Prevenir é o melhor remédio!

O melhor jeito de evitar a cinomose é prevenindo e tomando muito cuidado com a saúde do

cãozinho.

Há vacinas que protegem os cães da cinomose e, no geral, com 45 dias de vida devem tomar a

primeira dose. Mais duas ou três doses são dadas enquanto filhote e depois disso, o reforço

anual é essencial.

Nunca aplique vacina sem que antes ele seja examinado

por um profissional veterinário!

Se o cachorro tiver outra doença, como uma verminose

grave por exemplo (que você pode nem ter notado) já

será suficiente para a vacina não ter o efeito esperado

e o cão continuar desprotegido.

E atenção: pessoas que tiveram um animal com

cinomose em casa não devem ter outro cão por 6

meses!

Cuidados como lavar todo o local com desinfetante,

para ajudar a diminuir a quantidade de vírus existente e não compartilhar os pratinhos,

paninhos e caminhas com outros cães são cuidados importantíssimos também!

Vacine seu cão anualmente e previna!

Outra forma de prevenir a cinomose é evitar que o seu cachorrinho fique na rua em contato com

8

MEU AMIGO PET

Revista Virtual


outros animais antes de receber as doses para evitar a infecção.

Cuide bem do seu amiguinho de 4 patas!

Fonte: http://blog.geracaopet.com.br/cinomose/

Lini Kassi

Canarana - MT

Pedrita

MEU AMIGO PET

Revista Virtual

9


Jacqueline C. Albrecht

Caràzinho - RS

Luna e Coca

Luna

30/06/2014

Shih tzu com Lhasa

10

Coca

08/11/2016

Shih tzu Tricolor

MEU AMIGO PET

Revista Virtual

Jacqueline C. Albrecht

Caràzinho - RS

Bella


13 ANIMAIS EXÓTICOS (POSSÍVEIS)

PARA TER EM CASA - PARTE VI

CORUJA

Importante! Vale lembrar que a maioria dos animais exóticos, precisam de autorização

do IBAMA, o que muitas vezes torna a adoção muito cara e complicada. Portanto,

paciência e riqueza!

Coruja: Um bom animal de estimação?

As corujas, por serem aves muito lindas e imponentes, atraem o desejo

de várias pessoas em tê-las como animal de estimação.

Ambiente

Para você ter uma coruja de estimação, primeiramente deverá ter muito espaço disponível para

ela, estima-se que para que ela tenha um pouco de conforto, você deverá ter um viveiro de

mínimo 6 metros quadrados e também uma boa altura, precisam de espaço suficiente para

bater cinco vezes as asas antes de pousar.

Comportamento

A coruja é um animal bastante dependente, se optar por ter uma, além do espaço ela exige

muita sua atenção e interatividade, se não receber a atenção e cuidados necessários, a coruja

poderá se tornar violenta. Ela somente será dócil com a pessoa que ela eleger como

companheira” dela, portanto, as demais pessoas da casa serão vistas como inimigas.

Alimentação

As corujas são carnívoras e

costumam se alimentar de

pequenos roedores e outros

animais vivos, ela leva um

certo tempo para aceitar ser

alimentada por um animal

abatido, portante terá que ter

bastante paciência. Esses

roedores vivos poderão ser

Foto: Pixabay

MEU AMIGO PET

Revista Virtual

11


substituído por larvas de tenébrio, pedaços de carne crua e de preferência morna, insetos e

gafanhotos.

O melhor para a vida das corujas

Uma febre de se ter uma coruja como animal de estimação se deu a partir dos livros Harry

Potter. Após o final da saga, centenas de corujas foram abandonadas por seus proprietários

na Inglaterra. JK Rowling, autora dos livros, em defesa das corujas pediu aos fãs de Harry

Potter para não manter uma coruja como animal de estimação e fez o apelo: “Se você gosta

de coruja, por que não patrocinar um animal em um santuário de pássaros, onde você pode

visitar e saber que ela tem uma vida feliz e saudável.”

A não ser que você encontre uma coruja doente, ou um filhote precisando de cuidados, o ideal

é deixá-las viverem na natureza.

http://mundoanimal.net.br/coruja-um-bom-animal-de-estimacao/

ANJO DO SUL

CONFECÇÃO INFANTIL

(do prematuro ao tamanho 10)

Especializado em Malha Canelada

Temos verão e inverno o ano todo

Rua Papa João XXIII, 744 - Ed. Paula Maria - Loja 03 - Campinas

São José/SC - (Próx. ao Sup. Giassi) -

anjodosul Modabebe

Fone (48) 3259-5640

12

MEU AMIGO PET

Revista Virtual


Thathielly Soares

Cruzeiro do Sul - AC

Bartho

Emanuelle Damasceno

Recife - PE

Pérola

Claudete S. de Oliveira

Florianópolis - SC

Chica

Paula G. S. Barros e

Glaucio L. S. de Barros

São João de Meriti - RJ

Lola

MEU AMIGO PET

Revista Virtual

13


Após passar três anos esperando por tutor falecido,

cachorro morre em pátio de hospital

O animal, que estava deitado na área onde os carros transitam

e foi atropelado acidentalmente por um motorista, foi enterrado

em uma área do hospital a pedido de funcionários do local

por Andrezza Oestreicher

Em julho de 2016 nós contamos para vocês aqui no Portal do Dog sobre o caso de um

cachorrinho bastante fiel que estava já há oito meses esperando na porta de um hospital

por seu tutor, que havia falecido no local.

O cachorro vivia com um morador de rua que passou mal e precisou ser levado de

ambulância para o Hospital Ruth Cardoso, em Santa Catarina. Muito apegado ao tutor, o

cão seguiu a ambulância e ficou do lado de fora, na porta do hospital por onde o homem

entrou.

O cãozinho passou cerca de três anos vivendo na

área externa do hospital esperando por seu tutor

falecido.(Foto: Reprodução / RBS TV / Luiz Souza)

Infelizmente, o tutor do cachorrinho morreu, mas

Negão, nome que recebeu dos funcionários do

hospital, não saiu da porta do local e nem perdia as

esperanças de ver seu amigo humano novamente.

Funcionários informaram que sempre que escutava

uma ambulância chegando com a sirene ligada, ele

corria para ver se o seu humano estava ali.

Esta semana, depois de passar cerca de três anos

esperando o seu melhor amigo sair do hospital, o cãozinho faleceu. Ele foi atropelado e

morreu quase na hora. Segundo informações de pessoas que estavam no local no

momento do acidente, o motorista não viu o animal, que estava pegando sol no espaço

por onde os carros transitavam, mas ao sentir o impacto parou para ajudar, porém Negão

morreu rapidamente.

Durante os três anos que passou vivendo

no pátio do hospital, Negão foi cuidado

pelos funcionários do local, de quem ele

sempre recebia muitos mimos e carinhos.

Uma ONG fez a castração do cão e

auxiliava com vacinas, banhos e ração.

O cachorro até chegou a ser adotado,

mas sempre fugia da nova casa e voltava

para o hospital, sempre na espera de

Negão foi atropelado de forma acidental e morreu rapidamente. Ele foi

enterrado no pátio do hospital. (Foto: Reprodução / RBS TV / Luiz Souza)

14

MEU AMIGO PET

Revista Virtual


eencontrar seu tão amado humano.

A pedido dos funcionários que cuidavam de Negão, o animal foi enterrado no pátio do

hospital. De acordo com informações do próprio hospital, a equipe de jardinagem, que

costumava passar mais tempo com o cachorro, ficou muito abalado com o falecimento do

animal.

A história de Negão nos mostra o tamanho da fidelidade e do amor que os cães podem

sentir por seus tutores.

Fonte: O Povo / G1

http://portaldodog.com.br/cachorros/noticias/apos-passar-tres-anos-esperando-por-tutor-falecido-cachorro-morre-em-patio-de-hospital/

Negão Esquilo

MEU AMIGO PET

Revista Virtual

15


MARI Estética Animal - Clínica São Francisco

Av. São Bento, 563 - Glória

Caràzinho - RS

) (54 9 9643-0868

16

MEU AMIGO PET

Revista Virtual


Davi Gabriel

Itabuna - BA

Don Juan e Bella

FJ Fotografia

Bruno Scalla e Andrielle

Muriaé - MG

Maya

Julia Reis

Uchoa - SP

Kalleb

Lini Kassi

Canarana - MT

Pedrita

Michelle

Agnaldo Duarte

Belo Horizonte - MG

Dora, Lilica

Zé Pequeno

Miguel e Ryckson

São Bernardo do Campo - SP

Sara e Gamora

MEU AMIGO PET

Revista Virtual

17


Pitoko “Um Simpá co Beagle Harrier"

CLÁUDIA REIS

Pitoko um simpá co beagle harrie

Olá eu sou o Pitoko e tenho 4 anos.

Você conhece a minha raça? Acompanhe minha

história e se apaixone por esse beagle grandão e

carinhoso.

Eu nasci em Salvador-BA em 22 de novembro de 2013. Sou diferente do beagle que todos conhecem

pois sou maior, mais ágil e mais amistoso tanto com pessoas quanto com outros cães.

Conheça a minha raca:

O beagle harrie é uma raça rela vamente nova que descende do cruzamento (no final do século XIX) de

dois cães ingleses, o beagle e o harrie. Apesar da origem britânica, como a raça foi desenvolvida na

França a FCI a considera uma raça francesa.

O beagle harrie é um cão muito vigoroso,

corajoso enérgico e inteligente. Apesar de

ser um cão de caça é muito doce e afetuoso

e se adapta muito bem a ambientes

fechados.

A raça demonstra grande determinação e

calma e se porta de maneira tranquila e

relaxada quando seus donos estão em casa.

Caracterís cas sicas do Beagle Harrier :

Cabeça – Moderadamente forte, crânio bastante largo sem ser marcado. Canal nasal reto, focinho

afilado e trufa muito bem desenvolvida. Foto: João Vitor Guizze / assistente Alberto Ninck

Olhos – Bem abertos, de cor escura.

Orelhas – Curtas e semilargas, com formato ligeiramente arredondado no meio, descendo planas ao

longo do crânio e virando ligeiramente na sua parte inferior.

Corpo – Bem construído, pescoço fluente, peito bem descido, mas não muito plano, dorso curto, bem

firme e musculoso. Lombo forte, musculoso, ligeiramente arqueado. Ventre nunca demasiado esgalgado

e um tanto cheio.

18

MEU AMIGO PET

Revista Virtual


Membros – Fortes e bem musculosos. Patas não muito alongadas e cerradas, com almofadas plantares

duras.

Cauda – De tamanho médio e bastante forte.

Pelo – Não muito curto, bastante espesso e assentado.

Pelagem – Tricolor (fulvo com manto preto e branco) sem prestar importância ao manto com

marcações mais ou menos vivas ou pálidas ou carbonadas. Existem Harriers cinza e tricolores cinza.

Agora que você já conhece a raça vou falar sobre mim. Cheguei para meus “pais” com 45 dias de vida.

Minha “mãe” me ensinou vários truques e como sou esperto, aprendo tudo rapidinho. Eu sento, deito,

rolo pelo chão, dou a pa nha e até sei fazer minhas necessidades no tapete higiênico.

Sou muito inteligente e tenho até um Instagram @pitoko_o_beagle onde você pode ver minhas fotos

desde que nasci. Gosto muito de roubar a comida dos humanos, faço muita a vidade sica e durmo

muito durante os intervalos dos passeios. Sou bastante brincalhão com crianças mas o que eu mais

gosto de fazer é caminhar com minha ma lha, a “Gangue Canina”. Meus amigos e eu nos reunimos na

pracinha da rua e saímos para caminhar todos os dias.

Meus amigos são muito legais e brincalhões como eu. Seus nomes são Aruk, Zig, Joe, Ágatha, Emma,

Vitória, Bella e Lila. Nós fazemos a maior farra e somos de parar o trânsito.

Espero que vocês tenham gostado da minha história. Até mais pesso-au au!!!

MEU AMIGO PET

Revista Virtual

19


ANUNCIE AQUI

190,0 mm

X

255,0 mm

APENAS

85,00

8

MEU AMIGO PET

Revista Virtual


Poodle Micro Toy:

Origem - características - e cuidados especiais

Considerada uma das raças mais populares do mundo, o Poodle Micro Toy é um

animal de companhia cheio de particularidades.

Por Ricardo Tubaldini

O Poodle Micro Toy é um cãozinho com apenas 20 centímetros de altura, mas com uma

alegria e encantamento sem tamanho. Caso esteja em dúvida sobre a raça do seu cachorro,

principalmente se tiver crianças em casa, vamos lhe apresentar este poodle que é uma ótima

opção para quem busca um animal de companhia.

Saber exatamente todas as vantagens e desvantagens em ter um Poodle Micro Toy é

importante para evitar contratempos. Aprenda mais sobre a história dessa raça, algumas das

principais características e os cuidados especiais necessários para que seu cãozinho esteja

sempre bonito, com saúde e disposto.

De onde vem o Poodle Micro Toy

Os primeiros poodles miniaturas surgiram nos anos 50 na região entre a Alemanha e a França

e, desde então, vêm se popularizando cada vez mais ao redor do mundo. Essas variações

receberam de início algumas críticas por terem surgido a partir de cruzamentos artificiais e

serem considerados propensos demais à problemas de saúde, mas nem tudo é certeza neste

sentido e a raça tem melhorado bastante.

Principais Características do Poodle Micro Toy

Saber quais as principais características desses poodles miniaturas faz com que você

identifique a raça corretamente, perceba quando existe algo errado com seu cachorrinho e

diversos outros detalhes.

Veja alguns destes pontos importantes

= É a variação de poodle mais dócil de todos os tamanhos dessa raça.

= É considerada a melhor raça de animais de companhia para quem tem crianças em casa.

= Por ser um animal muito inteligente, você poderá adestrar facilmente seu cachorrinho.

Cuidados Especiais com a Raça

Por ser um animal medianamente frágil, alguns cuidados devem ser tomados sobre essa raça.

Vejamos alguns deles.

- Atente-se para o tipo de ração de seu pet. Evite alimentá-lo com qualquer tipo de comida e

escolha somente os nutrientes indicados para a raça. Para isso, é indicado consultar um

veterinário.

- Por ser muito pequeno, o seu cãozinho poderá se machucar com mais facilidade. Então, na

hora de brincar com o animal, atente-se sobre quedas e leves pancadas.

- Atente-se sempre sobre todas as vacinas.

]

LINDINHA COM DODOI

Você tem um poodle micro Toy em casa? Esperamos que estas dicas contribuam para os

cuidados com seu melhor amigo, agradecerá os cuidados e devolverá muito mais carinho e

afeto.

Fonte: www.cachorrogato.com.br/cachorros/poodle-micro-toy

MEU AMIGO PET

Revista Virtual

21


8 alimentos que seu cachorro NUNCA pode comer

Cuidamos dos nossos pets como gente, mas atenção! Existem

alimentos que seu cachorro nunca pode comer.

É comum você estar comendo alguma coisa e seu cachorro te olhar com aquela carinha de

“me dá um pedacinho?”. Difícil resistir, ninguém gosta de ver seu filho de quatro patas

passando vontade, mas até esse pedacinho pode ser prejudicial a ele.

Quando o assunto é alimentação o cuidado deve ser maior. Veja a lista de alimentos que

nunca deve dar para seu aumigão.

#1 Café

O café pode nos deixar mais acordados, mas o mesmo não vale para os cachorros. Deixe o

café e bebidas energéticas longe dele, pois causam inquietação, respiração rápida e

contrações musculares.

#2 Chocolate

Para nós é algo tão gostoso, mas para nossos pets podem ter vômitos, diarreia, agitação,

tremores, hiperatividade e até mesmo crises convulsivas.

#3 Álcool

Nada de bebidas alcoólicas. Pode desencadear vômitos, diarreia, problemas de coordenação

entre outras coisas e em casos mais graves coma e até a morte.

Se for uma cerveja própria para cachorro, tudo bem:

22

MEU AMIGO PET

Revista Virtual


#4 Cebola e alho

Tanto o alho quanto a cebola contêm uma substância chamada tiossulfato, que pode causar

anemia hemolítica em cães quando consumida em excesso e regularmente, além de causar

irritação gástrica ou até problemas mais graves. Porém o alho quando oferecido na quantidade

correta pode ser um ótimo antifúngico, antiviral e antiparasitário.

De qualquer maneira para saber a quantidade correta aconselhável para seu peludo em

particular, recomendamos que converse com seu veterinário.

#5 Uvas e passas

Causam insuficiência renal ou convulsões.

#6 Caqui, pêssego e ameixas com semente

O problema são as sementes que podem causar problemas no intestino dele. Então caso

queira oferecer alguma dessas frutas é recomendado a remoção das sementes.

#7 Ossos cozidos ou assados

O problema é que o osso quando assado ou cozido tem sua estrutura modificada e se torna

mais rígido, e o risco é que alguma parte quebre e possa perfurar alguma parte do trato

MEU AMIGO PET

Revista Virtual

23


digestivo do cachorro. Se pretende oferecer ossos para seu cachorro prefira ossos crus e de

tamanho proporcional ao seu porte.

#8 Milho

Não é bem digerido e ingerir pedaços grandes pode obstruir o intestino.

Fonte: http://petiko.com.br/article/10-alimentos-que-seu-cachorro-nunca-pode-comer

24

MEU AMIGO PET

Revista Virtual

Similar magazines