009 - O FATO MARINGÁ - SETEMBRO 2018 - NÚMERO 9 (MGÁ 02)

ofatomandacaru

Ano 1 • Edição 9 • Setembro de 2018 • DISTRIBUIÇÃO GRATUITA Jornal Comunitário Metropolitano de Maringá • 7 PODE FALAR COMIGO também da consciência de quem tudo pode ver. Fabricio Batista de Paiva: portador de baixa visão. LETTICIA FARIAS: “APRENDO MUITO COM ELES” A professora Lettícia Farias trabalha há quase dois anos com portadores de deficiência visual na sala especial na Escola do Mandacaru, na verdade ela trabalha com educação especial desde que em formou em 2008. A experiência adquirida nos doa conselhos importantes sobre como devemos nos relacionar com as diferenças: “Sempre trabalhei com educação especial, deficiência cerebral e outros transtornos, meu foco sempre foi Educação Especial. Temos que ter em mente uma coisa muito importante. Devemos nos policiar cada vez mais para compreender e atender essas pessoas. Todos nós deveríamos estarmos atentos a isso”.◆ ▶ CELSO YOSHIDA: Podemos dizer que sim, enxergo somente 8% e só com o olho direito. Normalmente, as classes não tem professores auxiliares. Os titulares tem que se arranjar sozinhos. Eu atuo como tal há 5 anos, pois passei em um concurso e pedi para a Escola me colocar para trabalhar nesta sala e eles deixaram. Pouca gente sabe, mas muitas escolas públicas possuem salas especiais destinadas a crianças portadoras de deficiências visuais e auditivas. Na verdade esse tipo de escola ainda é pouco divulgada, há pessoas que poderiam usufruir e não sabem que existe. Eu mesma estudei em uma escola normal e foi muito difícil. Tenho baixa visão desde bebê e aprendi a me virar sozinha. LIGIANE CIOLA: Você estudou em escola particular? CELSO YOSHIDA: Sim, infelizmente, porque as particulares não oferecem adaptações para alunos com deficiência visual e outros tipos de deficiências. Pelo menos no meu tempo foi assim, só depois ficamos sabendo, que eu deveria ter estudado em escolas públicas como a Kennedy, que tem turmas especiais e professores preparados para atender nossas necessidades. Só a escola pública faz isso, faz de graça e entende que por exemplo, pessoas com baixa visão usam óculos que auxiliam na definição e nas cores dos objetos, mas que não aumentam a visão. É importante que as pessoas compreendam o nosso mundo. A adaptação de uma criança de baixa visão na escola é mais difícil do que a de um cego, pois para o cego existe o método especifico e já os alunos de baixa visão ficam “escondidos” na sala e acabam não pedindo ajuda. Muitos alunos especiais desistem de estudar e muitos professores não conseguem prosseguir com o trabalho pois todos os dias precisam superar barreiras diferentes que não existem no mundo dos que veem perfeitamente. Depois tem a faculdade e o mercado de trabalho, que só com muita força de vontade para enfrentar sem desistir. Entre os motivos que levam tantos cegos e pessoas portadoras de baixa visão a desistirem, está a dificuldade econômica das famílias que matriculam os filhos, mas depois não conseguem trazelos e busca-los todos os dias. Tudo isso custa e estamos falando de famílias de baixa renda. Fiz todos meus estudos sem nenhum tipo de adaptação. Na faculdade eu tinha direito a adaptações mas todas as vezes que eu requisitava algo, chegava na hora me diziam: “Esquecemos de trazer o seu material”. Ás vezes se tratava somente de impressão com letras maiores e mesmo assim, eu não era atendida, assim tinha que me sentar junto com uma colega que me ajudava e as vezes o professor me ditava os textos. FABRÍCIO BATISTA DE PAIVA: “Sou um portador de baixa visão, uso bengalas e na verdade não enxergo praticamente nada. Tive uma atrofia nos nervos dos olhos por causa de uma paralisia cerebral. Tenho que continuar a ler para que os nervos dos olhos se acomodem, pois isso me faria perder o pouco que enxergo. Fiz dois concursos para agente administrativo na área de educação mas não passei, fiz também um vestibular na UEM, porém fiquei muito feliz com os resultados que obtive. Quando chego em um ambiente novo, tenho dificuldades para me localizar e tendencialmente me retraio dos relacionamentos, por isso procuro ser bem expansivo para não me sentir bloqueado. Nós, que temos baixa visão, enfrentamos problemas diferentes dos cegos até mesmo nas relações com o poder público. Entendemos que falta boa vontade em nos oferecer ocasiões de trabalho. Eu gosto de operar o rádio amador e gosto muito de me comunicar. Há tantas coisas que poderíamos fazer no contexto do trabalho mas as pessoas nos veem como problemas e acabamos sempre excluídos, pois o papel aceita tudo, nele, escreveram que a sociedade tem o dever de facilitar a nossa inserção na vida profissional mas infelizmente tudo acaba ficando no papel.” QUAL A IMPORTÂNCIA DO ESCAPAMENTO PARA O SEU CARRO? Você roda com o seu carro todo dia e nem lembra que ele existe até que começa a escutar aquele barulhão de ronco ou vibrações indesejadas: o escapamento está com problema! Os dois principais objetivos dos escapamentos são a eliminação de gases e a redução significativa de ruídos, ambos produzidos pelo funcionamento do motor. O sistema de exaustão, na maioria dos carros é composto dos seguintes itens: • COLETOR ou CANO MOTOR: é a peça que sai do motor e coleta os gases produzidos pela queima de combustível; • CATALISADOR: auxilia na regulagem do carro e filtra os gases poluentes e os transforma em gases inofensivos / vapor d'água, além de reduzir o nível de ruído do motor; • FLEXÍVEL: malha de aço maleável que reduz a vibração do motor e, consequentemente, aumenta a vida útil do escapamento; • ABAFADOR e SILENCIOSO: são os principais responsáveis pela eliminação dos ruídos graças aos seus sistemas internos de câmaras refletivas / absortivas. Por trabalharem mais frias são as peças mais comuns de apresentarem problemas corrosivos, por causa do excesso de água presente no combustível. Além disso, borrachas, juntas de vedação e abraçadeiras também fazem parte do sistema de exaustão e devem ser trocadas sempre que necessário para aumentar a vida útil do escapamento. Na Joia Escapamentos você encontra a mais completa linha de escapamentos para veículos nacionais e importados. Faça periodicamente a revisão do escapamento do seu carro: na Joia Escapamentos ela é feita na hora e não custa nada. Loja 1: Av. Mauá, 3007 - em Frente ao Sh. Avenida Center - (44) 3226-1512 Loja 2: Av. Brasil, 5579 - Maringá Velho - (44) 3354-7646 Loja 3: Av. Morangueira, 502 - (44) 3354-5300 Loja 4: Rua Ver. José Fernandes, 1951 - Sarandi - (44) 3264-1284 44 99962-3783 joiaescapamentos joiaescapamentos.com.br joia@joiaescapamentos.com.br Informe Publicitário

More magazines by this user
Similar magazines