Revista Penha | setembro 2018

jfpenhafranca

O que acontece, quem são as pessoas que marcam a Freguesia e ainda algumas curiosidades sobre a Penha de França.
Uma revista editada pela Junta de Freguesia da Penha de França.

Nº. 29 Setembro 18

Revista Mensal

Junta de Freguesia da Penha de França

jf-penhafranca.pt

M FreguesiaPenhaDeFranca

P jf_penhafranca


Propriedade

Junta de Freguesia da

Penha de França

Directora

Sofia Oliveira Dias

Subdiretor

Manuel dos Santos Ferreira

Coordenadora

Teresa Oliveira

Design e Grafismo

Remarkable

Fotografia

André Roma

Impressão

WCC

Tiragem

23.500 exemplares

Distribuição Gratuita

Depósito Legal 408969/16

SEDE DA JUNTA DE FREGUESIA

Travessa do Calado 2

1170-070 Lisboa

Telefone: 218 160 720

Email: geral@jf-penhafranca.pt

Secretaria: 2.ª a 6.ª feira, das 9h às 18h

ESPAÇO MULTIUSOS

Avenida Coronel Eduardo Galhardo

(sob o viaduto da Avenida General Roçadas)

Telefone: 218 100 390

Email: multiusos@jf-penhafranca.pt

Horário: 2.ª a 6.ª feira, das 9h30 às 22h

Sábado, das 10h às 19h

Secretaria: 2.ª a 6.ª feira, das 9h às 17h

ESPAÇO NOVA ATITUDE

Quinta do Lavrado, Avenida Marechal Francisco da Costa Gomes

Telefone: 210 532 377

Email: espaco.n.atitude@jf-penhafranca.pt

Horário: 2.ª a 6.ª feira das 9h30 às

13h e das 14h às 17h30

O Polo Morais Soares está encerrado por tempo indeterminado

2


Editorial

Estamos, de novo, em Setembro. Pelo segundo

ano consecutivo, os manuais escolares

serão gratuitos para a rede de ensino pública.

Se nos dois anos anteriores a medida não

abrangia todos os ciclos, este ano, em Lisboa,

os alunos do 1.º ao 12.º ano têm acesso

a manuais gratuitos.

Fruto de uma iniciativa do Governo (até ao

6.º ano), completada com a decisão da Câmara

Municipal de Lisboa de fornecer os livros

aos restantes ciclos, esta medida é uma

clara aposta na educação.

Sofia Oliveira Dias

Presidente da Junta de Freguesia

da Penha de França

sofia.dias@jf-penhafranca.pt

É importante haver um ensino abrangente,

inclusivo, é fundamental que sejam retirados

obstáculos à aprendizagem. Por outro lado,

é a educação que proporciona um futuro

melhor, com cidadãos mais informados e

participantes, com trabalhadores mais qualificados,

com empresas e comércios mais

competitivos e inteligentes.

O ensino deve ser a grande aposta de uma

nação, e todos os passos que a ela conduzam

são positivos.

Mas há outros aspetos desta medida, menos

falados, mas não menos importantes.

Este sistema só funcionará adequadamente

se cada aluno, cada família, cuidar dos livros

que lhe são confiados de forma a que possam

voltar a ser utilizados.

É uma evidente medida de boa gestão pública,

que trará também ganhos diretos para os

mais novos. Será uma forma de aprenderem a

cuidar do que é deles, mas também é de todos.

Um exemplo para o futuro, na sua relação

de cidadania, no cuidado que terão com

os equipamentos públicos, com os jardins,

com as ruas.

Finalmente, é uma ótima ideia em termos

ambientais. O planeta está a dar sinais de

que andamos a exigir demasiado dele. Reutilizar,

mesmo que comecemos pelos manuais

escolares, é um bom começo.

Neste capítulo, aproveito para referir que,

sempre que possível, a Junta de Freguesia

opta por maquinaria elétrica, em não consumir

o que é desnecessário, e promove a

compostagem nas suas instalações.

Juntos, fazemos não só uma Penha, mas um

Mundo melhor.

Feliz e produtivo ano escolar para todos os

alunos da Penha de França!

1


SabiaQ ue...

RUI MADEIRA

Diretor da Escola Artística António Arroio

A ANTÓNIO

ARROIO TEM

CONDIÇÕES

PARA TER

OFERTA DE

CURSOS

SUPERIORES

É uma das duas escolas artísticas no país.

A António Arroio, em Lisboa, aqui na Penha

de França, e a Soares dos Reis, no Porto.

Diretor há cinco anos, Rui Madeira

tem esperança de ver concluídas as obras

que se arrastam e que irão transformar a

escola num polo cultural “ao serviço da

comunidade”. Antigo aluno, pensa que a

António Arroio, uma instituição de inclusão

e acolhimento, “muda a vida das pessoas

para melhor". E onde diz que, acima de

tudo, “os alunos têm de ser felizes”.

Como descreveria a Escola António Arroio a

quem não a conheça? Diria que a Escola Artística

António Arroio (EAAA) é a melhor do país. Não é

falsa modéstia – admito que possa ser um pouco

assertivo –, mas esta é uma área de que gosto

imenso. Fui aqui aluno há 33 anos.

Quando foi criada? A origem é a Escola de Artes

Aplicadas de Lisboa, fundada em 1919 e extinta em

1930. Em 1934 é refundada com o nome de Escola

Industrial António Arroio, numa fusão com a Escola

de Cerâmica António Augusto Gonçalves e a funcionar

nas suas instalações, junto ao Liceu Camões.

Tem um património histórico muito rico… Sim,

e criar memória é uma das coisas que temos

feito desde que cá estou. E a Junta de Freguesia

tem tido um papel importante: o último livro que

publicámos, por exemplo, teve o seu apoio. Fixar

a memória permite-nos ter uma história cada vez

mais consolidada e conhecer a importância da

escola no contexto do percurso das artes em Portugal,

já que por aqui passaram muitas pessoas que

vieram a tornar-se artistas de renome. Não fazendo

uma lista sistematizada, vêm-me à cabeça alunos

que depois aqui foram mestres, como Querubim

Lapa, um dos mais importantes nomes ao nível da

cerâmica e a quem em 2016 tivemos a oportunidade

de prestar homenagem nos seus 90 anos. É um

dos grandes vultos que ajudou a construir o perfil

atual da escola.

2


Que outros grandes nomes foram alunos?

Júlio Pomar, José Escada, Mário Cesariny, Cruzeiro

Seixas, tantos outros, muitos ainda vivos,

que aqui tiveram a sua primeira experiência de

vida nas artes plásticas. Muitos deles desenhadores

e gravadores litógrafos, um curso que

veio a ser descontinuado – mas hoje temos o

design de comunicação que tem muito a ver

com essa matriz. Há um contínuo em que a

EAAA marca pela diferença, nomeadamente

no Estado Novo.

Quer relatar alguns casos? Era das poucas

escolas onde o ensino era misto, de rapazes e

raparigas, com irreverência e com uma intervenção

social estética e até política bastante

acentuada. Um dos nossos grandes mestres,

Vítor da Silva, que também foi aluno, relata no

livro ‘Sonhar Não Rima com Fazer’, apoiado

pela Junta de Freguesia, que se projetavam

filmes proibidos para angariar dinheiro para os

alunos viajarem, para beberem cultura.

Quais são as disciplinas centrais da Escola?

O desenho continua a ser a mais importante,

a par do projeto e tecnologias, a vertente prática

do ensino teórico. Uma das ‘parangonas’

da escola é ‘O nosso saber faz-se’. A partir do

fazer, adquirem-se conhecimentos. Até através

do erro. É importante sabermos utilizar o

projeto, os métodos de resolução de problemas,

que acabam por ser a base de tudo.

Há quantos anos está a EAAA na Rua Coronel

Ferreira do Amaral? Desde 1970. Já por aqui

passaram quase 40 mil alunos. Nos anos 70 e

80 ainda se ensinou do 7.º ano ao Secundário.

Agora só Secundário, mas perde-se um pouco

por deixarmos de poder encontrar vocações

precocemente.

Quantos alunos tem a EAAA? Todos os anos abrimos vagas

para cerca de 420 novos alunos, este ano foram 416. No

10.º ano passam seis semanas em seis áreas diferentes, para

depois no 11.º ano poderem optar pela especialização em que

se sentiram mais confortáveis – ou mais felizes. Existe uma

vertente enorme de artes visuais, mas também de audiovisual.

Formamos para a fotografia, para o cinema e vídeo, para a

multimédia…

Quantos ficam de fora? Muitos! Este ano foram 95. Infelizmente,

temos de selecionar. No total temos cerca de 1300

alunos, com um horário das 8h30 às 19h30 – uma carga muito

maior do que a de outras escolas que só têm meio dia de aulas.

Queria também referir que muitas vezes aceitamos alunos

diferentes, não há qualquer tipo de preconceito, ninguém se

mete na vida do outro, ninguém aponta a diferença como uma

coisa negativa. É um enriquecimento da comunidade que se

forma todos os anos.

A inclusão é a uma das matrizes da António Arroio? Exatamente.

E o acolhimento. Aceitamos os alunos de acordo com

a sua realidade, seja física, motora ou afetiva – cada vez mais

os afetos acabam por condicionar as expressões do que é o

indivíduo na sua sexualidade, nas suas vertentes culturais. É um

indivíduo, está cá no mundo, tem direitos e é isso que temos

de aceitar como a matriz de que nunca irei abdicar. O acolhimento

é incondicional.

Passando para as instalações, há quase dez anos que estão

em obras... Do edifício original só existem duas fachadas: a

que dá para a Rua Cristóvão Falcão tem um painel do Mestre

Querubim Lapa – em cujo trabalho tive a sorte de participar.

Inicialmente, a EAAA tinha uma área de 13 mil m2 e quando

as obras finalizarem terá 23 mil m2. Foi um aluno da António

Arroio que fez o projeto, o arquiteto Aires Mateus.

O que são os edifícios inacabados? É o edifício social, adjacente

ao de aulas, que vai ter refeitório, bar bufete, Biblioteca

Escolar/Centro de Recursos, museu com uma galeria de arte e

um pequeno auditório. Recentemente estive no MAAT e tenho

Acha que os alunos deviam chegar aqui mais

cedo? Sim. Não sou a favor de ir buscar crianças

de 3 e 4 anos para os especializar, seja em

arte ou futebol, mas é importante que a partir

das creches se reconheça no ensino artístico

uma resposta a uma vocação que as crianças

começam a revelar. Creio que cada vez mais a

felicidade das pessoas advém de perceberem

onde podem ser melhores a um determinado

nível, que pode ser profissional ou não. Procurar-se

o que se é e não o que se tem. Digo

muitas vezes aos nossos alunos que acima de

tudo têm de ser alunos felizes. E a EAAA tem

vindo a ser cada vez mais uma escola de despiste

de vocações, mas também de percurso

de vida: mudei a minha vida toda por ter vindo

estudar para aqui! E, na altura, só vim para não

estar parado. Há um bichinho, qualquer coisa

que nos mexe. É uma escola que muda a vida

das pessoas para melhor.

3


ideia que este edifício é maior. A obra

foi abandonada praticamente na meta

final, tentou concluir-se o edifício onde

estamos e o edifício social ficou por

acabar. Em 2016 a Parque Escolar lançou

um concurso público internacional

para a conclusão das obras, em 2017 é

conhecido o vencedor, mas o processo

voltou a estar parado 18 meses até uma

portaria libertar a verba para terminar

a obra.

Voltou a haver problemas? Sim. A

antiguidade dos preços levou o único

concorrente a desistir. É uma pena, mas

percebo. O meu mandato vai até 2021,

não sei o que vai suceder, mas gostava

de ver aquele edifício a funcionar.

Está a ser feito novo concurso? Ainda

não, está a ser feito o caderno de

encargos. Sei que já não são obras de

grande envergadura em termos de

construção, o chão e o teto estão colocados,

há sanitários, e as coisas têm-se

aguentado. Faltam os acabamentos e o

equipamento, o que leva uma boa fatia

do orçamento. Quando concluído, será

um equipamento ao serviço da comunidade.

No que está a pensar, concretamente?

Vai nascer um novo polo cultural de

grande capacidade, um equipamento

único mesmo em termos de país. Será

possível usar o auditório, vir à escola

ver uma exposição no museu ou na

galeria. A EAAA é de nível secundário,

mas acho que somos um pouco mais

que secundário, e, metendo a colherada,

digo que gostaria muito de ter

aqui uma oferta de cursos superiores.

Temos muitos parceiros

à procura desses cursos para os

quais temos capacidades físicas

e recursos humanos – felizmente,

temos um rácio bastante elevado

de professores doutorados e com

mestrado.

Que parceiros? Bons parceiros. A

Junta de Freguesia. A Casa Museu

Júlio Pomar, a Fundação Saramago,

a Fundação Arpad Zenes –

Vieira da Silva, a Casa das Histórias

Paula Rego, o Museu do Azulejo,

o Museu Nacional de Arte Antiga,

a Culturgest, o CCB, a Fundação

Gulbenkian, somos escola associada

da UNESCO, o Jardim Zoológico,

entre muitos outros, bem

como instituições de ensino e

eventos por todo o país e mesmo

no estrangeiro.

O que os alunos mais precisam?

Diariamente as pessoas vêm-nos

a comer sentados na rua. Por

tradição os alunos trazem a sua

marmita, e habituaram-se a usar

a ‘ilha’, como lhe chamam, como

espaço de convívio onde podem

comer, estar com colegas. A Junta

de Freguesia, através do POP

Escolas, colocou uns bancos de

piquenique, alguns alunos comem

lá e depois vão lá para fora. Falta

uma âncora para os trazer para

dentro da escola, mas aqui não se

pode fumar e estes alunos sempre

fumaram. Aliás, nos anos 80 não

era incomum ver professores e

alunos a fumar nas salas. E havia

outra coisa caricata: casas de

banho mistas. Até nisso a escola

era diferente.

Este hábito não causa perturbação

nas redondezas? Sim, acaba

por haver constrangimentos, mas

depois há um acomodamento.

Outra das queixas… É que os

alunos pintam vidros, paredes, já

tivemos queixas. Temos ações, em

que há a possibilidade de pintar

aqui dentro, mas para eles não é a

mesma coisa. Internamente também

nos aconteceu, descobrimos

quem foi e o aluno limpou. Lá fora

não podemos, nem devemos fiscalizar.

Mas é uma escola com uma

cultura de muita responsabilização.

Em cinco anos não tivemos

processos disciplinares.

4


E, DE REPENTE, VOARAM AS FÉRIAS E É

TEMPO DE VOLTAR ÀS AULAS! SAIBA NO QUE

A JUNTA DE FREGUESIA PODE AJUDAR OS

ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO.

MANUAIS GRATUITOS, TROCA DE LIVROS

ESCOLARES E MATERIAL ESCOLAR

Todos os alunos do 1.º ao 12.º ano da rede pública

escolar de Lisboa (Ensino Público e Ensino Particular

e Cooperativo com contrato de associação)

têm direito a manuais escolares gratuitos, através

de prévia inscrição na plataforma na internet

MEGA ( manuaisescolares.pt ). Os cadernos de

atividades / fichas de apoio do 1.º ao 6.º ano dos

alunos da rede pública escolar de Lisboa, também

são gratuitos, devendo os encarregados de Educação

dirigir-se à escola sede do Agrupamento para

saber o procedimento adotado.

Para todos os restantes alunos, do Ensino Particular

e Cooperativo que não tenham contrato

de associação, a Junta de Freguesia da Penha de

França volta a promover a troca de livros escolares

durante o mês de setembro no Espaço Multiusos *.

A Junta de Freguesia oferecerá ainda um conjunto

composto por mochilas, lápis, lápis de cor, marcadores,

entre outro material escolar.

CENTRO DE ESTUDOS EMPENHA-TE

O centro de estudos EmPenha-te tem em vista a

melhoria de resultados escolares, e é dedicado a

alunos do 1.º ciclo até ao ensino secundário, prestando

apoio em várias disciplinas. Inscrições: Sede

e Espaço Multiusos * até 14 de setembro, limitadas

ao número de vagas.

LUDOBIBLIOTECA

Para a animação dos tempos livres de alunos de

2.º ciclo, 3.º ciclo e secundário das escolas da

freguesia, a Ludobiblioteca proporciona animação

educativa, num ambiente descontraído, confortável,

seguro e divertido. Inscrições: Espaço Multiusos

* até 12 de setembro, limitadas ao número de

vagas.

CAF – COMPONENTE DE

APOIO À FAMÍLIA

Em resposta aos horários dos encarregados de

educação, as Atividades de Animação e de Apoio

à Família (Jardim de Infância) e da Componente de

Apoio à Família (1.º ciclo) oferecem a animação dos

tempos livres de forma lúdica, estruturada e com

intencionalidade educativa. Estão disponíveis em

todas as escolas e jardins de infância públicos da

freguesia e têm um custo associado. Inscrições:

Sede e Espaço Multiusos *.

AEC - ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO

CURRICULAR

As Atividades de Enriquecimento Curricular têm

um cariz formativo, cultural e lúdico, e complementam

as componentes curriculares desenvolvidas

em sala de aula. Disponíveis em todas as

escolas básicas do 1.º ciclo públicas, são gratuitas

e facultativas. Inscrições: escolas.

ATIVIDADES NO ESPAÇO MULTIUSOS

O Espaço Multiusos tem atividades dedicadas aos

mais novos, como dança ou karaté. Mais informações

no Espaço Multiusos *.

* ver contactos no verso da capa desta revista

5


UM PASSO EM

FRENTE NAS

ESCOLAS

BÁSICAS

São duas as escolas de ensino básico da

nossa freguesia, Arq. Victor Palla e Professor

Oliveira Marques, que foram alvo

de profundas remodelações e vão contar

com muitas surpresas. Também EB Actor

Vale vai entrar em obras que visam a requalificação

total e aumento do edifício.

Novas salas de aula da EB Victor Palla

Focando-nos nas escolas já remodeladas,

na Oliveira Marques o foco da intervenção

foi o refeitório, que viu a sua área aumentada.

Com vista à confeção de refeições

na escola, foram construídos um espaço

de cozinha, um de empratamento e uma

copa. Também as casas de banho de apoio

ao refeitório, CAF e jardim de infância

foram alvo de melhoramentos. Para que

tudo dure muitos e bons anos, o telhado

do refeitório foi completamente refeito e

melhorado.

É, no entanto, na escola Victor Palla que

as obras vão mais a fundo. Estão a ser

renovadas todas as salas de aula, casas de

banho e áreas técnicas, havendo ainda um

novo edifício construído de raiz. Edifício

esse que foi projetado para albergar o refeitório

e o novo ginásio da escola, ambos

com áreas generosas e que serão uma

grande mais valia para a escola e, sobretudo,

para os alunos.

Novas casas de banho da EB Victor Palla

As obras em curso vão ainda permitir que

no futuro a EB Victor Palla passe a contar

com um jardim de infância, uma nova e

importante valência.

Agora, é esperar que todas as intervenções

sejam terminadas o mais rapidamente

possível e que as meninas e meninos

destas escolas possam aproveitar ao

máximo os novos espaços que são, sem

dúvida, um passo em frente na sua formação

educativa.

Antiga área de refeitório com painel de azulejos

restaurado na EB Oliveira Marques

6


32

1

4 29

2 3 5

6 27

28 30 31

8 7

10

11

9

12 15

13 14

16

17

26

24

25

18

19

23

20 21

22

O PENHAS REGRESSA À ESCOLA

Como foram as tuas férias de verão, Penhas? “As minhas férias foram muito boas! Fui à praia,

brinquei muito com os meus amigos, fui a jardins, fui passear com a minha família, mas já estava

com muitas saudades da escola”, respondeu o nosso amigo. E tu? Também tens saudades dos teus

amigos da escola, dos professores e auxiliares? Então junta os pontos deste desenho, percebe o que o

Penhas está a fazer e depois pinta-o. E bom regresso às aulas!

7


O VERÃO PENHA

DESTE ANO FOI

TÃO FIXEEEE!

O Verão Penha é sempre fixe, mas parece

que cada ano está melhor. Não só os dois

turnos do Verão Penha Infância e Jovem

foram mega fixes, como terminaram com

uma grande aventura nas alturas que,

como diriam os mais novos, foi ‘awesome’.

As crianças e adolescentes passaram

uma tarde num parque de aventuras, na

natureza, onde puderam fazer escalada

e arborismo, com fantásticos percursos

entre as árvores, para além de muitas

outras aventuras no meio da natureza.

Durante os dois turnos de quinze dias

cada um, entre os dias 16 de julho e 10

de agosto, não faltaram as idas à praia,

ao MAAT, ao Museu do Dinheiro, e outras

atividades como uma visita a um quartel

GNR onde puderam andar a cavalo!

São semanas que deixam sempre muitas

saudades a todos: às 209 crianças que

adoraram o Verão Penha Infância, aos 70

jovens que são fãs do Verão Penha Jovem

e aos 44 monitores que trabalharam (e

também se divertiram) para que tudo

corresse sobre rodas e em segurança. Até

para o ano!

8


9


O MAPA DOS

ECOPONTOS

DA NOSSA

FREGUESIA

PAPEL VIDRO PLÁSTICO LIXO COMUM

Embalagens de papel

e de cartão espalmadas

Jornais, revistas,

folhetos,

cadernos e livros

Interior do rolo de

papel higiénico e

de cozinha,

Sacos de papel

Garrafas, frascos e

boiões de vidro de

alimentos ou de bebidas

Frascos de perfume e

de cosmética

Garrafas de água,

de sumos,

e de óleo alimentar

Embalagens de manteiga

e iogurte, de arroz e massa,

de batatas fritas,

de produtos de higiene e

limpeza

Latas de conserva e

de bebidas

Pacotes de leite, de sumos

e de natas

Esferovite, aerossóis

Sacos de plástico

Restos de comida

Guardanapos,

papel higiénico

Espuma, espelhos,

loiças, cerâmicas, fraldas

e outros resíduos que

não possam ser

separados para reciclagem

Av. Mouzinho de Albuquerque

LEGENDA

ECOPONTOS ECOILHAS

ECOILHAS SUBT. VIDRÃO

10


R Morais Soares, 32 (JF São João)

EcoIlha

Ecoilha Subt.

Ecoponto

PAPEL EMBALAGENS VIDRO

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

Vidrão

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x x x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

Vidrão

Sabia que as garrafas de plástico de água

podem ter uma nova vida como sapatos?

Que uma lâmpada de 100w acesa durante 4h

equivale à energia poupada na reciclagem

de 1 garrafa de vidro? E que reciclar 1

tonelada de papel significa poupar cerca de

20 árvores?

O reaproveitamento de materiais, a

poupança de energia ou a melhoria do

ambiente no planeta em que vivemos são

tudo boas razões para reciclar. E para que

saiba onde está o ecoponto mais próximo

da sua casa ou loja, este mês mostramos o

mapa dos locais na Penha de França pode

deixar os seus papéis, plásticos e vidros

usados.

A oferta está dividida por ecoilhas (resíduos

indiferenciados, papel, plástico e vidro), que

podem ser à superfície ou subterrâneas,

pelos tradicionais ecopontos com grandes

contentores para papel, plástico e vidro, e

ainda apenas por vidrões. À exceção das

ecoilhas, que têm um depósito específico

para resíduos indiferenciados, é importante

não deixar sacos de lixo ao pé de ecopontos

ou vidrões.

Recordamos ainda que o 808 20 32 32 é o

número de telefone gratuito para agendar a

recolha de monos, que também não devem

ser abandonados na rua, e, também, que

aos domingos não há recolha de lixo.

Como vê, na nossa freguesia existem 13

ecoilhas, 27 ecopontos e 12 vidrões. São

muitas razões para reciclar. Sabemos que às

vezes dá um pouco de trabalho, mas é um

gesto que só traz vantagens.

Com a Penha limpa, ganhamos todos.

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

11


LAVAGENS

DAS RUAS DA

PENHA DE

FRANÇA

Em agosto foram retomadas as lavagens

das ruas na Penha de França.

A chuva abundante que caiu no

inverno e primavera repôs água nas

barragens, o que permitiu recuperar

este meio de limpeza de passeios e

arruamentos.

No mês de agosto foram lavados os

pontos mais críticos da freguesia, estando

as lavagens a ser recuperadas

gradualmente – tendo em especial

atenção os locais em que são mais

precisas, como, por exemplo, foi o

caso do túnel entre a Rua Morais

Soares e o Largo Alferes Francisco

Duarte.

Para conhecimento, a lista das

ruas lavadas passou a ser colocada

mensalmente no sítio na internet da

Junta de Freguesia.

Recordamos que a lavagem de ruas

foi interrompida por toda a cidade

por causa da grave seca que o país

sofreu, tendo sido mantidas apenas

em caso de muita necessidade

e usando água reciclada. Neste

momento mantém-se a decisão

de, sempre que possível, usar água

reciclada para fazer a melhor gestão

possível deste recurso precioso que

é a água.

Durante o mês de agosto, outra

preocupação dos serviços de Higiene

Urbana da Junta de Freguesia

foi limpar as folhas que caíram em

abundância, e fora de época, depois

dos dias de temperaturas acima dos

40º registados em Lisboa.

12


ENERGIA MAIS

LIMPA REFORÇA

HIGIENE URBANA

Maior capacidade, menor barulho e melhor

ambiente para todos. São todas estas

vantagens que a nova carrinha Fuso eCanter,

totalmente elétrica, promete trazer à

Freguesia da Penha de França.

Depois das cidades de Tóquio, Nova Iorque,

Berlim, Londres e Amesterdão, uma

parceria entre a Câmara Municipal de Lisboa

e a fabricante Mitsubishi Fuso, trouxe

dez destas inovadoras carrinhas à experiência

em várias freguesias da cidade,

entre as quais a nossa Penha de França.

As eCanter estão destinadas ao serviço de

apoio à higiene urbana.

As Fuso eCanter são produzidas na fábrica

do Tramagal da Mitsubishi Fuso Truck

Europe e exportadas para toda a Europa

e América do Norte. São um veículo zero

emissões e têm uma autonomia mínima de

100 km.

Em adição a esta boa novidade, mais um

elemento da equipa da Junta de Freguesia

tem agora a carta de pesados, o que

permitirá agilizar o trabalho da equipa da

Higiene Urbana.

13


Alto da Eira

Alto de São João

Bairro Horizonte

14


Rua Cruzado Osberno

TERRENOS

LIMPOS

Num esforço conjunto desta Junta de Freguesia e

da Câmara Municipal de Lisboa, foram desmatados

e limpos uma dezena de locais na Penha de França.

É um trabalho que tem duas funções essenciais. A

primeira é conseguir a salubridade dos terrenos,

que, limpos, mais dificilmente contribuem para

evitar a proliferação de pragas animais.

Por outro lado, é fundamental cortar o mato seco

para diminuir a possibilidade de incêndios urbanos

e garantir a segurança das pessoas.

Vamos todos contribuir para este esforço não deixando

lixo e monos nestes espaços. Todos ficamos

a ganhar com uma Penha mais limpa.

Quinta de Santo António

Envolvente do Convento de Santos o Novo

Quinta de Santo António

Traseiras da Praça Paiva Couceiro

15


MEMóRIAS

PRAÇA PAIVA

COUCEIRO, 1963

A Praça Paiva Couceiro mudou muito ao longo dos tempos. Registos de 1960 mostram-

-nos a praça central ainda sem árvores, que viriam a aparecer ainda muito pequenas em

fotografias do ano de 67, o ano em que a D. Deolinda e o Sr. Ramos se mudaram para a

Penha de França. Recordam que a zona que agora está ajardinada “nessa altura tinha

muito pouca coisa”. O quê? “Tinha um pedaço de areia, um escorrega e uns ferros para

os miúdos se pendurarem. Tinha também o bebedouro, exatamente no mesmo sítio

onde está hoje".

Este casal também tem memórias do comércio que existia à época e que, naturalmente,

se modificou muito em cinco décadas. "Lembro-me bem do Zé da Praceta, uma retrosaria

muito conhecida de toda a gente, ali onde hoje estão os cafés, ao lado da 5àSec. E

também me recordo das antigas cabines telefónicas”, diz a D. Deolinda. É esse o lado da

Praça Paiva Couceiro retratado na fotografia acima, tirada em 1963.

16


JÁ COMEÇOU O

VERÃO SÉNIOR

Para muitos, que agora gozam a sua

merecida reforma, o dia começa com a

companhia de um programa da manhã, na

televisão ou no rádio, depois com um cafezinho

no sítio do costume acompanhado

de dois dedos de conversa com o vizinho

lá da rua...

Mas também é bom sair da rotina, conhecer

lugares novos e carregar baterias. Precisamente

o que oferece o tão aguardado

Verão Penha Sénior, que começou no dia

27 de agosto.

A sessão de apresentação deste programa

de férias de verão aconteceu no

início do mês, tendo os participantes sido

informados do programa de atividades.

Uma sessão onde a Presidente da Junta

de Freguesia, Sofia Oliveira Dias, e a Vogal

Capitolina Marques desejaram um excelente

verão a todos. Agora é tempo de os

participantes aproveitarem ao máximo

estes dias diferentes e relaxantes.

17


CUIDADOS

A TER EM

PERÍODOS DE

MUITO CALOR

Quando o verão chegou, chegou em força.

Antes das altas temperaturas que se

registaram no país, um grupo de seniores

participou numa ação de formação que

relembrou os cuidados a ter, especialmente

por quem está mais vulnerável como as

crianças e os seniores.

Elementos da proteção civil estiveram

no Centro de Dia de S. João Evangelista

a elencar as medidas que não devem ser

esquecidas em períodos particularmente

quentes para aproveitar o Verão sem

preocupações.

Destacamos a necessidade de beber bastante

água ou sumos naturais com pouco

ou sem açúcar, utilizar roupas largas e de

cores claras, procurar ambientes frescos e

evitar sair durante as horas de maior calor.

18


PARABÉNS AO

CENTRO N. S.ª DA

PENHA DE FRANÇA!

O Centro Social e Paroquial Nossa Senhora da Penha de

França celebrou 51 anos de apoio à comunidade e a dizer

presente a novos projetos e desafios.

Num ambiente que se distingue por ter várias gerações

debaixo do mesmo teto, assim foi também na celebração

deste aniversário: os mais novos começaram a dança,

logo se juntaram os mais velhos e rapidamente não havia

ninguém indiferente à animação.

Uma festa que aconteceu no refeitório do Centro que

conta agora com o mobiliário renovado, resultado de

uma das ideias vencedoras do POP 2017.

A todos que pertencem a esta instituição e fazem dela

um porto de abrigo, bem como um polo de aprendizagem

e partilha de experiências, muitos parabéns!

19


O QUE É O

COLESTEROL?

O colesterol é uma gordura essencial

existente no nosso organismo, que tem

duas origens: uma parte produzida pelo

próprio organismo, em particular o fígado,

e outra obtida através da alimentação,

em particular pela ingestão de

produtos animais, como carne, ovos e

produtos lácteos. O corpo humano não

sobrevive sem colesterol. O organismo

necessita de colesterol para produzir

as membranas (paredes) celulares,

hormonas, vitamina D e ácidos biliares,

que ajudam a digerir os alimentos.

No entanto, o nosso organismo necessita

de apenas uma pequena quantidade

de colesterol para satisfazer as suas

necessidades. Assim, níveis de colesterol

elevado prejudicam a sua saúde,

pois nestes casos, ele deposita-se nas

paredes arteriais, constituindo placas

que reduzem o calibre dos vasos, dificultando

o fluxo de sangue aos órgãos

e tecidos do organismo.

USF Oriente

Telefone: 218 10 10 10

Avenida Afonso III, Lote 16

Quais são os seus sintomas e

consequências?

Infelizmente, o colesterol elevado em

etapas iniciais não causa sintomas.

Mas com fases mais avançadas este

pode manifestar-se sob a forma de

acidente vascular cerebral ou enfarte

do miocárdio. Estes eventos podem

levar à perda de qualidade de vida e

até mesmo à morte.

Que fatores poderão contribuir para

aumentar o Colesterol?

• Ser fumador.

• Ter um estilo de vida sedentário.

• Ter diabetes.

• Ter hipertensão arterial (acima de

140 / 90 mmHg).

• Ter excesso de peso ou

obesidade.

• Idade: homens > 45 anos e

mulheres > 55 anos.

• Ter antecedentes de doença

cardíaca em familiares com idade

abaixo dos 60 anos.

Quais os valores normais?

Os valores normais variam de pessoa

para pessoa conforme o risco

cardiovascular de cada um, sendo

que quanto mais alto for o risco

cardiovascular mais baixo deve ser o

nível de colesterol.

Idealmente, num indivíduo sem

antecedentes cardiovasculares ou

diabéticos, o colesterol total deverá

ser inferior a 190 mg/dl e o colesterol

LDL inferior a 115 mg/dl.

Quando avalio o meu colesterol devo

estar em jejum?

Sim. Os níveis de colesterol devem ser

aferidos com jejuns de 12h.

Como posso ajudar a prevenir

Colesterol Elevado?

• Reduzir o consumo de alimentos

ricos em gorduras saturadas

e colesterol. Exemplos: carne

vermelha e produtos lácteos não

desnatados (com alto teor de

gorduras), como leite, queijo e

iogurtes.

• Praticar regularmente exercício. A

atividade física ajuda a controlar

o colesterol, o peso, a diabetes

e a pressão arterial, fatores de

risco importantes de doença

cardiovascular.

• Deixar de fumar.

Quem me pode ajudar?

O seu médico de família é o

profissional de saúde qualificado

melhor colocado para, de acordo com

o seu perfil de risco cardiovascular,

estabelecer a periodicidade na qual

deve ser efetuada a avaliação do seu

nível de colesterol. Ele saberá escolher

as medidas mais apropriadas à sua

situação e assegurar a sua respetiva

vigilância a longo prazo.

20


ASSEMBLEIA

DE FREGUESIA

5.ª Sessão

Ordinária da

Assembleia de

Freguesia

Vai-se realizar, no próximo dia 14

de setembro, sexta-feira, pelas

21h00, na Biblioteca da Escola

Nuno Gonçalves, a 5.ª Sessão

Ordinária da Assembleia de

Freguesia da Penha de França.

Como em todas as Sessões

Ordinárias, o público tem o direito

a tomar da palavra, mediante

inscrição prévia. Participe. A sua

participação é importante para a

melhoria da qualidade de vida na

nossa Freguesia.

O CDS Penha de França mantém o empenho

em colmatar algumas carências que identificou

durante a campanha eleitoral de 2017 e para as

quais apresentou soluções. Nesse sentido submetemos

um conjunto de propostas, em sede de

Assembleia de Freguesia que foram aprovadas:

1. 1-Num primeiro momento, atendendo às

múltiplas carências da Freguesia, sendo

uma das Freguesias mais envelhecidas da

Cidade, o CDS apresentou uma proposta

de constituição de um grupo para elaborar

uma Estratégia para Envelhecimento bem-

-sucedido na Freguesia;

2. Propusemos ao Executivo que protocolasse

com as Instituições locais a extensão

de Centro de Dia e de Apoio Domiciliário,

quer em serviços disponibilizados, quer na

extensão de horário, por forma a que as

Pessoas Idosas possam permanecer no

seu meio o maior tempo possível;

3. Apresentamos uma proposta de constituição

de um cartão Penha Solidária, para

famílias carenciadas, que proporciona descontos

imediatos no comercio local;

4. Apresentamos a proposta de um “Parque

para Todos” que pretende reformular os

parques infantis no sentido de serem colocados

equipamentos adaptados para crianças

portadoras de deficiência;

5. Apresentamos proposta para a constituição

de uma Universidade Sénior;

6. Apresentamos proposta para a constituição

de um Grupo de Voluntariado Sénior como

forma de capitalizar o saber adquirido e

combater o isolamento e solidão;

7. Apresentamos proposta para a constituição

de uma Unidade de Descanso do Cuidador;

Destas propostas, o que tem feito o Executivo

socialista da Junta de Freguesia? Zero, naquilo

que podemos classificar como uma falta de respeito

democrático pelas decisões deste órgão.

A Freguesia tem de ter uma Gestão equitativa

e dispor dos seus recursos em prol de todos os

seus Cidadãos, evitando quando alguns se sintam

abandonados e desprotegidos. Devemos

construir uma Freguesia inclusiva, global e plural.

Temos trabalhado, com muito empenho, para

desbloquear o imbróglio criado com o encerramento

da Piscina. Parece que neste processo

de teimosia vale mais a cor partidária do que o

bem-estar e os interesses dos Fregueses.

Sabendo de que a Junta de Freguesia fez parte

da comissão de acompanhamento das obras da

Piscina, onde se realizavam reuniões semanais

e das quais eram lavradas Atas, alguém acredita

que a Junta de Freguesia não disponha dessas

Atas?

O CDS pediu essas Atas ao executivo e a resposta

que recebe é de que não as possui e a

CML ainda não as disponibilizou. Que acompanhamento

foi feito? Qual o papel do executivo

neste processo, para além de ter mudado de

ideias sobre a gestão do equipamento? O que

tem feito o Executivo para desbloquear o processo

da Piscina?

Na verdade, assistimos a uma inercia por parte

do executivo socialista que incomoda e prejudica

quem quer ver os seus problemas resolvidos:

Piscina, Higiene Urbana, Apoios Sociais. É caso

para questionar: Que tem feito este Executivo?

Estamos sempre presentes e empenhados em

ouvi-lo em cdspenhadefranca@gmail.com

Pedro Cardos

Membro do CDS-PP na AF da Penha de França

21


CURTAS

& AGENDA

EMEL ESTENDE

ATIVIDADE NA PENHA

A Penha de França vai contar em breve com

mais zonas de estacionamento ordenado pela

EMEL e que abrangem, entre outras ruas, o Alto

da Eira, a Rua Castelo Branco Saraiva, a Rua Coronel

Eduardo Galhardo, um troço da Av. Mouzinho

de Albuquerque e outro da Rua Morais

Soares. Tal como na fase anterior, funcionará

um posto de atendimento para emissão de dísticos

no Espaço Multiusos, (morada no verso da

capa desta revista), de 1 a 31 de outubro, das 9h

às 19h.

COSTAS QUE SÃO

FRENTES

Pode-se dizer que o nome engana. Afinal

de contas o Festival Costas da Cidade

não é senão o rosto de uma comunidade.

E foi precisamente isso que se conseguiu

ver, ouvir e sentir nos dois dias de festival.

Associações, artistas, projetos culturais e

sociais, como a Mercearia Social da Penha

de França, vizinhos e vizinhas de todas as

idades num convívio que dinamizou a praça

Lig@-te ao Bairro.

65 ANOS DO LUSITANO

DA PENHA DE FRANÇA

Um de agosto vai ser uma data a recordar para os

‘Rapazes do Lusitano’. Celebraram-se 65 anos de

uma coletividade que esteve para encerrar definitivamente,

mas que conseguiu dar a volta e ter casa

cheia no aniversário. Não houve vizinhos em casa

agarrados à televisão quando souberam que podiam

ver fotografias da história do clube, provar os petiscos

e participar no quizz! Que venham muitos mais

anos de animação e casa cheia, neste novo ponto de

encontro da Penha de França.

22


OVNIS?

NÃO, FRISBEES!

Pode parecer estranho, afinal para muitos de nós o

Frisbee é no máximo uma distração de praia, mas a

verdade é que é um desporto bem animado! Jogou-

-se no campo do Operário o 2.º Torneio Nacional da

Penha de França de Ultimate Frisbee, disputado por

quatro equipas. Se tem curiosidade, fique atento que

com certeza haverá mais torneios de objetos voadores

na nossa freguesia.

ESCOLAS PREOCUPADAS

COM O AMBIENTE

A iniciativa ‘Corrente pela Água’, da EPAL, teve

como objetivo a partilha de ideias e boas práticas,

visando a alteração dos modos de consumo

da água e uma mudança de comportamentos

para um uso eficiente deste bem indispensável.

A EB Arquitecto Victor Palla e o CED D. Maria Pia,

da Casa Pia de Lisboa, participaram na iniciativa

e foram premiadas. Muitos parabéns por ajudarem

a construir um futuro melhor!

DANÇA, MDANCE!

Inserido no Summer Training Camp da MDance,

o campeonato de danças de salão, ainda que

apenas uma simulação, encheu o olho e mostrou

que se formam talentos a sério na dança,

aqui na Penha de França. Todos os que se deslocaram

ao salão paroquial da Igreja de N.S. da Penha

de França ficam com certeza deslumbrados

com o nível a que dançarinos de todas as idades

se apresentaram. Esperamos que tenha sido um

verão cheio de aprendizagens.

23


OS ESPAÇOS VERDES DA PENHA DE FRANÇA

1

JARDIM

BULHÃO PATO

Jardim Bulhão Pato, Jardim do Alto do Pina, Jardim da Nêspera, nomes diferentes que

vão dar ao mesmo lugar, quase centenário: o jardim existente no cruzamento entre a

Rua Sabino de Sousa com a Rua Coronel Ferreira do Amaral. E que este mês convidamos

a conhecer.

Um espaço aprazível, com parque infantil, mesas, e, evidentemente, bancos para relaxar.

Merece a sua visita num destes fins de tardes quentes, vá ver como está bonito!

A

O

A

o

24


1572 OCORRÊNCIAS

RESOLVIDAS

ipenha.pt

A SUA APLICAÇÃO PARA PARTICIPAR

OCORRÊNCIAS NA PENHA DE FRANÇA

A

ou descarregue em

25


NA PRAÇA

9ª EDIÇÃO

14 21 28

SETEMBRO

PRAÇA PAIVA COUCEIRO

19H

14 SETEMBRO

Racing Mackerels

21 SETEMBRO

The Plexus

28 SETEMBRO

MoFrancesco

Quintetto

More magazines by this user
Similar magazines