Views
2 months ago

SETEMBRO 2018

FUNDADOR O PASSADO COMO

FUNDADOR O PASSADO COMO CONSEQUÊNCIA DA SOLIDÃO Aceitar o passado, nos torna mais livres de encontrar a solidão. Por Padre Wilton Moraes Lopes, CsSR PARA PENSAR Devo aceitar meu passado para encontrar a minha paz. Nas últimas edições, tenho falado sobre a solidão. Uma doença que há cura e que não se caracteriza como pecado. Portanto, se você se sente dominado por este sentimento, não se sinta culpado pelo que já vivenciou. Isso o torna com uma carga ainda mais pesada. Os que padecem do mal também sofrem com a dor, tornando-as inseguras, tímidas e incompreendidas. Se sentem rejeitados, fora dos padrões que a sociedade impõe. Se você, caro leitor, que em sua caminhada se sentir alienado ou diferente, incapaz de se relacionar e repentinamente sente necessidades incomuns como mudar de emprego e atividades exercidas, estão sujeitas a vivenciar a solidão. Há muitas causas que podem vir a provocar esse sentimento, porém o que muita gente não entende é que elas não são obrigadas a viver com a solidão. É possível enfrentá-la, basta querermos. Mas, prestem atenção, se não cuidarmos, a solidão pode gerar uma depressão, e isso se torna um efeito nocivo. Tristemente muitos não conse- guem lidar adequadamente com este sentimento e acabam por tirar sua vida, não desejam enfrentar e vencer a solidão. Agora você me pergunta, como vencer esse sentimento padre? É possível? Sim, meus irmãos. É possível! Primeiramente devemos aceitar nosso passado. Tudo aquilo que vivemos foi para algum propósito, não há como mudar, pois o fato já aconteceu, não há solução. Ou aceitamos o que passou ou jamais encontraremos a paz. A não aceitação é o próprio demônio, mas por quê? Pois ele não aceitou ser a criatura de Deus, ele se achou mais poderoso, mais belo, mais brilhante e mais glorioso que o próprio Deus e aí foi sua queda. Neste sentido, devemos refletir que nosso passado faz parte de nossa vida e o que passou, deve ficar lá atrás. Vivamos o hoje, alegres e fervorosos para que o sentimento de solidão possa estar longe de nossas vidas e assim, produziremos harmonia e paz dentro de nossos corações. 4 COPIOSA REDENÇÃO | SETEMBRO 2018 PARA REZAR “Ainda que eu atravesse o vale escuro, nada temerei, pois estais comigo. Vosso bordão e vosso báculo são o meu amparo”. Sl 22, 4 PARA MEMORIZAR Deus, meu Pai, “Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo”. Mt 28, 20.

ESPIRITUALIDADE QUE DÁ SENTIDO A Espiritualidade é o que dá sentido à nossa vida ESPIRITUALIDADE Por Padre Fernando Bauwelz, CR A espiritualidade Cristã recorda que nossa alma tende para um caminho de retorno a Deus. Mesmo na rebeldia do nosso coração, a saudade do céu que existe dentro de nós desperta o desejo migratório, por meio do Espírito Santo, e movimenta em nós o impulso de entrarmos no sobrenatural. O homem é um ser transcendente (cf. Gálatas 2,2), ou seja, o homem precisa de Deus, não é capaz de viver deserdado ou emancipado da filiação divina. Santo Agostinho diz que o Espírito Santo implanta dentro de nós um Cor inquietum, e esse coração inquieto não descansará até que repouse em Deus, até que encontre paz, realização, vida abundante de significado e motivos para viver. O padre de Lubac fala que só um amor que impele até o dar a vida pelo objeto do amor, nos revela o sentido último das coisas e não aquele primeiro como quer sugerir a psicologia. Ele afirma que não existe uma natureza pura separada da graça de Deus. Von Baltazar exprime esta necessidade do homem da descoberta do sentido da sua existência na cruz.É diante dela que o homem encontra a força para enfrentar a sua angústia existencial, porque é da encarnação de Deus que assumiu um povo, uma cultura, uma língua, uma mãe, amigos e uma tradição religiosa - descendo ao fundo da condição humana para recolher os últimos- que nasce a nossa esperança. Deus quis experimentar o falimento humano para ser a resposta a esse falimento. Como anunciou bem o profeta Isaías Deus é e é aqui, é o primeiro e se faz último com os últimos. Tem razão o homem sem a experiência pessoal com este Deus de entrar em desespero. Visto que eles não podem vislumbrar a paisagem diante dos seus olhos. O escuro que cega a visão de um homem sem o conhecimento de Deus é realmente angustiante, nos permite compreender a dor que lacera a alma e a insistência na inquietante duvida do porquê existir. O Espírito é aquele que grita por um sentido, pergunta-se onde está o senso das coisas (lógica).É aquele que oferece uma resposta de sentido no Deus crucificado (dramática), é ainda aquele que abre o Reino de Deus sobre a terra em vista de uma civilização do amor (política) e por fim eleva um hino de louvor ao Deus da beleza (estética). Tudo isso por nós. Uma boa notícia é que se aceitamos percorrer este caminho para a vida, temos um acompanhante que dá a força, ilumina o trajeto e ajuda a achar as saídas: o Espírito Santo enviado ao mundo pelo Pai e pelo Filho para que não estivéssemos nunca sozinhos. SETEMBRO 2018 | COPIOSA REDENÇÃO 5

Revista Detur - Setembro 2018
Revista Penha | setembro 2018
WTG - Apresentação Coleção - Setembro 2018
Revista Igreja Viva Edição Setembro 2018
ACIPS NEWSLETTER // Setembro 2018 - Edição 1 - Nº4
Revista Villa Flores - Edição 93 - Setembro/2018
Revista Santíssima Virgem - Edição Setembro 2018
Novidades de setembro