11.11.2018 Views

Revista ASA menor

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

Anuncio 21x15cm.pdf 1 24/10/2018 15:36:23

C

M

Y

FAZ POR

VOCÊ,

FAZ POR

TODOS.

M

Y

Y

Y

K

MODALIDADES

CORRIDAS DE 5K E 10K E CAMINHADA: LOTES COM VALORES PROMOCIONAIS, ANTECIPE SUA INSCRIÇÃO.

MARATONINHA: PARA CRIANÇAS DE 7 A 13 ANOS - DOE UM ITEM DE HIGIENE E INSCREVA-SE GRATUITAMENTE.

KIT

CAMISETA, SACOLINHA

E OUTROS BRINDES DOS PATROCINADORES.

ITAJAÍ

11 DE NOVEMBRO

INSCRIÇÕES ATÉ 05/11

CAÇADOR

18 DE NOVEMBRO

INSCRIÇÕES ATÉ 12/11

JARAGUÁ DO SUL

02 DE DEZEMBRO

INSCRIÇÕES ATÉ 26/11

Patrocínio:

Realização:

Apoio:


Í N D I C E

4

5

Editorial

Ação Social Transformadora

dos Leigos no Mundo

Palavra do Bispo

Ano do Laicato

38

40

Pastoral da Saúde

Saber envelhecer bem e feliz

Portadores de

Necessidades Especiais

Relações Simples e Fraternas

6

Caridade Social

Expressão solidária do amor de Deus

42

Pessoa Idosa

Saber envelhecer bem e feliz

8

Ação Social Paroquial

Solidariedade em favor dos empobrecidos

45

Lar para Idosos

Esperança junto aos enfermos

14

Crianças e Adolescentes

Criando oportunidades para vida

48

Hospitais Católicos

“Eu estava doente e cuidastes de mim”

24

Pastoral da Criança

“Para que todas as crianças tenham vida

e a tenham em abundância”

52

Novas Comunidades

Fé e obras de evangelização

26

30

32

Juventude

“Jovens, não temam responder

generosamente ao chamado do Senhor”

Partoral Carcerária

“Estive preso e viestes me visitar”

Dependentes Químicos

Um espaço para recomeçar

54

58

Santa Paulina

A primeira santa do Brasil

Projetos Sociais

Arquidiocesanos

• FAS: 20 anos de transformação social

• Prêmio de Iniciativa Solidária

• Casa de Apoio São José

• CRAI: Acolhimento aos Imigrantes

• Projeto Rios

35

População de Rua

Mais dignidade às pessoas

66

Glossário


EDITORIAL

AÇÃO SOCIAL

TRANSFORMADORA

DOS LEIGOS NO MUNDO

As desigualdades sociais no Brasil atingem uma grande parcela da população, estando diretamente vinculadas à

distribuição desigual de renda que torna os vulneráveis incapazes de acompanhar a competitividade no mercado de trabalho.

É a partir desse processo de exclusão que a Igreja Católica se manifesta perante a sociedade e desenvolve ações sociais, de

base caritativa, buscando a organização social desta.

A dimensão sócio-transformadora da ação da Igreja é constituída de quatro aspectos complementares e indissociáveis:

sensibilidade para com os fracos e indefesos, solidariedade frente a determinadas emergências, profetismo no combate à

injustiça e espiritualidade libertadora. A ação social é condição indispensável da vivência cristã. O compromisso sociopolítico

não é um apêndice da fé. Ao contrário, faz parte inerente de suas exigências. A fé cristã tem, necessariamente, uma dimensão

social. Não é isso o que nos ensina o episódio do Bom Samaritano? Ou seja, entrar ou não entrar na vida eterna é uma alternativa

que está condicionada à atitude frente ao irmão caído e ferido na beira da estrada. Tal condição se torna ainda mais clara no

texto do Juízo Final: “Vinde, benditos de meu Pai, porque estava com fome e me destes de comer...”.

O leigo presta um serviço cristão à humanidade, quando exerce sua cidadania guiado pela Doutrina Social da Igreja,

procurando uma coerência, nem sempre de fácil discernimento, entre ser membro da Igreja e ser cidadão.

Essa revista é um pequeno retrato de como os leigos e leigas da Arquidiocese de Florianópolis são perseverantes na

missão e atuam na transformação do mundo, sendo a luz que ilumina e o sal que dá gosto.

Boa leitura!

FERNANDO ANÍSIO BATISTA

Secretário Executivo da Ação Social Arquidiocesana

Esta revista é uma publicação da

Arquidiocese de Florianópolis.

Rua Esteves Junior, 447 - Centro, Florianópolis/SC

(48) 3224-4799 | www.asafloripa.org.br

E-mail: asa@arquifln.org.br

TIRAGEM: 10 mil exemplares

IMPRESSÃO: Gráfica Coan

PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO:

Agência Inspirato | contato@agenciainspirato.com.br

RESPONSÁVEIS:

Dom Wilson Tadeu Jonck

Arcebispo Metropolitano

Diác. Luiz Paulo de Campos

Presidente da ASA

Fernando Anísio Batista

Secretário Executivo da ASA

REVISÃO:

Irmã Clea Fuck

CONTEÚDOS:

Jornalista - Olga Teresinha de Oliveira

RP: 004257 – Oliveiras Social Comunicações

Entidades participantes da Revista

4 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


PALAVRA DO BISPO

ANO DO LAICATO

Celebramos em 2018 o ano do laicato. Foi uma forma de

chamar a atenção sobre a identidade do leigo na Igreja e eu

papel na sociedade. De fato, os leigos apresentam o rosto

da Igreja. Basta citar três cenários. O primeiro é quando

os leigos se reúnem para celebrar. É uma das faces mais

conhecidas da Igreja, apresentam-se como comunidade. É

um corpo que se une na mesma fé em Deus. Outro rosto do

leigo na Igreja é encontrado na família. É a mais nobre missão

do leigo formar famílias consistentes e ajustadas. Na família

encontra-se o embrião do que se sonha para uma sociedade

organizada.

“os leigos apresentam

o rosto da Igreja”

fé opera pela caridade” (Gl 5,6). A fé não depende das obras,

porque as precede, mas é através das obras que manifesta a

sua autenticidade.

O homem atual dá a impressão, muitas vezes, de querer

ter o mundo em suas mãos. Parece querer prescindir de Deus.

Mas sem Cristo não realizamos nada de permanentemente

bom. Os cristãos têm consciência de que devem ser fermento

no mundo através da caridade. É chamado a tornar crível sua

fé e o seu testemunho através da prática da caridade. Pela

caridade Deus se faz presente na sociedade.

D. WILSON TADEU JÖNCK

Arcebispo de Florianópolis

Um terceiro rosto representativo da Igreja católica

é o voluntariado presente nas obras de caridade. São

milhares em nossa arquidiocese. São milhares. Podem

ser encontrados em todas as paróquias e comunidades.

O trabalho voluntário alimenta a fé de quem o exerce, mas

também é a ação que transforma a vida de tantas pessoas

necessitadas. Sem a atividade caridosa dos voluntários a

sociedade não seria a mesma.

O cristão encontra nas palavras da Escritura a razão para

a atividade caritativa. Eis algumas frases: “ Não amemos

só com palavras, mas com ações e verdade” (1 Jo 3,18).

“Quem tiver duas túnicas, reparta-as com aquele que não

tem e quem tiver o que comer faça o mesmo” ( Lc 3, 11).

“´Dá ao que te pede e não voltes as costas ao que te pede

emprestado” (Mt 5, 42). Quando deres uma festa chama os

pobres, estropiados, coxos, cegos” (Lc 14,13). “A fé sem obras

é morta” (Tg 2,26). “Se alguém disser que tem fé, mas não tem

obras, que proveito terá? (Tg 2,14). São Paulo afirma que “a

5


Caridade Social

SAL DA TERRA

“Vos sois o Sal da terra na família, no trabalho, na política, em todos os âmbitos de

atividade humana. Verdadeiros sujeitos eclesiais, aptos a atuar na Igreja e na sociedade.”

(Hino Oficial do Ano do Laicato)

O projeto Caridade Social na Arquidiocese de Florianópolis tem como objetivo geral “contribuir com a dimensão social

e da caridade, com vistas à construção, organização, ampliação, unificação e divulgação de todos os trabalhos sociais e

caritativos na Arquidiocese”. É desenvolvido em âmbito arquidiocesano, forâneo e paroquial, sob a coordenação da Ação

Social Arquidiocesana (ASA). Ele está em consonância com as linhas de ação presentes na quinta urgência do 13 Plano

Arquidiocesano de Pastoral e das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil “Igreja a serviço da vida plena

para todos”.

Entre as atividades previstas no projeto destacam-se:

• Fortalecer a conscientização para a prática efetiva da solidariedade

e caridade cristã, como atitude indissociável da vivência da fé;

• Recuperar a presença pública da Igreja nas políticas públicas a

favor da vida humana nas lutas pelas melhorias, tais como: saúde,

educação, segurança, alimentação e transporte;

• Promover a articulação com as pastorais e movimento de modo a

desenvolverem trabalhos conjuntos de conscientização e prática

da caridade social;

• Divulgar a enorme riqueza dos trabalhos sociais e caritativos

desenvolvidos em toda arquidiocese;

• Fomentar e incentivar a prática da caridade social em todos

os seguimentos paroquiais;

• Estruturar e organizar, onde for necessário, as ações

sociais paroquiais de forma a adequá-las gradativamente à

legislação vigente, para o enquadramento como Entidades

de Assistência Social;

• Despertar e motivar a criação e organização das pastorais

sociais paroquiais;

• Incentivar e promover formação para participação nos

conselhos municipais de políticas públicas.

O QUE É A ASA?

A ASA constrói à sua identidade e seu sentido Social, contribuindo nos processos de transformação e

desenvolvimento da sociedade, com base em parâmetros éticos, que conduzam à defesa da vida plena para

todos, à vivência da Justiça e da Solidariedade. É uma associação civil sem fins econômicos. É um organismo

da Arquidiocese de Florianópolis e Entidades Membro da Caritas Brasileira. Foi criada em 17 de novembro

de 1960. Atua, prioritariamente, nos 30 municípios da Arquidiocese de Florianópolis. Possui o Certificado de

Entidade Beneficente de Assistência Social, Utilidade Pública Municipal, Estadual e Federal.

6 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


Dimensão Social na Evangelização

LUZ DO MUNDO

“Vós sois a luz do mundo, Levai aos povos todos o amor, meu dom fecundo! Teu Reino,

ó Jesus Cristo, queremos propagar, Seguindo o teu exemplo, o mundo transformar!”

(Hino Oficial do Ano do Laicato)

7


AÇÃO SOCIAL PAROQUIAL

“Igreja a serviço da vida plena para todos.”

(5ª URGÊNCIA PASTORAL DA ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS)

A AÇÃO SOCIAL E CULTURAL NOSSA SENHORA DA GLÓRIA

(ASCUNSEG) - FLORIANÓPOLIS realiza os projetos BEM VIVER,

trabalho desenvolvido com os idosos, BOM SAMARITANO, junto

às pessoas de rua, e o PROJETO MÃOS SOLIDÁRIAS, que atua

em duas frentes de ação: a) CURSO DE CORTE E COSTURA, que

atende jovens e adultos a partir dos 18 anos, através do serviço de

promoção de acesso ao mundo do trabalho, que visa a oferecer

aos usuários um ambiente propício para o desenvolvimento das

habilidades, bem como o resgate da autoestima e autonomia

e, também, propiciar encontros que visam fundamentalmente

à inserção e à progressão ao mundo do trabalho; b) CURSO DE

ARTESANATO, para mulheres com idade igual ou superior a 50

anos de idade, com a finalidade de resgatar a autoestima e autonomia

das usuárias, bem como um momento de confraternização

entre as participantes, lanches coletivos e convivência social.

A AÇÃO SOCIAL PAROQUIAL DE INGLESES (ASPI) - FLORIANÓPOLIS realiza trabalhos com famílias; mulheres

vítimas de violência doméstica; encaminhamento para o mercado de trabalho. O Projeto RECONSTRUINDO SONHOS

auxilia mulheres que vivenciaram violência doméstica, e tem como meta o empoderamento dessas mulheres, proporcionando

autonomia financeira, com melhorias na qualidade de vida e renda familiar, oferecendo oficinas voltadas

para o artesanato, reaproveitando materiais, entre outros. Em paralelo às oficinas ocorrem atendimentos gratuitos

com profissionais dos setores jurídicos e psicológicos, além de mini-oficinas sobre saúde e direitos sociais. O projeto

tem o apoio do Colégio Santa Teresinha, da Ação Social Arquidiocesana-ASA e da ACIF/PAP.

A AÇÃO SOCIAL NEOTRENTINA, de Nova Trento, desenvolve

quatro projetos: Corte e costura, Crochê, Tricô, Pintura em Tecido,

que acontecem toda terça-feira à tarde, na sala da Ação Social

Neotrentina. São atendidas 150 pessoas por semana, de 10 a 80 anos.

Nas segundas-feiras à tarde são distribuídas roupas e calçados

e também há um brechó. Uma equipe de voluntários faz a entrega

de roupas, e as professoras dos cursos também são voluntárias. As

roupas doadas pela comunidade, que não têm condições de uso, são

cortadas e costuradas e feito estopas, que são vendidas para mecânicas,

o que gera recursos para que a Ação Social consiga manter-se.

8 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


O projeto PÃO DE CADA DIA é desenvolvido pela AÇÃO SOCIAL PAROQUIAL

SANTA MARIA GORETTI, da Coloninha - Florianópolis. O projeto realiza o acolhimento

de 50 famílias devidamente cadastradas e acompanhadas nas suas mais

diversas necessidades, ofertando, além do alimento, orientação técnica e encaminhamento

para a rede sócioassistencial do município. O público alvo do projeto são

os moradores do entorno da paróquia, mais especificamente do bairro Monte Cristo,

Chico Mendes e Novo Horizonte. As famílias cadastradas no projeto participam

mensalmente de palestras formativas, além de terem suas demandas devidamente

encaminhadas. Recebem assessoria jurídica gratuita, conforme necessidade, e uma

cesta básica por mês. O projeto atende cerca de 200 pessoas e tem uma assistente

social e três voluntários que realizam a montagem das cestas e auxiliam a assistente

social no dia da distribuição.

A AÇÃO SOCIAL E CULTURAL NOSSA SENHORA DOS

NAVEGANTES, de Itapema, trabalha com assistência às

famílias carentes com visitas frequentes, cestas básicas,

encaminhamentos aos órgãos públicos, e oferece cursos de

capacitação profissional: libras, culinária, corte e costura.

Além do brechó e clube de mães coordenados pela entidade,

neste ano, os responsáveis realizaram um curso especial, o

CURSO DE HAMBÚRGUERES para os Haitianos: em parceria

com a Associação dos Haitianos e a Igreja Luterana, foi realizado

um curso de capacitação em Hamburgueria. Inscreveram-se

29 haitianos, sendo que destes 27 se formaram. Para

a coordenadora da ação social paroquial, Nilce A. da Cunha

Oliveira, este “foi um curso repleto de muita emoção e alegria

para todos, foi uma experiência maravilhosa”. Contam com

25 voluntários para realizar os trabalhos.

A AÇÃO SOCIAL PONTE DO IMARUIM - PALHOÇA presta

assistência social a famílias em situação de vulnerabilidade

social na área de abrangência paroquial, ou seja, os bairros Ponte

do Imaruim, com ênfase nas comunidades Praia, Jardim Eucaliptus,

Jardim Eldorado, Brejarú e Frei Damião. Dentre os projetos

desenvolvidos temos o Projeto Nova Vida, Banco de Alimentos e

Brechó Solidário: quintas-feiras às 14h, na Igreja Matriz.

AÇÃO SOCIAL PAROQUIAL

9


Desde outubro de 1967, a AÇÃO SOCIAL E CULTURAL CRISTO REI, de

Camboriú, realiza trabalho junto às famílias de baixa renda, dando assistência,

desenvolvendo projetos sociais, e, principalmente, proporcionando aos mais

jovens uma vida mais digna e promissora em se tratando de mercado de trabalho.

Foram atendidas, em 2017, 1941 famílias e atingimos 8.318 pessoas. Foram distribuídos

18.836 kg de alimentos, 22.635 peças de roupas, 1.186 pares de calçados e

23 cobertores. Também foram realizados Curso de manicure e pedicure, Curso

de violão em dois núcleos, coral com crianças em um dos núcleos. No Clube de

Mães são desenvolvidos trabalhos artesanais manuais.

Testemunho: 50 anos na ação social

A senhora Helena Maria Dellagnelo está há mais de 50 anos na ação

social. Desde 1967, com 13 anos, ela veio fazer o curso de corte e costura e

nunca mais deixou a ação social. Hoje ela reside em outra cidade, mas toda

semana ela vem a Camboriú para participar voluntariamente do atendimento.

A AÇÃO SOCIAL PAROQUIAL DOM JOAQUIM, de Brusque, tem 25 voluntários e voluntárias, que, entre outras atividades,

realizam cursos para gestantes para confecção de enxovais para os futuros bebês. empréstimo de cadeiras de rodas aos

necessitados, doação de roupas, calçados, alimentos, brechó. O Clube de Mães tem a contribuição dos idosos, com a sala de

costura. Também realizam o Natal solidário.

A AÇÃO SOCIAL DA PARÓQUIA da FAZENDA - ITAJAÍ atende famílias necessitadas

com a distribuição de cestas básicas, e tem um trabalho no fortalecimento

de vínculo com idosos da comunidade. Além disso, desenvolvem-se ações de

reestruturação e reformas de casas de famílias carentes e que estão em situação

de risco. Segundo os responsáveis da entidade, este trabalho tem gerado um forte

envolvimento voluntário de diversas pessoas na comunidade e, principalmente,

resgatando a dignidade para muitas famílias ao poder olhar para seu lar e perceber

que seu “porto seguro” realmente é um lugar seguro e digno de viver. Todo o trabalho

é realizado por uma equipe de 37 voluntários, que realizam a captação de insumos e

materiais de construção, montagem e distribuição de cestas básicas.

A PARÓQUIA SÃO FRANCISCO XAVIER, de Florianópolis, realiza,

através de sua ação, distribuição de roupas e cestas básicas para pessoas

carentes. Tem 41 famílias cadastradas para a retirada mensal destes

alimentos. Conta com 40 voluntários e voluntárias, que atuam na reciclagem

de roupas, ensinamentos e nos demais trabalhos da ação social.

10 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


Trabalhando a conscientização junto aos

grupos e pastorais da paróquia para a arrecadação

de alimentos, a AÇÃO SOCIAL NOSSA

SENHORA APARECIDA, de Balneário Camboriú,

leva em frente os trabalhos. Atendem mensalmente

cerca de 114 pessoas nas diversas faixas

etárias. Eles arrecadam os alimentos, visitam

os doentes, fazem entrega de móveis usados,

auxílio gás, remédios, bazar e enxovais para

bebês. Realizam encontros para confeccionar

trabalhos manuais, crochê e bordado.

Com o foco em dar mais dignidade às famílias cadastradas

e aos moradores de rua, a AÇÃO SOCIAL DE

CAMPINAS, de São José, realiza a doação de cestas

básicas, roupas e lanches. Atendem mensalmente cerca

de 470 pessoas, com 12 voluntários que realizam a separação

e confecção das roupas e distribuição dos lanches.

A AÇÃO SOCIAL DE BARREIROS, de São José,

tem por finalidade apoiar e desenvolver ações para

a defesa, elevação e manutenção da qualidade de

vida do ser humano e do meio ambiente, através das

atividades de educação infantil, jovens, adultos,

terceira idade, profissional, especial e ambiental:

a sala de costura, com confecção de enxovais para

mães carentes, e brechós com doações para famílias

carentes. Também há o projeto da caridade

fraterna, com a parceria do Projeto Solidário Amor

sobre Rodas, na comunidade Pedregal, do bairro

Ipiranga. A direção e coordenação de grupos e

lideranças comunitárias é realizada por cerca de

30 voluntários e voluntárias.

AÇÃO SOCIAL PAROQUIAL

11


A cozinha solidária ensina as famílias cadastradas a aproveitar integralmente os

alimentos. O Projeto Vivendo e Aprendendo realiza alfabetização para as mulheres, Oficina

de costura, Projeto Agroecologia na comunidade indígena Guarani Yvy j umiri, projeto

viabilizado através de fundos do FAS, para aumentar e

diversificar a produção de alimentos na comunidade, e

mais algumas são parte das atividades realizadas pela

AÇÃO SOCIAL SÃO JOÃO EVANGELISTA, da Paróquia de

Biguaçu. O trabalho é desenvolvido por 34 voluntários e

voluntárias, que trabalham na doação de roupas, atendimento

no brechó e participação nas oficinas e atividades

desenvolvidas pela instituição.

Oficinas de artesanatos (pintura em tecido, tricô e crochê),

alfabetização para adultos e auxílio para as famílias que passam

por dificuldade com alimentação complementam os trabalhos

da AÇÃO SOCIAL E CULTURAL MONTE ALEGRE, de Camboriú,

da Paróquia Senhor Bom Jesus. Atende mensalmente cerca

de 305 pessoas e tem 17 voluntários.

Na AÇÃO SOCIAL PAROQUIAL SÃO LUÍS GONZAGA, de Brusque, são

atendidas mensalmente cerca de 500 pessoas através do trabalho de

voluntários e voluntárias no atendimento de pessoas carentes, através da

doação de roupas, calçados, de cama, mesa e banho, e utensílios domésticos.

Com o intuito de melhorar a qualidade de vida das pessoas, o Clube de Mães

São Francisco de Assis e o Grupo de Trabalhos Manuais Nossa Senhora de

Lourdes se encontram semanalmente para realizar o bazar, confeccionar

artesanatos, entregar enxovais, realizar trabalhos com crochê e reciclagem,

e dão suporte a outros projetos da ação social paroquial. Os encontros

também são momentos especiais de partilha de vida para as voluntárias.

12 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


UMA REALIDADE VIOLENTA...

“O País precisa, com urgência, adotar medidas efetivas

de prevenção e resposta às formas extremas de violência.”

Nos últimos anos, o Brasil avançou na garantia dos

direitos de crianças e adolescentes. No entanto, as desigualdades

permanecem. Muitos meninos e meninas são

abandonados e correm o risco de ser vítimas de formas

extremas de violência. Desde 2012, a taxa de homicídios de

adolescentes é mais alta do que a da população em geral.

Há um perfil claro dos adolescentes mortos: são em sua

maioria meninos negros, pobres, moradores das periferias

dos grandes centros urbanos. Muitos deles estão fora da

escola. Ao mesmo tempo em que crescem os homicídios

de adolescentes, aumenta também o número de meninos

e meninas cumprindo medidas socioeducativas em meio

fechado. Ou seja: o encarceramento não tem ajudado a

reduzir a violência. O País precisa, com urgência, adotar

medidas efetivas de prevenção e resposta às formas

extremas de violência. Se o cenário atual se mantiver, 43 mil

meninos e meninas podem ser assassinados no Brasil entre

2015 e 2021.

13


CRIANÇAS & ADOLESCENTES

“Ide, sem medo, para servir!” (Papa Francisco)

A Igreja marca sua presença nas comunidades de periferia e desenvolve diversos projetos

com crianças e adolescentes. São creches comunitárias, projetos socioeducativos de

contra turno escolar, casas lares, escolas privadas com o ensino gratuito, cozinhas

comunitárias, que acolhem, alimentam, orientam, ajudam a educar e a buscar uma vida

melhor com uma perspectiva de futuro para cada atendido.

A Paróquia Sagrados Corações, de São José, mantém a

Creche Nossa Senhora de Lourdes com 81 crianças de 2 a 6 anos

(educação infantil). Na comunidade do Pedregal, no bairro Ipiranga,

a Creche Santo Anjo da Guarda tem 120 crianças na faixa etária

de 0-6 anos (Educação Infantil) que também são atendidas. E

no Projeto Dia de Alegria proporcionam um dia de lazer no Beto

Carreiro World para os adolescentes da comunidade do Pedregal,

com a ajuda de padrinhos solidários.

14 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


A Cozinha Comunitária Diácono Venceslau é fruto do

trabalho da ação social da Paróquia Nossa Senhora dos

Navegantes e São Pedro; atendem-se diariamente 40 crianças

e algumas mães gestantes, que acompanham seus filhos na

alimentação. O diácono Francisco Carlos de Souza, responsável

pela cozinha, relatou que servem diariamente uma refeição

saudável para estas pessoas, porque para muitas delas é a

única do dia. A cozinha está localizada no salão da Igreja Senhor

Bom Jesus, local totalmente adequado para o funcionamento e

preparado para o atendimento às crianças. Relatou ainda que o

projeto conta com nove voluntárias que todos os dias preparam

o almoço, cuidam da limpeza do ambiente e acolhem as crianças

que, muitas vezes, chegam à cozinha desnutridas; ao saciar

a fome destas crianças, as voluntárias, além de alimentá-las,

contribuem para que elas criem forças para irem para a escola

bem nutridas, e, também, para que elas acreditem que é possível

um mundo melhor,e que tem alguém que olhe por elas, por

justiça e paz, diz o diácono. A cozinha está localizada em uma

área onde a droga, o álcool e o crime têm afetado muitas famílias.

As crianças também encontram um ambiente de alegria e de paz

diferente do espaço em que vivem.

Oficinas de Karatê, violão e técnica vocal

são oferecidas pela Paróquia Senhor Bom

Jesus através da Ação Social e Cultural de

Monte Alegre, de Camboriú.

O projeto Fio Encantado é uma iniciativa da Paróquia

São João Evangelista, de Biguaçu, através da

ação social, que consiste em confeccionar e doar

perucas e touquinhas de lã para as crianças que lutam

contra o câncer no Hospital Infantil de Florianópolis.

15

15


Na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes e São Luiz,

dois projetos atendem crianças e adolescentes através da

Assistência Social São Luiz: O Projeto Esperança, que é um

serviço de convivência e fortalecimento de vínculos, atende

120 Crianças e Adolescentes de 06 a 15 anos, da região da

Agronômica, em situação de vulnerabilidade. Conta com

sete funcionários contratados e três voluntários; e o Projeto

Criança Feliz, que tem como missão fortalecer a convivência

de respeito, solidariedade e vínculos entre crianças, família e

comunidade, contribui na criação de um ambiente favorável,

auxiliando as famílias no processo educacional e de

desenvolvimento, possibilitando acesso aos direitos sociais.

O acompanhamento é quinzenal nas comunidades do Morro

do Horácio e Santa Vitória. São realizadas reuniões com as

famílias, orientações sobre alimentação, saúde, cuidados

pessoais e higiênicos, dinâmicas de relacionamento, entre

outros. São entregues cestas básicas para 40 famílias,

enxovais para mães necessitadas, e realiza-se um lanche de

confraternização. Atendem-se 100 crianças, e os trabalhos

são realizados por 10 voluntários.

A Associação João Paulo II atende crianças,

adolescentes e famílias em situação de vulnerabilidade e

risco social, da Comunidade Praia, uma das comunidades

mais empobrecidas de Palhoça, situada no bairro Ponte do

Imaruim. A Associação oferta atendimento para crianças

de 2 a 5 anos, em período parcial e integral, através da

Educação Infantil. Atende também crianças e adolescentes

de 6 a 15 anos no Serviço de Convivência e Fortalecimento

de Vínculos, em jornada ampliada (contra turno escolar). Ao

todo, a Associação João Paulo II atende aproximadamente

200 crianças e adolescentes, garantindo acesso à

alimentação adequada, bem como acesso à educação,

cultura, esporte, lazer, convivência familiar e comunitária.

Conta com o trabalho de 18 voluntários/as nas ações do Tear

Terapia e na diretoria. Para os trabalhos de serviço social,

pedagogia e administração, conta com 22 profissionais

contratados(as). A instituição se mantém através de

doações, eventos, campanhas e convênios públicos.

16 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


No total são 770 crianças e adolescentes atendidos diariamente pelo IDES. A Irmandade Divino Espirito Santo é

uma Organização Não Governamental, e que há mais de 100 anos desenvolve projetos socioeducativos. Seus programas

se dividem em Casa Lar, Centro de Educação Infantil, Jornada Ampliada e Adolescente Aprendiz. São acolhidas

crianças encaminhadas pela Justiça ou pelo Conselho Tutelar, como medida de proteção excepcional e provisória por se

encontrarem em situação de risco. O Centro de Educação Infantil atende 400 crianças diariamente e funciona 11 horas

por dia. Já na Jornada Ampliada são atendidas cerca de 130 crianças e adolescentes durante o contra turno escolar. No

projeto Adolescente Aprendiz, 240 jovens são inseridos na aprendizagem. Para manter esses trabalhos, o IDES realiza

eventos, campanhas, rifas, brechó e bazares. Também recebe doações e têm convênios públicos e privados. Os gastos

mensais com todos os projetos da entidade são de aproximadamente R$ 450,000,00 (quatrocentos e cinquenta mil

reais). Tem uma equipe de 326 voluntários que desenvolvem atividades na Diretoria, ou como palestrantes, cuidadores

infantis, educadores, trabalhando nas barracas da Divina Festa, desenvolvendo trabalhos de artesanato, entre outros.

Os contratados são em número de 150 e atuam na gestão, recursos humanos, educação, financeiro, operacional, entre

outras. Em 2018, a Irmandade do Divino Espírito Santo é eleita uma das Melhores ONGs do Brasil.

A Associação Casa São José faz parte da rede da ação

social da Paróquia da Santíssima Trindade, de Florianópolis.

É uma entidade não governamental, que atende 190

crianças de 6 a 15 anos, no contra turno escolar, na comunidade

da Serrinha. Oferece as seguintes oficinas: Apoio pedagógico,

educação física,

informática, circo, teatro,

dança, artesanato, sapateado,

italiano, desenho

e oficina do coração.

Realizam atendimentos

com psicóloga, assistente

social, fonoaudióloga,

dentista e psicopedagoga,

além de ofertarem cinco

refeições diárias. Para desenvolver suas atividades, contam

com 11 voluntários que fazem parte da diretoria, e outros são

oficineiros, como a professora de artesanato e da oficina

do coração. A casa tem 21 profissionais contratados que

atuam nas áreas da educação, odontológica, assistência

social, psicológica e psicopedagógica.

Para manter todas

as atividades da casa, necessitam

mobilizar, em média, ao

mês, R$ 55.000,00 (cinquenta

e cinco mil reais); para tanto,

contam com convênios

públicos, realizam eventos,

brechós, bazares e recebem

doações.

CRIANÇAS E ADOLESCENTES

17


As Obras Sociais da Comunidade Paroquial de

Coqueiros - OSCOPAC administram o Lar Nossa Senhora do

Carmo, em Florianópolis, que, há 24 anos, acolhe crianças

e adolescentes com direitos violados, encaminhados pelo

Juizado da Infância e da Juventude.

As atividades são realizadas através do Projeto Fazendo

Minha História, que atua com apoio pedagógico, interação

com cães por meio do Patas do Bem, atividades de arte-

-terapia, grupo de psicologia e atendimento psicológico da

Estácio de Sá. Conta com 26 voluntários, que desenvolvem

atividades nas áreas de reforço escolar, avaliação psicopedagógica,

atendimentos na área da saúde, horta, doação de

auxílios concretos (alimentos, roupas, materiais de higiene

pessoal, etc.).

A Casa Madre Teresa de Calcutá, que faz parte

da Ação Social Santo Antônio, de Itapema, atende

cerca de 150 crianças e adolescentes no contra

turno escolar.

São oferecidas oficinas de coral, violão, teclado,

flauta, dança, judô, reforço escolar, atendimento

psicológico e artesanato. Com uma equipe de 95

voluntários e professores contratados são oferecidas

oportunidades no desenvolvimento de aptidões,

sejam elas físicas ou mentais. A casa está localizada

numa área empobrecida da região, e a oportunidade

de desenvolver essas atividades os resgata de possíveis

situações de violência nas ruas. Hoje, muitas

crianças que já passaram pela casa são destaques

na comunidade.

Os trabalhos no campo do Serviço Social, psicologia,

pedagogia, educadores sociais, auxiliares de educadoras,

auxiliar de manutenção e administração são desenvolvidos

por 12 profissionais contratados. Mensalmente, para manter

todos os trabalhos da Casa Lar, são gastos R$40.000,00

(quarenta mil reais), que chegam através de eventos promovidos

pela instituição, brechós e convênios públicos.

Na Paróquia São Judas Tadeu e São João

Batista, a ação social leva em frente o projeto Informatizando

para o saber para crianças e jovens. Na

área da informática, a Paróquia de Santo Antônio e

Santa Maria Gorete, da Coloninha, através da ação

social paroquial oferece o curso de programação de

robótica para as crianças e jovens.

18 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


A Casa da Criança do Morro da Penitenciária integra

a Ação Social da Paróquia da Santíssima Trindade,

de Florianópolis. São desenvolvidas atividades no

período ampliado à escola regular. Atende 116 crianças

e adolescentes, de 06 a 17 anos, de comunidades

empobrecidas. A equipe tem como missão, no

desenvolvimento de seus trabalhos, levar as crianças

e adolescentes a aprender a ser, a conviver, a fazer e a

conhecer, como possibilidade concreta de uma educação

para o desenvolvimento integral e com proteção social.

Possui três Núcleos de Linguagem, que agregam as

atividades: arte e educação, esporte e lazer e inclusão

digital, recheados de conteúdos e atividades, voltados para

a convivência e fortalecimento de vínculos. O trabalho é

realizado por 25 pessoas, sendo que oito são voluntárias

(diretoria, dentista, web design, educadores). Os gastos

mensais são de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais). Os

recursos para manter os trabalhos são advindos de doações,

eventos, rifas, brechós, bazares, convênios públicos, e da

Ação Social da Trindade.

O Centro Educacional Marista São José, localizado

no Bairro Serraria – Loteamento Jardim Zanellato,

em São José, integra a Rede Marista de Solidariedade

e tem aproximadamente 2.200 atendimentos

semanais distribuídos

no Ensino Fundamental

ao Médio e na Jornada

Ampliada. Utilizando-se

de múltiplas linguagens,

o Marista São José

oferece Ensino regular e

Jornada Ampliada, a qual

desenvolve projetos no

contra turno escolar que

potencializam a interlocução

com o território

e com as famílias e favorecem o protagonismo dos

educandos. Atende 576 crianças de 07 a 12 e 498 de

13 a 18 anos matriculados. Os 70 voluntários trabalham

como monitores em projetos de contra turno escolar.

Possui 114 profissionais

contratados, que atuam

na educação do ensino

regular, do Fundamental

ao Ensino Médio, e oficinas

de rádio e televisão, dança,

esportes, laboratório de

criação visual, laboratório

científico, musicalização,

incluindo uma Camerata

(orquestra de câmara).

CRIANÇAS E ADOLESCENTES

19


A Creche São Francisco de Assis, situada no bairro

Serrinha, em Florianópolis, tem 34 anos de existência,

atende cerca de 115 crianças na faixa etária de 4 meses a 4

anos. Contam com 22 funcionários (professores(as), cozinheiras

e auxiliar de limpeza) e 15 voluntários, que trabalham

na administração e benfeitorias da creche. A creche oferece

quatro refeições diárias, com cardápio elaborado por uma

nutricionista. Atende das 7h às 19h. Tem um programa para

o desenvolvimento integral das crianças, com brincadeiras

e ludicidade, garantindo o direito de uma infância saudável.

TESTEMUNHO

“Ser ponte é o que nos move”

A creche iniciou suas atividades em 1981 com

um grupo de casais do movimento de Cursilhistas

da Paróquia da Trindade, inspirados pela passagem

do Evangelho de que a “fé sem obras é morta”. Ao

olhar a realidade que os cercava, percebeu que uma

das grandes dificuldades era ter um lugar para que

as mães pudessem sair para o

trabalho e deixar seus filhos.

Logo arregaçaram as mangas

e foram em busca de parceiros

junto à comunidade. Alguns

meses depois, a creche foi

inaugurada. Na época, ela tinha

a capacidade de atender 30

crianças, e tornava real o sonho

daquele grupo de pessoas. Os

trabalhos iniciaram de forma

humilde e, com o aumento da

demanda, tiveram que ampliar.

O encantamento das pessoas

que passam pela creche segue

pela vida, diz a fundadora. Certo

dia encontrei uma jovem que me

disse: ‘passei pela creche e devo

a ela muito do que sou hoje.’ São exemplos como

estes que nos fazem seguir em frente, cumprindo

com a missão inicial que era ajudar as mulheres a

entrar no mercado de trabalho. “Ser ponte para que

esta transformação social aconteça todos os dias é

o que nos move”. Nós não cuidamos só das crianças,

mas também de suas famílias,

procurando sempre acolher

bem cada mãe e pai que chegam

à instituição, ajudando-os na

orientação dos filhos e das famílias.

Cada vez que escuto que

uma das minhas crianças está

na universidade, empregado,

meu coração se alegra e sinto

estar cumprindo a missão que

nos foi confiada. É bom ver que

estamos numa caminhada de

sucesso, não para nós, mas para

aqueles que atendemos.

Claudete Gomes de Aguiar, 78 anos

20 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


PARA COMPLETAR ESSA

rede solidária

QUE TRABALHA COM

crianças e adolescentes,

NA ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS, NOMEAMOS ABAIXO

instituições

QUE REALIZAM VALOROSOS TRABALHOS:

(Florianópolis)

(Itajaí) (Florianópolis)

Obras da

Associação Social

DOM ORIONE

(Palhoça) (São João Batista)

(Florianópolis)

21

21


SITUAÇÃO DAS

crianças & adolescentes

NO BRASIL

Você sabia?

- O Brasil possui uma população de 206,1 milhões de pessoas, dos

quais 57,6 milhões têm menos de 18 anos de idade (Estimativa IBGE para

2016). Mais da metade de todas as crianças e adolescentes brasileiros

são afrodescendentes e um terço dos cerca de 820 mil indígenas

do país é criança. São dezenas de milhões de pessoas que possuem

direitos e deveres e necessitam de condições para desenvolver com

plenitude todo o seu potencial.

- Embora o País tenha feito grandes progressos em relação à sua

população mais jovem, os avanços não atingiram todas as crianças e

todos os adolescentes da mesma forma. O Brasil é ainda um dos países

mais desiguais do mundo. Por exemplo, de 1990 a 2016, a mortalidade

infantil foi reduzida em 75% no País (UN-IGME). No entanto, as crianças

indígenas têm duas vezes mais chance de morrer antes de 1 ano de

idade. (Siasi/Sesai/MS, 2016)

- As crianças indígenas também estão entre as mais excluídas

quando falamos da falta de registro civil de nascimento. Apenas 58%

delas são registradas no primeiro ano de vida (Censo Demográfico

2010). Em 2014, a média do Brasil era de 99% (IBGE).

22


- De 1990 a 2015, o percentual de crianças com idade escolar

obrigatória fora da escola caiu de 19,6% para 6,5% (Pnad). No entanto,

mesmo com tantos avanços, em 2015, 2,8 milhões de meninos e

meninas ainda estavam fora da escola (Pnad, 2015). E essa exclusão

escolar tem rosto e endereço: quem está fora da escola são pobres,

negros, indígenas e quilombolas. Uma parcela tem algum tipo de

deficiência. E grande parte vive nas periferias dos grandes centros

urbanos, no Semiárido, na Amazônia e na zona rural. Muitos deixam a

escola para trabalhar e contribuir com a renda familiar.

- O Brasil avançou no controle da transmissão do HIV de mães

para bebês. A chamada transmissão vertical do vírus da aids caiu pela

metade entre 1995 e 2015. No entanto, de 2004 a 2015, o número de

novos casos entre meninos e meninas de 15 a 19 anos aumentou 53%

(Datasus).

-Para o UNICEF, a face mais trágica das violações de direitos

que afetam meninos e meninas no Brasil são os homicídios de

adolescentes: a cada dia, 31 crianças e adolescentes são assassinados

no País [estimativa do UNICEF baseada em dados do Datasus (2016)] —

quase todos meninos, negros, moradores de favelas.

- O Brasil é o país com o maior número absoluto de adolescentes

assassinados no mundo. Em 2015, foram 11.403 meninos e meninas

de 10 a 19 anos vítimas de homicídios. Desses, 10.480 eram meninos

— número maior do que o total de mortes violentas de meninos em

países afetados por conflitos, como Síria e Iraque.

- O Brasil tem uma das legislações mais avançadas do mundo no

que diz respeito à proteção da infância e da adolescência. No entanto,

é necessário adotar políticas públicas capazes de combater e superar

as desigualdades geográficas, sociais e étnicas do País e celebrar a

riqueza de sua diversidade.

23


PASTORAL DA

Criança

“Para que todas as crianças tenham vida

e a tenham em abundância”

(CF. JO 10,10)

Em 14 paróquias da Arquidiocese de Florianópolis, a Pastoral da Criança está organizada

e alicerça sua atuação na organização da comunidade e na capacitação de mais de 350

líderes voluntárias, que orientam e acompanham as famílias em ações básicas de saúde,

educação, nutrição e cidadania, tendo como objetivo o “desenvolvimento integral das

crianças, promovendo, em função delas, também suas famílias e comunidades, sem

distinção de raça, cor, profissão, nacionalidade, sexo, credo religioso ou político”.

Paróquia Divino Espírito Santo, Camboriú

A Pastoral da Criança desenvolve o trabalho em três

comunidades e conta com 20 voluntários para a realização

do trabalho; atende 3.313 crianças na faixa etária

de zero a 13 anos e mantém uma horta comunitária.

Na Ação Social e Cultural de Enseada de Brito (ASEBRITO) de

Palhoça são atendidas 250 crianças pela Pastoral da Criança.

24 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


Paróquia Senhor Bom Jesus de Nazaré- Palhoça

O trabalho da Pastoral da Criança é realizado através de visitas de

acompanhamento, celebração da vida, sopão, lanche, distribuição

de multimistura, palestras sobre saúde, higiene, alimentação, soro

caseiro e o projeto brinquedos e brincadeiras. São atendidas 220

crianças de 0 a 18 anos, com a colaboração de 50 voluntários.

Paróquias que têm trabalhos da

Pastoral da Criança na Arquidiocese:

• Divino Espírito Santo (Balneário Camboriú);

• Nossa Senhora Aparecida (Balneário Camboriú);

• Nossa Senhora da Boa Viagem (Saco Dos Limões);

• Nossa Senhora da Lapa (Ribeirão Da Ilha);

• Nossa Senhora do Rosário (Enseada De Brito - Palhoça);

• Coração De Jesus (Paulo Lopes);

• Sagrados Corações (Barreiros - São José);

• Santo Antônio (Campinas - São José);

• São Francisco de Assis (Aririu - Palhoça);

• São João Evangelista (Biguaçu);

• São Judas Tadeu e São João Batista (Barreiros - São José);

• São Vicente (São Vicente - Itajaí);

• Senhor Bom Jesus de Nazaré (Palhoça);

• Senhor Bom Jesus dos Aflitos (Porto Belo).

PASTORAL DA CRIANÇA

25


JUVENTUDE

“Jovens, não temam responder generosamente

ao chamado do Senhor” (São João Paulo II)

A Pastoral Juvenil é a ação organizada da Igreja Católica em vista da evangelização da

juventude. Ao ter como centralidade Jesus Cristo, o Bom Pastor, a Igreja é chamada a

exercer de maneira concreta e sistemática o pastoreio entre os jovens e com eles.

Atualmente participam aproximadamente 300 jovens de grupos da Pastoral

da Juventude na Arquidiocese. Sua organização se dá através da formação de

grupos de base ligados às paróquias. Nesses grupos são realizados encontros,

retiros, acampamentos de formação, gincanas, eventos de integração, além de

ações solidárias e de auxiliar a paróquia em atividades, quando necessário.

26 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


A Pastoral Juvenil Marista (PJM), com aproximadamente 170 integrantes, tem

por objetivo estabelecer um processo de formação integral que desenvolva os

aspectos da espiritualidade, da eclesialidade, da autonomia, do aprofundamento

no carisma Marista, do protagonismo juvenil e da intervenção na sociedade.

O Movimento Pólen é um movimento católico, de espiritualidade

cristã e de evangelização, que nasceu em 1971.

Sua sede é na Catedral Metropolitana, em Florianópolis.

Tem por objetivo ajudar os jovens: a buscar o sentido da

vida; a descobrir Jesus Cristo; a fazer a experiência do amor

cristão; a assumir o agir cristão em todos os ambientes e

estruturas, desde a família, construindo, por toda parte, a

“Civilização do Amor”. No âmbito social atuam na Casa-Lar

Emaús, nos plantões, cuidando das crianças; atuam junto ao

Asilo Irmão Joaquim, de auxílio na missa e, eventualmente,

visitas. Também tem um grupo de 10 mulheres, da etapa

de casais, que se uniram em nome da solidariedade e amor

ao próximo, para auxiliar a pastoral que atende o Grupo de

Gestantes carentes da Paróquia da Santíssima Trindade.

Também tem ações no Abrigo Darci Vitória de Brito (Monte

Serrat), Cevahumos (obra do Cel. Valmor) e Creche no Pontal

(Palhoça). A Feijoada Pólen é um evento que realizam e

direcionam à arrecadação para entidades assistenciais.

Em seus grupos vivenciais (comunidades) realizam muitos

outros trabalhos junto a projetos sociais.

JUVENTUDE

27


O Movimento Emaús é um movimento de Comunidades

Missionárias para jovens, onde eles possam fazer uma

profunda reflexão sobre o valor da vida, da Igreja e uma

vivência em comunidade à luz da Palavra de Deus. Na Arquidiocese,

os núcleos de Brusque e Florianópolis levam um

pouco de conforto e carinho para o próximo que se encontra

em situação de fragilidade e

solidão, mas acima de tudo

buscam levar a mensagem do

verdadeiro Natal: os jovens

do movimento realizam as

Serenatas de Natal, que são

realizadas no período próximo

ao Natal, quando geralmente

mais de 100 jovens tocam e

cantam canções natalinas

para as pessoas nos hospitais, asilos, creches e casas de

acolhimento. Também levam em frente, no âmbito social,

outro trabalho que é a Casa Lar Emaús, que tem como objetivo

ser uma casa de acolhimento modelo para atendimento

de crianças de 06 a 12 anos, encaminhada pelo Conselho

Tutelar de Florianópolis, visando à permanência necessária

e temporária, até reintrodução

ao convívio familiar original,

colocação em família substituta,

adoção (nacional ou

internacional) ou preparação

para vida autônoma, depois

de completados 18 anos. Os

membros do movimento

atuam em todas as atividades

da casa.

Grupos, Novas Comunidades, Movimentos e Congregações que compõem

AS EXPRESSÕES JUVENIS DA ARQUIDIOCESE

• Pastoral da Juventude;

• Pastoral Universitária;

• Comunidade Católica Abbá Pai;

• Comunidade Católica Bethânia;

• Comunidade Católica Divino Oleiro;

• Comunidade Católica Shalom;

• Comunidade Católica Transfiguração;

• Movimento de Cursilhos Jovem;

• Movimento de Emaús;

• Movimento dos Focolares;

• Movimento Pólen;

• Renovação Carismática Católica;

• Irmãs da Divina Providência;

• Juventude Franciscana;

• Irmãs Catequistas Franciscanas

• Movimento Comunhão e Liberação

• Movimento Água Viva Jovem;

28

28

ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


MARCELINHO:

Testemunho de um jovem promotor

A vida do jovem Marcelo Câmara sempre foi muito ligada

aos movimentos religiosos, ao mesmo tempo em que se

destacava nos estudos. Formado em Direito em 2001, fez o

mestrado e deu aulas em três instituições de ensino da Capital,

incluindo a própria UFSC. Em 2004, teve diagnosticado

um linfoma linfoblástico (Linfoma não-Hodgkin), mas três

anos depois ainda teve forças para fazer um concurso no

Ministério Público Estadual, no qual passou em quinto lugar.

Atuou como promotor de justiça por cerca de 90 dias até ser

internado em estado grave, em fevereiro de 2008, vindo a

falecer no dia 20 de março, uma sexta-feira santa. No início

do curso universitário, ele participou do retiro espiritual do

Movimento de Emaús, quando obteve a graça de profunda

conversão a Cristo. Nos anos seguintes, exerceu intenso

apostolado com os jovens do Movimento e na sua Paróquia

Sagrado Coração de Jesus, nos Ingleses, onde se tornou o

mais jovem Ministro Extraordinário da Sagrada Comunhão.

Na busca por compartilhar o dom da fé recebido e o

conhecimento adquirido, foi catequista de jovens e adultos e auxiliou no trabalho de

reforço escolar das crianças da Casa-lar Emaús. Essas experiências confirmaram sua

vocação laical de santificar as realidades temporais, incluindo o trabalho profissional,

que realizava com extrema competência, justiça e caridade. No livro CAMINHO DA

SANTIDADE: A vida de Marcelo Câmara, um Promotor de Justiça, escrito por Maria

Zoê Bellani Lyra Espindola, encontramos muito mais deste belo testemunho.

JUVENTUDE

29


PASTORAL CARCERÁRIA

“Estive preso e viestes me visitar” (Mt 25, 36)

A ASBEDIM - Associação Beneficente São Dimas atua junto

à população carcerária em Florianópolis; ela é dividida por departamentos,

que trabalham nas seguintes áreas: Evangelização,

Comunicação, Laboral, Social, Jurídico. A Pastoral Carcerária

de Florianópolis realiza periodicamente bazares beneficentes de

venda de produtos doados. A arrecadação serve para a manutenção

dos trabalhos feitos pela pastoral. O Projeto Estampa

Livre iniciou com uma Oficina de Estamparia, em maio de 2006.

O projeto foi idealizado por Luiz Carlos Pires Senna e Taise

Zanotto, com o objetivo de capacitar e gerar trabalho e renda aos

detentos do Presídio Masculino de Florianópolis.

No início eram apenas três detentos envolvidos.

No segundo semestre de 2007 foi pensado em agregar

ao Projeto Estampa Livre a Oficina de Confecção. A

ideia surgiu devido à grande quantidade de camisetas

estampadas na oficina de estamparia. Com o objetivo

de aumentar o número de vagas, em maio de 2008 inaugurou-se

a confecção, que hoje conta com dez detentos

trabalhando.

30 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


“Acreditar na recuperação do ser humano”

A Associação de Proteção e Assistência ao Condenado

(APAC) é uma entidade civil de direito privado, com

personalidade jurídica própria, dedicada à recuperação e

reintegração social dos condenados a penas privativas de

liberdade. O trabalho dispõe de um método de valorização

humana, vinculada à evangelização, oferecendo ao

condenado reais condições para se recuperar. A estrutura

física da APAC comporta no máximo 200 recuperandos,

compreendidos os três regimes (fechado, semiaberto e

aberto). O apoio da família é fundamental para o método ter

resultados satisfatórios.

Recordamos que no ano de 2016 foi realizada uma coleta

nas paróquias da Arquidiocese, sinal concreto, durante

do Ano da Misericórdia, instituído pelo Papa Francisco. O

valor arrecadado foi de R$ 107.168,27. No ato de entrega, a

presidente da APAC na capital, Leila Pivatto, disse que “o

recurso será aplicado na reforma da casa que servirá para a

futura instalação da APAC Feminina”. E acrescentou que a

reforma da casa já tinha começado.

“Acreditar na recuperação do ser humano, proteger

a sociedade, socorrer a vítima, promover a justiça”, são

os quatro pilares da APAC. Esse dinheiro veio ajudar nas

muitas despesas dessa reforma. “Só agradecemos a todos

os fiéis da Arquidiocese que contribuíram”, declarou Leila

no recebimento da doação.

Hoje tem dois locais preparados (Feminino e Masculino)

que estão aguardando todos os tramites legais para o seu

funcionamento.

UMA REALIDADE

que poucos querem ver...

O Brasil é o terceiro país no mundo com maior

número de presos. Os dados comparativos são

de 2016, quando havia no Brasil 698,618 presos,

ficando atrás somente dos Estados Unidos da

América, com 2,14 milhões de presos, e da China,

com 1,65 milhão de presos. A taxa de ocupação

nos presídios brasileiros é de 188,2%, também

a terceira maior do mundo, atrás apenas de Filipinas

(316%) e Peru (230,7%),

Em Santa Catarina existem aproximadamente

20 mil pessoas presas, em sua maioria pobres e

negras. Grande parcela das unidades prisionais

estão localizadas no território da Arquidiocese de

Florianópolis, no total de 16 unidades presentes

em 09 municípios. A maioria das unidades prisionais

são caracterizadas pela superlotação, condições

insalubres e tortura sofrida pelas pessoas

privadas de liberdade.

PASTORAL CARCERÁRIA

31


DEPENDENTES

QUÍMICOS

Brotar a esperança de

novos tempos na vida

Na Arquidiocese de Florianópolis temos várias comunidades

terapêuticas que diariamente trabalham para que vidas

sejam transformadas e libertas dos vícios que aprisionam

uma pessoa. Conheça alguns desses trabalhos.

A COMUNIDADE BETHÂNIA tem várias casas

de acolhimento no Brasil. Na Arquidiocese está

localizada na cidade de São João Batista. Eles

recebem cerca de 30 homens e 16 mulheres na

casa. O processo de recuperação é realizado em

etapas: acolhimento, restauração e inserção

social. A permanência na casa é de 11 meses,

porém, os casos são avaliados individualmente.

As experiências e os testemunhos nos ajudam a

entender ainda mais a importância dos trabalhos

da comunidade. A história do pizzaiolo Alexsander

da Conceição, 48 anos, conhecido por Alex, é uma

dentre tantas histórias que mostram a superação e

a restauração. Alex foi filho de Bethânia, em 2013;

após seu processo de restauração, retomou sua

vida e conseguiu abrir seu próprio negócio, em

Torres, no Rio Grande do Sul.

Com a graça de Deus, centenas de homens

e mulheres recuperaram suas vidas através do

acolhimento na comunidade.

32 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


O RECANTO SILVESTRE, de Biguaçu, tem 16 anos

de funcionamento e já realizou 2.132 atendimentos, em

regime de internação/residência. A casa atualmente

recebe 31 internos, homens, na faixa etária de 18

a 60 anos. Num espaço amplo, a sede do Recanto

tem uma cozinha, refeitório, consultórios (médicos/

odontológicos), escritórios para coordenações e

diretoria, dormitórios.

As atividades fixas incluem reuniões de conteúdo

terapêutico (partilha de sentimentos, estudo dos doze

passos dos Grupos de Entre Ajuda – AA/NA, Grupo de

Apoio a Toxicômanos e Alcoólatras –GATA). A padaria

“Pão pela Vida – Receita de Amor” é uma das principais

fontes de renda da instituição.

vidas transformadas e libertas dos vícios

A FAZENDA DA ESPERANÇA, com 35 anos de

experiência na recuperação de dependentes químicos,

é a maior obra da América Latina, que regenera vidas

e famílias. Ao todo, são 130 unidades espalhadas pelo

mundo. Desse montante, 86 estão distribuídas pelo Brasil,

enquanto as outras estão espalhadas em 22 países do

mundo.

A Fazenda da Esperança é responsável pela

recuperação de centenas de milhares de pessoas, que

em sua grande maioria se voluntariam para ajudar outros

que necessitem de ajuda. Em Florianópolis funciona a

Fazenda Porta Aberta (Feminina), que tem capacidade

para 14 internas. Trabalham com artesanato, horta,

produção de pães e doces.

DEPENDENTES QUÍMICOS

33


“A chaga do tráfico de drogas, que favorece a violência e que semeia

a dor e a morte, exige da inteira sociedade um ato de coragem!”

(PAPA FRANCISCO)

O CENTRO DE TRATAMENTO SÃO LOURENÇO, em Itajaí,

atende homens de 18 a 59 anos, com algum tipo de adicção.

O trabalho completou três anos de existência oficialmente

no dia 11 de outubro de 2015, data em que nosso arcebispo,

Dom Wilson, rezou a primeira missa na sede da obra que

está localizada na área rural de Itajaí, num sítio alugado, com

cerca de 6.000 metros quadrados.

O local possui uma UD (unidade de desintoxicação), com

enfermaria, dois quartos e banheiro, sala de estar, cozinha

industrial, escritório, quartos para residentes em segunda

fase de tratamento, além de espaço de estar e lazer. Temos

também uma casa alugada para pós-tratamento dos residentes,

uma vez que entendemos que nosso tratamento

precisa ser continuado após a “alta” do tratamento principal.

Em 2018, foi emprestada outra casa a título de comodato

pelas Irmãzinhas da Imaculada Conceição, num bairro

central da cidade, onde estamos encaminhando nosso

CC (Centro de Convivência), espaço dedicado ao primeiro

acolhimento (triagem), bem como para atendimento aos

familiares e comunidade em geral.

Atualmente atende 20 pessoas, sendo 10 na faixa etária

de 19 a 29 anos, e as outras na faixa de 30 a 60 anos, em

regime fechado. O Centro Terapêutico tem 12 voluntários

que atuam principalmente na manutenção da obra, busca

de doação de alimentos e prospecção de contribuintes para

arcar com os altos custos de mão de obra especializada. E

tem nove profissionais contratados: Terapeuta, psiquiatra,

psicóloga, uma enfermeira, três auxiliares de enfermagem e

dois monitores. Para manter todas as atividades, são necessários

cerca de R$ 18.000,00 (dezoito mil reais mensais).

34 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


POPULAÇÃO DE RUA

“Este pobre clama e o Senhor o escuta” (Sal 34, 7)

Desde o ano de 2013, a Arquidiocese de Florianópolis, através da Pastoral do Povo de Rua,

desenvolve um trabalho voltado aos moradores de rua. Ela tem atuado como um verdadeiro abraço

de esperança àqueles que tiveram seus vínculos familiares comprometidos. Para a pedagoga

Evânia Cunha de Medeiros, de Biguaçu, Coordenadora Arquidiocesana, a principal missão da

Pastoral consiste em ser presença junto ao povo de rua, reconhecer os sinais de Deus na sua história

e desenvolver ações que transformem a sua situação de exclusão em projetos de vida para todos.

Coordenadora da Pastoral do Povo de Rua: Evania Cunha de Medeiros

A Paróquia São José, através da Pastoral da Caridade,

atua em duas frentes: acompanhamento de pessoas

residentes no território paroquial que necessitam algum

tipo de auxílio básico e emergencial, como cesta básica; e

promoção semanal da Pastoral do Povo de Rua, também

nos bairros do entorno da paróquia, evangelizando e sendo

presença da Igreja e vivendo Cristo pobre na vida dos irmãos

e irmãs em situação de rua. A faixa etária das pessoas é de

19 a 60 anos. A Pastoral conta com aproximadamente 15 pessoas,

que trabalham na coleta de doações, triagem, preparo

dos alimentos, acolhida e escuta das pessoas em situação

de rua. Para a realização dessa missão, os participantes

realizam eventos e campanhas e pedem doações. Gastam

aproximadamente R$ 400,00 mensais, mas o que arrecadam

não supre as despesas.

35

35


O projeto Bom Samaritano é uma iniciativa para a Ação

Social e Cultural Nossa Senhora da Glória, de Florianópolis.

Iniciou em outubro de 2017, partindo da necessidade de

trabalhar com pessoas que se encontram em situação de

rua, bem como moradores das comunidades próximas em

situação de extrema pobreza. Nesse projeto, os usuários,

além de se alimentarem, contam com corte de cabelo,

roupas, banho e escuta qualificada, com orientações feitas

por um profissional do Serviço Social. Atualmente são

atendidas cerca de 30 pessoas semanalmente, com a participação

de 17 voluntários, que atuam com a preparação do

lanche, corte de cabelos, entrega de roupas e produtos para

o banho, nos encontros semanais.

A Fraternidade Santa Joana (O Caminho),

localizada no bairro da Coloninha, em Florianópolis,

tem o carisma da Fraternidade de

viver impulsionadas pelo Espírito Santo a

guardar e a cumprir as palavras de Jesus e ir

ao encontro dos pobres onde quer que eles

estejam. Dentre os trabalhos desenvolvidos

está a pastoral de rua: encontram-se semanalmente

com aproximadamente 80 moradores

de rua, no centro de Florianópolis.

36 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


A Associação Vida Nueva, em Palhoça, é uma entidade

beneficente sem fins lucrativos. Ela foi fundada em

dezembro de 2006, por um grupo de padres e leigos brasileiros

e italianos. Trabalha na ressocialização de moradores

de rua. “A ideia da instituição foi uma inspiração, ao ver as

pessoas de rua recolhendo lixo para sobreviver, morando

embaixo dos viadutos e marquises”, afirma o presidente e

um dos fundadores, Frei Rogério Rubick. O objetivo da casa,

que também acolhe adictos, é devolver a dignidade do ser

humano e reinserí-lo na família e na sociedade.

Na casa de acolhimento são

realizadas atividades, como a laborterapia

e formação humana, uma vez

por semana. Os sacerdotes também

trabalham a parte espiritual, com

outros momentos de reflexão no início

e fim de cada dia. Aos domingos, os

internos participam da Missa e, uma

vez na semana, passam pelo atendimento

psicológico.

A associação tem um diferencial, pois não só acolhe as

pessoas, mas faz um trabalho de integração com cada indivíduo,

para prepará-lo e inseri-lo, novamente, na sociedade.

Segundo o Frei, o objetivo da casa é receber as pessoas,

tratá-las como uma família, proporcionar um tratamento de

saúde, apoio de psicólogos, recuperação da documentação,

dar oportunidade de estudarem, fazer algum curso profissionalizante.

A entidade sobrevive de doações e eventos que promove.

“Precisamos de voluntários de qualquer área. Também quem

quiser colaborar financeiramente,

com alimentos,

roupas ou outros investimentos,

nos procure”,

explicou o tesoureiro, Frei

Luiz Rubick.

A Associação Maria Mãe de Jesus, ligada à Paróquia São Vicente de Paulo, de Itajaí, promove o projeto Kombi

da Sopa todas as quartas-feiras, com entrega de marmitas para pessoas em situação de rua.

Semanalmente são confeccionadas em torno de 80

a 100 marmitas para alimento físico às pessoas em situação

de rua. Por volta das 20h, a Kombi do projeto sai nas

ruas de Itajaí para entrega dos alimentos e também para

a evangelização, com momentos de oração e adoração,

buscando levar a essas pessoas o alimento espiritual

e buscando contribuir no que for necessário para uma

mudança de vida. Também são entregues roupas,

quando disponíveis. Com 15 voluntários, preparam

os alimentos, realizam a coleta de alimentos

doados, fazem a acolhida, oração pelos moradores

e animação com música.

Para manter os trabalhos, os gastos são de

R$: 1.500,00 reais mensais, que a Associação

arrecada através de doações e eventos; porém,

não conseguem o valor integral mensalmente.

POPULAÇÃO DE RUA

37


PASTORAL DA

SAÚDE

Esperança junto aos enfermos

A Pastoral da Saúde é toda a ação do povo de Deus comprometido em acolher, promover,

cuidar, educar, defender e celebrar a vida humana. É a ação libertadora de Cristo presente

no mundo na área da saúde, em três dimensões: solidária, comunitária e políticoinstitucional.

Na arquidiocese, a pastoral está presente em 18 paróquias e tem uma

parceria com a UFSC, que classifica as plantas para a pastoral preparar os fitoterápicos.

Coordenadora: Jaci Helena Perottoni

A Paróquia Nossa Senhora de Lourdes e São Luiz, de Florianópolis,

desenvolve o projeto “Natureza Sábia”, com o objetivo de promover,

preservar, defender, cuidar e celebrar a vida, participando da construção

de uma sociedade justa e solidária a serviço

da vida, nas dimensões solidária, comunitária

e político-institucional. Realizam

atividades de produção dos fitoterápicos,

orientação à comunidade, limpeza de

ouvido, doação e venda de produtos, participação

em cursos e formação, e atuam

de modo integrado com os outros projetos

desenvolvidos na Assistência Social São

Luiz. Atendem aproximadamente 150 pessoas, nas várias faixas etárias (19

a 60 anos). A equipe tem reunião mensal, e o atendimento é realizado três

vezes por semana.

38 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


A Ação Social São Francisco Xavier, de

Florianópolis, produz medicamentos fitoterápicos

com custo simbólico de seus medicamentos.

Desenvolve seus trabalhos nas

principais dimensões da Pastoral, destacando-se,

porém, a dimensão comunitária que

visa à promoção e educação para a saúde.

Relaciona-se com a saúde pública, atuando

na prevenção das doenças. Procura valorizar

o conhecimento, sabedoria e religiosidade

popular em relação à saúde.

A Paróquia São Joaquim, em Garopaba,

fundou há 15 anos o Grupo Vida e Saúde, da

Pastoral da Saúde, que beneficia pessoas

carentes, asilos e hospitais. Conta com 12 voluntárias,

que produzem fitoterápicos, tinturas,

pomadas e xaropes, tudo à base de ervas medicinais.

As ervas utilizadas são aprovadas pela

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

São atendidas aproximadamente 200 pessoas

semanalmente. Há também visita nos asilos, para

ver o que os idosos precisam. Então, diante da

demanda, o grupo oferece, em geral, pomadas

e xaropes. A Pastoral da Saúde da Paróquia atua

junto ao Conselho de Saúde de Garopaba.

Na Paróquia Senhor Bom Jesus de Nazaré, de Palhoça, a Pastoral da

Saúde desenvolve a manipulação de tinturas, pomadas, cremes, xaropes,

gel fitoterápicos, para o público que não pode ter acesso a medicamentos

convencionais. As pessoas atendidas variam de 19 a 60 anos, em número de

aproximadamente 210 pessoas. Contam com oito voluntárias que realizam a

manipulação de ervas e tinturas fitoterápico e atendimento ao público.

Na Paróquia São João Batista e Santa Luzia, em Florianópolis,

os trabalhos da Pastoral da Saúde iniciaram há 27 anos. A Oficina de

Fitoterápicos iniciou em 2001. O grupo sempre assumiu a Pastoral

com responsabilidade e dedicação, participando de estudos, jornadas,

palestras, encontros e cursos. A pastoral desenvolve as seguintes atividades:

Atender a comunidade com orientações sobre o uso correto das

plantas medicinais. Oficina de Fitoterápicos. Massagens. Terapêuticas.

Uso do canudo de ouvido para eliminação de excesso de cera e higienização

do ouvido. Orientação sobre alimentação alternativa natural.

PASTORAL DA SAÚDE

39


PORTADORES DE

NECESSIDADES ESPECIAIS

Relações Simples e Fraternas

A ORIONÓPOLIS CATARINENSE, localizada em São

José, é uma obra social, de caráter filantrópico e eclesial,

criada pela PEQUENA OBRA DA DIVINA PROVIDÊNCIA (Dom

ORIONE) e fundada em 26 de outubro de 1987. Fornecem

acolhimento institucional, contínuo e permanente, para

pessoas com deficiência física e/ou mental, com vínculos

familiares fragilizados ou rompidos. Os moradores

recebem, além de moradia e tratamento contínuo com

profissionais das mais diversas áreas,

alimentação, amor, carinho e atenção.

São acolhidas 55 pessoas, com idade

entre 12 e 87 anos. Um grupo de 90

voluntários(as) trabalham na costura de roupa, cortinas e

babadores para os moradores; limpeza e cuidados com o

jardim; corte e pintura de cabelo e barba dos moradores;

auxílio nos almoços e bingos da instituição (cozinha, churrasqueira,

bebidas, limpeza); 75 funcionários atuam nos

setores de Saúde, Educação, Serviços gerais, Administrativo,

Nutrição, Telemarketing, Fisioterapia, Manutenção,

Serviço social, Psicologia, Psiquiatria. Para manter essa

obra, mensalmente precisam mobilizar

R$ 300.000,00 reais, que chegam

à instituição através de doações,

eventos, campanhas, rifas, brechó e

bazar, convênios públicos e serviços

de telemarketing, mas todas essas

ações suprem apenas em parte todas

as despesas.

O LAR MENINO DEUS, em Brusque, foi fundado em 04 de junho de

1996, por uma família da cidade que decidiu doar a casa onde hoje fica a

sede da instituição para acolher pessoas com deficiência intelectual. Nos

primeiros meses, a instituição era mantida pelos próprios fundadores, que acolheram inicialmente oito moradores.

Todos apresentam deficiência intelectual, alguns como patologia-base, outros como

comorbidade, associado a autismo, esquizofrenia, deficiência auditiva ou paralisia. O

Lar Menino Deus é uma entidade classificada como de Proteção Social Especial de

Alta Complexidade, na modalidade de Residência Inclusiva, com a missão de acolher

pessoas com Deficiência Intelectual e Múltipla, que possuem alto grau de comprometimento

e dependência e não possuem retaguarda familiar, visando a promover

continuamente a qualidade de vida das mesmas. Atualmente o lar acolhe 13 pessoas.

40 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


TESTEMUNHO:

Jesus está presente na carne

dos mais pequeninos

A Orionópolis Catarinense é uma instituição que abriga

pessoas com deficiências múltiplas. Pessoas que, além das

deficiências, também sofreram a dor do abandono familiar,

passaram fome, frio e sede, e encontraram na Orionópolis

Catarinense um lugar para chamar de lar, e amigos para

chamar de família.

Meu trabalho na instituição começou em 08 de

dezembro de 2013, um dia após sair do Seminário de

Teologia da Arquidiocese de Florianópolis. Foi numa missa,

no Carmelo Cristo Redentor, que Deus, através do Padre

José Manuel dos Santos, me fez a proposta de trabalhar no

setor financeiro da instituição. Fiquei muito surpreso, pois

o trabalho envolvia uma área totalmente nova e desafiante

em minha vida. Era preciso me capacitar para dar conta

do trabalho. Com o coração receoso, porém, cheio de

confiança, aceitei o desafio!

Nestes quase cinco anos de

trabalho na instituição, jamais me

arrependi de ter aceitado aquele

convite. Foi, com certeza, um dos

“sins” mais importantes da minha vida.

Trabalhar na Orionópolis Catarinense é viver um

chamado de Deus. É colocar em prática, todos os dias, o

mandamento do amor! É contribuir para que a instituição

continue sólida e viável para seguir acolhendo e amando

aqueles que, muitas vezes, são marginalizados pela sociedade.

O trabalho na Orionópolis é desafiante, muitas são as

exigências impostas pelo governo e órgãos de fiscalização.

Por isso, é preciso atualizar-se constantemente para poder

continuar atendendo e garantindo que os direitos das

pessoas com deficiência sejam respeitados.

A Orionópolis Catarinense é um farol de evangelização,

é um lugar onde Jesus de Nazaré se faz presente na carne

dos mais pequeninos. O trabalho na Orionópolis me ensinou

a ser uma pessoa melhor. Com os moradores aprendi que

a felicidade está nas pequenas coisas da vida. Aprendi no

cotidiano do meu trabalho a confiar

na Divina Providência e perceber que

Deus está presente em cada detalhe

de nossas vidas. Me sinto muito feliz

e realizado, a Orionópolis é minha

segunda casa, e os moradores fazem

parte da minha família.

Gabriel Schuch

PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS

41


PASTORAL DA

PESSOA IDOSA

“Saber envelhecer é a grande sabedoria da vida.”

(HENRI AMIEL)

A Pastoral da Pessoa Idosa (PPI) está presente em 22 paróquias, são atendidos 960 idosos

acima de 60 anos, por 350 agentes de pastoral voluntários. As atividades realizadas pelos

voluntários(as) são: Capacitação, visitas domiciliares, palestras, participação em reuniões de

planejamento, acompanhamento e avaliação. Para viabilizar os trabalhos, os gastos são na média

de R$ 400,00 mensais. Para suprir os mesmos, a PPI conta com doações, que são esporádicas.

Coordenadora: Osvaldina Zucco Weber

Na Paróquia São Sebastião, de Balneário Camboriú,

um grupo formado por 20 voluntárias visitam cerca de

81 idosos que se encontram em situação de fragilidade,

cuidando do seu bem-estar e sua situação socioeconômica

e espiritual, quando solicitam.

42


Na Paróquia Dom Joaquim, em Garopaba, os trabalhos da

Pastoral da Pessoa Idosa são animados por Iara Rosane Vargas,

que conta com 20 voluntárias capacitadas para a missão. Desenvolvem

o Projeto Casa/dia, onde os idosos e idosas

são atendidos durante o dia e no final da tarde

retornam às suas casas. São atendidos em torno

de 120 idosos, com visitas mensais, tendo como

objetivo assegurar a dignidade e a valorização

integral das pessoas idosas, através da promoção

humana e espiritual, respeitando seus direitos.

A PPI na Paróquia Santa Teresinha, de Brusque, conta com

nove voluntárias e realiza visitas domiciliares e atua em colaboração

com as ações da paróquia que envolvem a pessoa idosa.

Com a participação de 13 voluntárias(os), a PPI da Paróquia

Nossa Senhora da Imaculada Conceição realiza uma reunião

mensal com a equipe, e a visita aos idosos é semanal. O cadastro

dos idosos anualmente é atualizado. Estão sempre procurando

novos voluntários para que possam ampliar o trabalho.

A Paróquia Nossa Senhora de Lourdes e São Luiz, de Florianópolis, desenvolve um trabalho de

convivência com os idosos da comunidade, através do grupo Santana e do Grupo Amizade, que visam

à integração, ao bem estar e à qualidade de vida. Semanalmente se reúnem para realizar atividades de

recreação, orientação, atividades físicas, bingos, trabalhos manuais, entre outros. Contam com cinco

voluntárias e com a participação de 100 idosos(as) acima de 60 anos.

PASTORAL DA PESSOA IDOSA

43


“Caros idosos: Deus não os abandona, está com vocês!

Com a Sua ajuda, vocês são memória viva para o seu povo.”

(PAPA FRANCISCO)

Através dos trabalhos da PPI da Paróquia

Senhor Bom Jesus de Nazaré, de Palhoça, são

acompanhados 20 idosos em suas residências,

que necessitam de atenção e carinho. Os agentes

pastorais visitam o idoso que é acamado, ou por

denúncia de violência, segregação psicológica

e física. Dá-se apoio familiar, para que haja

uma reconciliação, se preciso for, e se trabalha

a estrutura familiar. As reuniões da equipe

acontecem uma vez por mês, e as visitas aos

idosos são realizadas nas 2º e 4º feiras.

A Paróquia Nossa Senhora da Glória, de

Florianópolis, desenvolve o projeto BEM VIVER,

que atende em média 17 idosos, visando a oferecer

possibilidades que estimulem o desenvolvimento do

protagonismo, tendo por objetivo assegurar a dignidade

e a valorização integral das pessoas idosas.

A promoção de tardes dançantes com idosos é uma

iniciativa da Ação Social e Cultural de Enseada de Brito

– ASCEBRITO, de Palhoça, para toda a Forania.

44 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


LAR PARA IDOSOS

Afeto, experiência, amor, paciência e sabedoria

A CASA SANTA MARIA DOS ANJOS, em Palhoça, é uma

obra com a missão de assistir idosos e prestar atendimento

integral, buscando resgatar a dignidade da pessoa humana.

Busca desenvolver dentro da instituição cuidados integrais,

não apenas no âmbito da saúde, mas também sóciocultural,

através de ações desenvolvidas por voluntários e

funcionários. Atende atualmente 23 idosos e conta com 17

profissionais contratados, que atuam como enfermeiras,

técnico de enfermagem, pedagogas e cuidadoras. Já

os voluntários realizam atividades, como o dia da beleza

(cabeleireiro, barbeiro, maquiagem), naturologia, terapia

ocupacional, atividades lúdicas, jogos, músicas. A Casa

Santa Maria dos Anjos se mantém através de campanhas,

doações, eventos, rifas, brechós e bazar.

A FUNDAÇÃO LAR DA TERCEIRA IDADE PE. ANTÔNIO

DIAS, de Camboriú, foi constituída em 1994 e desenvolve

acompanhamento em tempo integral para pessoas idosas.

Todo o trabalho é desenvolvido com muito amor e carinho

pelo trabalho de médicos, fisioterapeutas, nutricionistas,

terapeuta ocupacional, enfermeiros,

cuidadores e por inúmeros voluntários

da Igreja Católica, que prestam serviços

de apoio logístico. Atende aproximadamente

40 idosos e realiza Celebrações

Eucarísticas semanalmente na capela.

LAR PARA IDOSOS

45


O LAR SÃO FRANCISCO está localizado no Ribeirão da Ilha, em Florianópolis. Idealizado e

construído para o atendimento da pessoa idosa, o Lar São Francisco possui 42 suítes individuais,

climatizadas, distribuídas em 3 (três) alas residenciais. Todas as suítes têm porta de entrada interna,

para o corredor, e uma porta externa para o jardim. Além das acomodações individuais, o Lar conta

com espaços de convivência. Há espaço para encontro

com a família e os amigos em suas visitas, e também

áreas onde os Residentes convivem entre si, como o

salão de alimentação, varandas envidraçadas, sala de

televisão, sala de artesanato e costura, capela, sala

de estar e o amplo jardim externo; também conta com

uma ala de serviços com Secretaria, Setor de Nutrição

e Setor de Enfermagem. Hoje o Lar São Francisco conta

com 44 profissionais para 46 residentes.

A CASA DOM BOSCO, de Itajaí, é uma Instituição de

Longa Permanência para Idosos – ILPI, que visa a promover

o atendimento e institucionalização de pessoas idosas,

dependentes, semi-dependentes ou independentes,

vulneráveis ou não, de recursos econômicos financeiros

e familiares, garantindo proteção integral aos mesmos,

promovendo seu bem-estar físico, mental e social, viabilizando

acesso às políticas públicas, promovendo a garantia

dos direitos sociais. Possui a capacidade para 80 idosos,

sendo que 55 destes são idosos custeados pelo convênio

junto à Prefeitura Municipal de Itajaí. Os outros 25 idosos

são advindos de vagas particulares, custeadas pelos

próprios idosos. A Casa Dom Bosco oferece um serviço de

qualidade, contando com funcionários capacitados através

de atendimento médico, enfermagem 24 horas, acompanhamento

nutricional, acompanhamento psicológico,

atendimento fisioterapêutico, Assistência Social. No que se

refere ao lazer dos residentes, as atividades são planejadas

e realizadas pensando em oferecer qualidade de vida com

encontro religioso, estética, atividades físicas, atividades

de recreação, estimulação cognitiva,

eventos comemorativos, artes

manuais, passeios programados,

horta adaptada, envolvimento com a

comunidade.

46 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


A CASA IRMÃO JOAQUIM, de Florianópolis, é uma entidade

sem fins lucrativos, centenária. Abriga atualmente 22

homens e 14 mulheres, com idades variando entre 60 e 98

anos. Além do abrigo, são fornecidas seis refeições diárias,

atendimento médico, fisioterapia e atividades de lazer. Os

serviços prestados são executados por 30 funcionários

fixos, com o apoio de voluntários e voluntárias, que doam

uma parcela de seu tempo atendendo os idosos de várias

maneiras. As despesas do asilo são arcadas basicamente

por rendas próprias, doações, convênios e uma pequena

participação dos abrigados com condições de pagamento. O

alto volume de recursos necessários para manutenção dos

serviços exige uma constante busca por fontes alternativas

de financiamento. Tem 30 profissionais contratados e três

voluntários (01 médico, dentista, psicólogo). Existem várias

formas de ajudar a instituição, que podem ser encontradas

em seu site.

A ASSOCIAÇÃO CASA IRMÃ DULCE, de Tijucas, tem

como objetivo acolher idosos em vulnerabilidade social,

dando-lhes qualidade de vida. Desenvolve suas ações

através de atividades relacionadas ao bem-estar e qualidade

de vida do idoso; entre elas estão oficinas artísticas,

atividades em grupo, passeios externos, para que os idosos

possam interagir com a comunidade. Promove eventos

externos para angariar fundos para manter a instituição,

como bingos, almoços, jantares, rifas, campanha Luz da

Esperança, onde a doação é realizada com qualquer valor

na conta de luz. Acolhe 63 idosos e conta com 17 voluntários(as)

que atuam conforme o seu conhecimento e estudo

específico. Atualmente atuam na costura, no artesanato,

nas atividades físicas, na manutenção da instituição, ajuda

nos projetos, no cuidado direto com o idoso. Tem 42 profissionais

contratados nas áreas de saúde, serviços gerais,

manutenção, administração e alimentação. Para manter

todos os trabalhos, a instituição gasta mensalmente cerca

de R$ 95.000,00 a R$ 120.000,00. Esses recursos chegam

através de doações, campanhas, rifas, brechós, bazares,

convênios públicos e privados, destinação de dízimo. Os

recursos arrecadados mensalmente não são suficientes

para suprir todas as necessidades da casa.

LAR PARA IDOSOS

47


HOSPITAIS CATÓLICOS

“Eu estava doente e cuidastes de mim”

(MATEUS 25, 36)

Hospital Marieta Konder Bornhausen (Itajaí/SC)

Inaugurado em 28 de janeiro de 1956 com o nome em

homenagem à esposa do Governador do Estado de Santa

Catarina dessa época, Sr. Irineu Bornhausen, o hospital

sofreu poucas alterações em seus 15 primeiros anos de

atividades, inicialmente contando com uma estrutura

de 96 leitos. Já em 1972, o então Governador Colombo

Sales incorporou o Hospital e Maternidade Marieta Konder

Bornhausen à Fundação Hospitalar de Santa Catarina.

Em 1977, com a administração hospitalar já transferida

à Sociedade Cultural Beneficente Nova Lourdes, e, na

sequência, à Sociedade Divina Providência, foi iniciada

a construção do novo prédio do Hospital e Maternidade

Marieta Konder Bornhausen, obra que foi concluída em

apenas dois anos de execução. Em 03 de janeiro de 1985,

o Governo do Estado de Santa Catarina assinou convênio

transferindo o gerenciamento do Hospital e Maternidade

Marieta Konder Bornhausen às Irmãs do Instituto das

Pequenas Missionárias de Maria Imaculada (IPMMI), sediado

em São José dos Campos (SP).

Em 2005, foi inaugurado o Instituto do Coração, de

Itajaí (Incor), o Centro de Diagnóstico por Imagem (CDI) foi

ampliado e o Centro de Terapia Intensiva (CTI) foi totalmente

reformado. Em 2007, o Governo de Santa Catarina autorizou

o Hospital Marieta a realizar procedimentos de alta

complexidade em oncologia. Desde julho de 2012, foram

iniciadas as obras do Complexo Madre Teresa, que será

anexo à estrutura existente do Hospital Marieta. O novo

prédio, que está em fase de finalização, terá 201 novos

leitos, sendo 62 de observação e 139 de internação. Serão 15

pavimentos divididos em 21.477,27 m².

O Hospital e Maternidade Marieta Konder Bornhausen

atende pacientes dos 11 municípios da região da AMFRI

(Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí) e mantém

o mais estruturado serviço de urgência e emergência

dessa região, com diversas especialidades médicas fixadas

no local para atendimento imediato aos pacientes. O

Hospital conta com um corpo de 1200 funcionários e 250

médicos para oferecer um atendimento multidisciplinar e

humanizado.

48 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


Hospital Arquidiocesano Cônsul Carlos Renaux (Brusque/SC)

O Santuário de Azambuja faz parte da história de Brusque,

e nele está localizado o centenário Hospital Arquidiocesano

Cônsul Carlos Renaux. O Hospital de Azambuja, como é

conhecido, foi inaugurado em 29 de junho de 1902, quando a

então Santa Casa de Misericórdia já englobava um pequeno

hospital, um asilo, um orfanato

e um hospício. Naquele

mesmo ano, os atendimentos

iniciaram de forma

constante com a presença

das Irmãs da Congregação

da Divina Providência.

Desde que foi criado, o hospital tem por vocação o atendimento

baseado na atenção e no carinho ao paciente e o

compromisso em prestar uma assistência integral e segura,

com profissionais qualificados. Hoje tornou-se um dos mais

importantes estabelecimentos de saúde da região, atendendo

em média 4.700 pessoas

por mês. Possui cerca de 10.800

metros quadrados construídos,

em três pavimentos, e conta

com 154 leitos para atender a

comunidade, sendo sete leitos

na Unidade de Terapia Intensiva.

Hospital Dom Joaquim (Brusque/SC)

Desde a fundação da casa de saúde, há 52 anos, o hospital

tem como objetivo principal prestar um serviço de qualidade

no atendimento aos seus pacientes. Para isso, todos os

quartos são equipados com televisão, ar-condicionado e

móveis de boa qualidade. No total, 92% dos atendimentos

são do SUS e o restante é de convênios particulares, sem

nenhuma distinção no atendimento.

O hospital é administrado pelo Pároco da Paróquia Santa

Catarina, Padre Timóteo José Steinbach, e com com 42

leitos, 42 funcionários e mais de 20 médicos que realizam

procedimentos na Casa de Saúde. Por mês, 1,2 mil pessoas

são atendidas no ambulatório. Além disso, 150 procedimentos

cirúrgicos e 900 exames de raio-x são executados

a cada 30 dias.

HOSPITAIS CATÓLICOS

49


Imperial Hospital de Caridade (Florianópolis/SC)

O IHC foi inaugurado no dia 01 de janeiro de 1789, sendo

o primeiro hospital de Santa Catarina e 12ª Santa Casa

construída no Brasil, voltado para o atendimento da população

civil e carente do Estado. Ao longo dos seus mais de

200 anos de tradição, tendo como mantenedora e gestora

a Irmandade do Senhor Jesus dos Passos, o IHC passou de

uma pequena construção edificada ao lado da Capela Menino

Deus a símbolo de uma próspera instituição assistencialista

e religiosa, com referência no atendimento médico hospitalar

para os catarinenses.

O IHC é uma instituição filantrópica,

que conta com 192 leitos

distribuídos em quinze unidades

de internação e atende pacientes

pelo Sistema Único de Saúde

(SUS) e convênios privados.

Recentemente, passou a contar com o Centro Intensivo de

Alta Complexidade Senhor Jesus dos Passos, considerado o

mais moderno do Estado.

O hospital tem como missão prestar assistência à

saúde e hospitalar de excelência, atendendo a filantropia,

respeitando princípios éticos profissionais e priorizando

as necessidades do paciente. Conta com a Associação de

Voluntários do Imperial Hospital de Caridade (AVIHC), que

tem a finalidade de desenvolver

atividades voluntárias e filantrópicas

de apoio ao IHC, assim

como promover a solidariedade

humana por meio do auxílio aos

pacientes e aos serviços do

hospital.

Hospital São José (Tijucas/SC)

Em julho de 1935, um pedido sobre a necessidade de um

hospital foi apresentado à Irmã Gonzaga, das Irmãs da Divina

Providência, e ao reverendo Padre Jacó Slater, pároco de

Tijucas. Por sua vez, Irmã Gonzaga iniciou uma conversa com

o Sr. José Gallotti a respeito de um terreno que pertencia, na

época, ao Sr. Aquiles Gallotti, médico e general do Exército.

E, no dia 15 de dezembro desse mesmo ano, em uma reunião

na Câmara Municipal, foi decidido que o terreno seria doado

às Irmãs da Divina Providência, caso elas cuidassem do

hospital e maternidade. Na primeira sexta-feira de maio

de 1938 foram quebradas, em Santa Luzia, as primeiras

pedras para a construção

do hospital. Já em 8 de

março de 1942, a Instituição

deu início ao seu

trabalho de atendimento.

O hospital atende todo o vale do Rio Tijucas e Costa

Esmeralda, o que inclui a prestação de serviços a 09 municípios

de Santa Catarina. Em abril de 2015, a Sociedade

Divina Providência realizou uma parceria com a Associação

Congregação de Santa Catarina (ACSC), para efetuar a administração

do HSJ – Tijucas. E em agosto de 2017, a ACSC

assumiu integralmente a administração da Instituição.

Com 63 leitos, o Hospital é referência em Ortopedia para

o Sistema Único de Saúde (SUS) na região. Presta serviços

nas áreas de Clínica Médica e Cirúrgica, Centro de Diagnóstico

por Imagem, Centro de Especialidades Médicas e Emergência

Geral; algumas das

Especialidades são: Cirurgia

Geral, Ortopedia, Otorrinolaringologia,

Oftalmologia,

Psiquiatria, entre outros.

50 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


Hospital e Maternidade Nossa Senhora da Conceição (Angelina/SC)

Sua história começou com a chegada das Irmãs Franciscanas

de São José, em Angelina, no ano de 1927, quando

houve exclusiva dedicação à saúde do povo angelinense. Em

1962 foi fundada a “Sociedade Nossa Senhora de Angelina”,

com o objetivo de construir um hospital no município. Em 25

de outubro de 1964, Dom Joaquim Domingues de Oliveira,

Arcebispo, benzeu a Pedra Fundamental do Hospital. Em

14 de outubro de 1973 foi

inaugurado o hospital

de Angelina com o nome

de “Nossa Senhora da

Conceição”.

O Hospital tem por finalidade prestar atendimento

de saúde à população de Angelina, municípios vizinhos, e

conta com 51 leitos e 9 médicos. Atende a comunidade nas

seguintes especialidades: Clínica Médica, Clínica Cirúrgica,

Clínica Obstétrica, Clinica Pediátrica, Cirurgia Geral, Cirurgia

Ortopédica, Anestesiologia, Pronto Atendimento em

urgência e emergência, Ultrassonografia, Radiologia Digital,

Farmácia Hospitalar,

Farmácia Pública, Laboratório

de Análises Clínicas,

Nutrição.

51


NOVAS

COMUNIDADES

Fé e obras de evangelização

As Novas Comunidades presentes em nossa Arquidiocese desenvolvem muitos

trabalhos sociais nas comunidades de periferia, em hospitais, com dependentes

químicos, com moradores de rua, e em outros países.

A missão da COMUNIDADE CATÓLICA SHALOM, em

Florianópolis, atua há 14 anos com a promoção de diversas

ações de evangelização na Arquidiocese de Florianópolis.

Para concretizar cada ação, a Comunidade engaja seus

membros em ministérios. Um

deles é o da Promoção Humana

Shalom (PH Shalom).

Atualmente, as ações da PH

Shalom estão concentradas no

“Projeto Mãe das Dores” que, em

parceria com a Pastoral da Saúde,

realiza visitas aos enfermos internados no Hospital Regional

de São José, na Grande Florianópolis.

Outras ações da PH Shalom estão relacionadas à

prevenção e combate às drogas, através da “Campanha Vida

Quero Mais”, que percorre escolas

da Ilha com atividades educativas

e apresentações artísticas,

e o evento “Casa de Maria”,

realizado para as crianças em

vulnerabilidade social, também na

capital.

Há 19 anos, a COMUNIDADE CATÓLICA ABBÁ PAI

mantém uma Central de Voluntariado Cristão, que gerencia

visitas assistenciais a crianças, jovens, idosos, deficientes

físicos e mentais e presidiários. Além disso, vem prestando

atendimento psicológico e pedagógico emergencial gratuito

para pessoas carentes. Contabiliza-se

a realização de cerca

de 10 mil visitas e 700 atendimentos

assistenciais nesse

período, numa média de 350

pessoas assistidas por ano.

No momento, a Comunidade está somando forças para

a construção do Centro de Assistência e Evangelização

Morada da Misericórdia. O objetivo é ampliar o atendimento

de 300 para 900 pessoas por ano. “Com um espaço apropriado

para atendimento, poderemos oferecer um serviço

mais completo. Além de ir ao encontro dos

assistidos, poderemos trazê-los para um atendimento

mais personalizado, também na área

de saúde”, explica Simone Pereira, Fundadora

da Abbá Pai.

52

52

ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


A COMUNIDADE CATÓLICA DIVINO OLEIRO

desenvolve trabalhos missionários, na África, mais

precisamente em Guiné-Bissau. As frentes de missão

nas quais estão engajados são: Saúde, Educação e

Evangelização. A escola neste ano passará a ter cerca

de 700 alunos matriculados, entre ensino básico e

secundário. Também está em andamento o Jardim

Infantil em seis aldeias. Este projeto tem à frente Padre

Lúcio Espíndola Santos, e hoje estão inscritas mais

de quinhentas crianças. Em setembro deste ano foi

retomado o Curso de Informática Básica na Missão. Na

saúde, é atendido o Hospital “Carlotta”, com auxílio na

administração e trabalhos humanitários. Desenvolvem

também o projeto Primeiro Anúncio em quatorze

aldeias, e o trabalho Pastoral na sede, em Tite.

NOVAS

COMUNIDADES

• Comunidade Lumen;

• Comunidade de Vida Maria Porta do Céu;

• Comunidade Católica Transfiguração;

• Comunidade Católica Amor Eterno;

• Comunidade Bethania.

53

53


Amábile Lúcia Visentainer e seus familiares partiram

da Itália, em Vígolo Vattaro, quando ela tinha apenas 10

anos de idade. Desde pequena, Amábile demonstrava sua

santidade e preocupação com o próximo. Ainda jovem

alimentou e ocupou seus pensamentos com atitudes

humildes e caridosas: cultivando mandioca, ajudando no

zelo da capela da sua comunidade e mais tarde cuidando

da cancerosa, de doentes e desfavorecidos da época.

Sua vontade de servir surgiu após Amábile sonhar

três noites consecutivas com Nossa Senhora, realizando

o chamado para iniciar sua obra dedicada aos irmãos e

irmãs. Em 12 de junho de 1890, Amábile e sua companheira

Virginia saíram da casa paterna e foram para o pequeno

casebre localizado em Vígolo, Nova Trento/SC, com a

missão de cuidar da cancerosa ngela Viviani até o fim de

sua vida.

Com o passar do tempo, Amábile e suas seguidoras

conquistaram uma pequena residência no centro de

Nova Trento/SC, próximo da Igreja paroquial. As Irmãs

recebiam ajuda dos benfeitores da época, mas a obra

só era assegurada com o próprio trabalho na roça, com

a confecção de flores artificias e com o trabalho de

costura. A nova residência foi utilizada para receber órfãs,

mulheres idosas, deficientes e também abriram uma

pequena escola para ensino do catecismo. Mas o fato

mais marcante foi a visita do Bispo Dom José de Camargo

Barros, no dia 25 de agosto de 1895, onde oficializou a

obra de Amábile como Congregação. Em 1903, Ir. Paulina

do Coração Agonizante de Jesus foi eleita superiora da

sua congregação por toda a sua vida, tornando-se Madre

Paulina. Mas ela não se contentou em apenas manter

sua obra em Nova Trento; com o convite do Pe. Rossi, ela

expandiu sua obra para o estado de São Paulo. As Irmãs

ganharam um lote no bairro Ipiranga/SP, com o objetivo

da construção de uma obra social, como é realizado até

hoje.

Como superiora geral da Congregação das Irmãzinhas

da Imaculada Conceição, entre os anos de 1903 e 1909,

Santa Paulina foi vencedora e empreendedora, realizando

novas fundações em São Paulo, como o Asilo Sagrada

Família, que, mais tarde, tornou-se Asilo para Velhos e

Inválidos, com o nome de “Obra para os pobres negros”,

depois tudo foi denominado “Instituição da Sagrada

Família”. Santa Paulina também assumiu, em 1905, a

Santa Casa de Misericórdia de Bragança Paulista, a 100

km de São Paulo. Em 1909, Santa Paulina aceitou enviar

algumas Irmãs para dirigir e trabalhar na Casa de Saúde

Homem de Mello, no bairro de Perdizes, na cidade de São

Paulo. Ao mesmo tempo, iniciou a fundação da Santa

Casa de Misericórdia, em São Carlos do Pinhal (SP), onde

a Congregação exerceu o serviço de enfermagem de 1909

a 1968.

Madre Paulina sempre demonstrou sua simplicidade

e humildade. Um dos motivos de sua Beatificação e

Canonização foi o empenho de continuar sempre com

seus objetivos. Mesmo com a sua deposição ordenada

pelo Arcebispo da época, Dom Duarte, Santa Paulina

decidiu continuar como súdita na Congregação, e foi

enviada para Bragança Paulista/SP para cuidar dos

ex-escravos e asilados.

54


A beatificação de Madre Paulina foi realizada no dia 18

de outubro de 1991, em Florianópolis/SC pelo Papa João

Paulo II. Um dos milagres comprovados para a beatificação

foi a intercessão de Santa Paulina em favor de Eluíza Rosa

de Sousa. Uma das principais protagonistas do processo

de canonização foi a Ir. Célia B. Cadorin, que faleceu em

julho de 2017. Santa Paulina foi canonizada no dia 19 de

maio de 2002, em Roma, na Itália. Com isso, Madre Paulina

teve seu nome acrescentado na lista de Santos e Santas

como Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus, e

sendo reconhecida como primeira Santa do Brasil.

A partir da Beatificação de Madre Paulina em 1991,

começou a ser planejado a construção do Santuário

dedicado a Santa Paulina, devido aos inúmeros devotos

e peregrinos que vinham até Vígolo em Nova Trento para

rezar, agradecer e suplicar pela intenção da primeira

Santa do Brasil. Essa realidade fez surgir a necessidade

de criar um espaço sagrado, para melhor acolher o povo,

que chegava de todas as partes do Brasil e do exterior. O

Templo levou 924 dias para ser construído, sem nenhum

acidente durante toda a construção.

Saiba mais: (48) 3267-3030

www.santuariosantapaulina.org.br

Santuário Santa Paulina

Rua Madre Paulina, 3988

Vígolo, Nova Trento/SC

55


Hoje, o sonho de Santa Paulina continua a pulsar

nas veias, no coração e na missão das Irmãzinhas da

Imaculada Conceição, na presença junto ao povo nos

trabalhos pastorais nas comunidades e nas instituições de

assistência social que fazem parte ou não da Rede Santa

Paulina.

Presente em 12 países, a Congregação atua nas

pastorais sociais, pastoral da saúde, pastoral da criança,

entre outras, além dos trabalhos realizados junto às

juventudes, mulheres e povos indígenas. As Irmãzinhas

também estão em projetos, como o “Multiplique o Pão”,

em Livramento de Nossa Senhora (BA), que realiza o

resgate da cidadania em um local de vulnerabilidade social,

oferecendo diversas oficinas. Outro exemplo é o projeto

Aprender a Ser, em Porto Velho (RO), que busca a inclusão

social e a valorização das mulheres, contribuindo para o

autossustento, crescimento da autoestima e da autonomia.

A CIIC desenvolve dois tipos de serviço por meio de seis

unidades de assistência social: proteção social básica e

proteção social especial de alta complexidade.

Como proteção social básica, oferece o Serviço

de Convivência e Fortalecimento de Vínculos nos três

espaços onde desenvolve um trabalho socioeducativo com

crianças e adolescentes: Tecendo a Vida, no bairro União,

em Belo Horizonte (MG); Educandário Sagrada Família, no

Ipiranga, em São Paulo (SP) e Casa da Sagrada Família, na

Vila Albertina, em Campos do Jordão (SP).

Os projetos sociais visam a estimular os educandos

por meio de atividades socioeducativas, para que

desenvolvam seu potencial e suas relações interpessoais

na família, na comunidade e/ou na sociedade em que

participam. Atualmente são atendidas pelas três unidades

de assistência social da Rede Santa Paulina cerca de 560

crianças e adolescentes, que participam de atividades no

campo da arte, esporte, formação integral, por meio de

diversas oficinas oferecidas no contraturno escolar no

decorrer do ano.

Na proteção social especial de alta complexidade,

por meio da Associação Cultural e Beneficente Nova

Lourdes (ACBNL), a CIIC oferece o Serviço de Acolhimento

Institucional, atendendo, atualmente, mais de 80 idosos no

Lar dos Velhinhos, em Maringá (PR), e no Lar São Roque, em

Diamantino (MT).

Também faz parte da proteção social especial de

alta complexidade a Casa de Acolhimento Santa Paulina,

em Itajaí (SC), que acolhe mulheres em situação de rua

entre 18 e 59 anos, acompanhadas ou não de filhos, com

o objetivo de garantir proteção integral, a fim de resgatar

histórias, sem o desmembramento do grupo familiar,

visando ao resgate de vínculos sociais e à oferta de novas

perspectivas. A instituição busca promover o acesso à rede

de qualificação e requalificação profissional com vistas à

inclusão produtiva, tendo como objetivo principal o resgate

da dignidade e a construção de uma nova história de vida.

Além das seis unidades próprias, a Congregação

também está presente através do trabalho das Irmãs em

outras instituições de assistência social, como: Lar Nossa

Senhora Aparecida, em Aparecida (SP); Hogar de Ancianos

Santa Marta, na Argentina; Orfanato Missão San Roque, em

Moçambique; Comedor Santa Rosa de Lima, na Nicarágua.

56


57


PROJETOS SOCIAIS ARQUIDIOCESANOS

Fundo Arquidiocesano de Solidariedade:

20 ANOS DE

transformação social

O Fundo Arquidiocesano de Solidariedade (FAS) é um fundo solidário permanente, composto

pelos recursos da Coleta da Campanha da Fraternidade, realizada sempre no Domingo de Ramos.

O FAS visa a apoiar projetos realizados pelas Ações Sociais Paroquiais, Movimentos Sociais,

Grupos de Economia Solidária, Pastorais Sociais da Arquidiocese de Florianópolis.

Nestes 20 anos de existência, o FAS se consolidou como uma importante ferramenta de

transformação social na Arquidiocese de Florianópolis, apoiando mais de 300 projetos de

instituições sociais de comunidades empobrecidas

Haiti e Itajaí – Comunidades Irmãs | Congregação das Irmãs Catequistas Franciscanas

Casa Madre Teresa de Calcutá (Itapema/SC)

“As doações ao FAS são migalhas

que se transformam em pão para quem mais precisa.”

(ELIETE – ASSOCIAÇÃO VIDA NUEVA – PALHOÇA)

Casa Irmã Dulce (Tijucas/SC)

58 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


Prêmio de Iniciativa Solidária

DOM AFONSO NIEHUES

Em 2014, a Arquidiocese de Florianópolis comemorou o centenário natalício de Dom Afonso Niehues (1914-2014),

e instituiu o Prêmio de Iniciativa Solidária Dom Afonso Niehues, que busca reconhecer e valorizar publicamente os

esforços das pessoas e organizações sociais nas lutas em defesa da vida e dignidades da população economicamente

desfavorecida. Nestes cinco anos de existência do prêmio, muitas pessoas e entidades foram homenageadas.

CONFIRA ALGUNS HOMENAGEADOS

Categoria Leigo: Maria Teresa Barreto Floriani

Categoria Empresário: Dr. Glauco Corte – FIESC

FUNDAÇÃO FÉ E ALEGRIA – PALHOÇA

Categoria Empresário: ANTONIO KOERICH

Pastoral da Pessoa Idosa: “Formação de cuidadores de idosos”

Categoria Servidor Público: Márcio Goulart

Ir. Terezinha Medeiros - Pastoral da Criança

Darcy Augusta Alves da Silva - Casa Madre Teresa de Calcutá

Luiz Carlos Santana Filho - Associação Casa Irmã Dulce

PROJETOS SOCIAIS ARQUIDIOCESANOS

59


PROJETOS SOCIAIS ARQUIDIOCESANOS

CASA DE APOIO

SÃO JOSÉ

Inaugurada em 2017, dispõe de

um ambiente humanizado e acolhedor

A casa é destinada para acolher os parentes dos

pacientes do Hospital Regional de São José que se

deslocam do interior do Estado para fazer tratamentos

de saúde, e na maioria das vezes não dispõem de local e

recursos para pernoitar dignamente, restando somente os

bancos de concreto do próprio hospital. São pessoas que se

encontram num momento de fragilidade física e emocional,

e, por isso, é oferecido um ambiente humanizado, familiar

e gratuito.

e também do setor de Humanização, que identificam a

necessidade do acompanhante e do paciente por um local

de permanência durante o tratamento. Como se trata de

pacientes originários de regiões onde não há implantação

de um sistema de saúde que contemple o atendimento em

sua totalidade, por falta de condições técnicas, o usuário

é encaminhado para o hospital de referência, utilizando o

transporte da secretaria de saúde do seu município, que

garante a vinda e o retorno.

É relevante destacar que não há nenhum outro local

em São José que ofereça esse tipo de amparo às pessoas

que realizam intervenções médico/hospitalares fora de seu

domicílio.

Atualmente todo o trabalho na casa é realizado por

voluntários, e a alimentação servida provém de doação.

Uma verdadeira bênção de Deus na vida de cada pessoa

acolhida na casa.

A Casa de Apoio São José foi inaugurada em 13 de

dezembro de 2017, com capacidade para acolher dignamente

26 pessoas, além de oferecer refeições, banho

e espaço para descanso. Os usuários chegam à Casa

através de encaminhamento do Serviço Social do hospital

60 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


VEJA AS FORMAS

DE AJUDAR A CASA:

1. Visite a casa e torne-se um voluntário.

2. Faça uma doação mensal

(alimentos ou recursos para manutenção da casa).

3. Colabore via conta de luz.

CASA DE APOIO SÃO JOSÉ

Rua Constâncio Krummel, 952

Praia Comprida- São José/SC

Quer saber como ajudar?

Fale com nosso atendimento!

Ligue: (48) 3224-8776

www.asafloripa.org.br

PROJETOS SOCIAIS ARQUIDIOCESANOS

61


PROJETOS SOCIAIS ARQUIDIOCESANOS

CRAI: ACOLHIMENTO AOS

IMIGRANTES

Com o aumento significativo do fluxo migratório no

mundo, a Pastoral do Migrante organizou um serviço de

atendimento na Paróquia Santa Teresinha, em Florianópolis,

devido à ausência de um espaço específico para atendimento

ao imigrante, principalmente no que se refere à sua

regularização no país.

A partir desse trabalho, foi elaborado um projeto e

enviado à Secretaria de Estado da Assistência Social,

Trabalho e Habitação, para a criação do Centro de Referência

de Atendimento ao Imigrante. Em fevereiro de 2018

foi inaugurado o CRAI, que atua na área de integração,

proteção, assistência social e psicológica, com o intuito

de ser referência em todo o Estado no que diz respeito aos

encaminhamentos nos temas da imigração e do refúgio.

Ele é o primeiro Centro de Referência de Atendimento a

Imigrantes de Santa Catarina e o terceiro do Brasil. Oferece

orientações sobre documentos, mercado de trabalho,

profissionalização, orientação e encaminhamento às

redes de atenção e cuidado e atendimento psicossocial a

imigrantes e refugiados.

O CRAI trabalha em parceria com redes

colaboradoras, que são instituições do Estado de

Santa Catarina que ajudam imigrantes e refugiados a

garantirem acesso à informação e aos seus direitos

e oportunidades.

Atualmente fazem parte desta rede:

GAIRF - Grupo de Apoio a Imigrantes e Refugiados

de Florianópolis e Região;

A ATUAÇÃO DO CRAI SE DÁ DA SEGUINTE FORMA:

INTEGRAÇÃO:

GTI - Grupo de Trabalho de Apoio a Imigrantes e

Refugiados; NEMPsic - Clínica Intercultural e Eirenè

UFSC / Cátedra Sérgio Vieira de Mello.

• Aprendizado do idioma;

• Capacitação para o mercado de trabalho;

• Geração de renda e acesso à educação.

PROTEÇÃO:

• Regularização de documentos;

• Orientação jurídica;

• Assistência social e psicológica.

62 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


Pastoral do Migrante

A missão da Pastoral do Migrante é oferecer a essas pessoas

uma acolhida digna, em nome da Igreja, e dar-lhes condições

de viver aqui como qualquer cidadão. Na Arquidiocese,

o trabalho da pastoral é realizado pelos missionários

Scalabrianos, que trabalham em parceria com a ASA/CRAI

e atuam na orientação espiritual e também no cadastro de

famílias para o recebimento de alimentação básica.

PROJETOS SOCIAIS ARQUIDIOCESANOS

63


PROJETOS SOCIAIS ARQUIDIOCESANOS

PROJETO RIOS

Comunidades unidas pela recuperação e preservação dos rios

Diante da situação calamitosa dos rios catarinenses, em

setembro de 2017, na 24ª Romaria da Terra e das Águas, na

Diocese de Tubarão, foi lançado o PROJETO RIOS. O projeto

é coordenado em nível Estadual pela Ação Social Arquidiocesana

(ASA) de Florianópolis, Conferência Nacional dos

Bispos do Brasil (CNBB), Cáritas Regional de Santa Catarina,

e pelo Fórum Permanente para Preservação do Aquífero

Guarani e das Águas Superficiais.

A proposta é inovadora no sentido de criar um “voluntariado

ambiental”. Nas comunidades, de forma organizada,

implementam projetos no âmbito da responsabilidade

socioambiental, da gestão dos recursos naturais, dos resíduos

e da biodiversidade relacionadas à gestão da água.

O projeto visa a dar resposta concreta, enquanto Igreja,

aos desafios socioambientais, e formar, nas paróquias

e comunidades, agentes ambientais. Também almeja

contribuir com ações de preservação que impactem nas

comunidades, com baixo custo e envolvimento popular.

Tem como propostas de atuação: Identificar nas paróquias

pessoas que estão disponíveis para atuação no projeto;

formar equipes de pessoas que adotem um trecho de um

rio que passe pela comunidade. Essas equipes deverão

fazer uma visita por mês no trecho do rio adotado, seguindo

uma metodologia já aplicada em projeto similar executado

na Espanha e em Portugal.

A ideia é alcançar resultados expressivos na fiscalização

e na recuperação dos rios, com a despoluição e retomada

das condições naturais de cada manancial hídrico. Cada

comunidade pode organizar atividades como: visitas aos

rios, formação de monitores, ações de limpeza e conservação,

conscientização de crianças e jovens, entre outras

propostas de atuação em favor do rio.

Informações sobre como participar do Projeto Rios na sua comunidade:

Envie um e-mail para projetorios.sc@gmail.com ou entre em contato pelo telefone (48) 3224-8776.

64 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


GLOSSÁRIO

AÇÕES SOCIAIS PAROQUIAIS

Ação Social Paroquial de Palhoça

Contato: 3242-1106 | Email: paroquiasbjn@hotmail.com

Av. Barão do Rio Branco, 203 - Centro

Palhoça/SC, CEP: 88130-101

Ação Social São Francisco de Assis / Aririú

Contato: (48) 3342-3342-0436 |

Email: paroquiafcoassis@bol.com.br

Rua: João José da Silva, 326 – Aririú

Palhoça/SC – CEP: 88135-040

Ação Social Ponte do Imaruim

Contato: (48) 3242-1544 | Email: paroquiaponte@yahoo.

com

Rua: João Febrônio de Oliveira, 65 – Ponte do Imaruim

Palhoça/SC – CEP: 88130-385

Ação Social Paroquial de Enseada do Brito

Contato: (48) 3242-8044 | Email: pnsr1750@hotmail.com

Praça Nossa Senhora do Rosário, s/n.º – Enseada do Brito

Palhoça/SC – CEP: 88139-000

Ação Social Paroquial de São Vicente

Contato: (47) 3241-2742

Email: paroquiasvicentepaulo@yahoo.com.br

Rua Estefano José Vanolli, 1029 – São Vicente

Itajaí/SC – CEP: 88309-100

Ação Social Paroquial de Cordeiros

Contato: (47) 3341-1408

Email: psc.secretaria@hotmail.com

Rua Odílio Garcia, 445 – Cordeiros

Itajaí/SC – CEP: 88310-180.

Ação Social Paroquial da Fazenda

Contato: (47) 3344-3972/ 3348-9681

Email: paroquiafazenda@terra.com.br

Rua Amaro Jaques, 85 – Fazenda

Itajaí/SC – CEP: 88302-510.

Ação Social Paroquial São João

Contato: (47) 3348-2594 | Email: aspsj@hotmail.com

Rua Pedro Rangel, 154 – São João

Itajaí/SC – CEP: 88304-430

Ação Social Paroquial de Santo Antonio

Contato: (47) 3368-2185/ 3268-3939

Email: secretaria@santoantonioparoquia.com

Av. Governador Celso Ramos, 701 – Centro

Itapema/SC – CEP: 88220-000

Ação Social e Cultural São Sebastião

Contato: (48) 3256-0124 | Email: leandrofsc@hotmail.com

Rua Jacinto Matos, 86 – Centro

Anitápolis/SC – CEP: 88475-000

Ação Social Nossa Senhora dos Navegantes

Contato: (48) 3262-0176 | Email: paroquia_nsn@pop.com.br

Av. Ganchos, 726 – Ganchos do Meio

Gov. Celso Ramos/SC – CEP: 88190-000

Ação Social e Cultural de Paulo Lopes

Contato: (48) 3253-0109

Email: secretaria@paroquiascj.com

Praça Sagrado Coração de Jesus, s/nº - Centro

Paulo Lopes/SC – CEP: 88490-000

Ação Social e Cultural São Joaquim

Contato: (48) 3254-3140

Email: acaosocial.garopaba@gmail.com

Rua Lauro Muller, 330 – Centro

Garopaba/SC – CEP: 88495-000

Ação Social São Luiz

Contato: (48) 3228-3527 (fone/fax)

Email: assl_saoluiz@yahoo.com.br

Rua Rui Barbosa, 01 – Agronômica

Florianópolis/SC – CEP: 88025-300

Ação Social Paroquial de Ingleses

Contato: (48) 3207-4692

Email: acaosocialingleses@hotmail.com

Rua: Sargento Maurílio Gonçalves Cabral, 23 - Ingleses

Florianópolis/SC – CEP 88058-351.

Ação Social Nossa Senhora de Guadalupe

Contato: (48)3369-1388

Email: pnsguadalupe.sc@gmail.com

Av. Madre Maria Villac, 1700 – Canasvieiras

Florianópolis/SC – CEP: 88054-001

Ação Social e Cultural da Catedral

Contato: (48) 3224-3357

Email: acaosocial@catedralflorianopolis.org.br

Rua Padre Miguelinho, 55 - Centro

Florianópolis/SC – CEP: 88010-550

Ação Social Nossa Senhora da Lapa

Contato: (48) 3237-3889

Email: paróquia@nossasenhoradalapa.org.br

Rodovia SC 405, 446 - Fazenda Rio Tavares

Florianópolis/SC – CEP: 88063-700

Ação Social Paroquial da Lagoa

Contato: (48) 3232-1972

Email: secretaria@lagoa.org.br

Rua Francisca Luiza Vieira, 277

Lagoa da Conceição

Florianópolis/SC – CEP: 88062-140

Ação Social da Trindade

Contato: (48) 3025-6772 – Ramal: 07

Email: acaosocialdatrindade@yahoo.com.br

Praça Santo Dumont, 94 – Trindade

Florianópolis/SC – CEP: 88036-680

Ação Social de Santo Antônio

Contato: (48) 3024-9120 (fone/fax)

Email: santoantonio@arquifln.org.br

Rua Padre Schuler, 81 – Centro

Florianópolis/SC – CEP: 88010-310

Obras sociais Dom Orione

Contato: (48) 3365-3409 (fone/fax)

Email: joaobatistaluzia@yahoo.com.br

Rua Prefeito Dib Cherem, 2698 – Capoeiras

Florianópolis/SC – CEP: 88090-000

Ação Social Santa Maria Goreti

Contato: (48) 3365-8604 (fone/fax)

Email: paraquiadacoloninha@hotmail.com

Rua Santa Rita de Cássia, 1050 – Coloninha

Florianópolis/SC – CEP: 88090-351

66 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


Obras Sociais da Comunidade

Paroquial de Coqueiros

Contato: (48) 3028-9414 (fone/fax)

Email: casalarcoqueiros@gmail.com

Rua Professor Bayer Filho, 81 – Coqueiros

Florianópolis/SC – CEP: 88080-300

Ação Social São José e Santa Rita de Cássia

Contato: (48) 3240-4154

Email: paroquiasjrc@ig.com.br

Rua Luiz D`Acampora, 207 – Jardim Atlântico

Florianópolis/SC – CEP: 88095-330

Ação Social Paroquial de Saco dos Limões

Contato: (48) 3333-5016 (fone/fax)

Email: psl@boaviagem.org.br

Rua João Mota Espezim, 1023 – Saco dos Limões

Florianópolis/SC – CEP: 88045-401

Ação Social Santa Teresinha do Menino Jesus

Contato: (48) 3225-7043

Email: paroquiasantaterezinha@hotmail.com

Rua 13 de Maio, 62 – Prainha

Florianópolis/SC – CEP 88020-230

Ação Social São Francisco Xavier

Contato: (48) 3238-4966 | Email: paroquiasfx@uol.com.br

Rodovia Virgílio Várzea, 538 – Monte Verde

Florianópolis/SC – CEP: 88032-000

Ação Social e Cultural Nossa Senhora

da Glória – ASCUNSEG

Contato: (48) 3206-5135

Email: ascunseg@yahoo.com.br

Rua Sérgio Gil, 792 – Balneário

Florianópolis/SC – CEP: 88075-000.

Ação Social Paroquial de São José

Contato: 47 3359-1142 | Email: paroquiabotu@hotmail.com

Rua Padre Carlos Enderlin, 215 – Centro

Botuverá/SC – CEP: 88370-000

Ação Social Nossa Senhora de Fátima

Contato: (48) 3244-2435

Email: secretaria@santuariodefatima.net.br

Rua Souza Dutra, 442 – Estreito

Florianópolis/SC – CEP: 88070-600

Ação Social de São Pedro de Alcântara

Contato: (48) 3277-0109

Email: spaarquifloripa@gmail.com

Rua João Pering, 254 – Centro

São Pedro de Alcântara/SC – CEP: 88125-000

Ação Social Paroquial de Santa Cruz

Contato: (48) 3246-5572 (fone/fax)

Email: secretaria@pscruz.org.br

Rua Independência, 972 – Areias

São José/SC – CEP: 88113-280

Ação Social Paroquial Nossa Senhora do Rosário

Contato: (48) 3346-1676

Email: paroquia_rosario@hotmail.com

Rua Iano, 1745 – Nossa Senhora do Rosário

São José/SC – CEP: 88117-850

Ação Social São Judas Tadeu

Contato: (48) 3246-0122

Email: paroquiadesaojudastadeu@yahoo.com.br

Rua Capitão Pedro Leite, 406 – Barreiros

São José/SC – CEP: 88117-600

Ação Social São Francisco de Assis

Contato: (48) 3034-3676

Email: paroquiaforquilhinhas@bol.com.br

Rua Vereador Artur Mariano, 880 – Forquilhinhas

São José/SC – CEP: 88106-500

Ação Social Paroquial de São José

Contato: (48) 3247-1596

Email: sjparoquia@yahoo.com.br

Praça Hercílio Luz, 201 – Centro Histórico

São José/SC – CEP: 88103-052

Ação Social Paroquial de Campinas

Contato: (48) 3241-3216

Email: acaosocial.campinas@yahoo.com.br

Rua Irmãos Vieira, 4 – Campinas

São José/SC – CEP: 88101-290

Ação Social de Barreiros

Contato: (48) 3246-8600

Email: contato@acaosocialdebarreiros.org.br

Rua Cândido Amaro Damásio, 700 CEP: 88111-110

Bairro Jardim Cidade de Florianópolis - São José/SC

Ação Social Paroquial São Luiz Gonzaga

Contato: 47 3351-1258 | Email: brusqueslg@uol.com.br

Rua Padre Gattone, 75 – Centro

Brusque/SC – CEP: 88350-350

Ação Social Paroquial de Santa Catarina

Contato: 47 3351-0765

Email: matriz@paroquiasantacatarina.com

Rua Botuverá, 54 – Dom Joaquim

Brusque/SC – CEP: 88359-002

Sociedade de Promoção Social,

Cultural Santa Teresinha

Contato: 47 3350-0301 | Email: ste@arquifln.org.br

Rua Santos Dumont, 1488 – Santa Teresinha

Brusque/SC – CEP: 88352-202

Ação Social Neotrentino

Contato: 47 3267-0127 | Email: asn_nt@hotmail.com

Rua Santo Inácio, 170 – Centro

Nova Trento/SC – CEP: 88270-000

Assistência Social Nossa Senhora

do Perpétuo Socorro

Contato: 47 3354-0115 | Email: igrejaguabiruba@terra.com.br

Rua Brusque, 9 – Centro – Guabiruba/SC – CEP: 88360-000

Ação Social Paroquial São João Evangelista

Contato: (48) 3243-3130 | Email: acaosocialsje@hotmail.com

Rua Rio Branco, 54 – Centro – Biguaçu/SC – CEP: 88160-000

Centro Social São Sebas

Contato: (47) 3360-4321

Email: saosebastiao@redel.com.br

Site: www.paroquiasaosebastiaobc.com.br

Av. do Estado, 1750 – Balneário Camboriú/SC

Ação Social e Cultural Cristo Rei

Contato: (47) 3363-9796

Email: waltirdioniziorosa@hotmail.com

Rua Manoel Anastácio Pereira, n. 201, Centro, Camboriú/SC

GLOSSÁRIO

67


CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Casa Lar Emaús – Ação Social Missão

Contato: (48) 3223-4915 | Email: casalaremaus@yahoo.com

Site: www.casalaremaus.org.br

Rua Eurico Hosterno, 321 - Santa Mônica - Florianópolis/SC

Casa da Criança Morro da Penitenciária

Contato: (48) 3333- 0257

Site: www.casadacriancamp.org.br

Email: casadacriancamp@brturbo.com.br

Ação Social Santo Antônio

Casa Madre Teresa de Calcutá

Contato: (47) 3398-3091

Email: casamadreteresa@gmail.com

Rua 456,Jardim Praia - Itapema/SC

Casa São José

Contato: (48) 3222-1299 / 3234-3800

Site: www.casasaojosefloripa.org.br

E-mail: contato@casasaojosefloripa.org.br

Rua Marcus Aurélio Homem, Serrinha - Florianópolis/SC

Obras de Assistência Social

Dom Orione de Capoeiras

Contato: (48) 3248-3409 | Site: www.capoeiras.org.br

Rua Dib Cherem, 2698, Capoeiras - Florianópolis/SC

Creche São Francisco de Assis

Contato: (48) 3233-6748

Site:crechesaofranciscodeassis.com.br

Email: csfranciscoassis@gmail.com

Servidão Alfredo Silva, 72 Carvoeira - Florianópolis/SC

Creche de Barreiros Nossa Senhora de Lurdes

Contato: (48) 3246 8600

Site:www.acaosocialdebarreiro.org.br

Email: contato@acaosocialdebarreiros.org.br

Rua Candido Amaro Damasio, 700, Barreiros - São José/SC

Obras Sociais da Comunidade

Paroquial de Coqueiros

Contato: (48) 3028-9414 e 3028-0665

Email: casalarcoqueiros@gmail.com

Rua Vitor Silva 50, Coqueiros - Florianópolis/SC

Creche de Barreiros Anjo da Guarda – Pedregal

Contato: (48) 3028-9414 e 3028-0665

Email: casalarcoqueiros@gmail.com

Rua Vitor Silva 50 , Coqueiros - Florianópolis/SC

Fundação Fé e Alegria do Brasil

Unidade Palhoça

Contato: (48) 3344 1033 | Email: contato.sc@fealegria.org.br

Site: www.fealegria.org.br

Rua Américo Vespúcio, 350, Barra do Aririú - Palhoça/SC

Irmandade do Divino Espírito Santo – IDES

Contato: (48) 3224-5008 | Email: contato@ides-sc.org.br

Site: www.ides-sc.org.br

Rua Emílio Blum, 124, Centro - Florianópolis/SC

Casa Madre Teresa – Ingleses

Contato: (48) 3365-1678

Email: acaosocialingleses@hotmail.com

Site: acaosocialingleses.blogspot.com

Rua Sargento Maurilho Gonçalves Cabral, 23 - Ingleses

Florianópolis/SC

Instituto Pe. Vilson Groh

Contato: (48) 3039 1828

Site:www.ivg.net.br Email: ivg@ivg,net.br

Avenida Mauro Ramos, 1264 -Centro - Florianópolis/SC

Pastoral da Criança

Contato: (48) 99959-0365

Email: teremedeiros@gmail.com

Site: www.pastoraldacrianca.org.br

Rua Cecília Jacinta de Jesus, 86 - Rio Tavares

Florianópolis/SC CEP: 88048-422

JUVENTUDE

Setor Juventude - Expressões Juvenis

Cúria Metropolitana de Florianópolis

Comunidade Católica Abbá Pai, Movimento de Cursilhos Jovem; Rua Esteves Júnior, 447 , Centro - Florianópolis/SC - CEP

Pastoral da Juventude, Comunidade Católica Bethânia; Movimento 88015-130

Água Viva Jovem, Pastoral da Juventude Marista; Comunidade Contato: (48) 3224-4799 | Email: setorjuventude@arquifln.

Católica Divino Oleiro; Movimento de Emaús; Pastoral Universitária; org.br

Comunidade Católica Shalom; Movimento dos Focolares; Pastoral Facebook: www.facebook.com/juventudearquifloripa |

Vocacional; Comunidade Católica Transfiguração, Movimento Instagram: @juventudefln

Pólen; Renovação Carismática Católica.

PASTORAL CARCERÁRIA

Assessor: Padre. Almir José de Ramos

Coordenador: Luiz Carlos Pires Senna

Contato: (48) 3879-2168 / 2107-2323

Email: estampalivre@yahoo.com.br

Rua Delminda da Silveira, 960 - Agronômica

Florianópolis/SC - CEP:88025-500

Comunidade Bethânia

Contato: (48) 33265-4415 | Email: bethania@bethania.com

Site:www.bethania.com.br

Estrada Municipal Bethânia, 400 - São João Batista/SC

Centro de Recuperação de Dependentes

Químicos Recanto Silvestre Contato: (48) 3243-3414

Rua Alfredo João Ferminio, 783 - Fundos - Biguaçu/SC

DEPENDENTES QUÍMICOS

Obra Social Nossa Senhora da Gloria

(Fazenda da Esperança)

Contato: (48) 3234- 0825

E-mail: floripa.f@fazenda.org.br

Site: www.fazenda.org.br

Rua Rosa, 1764 - Pantanal Florianópolis/SC

Pastoral da Sobriedade

Coordenador: Pe. Luiz Prim

Contato: (48) 99982-4943 / 3243-3414

Email: primluiz@bol.com.br

Rua João Alfredo Fermino, 783 Fundos

Biguaçu/SC - CEP: 88160-000

68 ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS


POPULAÇÃO DE RUA

Associação Vida Nueva

Contato:48 3286 8368 | Email: vidanuevabr@yahoo.com.br

SRV Mariano José de Fraga Junior, 233

Enseada de Brito - Palhoça/SC

Pastoral Povo de Rua

Coordenadora: Evania Cunha

Email: evaniacunha@yahoo.com.br

Pastoral da Caridade – Paróquia de São José

Contato: (48) 3247-1596 | Email: sjparoquia@yahoo.com.br

Rua Xavier Câmara, 200 - Centro Histórico

São José/SC - CEP:88103-015

Fraternitas Santa Joana D’Arc – O Caminho

Contato: (48) 3348-5062

Email: santajoanadarc@ocaminho.org.br

Rua Padre Ely Luiz Nodari, 89 – Coloninha

Florianópolis/SC - CEP: 880905-255

Associação Maria Mãe de Jesus – Kombi da Sopa

Contato: (47) 9607-3195

Lar Menino Deus

Contato: (47) 3355-0727 /3351/6631

Site: www.larmeninodeus.com

Rua João XXIII, 380 – Aguas Claras – Brusque/SC

Bom Samaritano - Ação Social e Cultural

Nossa Senhora da Gloria

Contato: (48) 3304-8014 | Email: pnsg@yahoo.com.br

Site: www.pnsg.org.br

Rua Sérgio Gil, 792 - Balneário

Florianópolis/SC CEP:88075-340

Orionópolis Catarinense

Contato: (48) 3343- 0087

Site: www.orionopolis.org.br

Email: orionopoliscatarinense@yahoo.com.br

Rua Frederico Afonso, 5568 - Ponta de Baixo

São José/SC

PESSOA IDOSA

Pastoral da Pessoa Idosa

Coordenadora: Osvaldina Zucco Weber

Contato: (48) 3337-4038 / 99992-1872

Email: dinazucco@gmail.com

Lar para Idosos Casa Santa Maria dos Anjos

Contato: (48) 3242-2478

Rua Padre João Batista Réus, 1040

Caminho Novo, Palhoça/SC

Lar São Francisco

Contato: (48) 3338-1418

Rua Baldicero Filomeno, 2078, Ribeirão da Ilha

Florianópolis/SC

Lar Santa Maria da Paz – Casa Irmã Dulce

Contato: (048) 3263-1176 ou 3263-1268

Email: larsantamariadapaz@gmail.com

Site: www.larsantamariadapaz.com.br

R. Marechal Deodoro, 55, Centro, Tijucas/SC CEP:88200-000

Fundação Lar da Terceira Idade Pe. Antônio Dias

Contato: (47) 3365-1528

www.facebook.com/fundacaolardaterceiraidade

Rua Cel. Benjamim Vieira, 447 – Camboriú/SC

Asilo Irmão Joaquim

Contato: (48) 3222-7544 Email: mapmcc@ig.com.br

Avenida Mauro Ramos, 901 - Centro - Florianópolis/SC

Asilo Dom Bosco Itajaí

Contato: (47) 3348-1832

Site: www.asilodombosco.com.br

R. Indaial, 1299 - São Judas, Itajaí/SC, CEP:88303-303

Lar São Francisco

Contato: (48) 33376423

Site: www.larsfrancisco.org.br

Rua Baldicero Filomeno, Alto do Ribeirão da Ilha

Florianópolis/SC

PROJETOS ARQUIDIOCESANOS

Fundo Arquidiocesano de Solidariedade

Contato: (48) 3224-8776 | Email: asa@arquifln.org.br

R. Esteves Júnior 447, Centro

Florianópolis/SC - CEP:88015-130

Casa de Apoio São José

Rua Constâncio Krummel, 952

Praia Comprida - São José/SC

Pastoral do Migrante – Missão Scalabriniana

Contato: (48) 3665-4322

Email: migrantesfloripa@gmail.com

Rua Tenente Silveira, 225, Edifício Hércules, sala 01

Centro - Florianópolis/SC

Projeto Rios

Contato: (48) 3224-8776 | Email: asa@arquifln.org.br

R. Esteves Júnior 447, Centro

Florianópolis/SC - CEP:88015-130

Centro de Referência de Atendimento

a Imigrantes de Santa Catarina

Contato: (48) 36654322 Email: craisc@gmail.com

www.facebook.com/craifloripa

Ed. Hércules, sala 01, R. Ten. Silveira, 225 - Centro

Florianópolis/S - CEP:88010-300

GLOSSÁRIO

69


HOSPITAIS CATÓLICOS

Hospital Arquidiocesano Cônsul Carlos Renaux

Administração: Arquidiocese de Florianópolis

Contato: (47) 3351-0066

Site: www.hospitalazambuja.com.br

Av. Azambuja, 1089 – Brusque/SC – CEP:88.351-901

Hospital Dom Joaquim

Adm.: Associação Hospital e Maternidade Dom Joaquim

Contato: (47) 3351 0035

Rua Botuverá, 202 – Dom Joaquim – Brusque/SC

Hospital Marieta Konder Bornhausen

Administração: Sociedade Divina Providência

Av. Marcos Konder, n.º 1111 – Centro – Itajaí/SC

Contato: (47) 3249-9400 | Fax: (47) 3348-8946

Hospital Marieta Konder Bornhausen

Administração: Sociedade Divina Providência

Contato: (47) 3249-9400

Fax: (47) 3348-8946

Site: www.hospitalmarieta.com.br

Av. Marcos Konder, n.º 1111 – Centro

Itajaí/SC

Imperial Hospital de Caridade

Administração: Irmandade do Senhor Jesus dos Passos

Contato: (48) 3221-7500

Site: www.hospitaldecaridade.com.br

Rua Menino Deus, 376 – Centro

Florianópolis/SC

Hospital São José

Administração: Sociedade das Irmãs de Santa Catarina

Contato: (48) 3263 0197

Rua Marechal Deodoro, 02 – Centro

Tijucas/SC

Hospital e Maternidade

Nossa Senhora da Conceição

Adm.: Associação das Irmãs Franciscanas de São José

Contato: (48) 3274-1056

Rua São Francisco de Assis, s/n

Angelina/SC

NOVAS COMUNIDADES

Comunidade Católica Abbá, Pai

Responsável local: Ivano Alves Pereira

Contato: (48) 3034-2417/ 3035-7897/8443-1807

Email: abbapai@abbapai.org

com.abbapai@gmail.com | Site: www.abbapai.org

Rua Santo Inácio de Loyola, 124 Ap. 402 Centro

Florianópolis/SC – CEP:88015-330

Cx. Postal 183/88010-970 - Florianópolis/SC

Comunidade Católica Amor Eterno

Fundadores: Fabricio Fernando D’avila

e Maria Aparecida D’avila

Contato: (47) 3249-0694 | (47) 9281-7785

Email: comunidadeamoreterno@gmail.com

Site: www.comunidadeamoreterno.com.br

Rua Carlos Bacca 260, Bairro São Roque

Itajaí/SC - CEP: 88317-675

Comunidade Bethânia

Presidente: Pe. Vicente de Paula Neto, SCJ

Contato: (48) 3265-4415 / 3265-4416

Email: bethania@bethania.com.br

Site: www.bethania.com.br

Estrada Municipal Bethânia, 400 - Caixa Postal 71

São João Batista/SC - CEP:88240-000

Comunidade Divino Oleiro

Fundador e Moderador Geral: Pe. Marcio Alexandre Vignoli

Contato: (48) 3296-1511 / 98803-4180

Site: www.divinooleiro.com.br

CEAR - Av. Papemborg s/n, Areias de Baixo

Governador Celso Ramos/SC - CEP:88190-000

Comunidade de Vida Maria Porta do Céu

Fundadora: Débora Jane Mendes

Contato: (47) 3396-7567/9731-9933

Email: Email: mpcmariaportadoceu@gmail.com

R. Elias Silva, 195, Souza Cruz- Brusque/SC - CEP:88354-465

Comunidade Católica Transfiguração

Responsáveis: Jamir José de Souza

e Marili Pinheiro de Souza

Contato: (47) 3365-5248

Site: www.comtransfiguracao.com

Email: transfiguracao@gmail.com e

contato@comtransfiguracao.com

Rua Bruno Vicente da Luz, 190 Espinheirinhos

Itajaí/SC - CEP:88317-020

Comunidade Católica Shalom

Responsável local: Evanilda Almeida

Contato: (48) 3223-7801/9967-8954

Email: florianopolis@comshalom.org

Site: www.comshalom.org

R. Crispim Mira, 174 Centro - Florianópolis/SC CEP:88015-020

F A L E C O N O S C O !

Ação Social Arquidiocesana

Telefone: (48) 3224-8776

E-mail: asa@arquifln.org.br

www.asafloripa.org.br

www.facebook.com/asa.florianopolis

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!