28.11.2018 Views

Revista Luna

Revista elabora nas disciplinas de Produção Editorial para Revistas e Planejamento e Produção Gráfica do curso de Comunicação Social - Produção Editorial pelas acadêmicas Fernanda Redin, Flavia Monteiro, Isabela Escandiel, Maria Tereza Dias Tassinari e Mariana Weege.

Revista elabora nas disciplinas de Produção Editorial para Revistas e Planejamento e Produção Gráfica do curso de Comunicação Social - Produção Editorial pelas acadêmicas Fernanda Redin, Flavia Monteiro, Isabela Escandiel, Maria Tereza Dias Tassinari e Mariana Weege.

SHOW MORE
SHOW LESS

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

Eventos<br />

Foto: Carolina Ambrós<br />

Empoderamento das negras no<br />

3º Encontro Dandaras<br />

por: Katieli Soares<br />

edição: Isabela Escandiel<br />

Oi gente! Meu nome é Katieli Soares, sou<br />

estudante de Comunicação Social - Produção Editorial<br />

da Universidade Federal de Santa Maria e vim<br />

contar pra vocês, leitoras da <strong>Luna</strong>, um pouquinho<br />

sobre o 3º Encontro Dandaras, realizado na UFSM e<br />

organizado pelo Coletivo de mulheres negras Dandaras,<br />

o qual participo desde julho de 2018.<br />

Bom, primeiramente vou falar um pouquinho<br />

sobre o Coletivo. Ele é uma ferramenta autônoma de<br />

luta e organização das mulheres negras, uma forma<br />

de estarmos nos fortalecendo, nos empoderando,<br />

resistindo e lutando contra o racismo e o<br />

machismo, dentro e fora da universidade. Conheci<br />

algumas meninas que participavam de militâncias<br />

negras em uma ocupação antirracista que ocorreu<br />

na UFSM em novembro de 2017, e nos tornamos<br />

amigas desde então. Comecei a participar depois<br />

da minha irmã, que participou do 1º Encontro no<br />

ano passado e me contou sobre como foi e sobre o<br />

que as meninas abordavem, Achei a proposta muito<br />

legal e me interessei bastante. O 2º Encontro foi no<br />

início de 2018, só para as meninas que participavam<br />

de militâncias e as meninas mais próximas delas,<br />

fui convidada e foi aí que comecei a participar de<br />

verdade.<br />

Já era férias de julho quando decidimos realizar<br />

e começar a organizar o 3º Encontro Dandaras no<br />

dia 11 de agosto, dentro da UFSM também. Este foi<br />

planejado para ser algo grande, estendemos o convite<br />

para todas as mulheres negras de Santa Maria,<br />

fizemos uma super divulgação e chamamos várias<br />

mulheres maravilhosas pra participar, ministrando<br />

oficinas de turbante e make afro, chamamos ainda<br />

o Coletivo Negressencia, também de Santa Maria,<br />

para mostrar um pouco da dança afro, realizamos<br />

uma roda de conversa falando sobre a realidade da<br />

mulher negra no mercado de trabalho, uma feira<br />

afro com venda de bonecas, roupas e comida para<br />

arrecadar dinheiro para o coletivo.<br />

Por termos tantos espaços negados para<br />

a gente e nos sentirmos mais confortáveis,<br />

convidamos apenas meninas negras, fizemos algo<br />

para acolher a nós mesmas e agradar a todas que<br />

fossem, esse é o nosso objetivo com esses encontros.<br />

Eram umas 50 mulheres presentes, de várias idades:<br />

desde crianças e estudantes do ensino médio até<br />

mulheres mais velhas. Isto é muito pra gente, vimos<br />

como é importante ter esse espaço paras as negras<br />

descontrair e elevar suas auto-estimas. Me senti<br />

muito bem, grata e confortável, pois nós éramos a<br />

maioria no espaço, o que é difícil de acontecer em<br />

espaços como o da Universidade.<br />

O evento deu tão certo, nos demos tão bem<br />

na organização que decidimos transformar o Grupo<br />

Dandaras em um Coletivo. Começamos em 7 meninas<br />

e agora somos em 6, e pretendemos continuar<br />

e agir cada vez mais. O 3º Encontro foi, além de o<br />

mais importante, o mais significativo para a gente,<br />

pois percebemos como é importante ter um coletivo<br />

de mulheres negras, para nos fortalecer cada<br />

vez mais, desabafar e fazer o bem a nossa saúde<br />

mental. Percebo que a companhia das meninas me<br />

traz tudo isso e, além de fazer bem a nós mesmas,<br />

estamos fazendo algo pra outras mulheres negras<br />

também.<br />

Esses eventos que fazemos é muito compensador,<br />

é legal que as vezes encontramos<br />

mulheres que foram em eventos e elas relatam<br />

que nós Dandaras somos uma inspiração<br />

para elas, por ocuparmos espaços<br />

negados pra gente, nossa luta<br />

e força de andar com a cabeça<br />

erguida. É muito bom compartilhar<br />

da nossa força com elas também.<br />

Como contamos em uma<br />

rede social, a criação do coletivo<br />

Dandaras não é só por nós, é<br />

por aquelas que já se foram e<br />

por todas as que virão e que<br />

continuarão a luta depois de<br />

nós.<br />

<strong>Luna</strong> 15

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!