Jogo dos Ovais

calzettimariucci

Jogo dos

Viva

Ovais

Para as funções cognitivas e a criatividade

A partir dos 6 anos

O QUE VOCÊ

PRECISA

PARA JOGAR?

Um espaço amplo e

aberto, como uma quadra

ou campo

Bambolês ou

flutuadores (espaguetes)

com conectores

Bolas leves e/ou macias

ANTES DE COMEÇAR

Oriente seus alunos e alunas a dar

as mãos e formar um círculo, sendo

que um deles ficará no meio desse

círculo. As crianças da roda devem se

mover, mudando o formato do círculo

e tentando encostar na criança que

está no meio. Esta, por sua vez, se

movimenta para evitar ser tocada.

Repitam o mesmo exercício, mas com

círculos formados por 3 crianças com

uma no meio.

OBJETIVO

DO JOGO

Este jogo é uma atividade cooperativa que faz parte da categoria

dos jogos abertos (intencionais), em que a experiência das crianças

é importante, pois as ajuda a entender por que existem regras. Os

estudantes são demandados a usar a criatividade para encontrar

diferentes métodos de jogo e desenvolver a flexibilidade mental para

se adaptar rapidamente às mudanças de papel.


Jogo dos Ovais

1

Um jeito de jogar

Divida seus alunos e alunas em

equipes de 4 jogadores. Cada

equipe fica com um bambolê –

se vocês forem jogar utilizando

flutuadores (espaguetes),

usem os conectores para

montar círculos e distribua um

por equipe.

3

A criança que está no meio

deve correr com seus

companheiros de equipe,

mas tomando cuidado para

não tocar no bambolê.

Seu objetivo é jogar a

bola dentro do círculo das

equipes adversárias.

2

4

Nas equipes, 3 crianças

ficam do lado de fora,

segurando o bambolê, e

uma do lado de dentro,

segurando uma bola. As

crianças que seguram

o bambolê devem

se mover por todo o

espaço, tentando chegar

o mais perto possível

das outras equipes.

O ponto é marcado

quando a bola é

arremessada dentro do

círculo e bate no chão.

Só a criança que está

dentro do círculo pode

jogar a bola, e também é

só ela que pode desviar

lançamentos das outras

equipes, impedindo que

elas marquem pontos.

Outros jeitos de jogar

A. VOCÊS PODEM

COMBINAR QUE:

Por exemplo, se o jogador

ou jogadora que está no meio

do bambolê for atingido por

uma bola, deve deixar seu

círculo por um minuto. Durante

esse período, ele pode agir

como um defensor externo do

bambolê, movendo-se ao redor

dele, entre os adversários e

os companheiros de equipe,

tentando impedir que as bolas

caiam dentro do círculo. Ele

pode, inclusive, desenvolver uma

estratégia de defesa que envolva

tentar ser acertado enquanto

estiver fora do bambolê.

B. VOCÊS PODEM ADOTAR A

VARIAÇÃO A, MAS COM UMA

DIFERENÇA:

Ao invés do tempo de espera da criança

que levou a bolada ser de um minuto, sua

volta à posição pode depender de uma

forma de cooperação. Ou seja: o grupo

que permanece sem o jogador dentro

do círculo deve unir forças com outros

grupos, sobrepondo seu círculo ao de

uma equipe adversária. Quando este

novo grupo, formado por dois bambolês,

fizer um ponto, tudo volta ao normal.

Assim como na variação A, o atacante que

precisou deixar o bambolê atua como um

defensor externo enquanto, ao mesmo

tempo, tenta encontrar uma equipe para

se juntar. O jogador fora do círculo só

pode passar a bola quicando-a no chão –

como acontece no basquete.

5

Ao seu sinal, o jogador ou jogadora dentro do círculo deve ser

trocado. A troca também pode ocorrer quando a equipe chegar

a um determinado número de pontos.

Para assistir ao vídeo deste jogo, que é o número 59, acesse:

WWW.JOYOFMOVINGHANDBOOK.COM


Jogo dos Ovais

Como fazer o jogo funcionar

Estas atividades foram elaboradas para que a experiência do

jogo tenha outros tipos de desdobramentos e contribuições ao

processo de alfabetização e letramento de seus alunos e alunas.

estratégias de ensino

Para introduzir as variações com eficácia, sugerimos que você use algumas estratégias:

Vocês devem decidir juntos o castigo para os

jogadores que, estando no centro, encostarem

no bambolê. Essa penalidade não deve envolver

a saída da criança do jogo: isso reduziria seu

tempo de exercício (o que é especialmente ruim

para as crianças com habilidades motoras menos

desenvolvidas e que cometem mais erros, ou

seja, que requerem mais prática) e a excluiria da

atividade. Todas as crianças devem ter um papel

ao longo de todo o jogo.

Quando você envolve seus estudantes nesse tipo

de tomada de decisão (a escolha da penalidade),

o jogo vira uma ação compartilhada, fica mais

agradável e é aceito por todos, mesmo com sanções.

Conforme as habilidades das crianças vão

evoluindo, você pode e deve apresentar e

promover variações para garantir maior

diversificação e mais mudanças nos papéis:

quanto mais funções e mudanças forem necessárias,

maior será o estímulo da flexibilidade cognitiva.

Atividades

interdisciplinares

DENTRO DO JOGO

Avaliações específicas

Para

No jogo que as crianças realizaram, os

atacantes deveriam jogar a bola nos

bambolês dos outros times, mas deveriam

também defender-se das bolas que os

outros times tentavam jogar em seus

bambolês.

OBJETIVOS DE APTIDÃO

FÍSICA

Melhorar a eficiência

cardiovascular e a velocidade.

OBJETIVOS DE

HABILIDADES DE VIDA

Intrapessoal: melhorar o

autocontrole e a capacidade

de tomar decisões sob pressão

do tempo.

Interpessoal: melhorar

a capacidade de resolver

problemas de modo

cooperativo, superando a

distinção entre “companheiros”

e “adversários” quando há a

necessidade de unir forças com

outras equipes (variação B).

OBJETIVOS COGNITIVOS E DE

CRIATIVIDADE

Melhorar a capacidade de evitar ações

habituais e previsíveis e usar soluções novas e

originais (princípio de parar e descobrir).

Melhorar a flexibilidade mental, alternando

entre estratégias de ataque e defesa e

considerando interferências (princípio de

interferência contextual e princípio de troca):

isso é válido tanto para a criança dentro do

círculo, que deve alternar rapidamente entre

ataque e defesa, quanto para as que formam o

círculo, especialmente quando o responsável

pelo ataque deixa sua posição (variações A e

B) e elas devem apenas se defender. A criança

que sai gera uma interferência contextual

adicional, uma vez que sua tarefa é se colocar

entre sua equipe e os atacantes adversários.

Como consequência, este jogo também

desenvolve a criatividade tática (forma

de pensamento criativo útil em jogos de

movimento e caracterizada pela necessidade

de decidir e agir sob pressão do tempo).

OBJETIVOS DE

COORDENAÇÃO

MOTORA

Melhorar as capacidades

de controle motor preciso

e rápido na coordenação

entre olhos e mãos ao mirar

e arremessar a bola no

círculo adversário.

Melhorar as habilidades

de orientação e as

capacidades de adaptação

perceptivo-motora,

especialmente melhorando

a transformação motora

necessária para adaptar,

de forma contínua, a

velocidade e a direção em

função dos movimentos e

das ações dos adversários.

ler

Diga às crianças que vocês farão um jogo

com essa mesma ideia, mas com palavras.

Cada uma delas deve ser transformada em

um bruxo ou bruxa e imaginar um feitiço.

Pode ser um feitiço para paralisar o

inimigo, para fazê-lo diminuir de tamanho

ou qualquer outro.

Cada feitiço deve ser feito de uma palavra

e, uma vez pronunciada pelo bruxo que

o criou, faz o encantamento em alguém.

Você, como bruxa suprema, oferecerá os

antídotos mágicos que eles precisarem.

Assim, se as crianças criam um feitiço que

se realiza quando alguém diz: “parado,

paradão!”, o aluno atingido pelo feitiço

pode usar o antídoto que você oferecerá,

dizendo algo como: “mexido, mexidão!”.


Jogo dos Ovais

Para

Para

escrever

Leve para a sala, já prontas e recortadas, palavrasbambolês,

nas quais seus alunos e alunas vão

depositar outras palavras. Essa palavras-bambolês

preparadas por você devem ser nomes de coisas

que podem conter outras coisas, como, por

exemplo, mar, casa, fogão, escola, festa etc. Para

cada uma delas, seus alunos e alunas deverão

imaginar outras, que serão guardadinhas dentro

das palavras-bambolê. Assim, para mar, eles podem

oferecer peixes, ondas, barcos, enquanto que para

festa, podem oferecer, bolo, brigadeiro, vela e assim

sucessivamente. O jogo fica sempre mais divertido

se houver mais palavras-bambolê no começo!

Aqui, vocês farão uma atividade sobre o que pode ou não

entrar em um conjunto. Desenhe, no chão da sala de aula

ou do pátio, dois grandes círculos. Todos os seus alunos e

alunas devem estar fora dos círculos até que você ofereça

um critério para determinar quem entra no primeiro círculo,

como por exemplo, ser menina. Quando você disser o

critério, todas as meninas devem entrar no círculo designado

e todos os meninos devem ir para o segundo círculo.

Os jogos de ataque e defesa são muito conhecidos

e populares em diferentes culturas. Muitos deles

podem ser realizados, inclusive, apenas com algumas

partes do corpo, como o braço de ferro, aquele jogo

em que dois jogadores, cotovelos apoiados sobre a

mesa, tentam, ao mesmo tempo, empurrar a mão do

adversário até que ela encoste na mesa.

Convide seus alunos e alunas a praticar braço de

ferro ou uma variação do mesmo jogo, o dedão de

ferro, em que os adversários entrelaçam os dedos de

uma mão e tentam empurrar o dedão do oponente

até a mesa. Nesse segundo caso, o jogo fica ainda mais

divertido, porque o dedão tem mais mobilidade e pode

“se esquivar” dos ataques adversários.

Para

saber

mais

contar

Vá variando o critério para que os grupos mudem. Você pode

usar critérios como ter cabelo comprido, estar com tênis, ter

cabelo enrolado etc.

Quando todos estiverem participando com desenvoltura

da atividade, selecione alguns deles para que eles escolham

critérios diferentes para agrupar os colegas.

Como último critério, diga que devem entrar no círculo

todos aqueles que forem alunos ou alunas. Quando todos

estiverem dentro do círculo, diga que, apesar de todas as

diferenças entre eles, todos têm essa coisa em comum:

serem seus alunos e alunas!

Para

criar

Nas histórias de batalhas, cada

guerreiro tinha seu escudo e

nele havia um desenho, pintado

ou entalhado, que identificava

aquele guerreiro. Separe alguns

pedaços de papelão ou qualquer

outro papel mais firme e convide

seus alunos e alunas a fazerem

seus próprios escudos, com

desenhos que os identifiquem.

Depois de prontos e recortados

naquele formato peculiar dos

escudos, cole, na parte de trás de

cada um deles, uma pequena faixa

de papelão que servirá para que

as crianças passem o braço por ali

e, assim, segurem seus escudos de

forma apropriada.


Jogo dos Ovais

Este questionário foi elaborado para ser

respondido por seus alunos e alunas após

eles terem participado deste jogo.

Descreva o objetivo do jogo:

Comunicação e cooperação

Escreva como seu grupo conseguiu jogar a bola

dentro do círculo dos adversários:

Escreva como seu grupo conseguiu evitar o ataque

dos adversários:

Você pode se comunicar oralmente (com palavras)

ou não oralmente (com linguagem corporal).

Como vocês se comunicaram durante o jogo?

Experiência

Aprender a dar e pedir ajuda.

Existem dois tipos de ajuda:

“a interessada” e “a ativa”.

A ajuda interessada se refere a

ouvir e a apoiar. A ajuda ativa

está relacionada a coisas, como

ajudar com as tarefas em casa.

Com seus companheiros de

equipe, invente uma situação

em que alguns colegas pedem

ajuda e outros a oferecem.

Encenem a situação e permitam que a classe tente

descobrir que tipo de ajuda foi solicitada.

Para pedir ajuda aos outros, você precisa saber quais

pessoas te ajudam a alcançar seus objetivos e quais te

atrapalham. Como você pode diferenciá-las?

Para ajudar os outros, você precisa entender do que eles

precisam. Como você pode descobrir isso?

Cite algumas situações da sua vida em que é importante

ter amigos para quem pedir ou oferecer ajuda:

Principal ensinamento

Qual é o principal

ensinamento desta atividade?

Resuma em uma palavra. Cada

aluno e aluna deve ler a palavra

que escolheu para a classe.

Todos juntos devem escolher uma única palavra e, em

círculo e de mãos dadas, falar essa palavra em voz alta.

O que essa palavra significa para você? O que você

planeja fazer com essa informação?

More magazines by this user