RCIA - Ed. 162 - Janeiro 2019

tvcomercioeindustria

1|


|2


3|


ÍNDICE

EDIÇÃO N°162 - JANEIRO/2019

CAPA

Onde o Sicoob se fortalece

COMÉRCIO

Perspectivas novos tempos

EDUCAÇÃO

Liceu comemora 23 anos

VALORIZAÇÃO

O sucesso da Multimagem

08 8 10

12

16

Lideranças do comércio, indústria

e serviços atuam no Conselho de

Administração da cooperativa

Cidade teve ótimo desempenho

em relação a 2017 e empresários

estão otimistas com o novo ano

Escola abre leque de atividades e

anuncia recursos didáticos ainda

mais modernos em 2019

Empresa considerada modelo em

seu segmento recebe Diploma de

Reconhecimento Público

CIESP

06| Ciesp divulga seu calendário

de atividades para a próxima

temporada na cidade

Homenagem

18| José Natal de Moura, da Moura

Informática, recebeu o título de

“Cidadão Araraquarense”

Sindicato Rural

35| Em 2018 em parceria com o

Senar, o sindicato realizou 73

cursos de capacitação no campo

Canasol

46| Plantadores e fornecedores

de cana se reuniram em festa de

final de ano no Bazuah Eventos

O vandalismo em prédios públicos

Demora policial

Unidade escolar do município foi

alvo da ação de vândalos. Localizado

no Parque São Paulo, o Centro de

Educação e Recreação “Profª Eudóxia

Pinto Ferraz” teve sua lavanderia

incendiada no dia 9. “Entrei em

choque quando fiquei sabendo do

ocorrido”, relatou a diretora da

creche, Vanda Inês Magalhães Cutiggi,

que recebeu o vereador Gerson da

Farmácia, dois dias depois. Pena

que os prédios públicos hoje já não

dispõem mais de segurança, ficando

expostos à marginalidade.

Vereador Gerson da Farmácia visitou

o CER e se deparou com porta travada

com tábuas. Lamentável a cena.

Zé Porsani decidiu reunir comerciantes

dos quiosques que atendem o público

em frente ao Estádio da Ferroviária, para

discutir sobre a segurança do local. O

encontro foi no 13° Batalhão da Polícia

Militar, com a presença do capitão PM

Ricardo. Na reunião, os donos dos 11

quiosques reclamaram sobre a demora

e a falta de atendimento quando a PM

é chamada. “Já houve vezes em que

contatei a polícia quando notei uma

movimentação estranha ao redor do

local, mas nenhuma viatura apareceu”,

ressaltou um dos proprietários.

|4


DA REDAÇÃO

LEMBRANÇA

Partiu Isley, a do Sebrae

26

Carismática e de bem com a

vida, Isley Gianetti Napolitano

nos deixou em pleno dezembro

Filhos da Nossa Terra

48| Maria Rita Penteada é gente

nossa e mora nos Estados Unidos,

e é fisiculturista campeoníssima

Ações que merecem elogios

A Maternidade Gota de

Leite recebeu a visita do

Papai Noel. A iniciativa

foi do aposentado Lelis

Celebroni, 73, que há

anos se dedica a levar

o espírito natalino a

entidades assistenciais,

asilos e hospitais. Na

primeira quinzena de

dezembro, Lélis baixou

na Gota de Leite, onde

os colaboradores e os

pacientes recepcionaram

o “bom velhinho”, que

circulou pela maternidade,

GRANDES BANDAS

Da Cor do Sol a Elvis Presley

56

Marco Antônio Caride conta as

histórias de um dos mais famosos

grupos musicais da cidade

Velhos tempos, belos dias

50| “Benê” em sua crônica, lembra

de tardes ensolaradas e dos

tempos inesquecíveis na cidade

acompanhado da esposa

Estela. O aposentado

disse que é sempre uma

aventura poder se vestir

de Papai Noel e levar

alegria às entidades e

hospitais, renovando a fé

e a motivação de todos

os envolvidos. Para os

colaboradores da Gota

de Leite, estas ações de

voluntários têm grande

valor, principalmente para

as gestantes e parturientes,

que se encontram

em um momento de

grande sensibilidade.

Eles contribuem para o

crescimento pessoal de

todos, além de tornar o

ambiente mais acolhedor.

por: Sônia Maria Marques

Renovação e crença: hora de

mudar o rumo da economia

Embora exista uma timidez no avanço da economia nestes

últimos dois anos, é certo que nunca a posse de um

presidente foi tão aguardada como essa. Da mesma forma

que o país inteiro, Araraquara também vive esta ansiedade

pois não é de hoje que uma grande parte da população

está passando por situação difícil. O comércio então nem se

fala: elevado é o número de empresas que fecharam suas

portas por conta de uma política econômica desajustada,

corrupção a rodo e escândalos. De bom mesmo, foi o sinal

da recuperação do consumo das famílias, que resultou no

crescimento de 2% do varejo em 2017 e caminhou para

4,3% de expansão em 2018, de acordo com previsões da

Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e

Turismo (CNC). Ainda que os bons sinais de retomada da

economia já estejam aparecendo, o desemprego continua

impactando no nível de endividamento dos brasileiros, bem

como o acesso deles ao crédito saudável. Atualmente, 60,7%

das famílias possuem dívida, sendo que, quase 10% não

têm condições de quitar ou renegociar as dívidas, segundo a

pesquisa da CNC. O que nos aguarda com a posse do novo

governo, é a crença e aquele espírito de renovação constante

do povo. Uma pergunta entretanto fica para qualquer

cidadão responder: Em um ambiente de crescimento da

economia, a tendência é que as pessoas foquem em quitar

as dívidas ou em consumo? Particularmente, acreditamos

que, pela cultura do brasileiro, o foco em um momento de

crescimento econômico seja consumo. Assim, vamos arrumar

novas dívidas até mesmo por uma questão de necessidade,

na maioria das vezes.

Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni

Supervisora Editorial: Sônia Marques

Editor: Jean Cazellotto

Design: Bete Campos e Érica Menezes

PARA ANUNCIAR: (16) 3336 4433

Tiragem: 5 mil exemplares

Impressão: Grafinew - (16) 3322-6131

A Revista Comércio, Indústria e Agronegócio

é distribuida gratuitamente em Araraquara e região

Portal RCIARARAQUARA.COM

* COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE

Atendimento: (16) 3336 4433

Rua Tupi, 245 - Centro

Araraquara/SP - CEP: 14801-307

marzo@marzo.com.br

Visita feita por Lélis à Gota

de Leite; manifestação de

carinho que merece ser

registrada, pois seguindo

o modelo, outras pessoas

podem fazer o mesmo

5|


Saiba as

atividades

que o Ciesp

promoverá

em 2019

O Centro das Indústrias do Estado

de São Paulo – Regional Araraquara

(Ciesp) preparou uma programação

consistente para 2019. Somente no

primeiro semestre deste ano, mais de

10 eventos estão programados, além

de reuniões estratégicas dos núcleos

de desenvolvimento da entidade. São

palestras, treinamentos e outras iniciativas

voltadas para empresas associadas

e não associadas que visam treinar

e capacitar gestores e funcionários.

Confira abaixo o calendário de

eventos do Ciesp em 2019 e fique

atento. Para mais informações sobre

horários e datas, entre em contato pelo

telefone (16) 3322-1339 ou procure o

atendimento na Avenida Prof. Augusto

Cezar, 1090 – Centro.

AGENDA CIESP 2019

Janeiro

• Palestra Logística Reversa (Cetesb) Treinamento Excel I

Fevereiro

• Reunião do Núcleo de Jovens Empreendedores

• Workshop eSocial e as Normas

• Regulamentadoras de Segurança e Saúde no Trabalho

• Treinamento Qualidade com Foco na Satisfação do Cliente

• Palestra Gerenciamento de Áreas Contaminadas

• Treinamento Qualidade com Foco no Cliente

• Treinamento Excel II

Março

• Reunião do Grupo de Meio Ambiente

• Treinamento Atendimento com Excelência

• Treinamento Excel III

Abril

• Reunião do Núcleo de Jovens

• Empreendedores

• Treinamento Práticas de Liderança para o Chão de Fábrica

• Evento Rodada de Negócios

Maio

•Reunião do Grupo de Meio Ambiente

• Treinamento Técnicas de Vendas Empresariais

• Treinamento Técnicas de Recrutamento e Seleção

Junho

• Reunião do Núcleo de Jovens Empreendedores

• Treinamento PPCP e a Gestão dos Gargalos de Produção

• Treinamento Logística e Transporte

16 3322 1339

16 3322 7823

ciesp.com.br/araraquara

|6

facebook.com/ciespararaquara

instagram.com/ciespararaquara

linkedin.com/company/ciesp-araraquara

ARARAQUARA


EDITORIAL

por: Ivan Roberto Peroni

De político bem intencionado o inferno está cheio.

Politicamente foi um ano sofrível para Araraquara; as decepções pelo comportamento corporativista

da classe se amontoaram em críticas ferozes nas redes sociais e da mesma forma que elas foram

utilizadas para a defesa, os ataques surgiram em dose dupla, mostrando que as manifestações

populares hoje asseguram uma decepção dos cidadãos com os Poderes Públicos.

Quando a ex-vereadora

Edna Martins teve um artigo

publicado em nosso portal,

observamos o quanto ela está

decepcionada com grande

parte dos políticos brasileiros:

“Desde 2013, sabemos

que a população nutria um

sentimento de repulsa pela

política. Sentimento expresso

nas ruas naquele junho em

letras garrafais “vocês não

nos representam”! Não nos

representam porque são

corruptos e usam a política

para enriquecimento pessoal.

Não nos representam

porque prometem demais e

entregam serviços públicos de

péssima qualidade. Não nos

representam porque sempre

pagamos a conta e os agentes

políticos não se envergonham

de se auto atribuir benefícios,

apesar da situação crítica do

país”.

Esta foi sinceramente, uma das raras oportunidades vivenciadas

em Araraquara, em que uma pessoa ligada à convivência política

se manifesta de tal forma, embora Edna considere que existem

as excessões. De fato, existem. Poucas contudo. É uma pena

que os governantes e a sociedade não tenham compreendido

os posicionamentos de todos, principalmente do empresariado,

baseados na realidade inquestionável de que os brasileiros pagam

muito e recebem pouco dos governos. E essa é a parte que nos

toca, pois a nossa revista sendo mais jornalística que social, tem o

dever de mostrar o mundo real da nossa casa.

E falamos isto porque a realidade está na frase de um antigo

comerciante da cidade, dita nas vésperas deste Natal, italiano, que

aqui chegou com 25 anos de idade e que fez sua vida às custas do

sagrado trabalho: “Estou falido, o PT me arrebentou”. Lamentação

a parte, é verdade que não apenas o PT o arrebentou, foram

indistintamente todos os partidos: MDB, PSDB, PTB e os que mais

na fila existem levando o povo brasileiro à desgraça econômica.

Fica evidente o cansaço e o desencanto dos cidadãos. Quem

captar a lição que vem da democracia, terá que se lançar em

2020 não só com um novo discurso, mas assumir formalmente o

compromisso de novas atitudes e práticas, especialmente na gestão

pública. O povo está cansado de tanta corrupção e descasos dos

políticos que só pensam em si próprios, daí o nosso apelo: vamos

olhar com mais cuidado no ano que vem para o período eleitoral.

7|


MATÉRIA DE CAPA

Juntos com o Sicoob para o

desenvolvimento de Araraquara e região

Empresários e representantes do comércio e da indústria de Araraquara e região fazem parte

dos conselhos de Administração e Fiscal da cooperativa, o que permite maior proximidade

e conhecimento profundo das principais demandas e necessidades desses setores.

As cooperativas financeiras ganham

cada vez mais destaque no

Brasil. Apesar da crise econômica

em 2018, elas andaram na contramão

e registraram crescimentos

significativos em número de

agências, novos associados e captação

de recursos no último ano.

Com os mesmos produtos e taxas

mais baratas em comparação

aos tradicionais bancos, essas

instituições ganham destaque por

ter participação dos resultados

(os cooperados são sócios e recebem

parte das sobras, conforme

votação em assembleia), maior

proximidade com a comunidade

e grande incentivo à economia local.

Neste cenário, destaca-se a

instituição financeira cooperativa

Sicoob da Avenida Barroso,

com unidades em Araraquara,

Matão e Dobrada. Os resultados

expressivos em 2018 da

cooperativa, mesmo com os

problemas enfrentados na economia

brasileira, se devem a

um fator, dentre outros, que faz

toda a diferença para os associados:

a forte representatividade

de setores do comércio e da

indústria dentro da instituição.

Os conselhos de Administração

e Fiscal são compostos por

empresários e representantes

desses setores, que são associados

ao Sicoob da Av. Barroso

|8


e peças fundamentais no desenvolvimento

econômico de toda a região.

No Conselho de Administração,

são sete membros: Mário Thuyosi

Hokama, presidente do conselho

e diretor da Câmara de Dirigentes

Lojistas (CDL) de Araraquara; José

Antônio Fragalli, vice-presidente do

conselho e vice-presidente do Sincomercio

Matão; Antônio Deliza Neto,

presidente do Sincomercio Araraquara;

Bruno Gilberti Kodda, diretor

do SinHoRes Araraquara; Eduardo

Antonialli Del’Acqua, José Janone

Júnior, presidente da ACIA e Antônio

Tomazetti Gaban, que também ocupa

a presidência do Sicoob da Av.

Barroso.

Já o Conselho Fiscal, há seis integrantes,

sendo três efetivos: José

Zambo Migliatti, Júlio Fernando Paschoal

Basso e Luis Carlos Lupi; e três

suplentes: Evandro Lucas Yahuda,

André Castro Rizo e Luis Henrique

Alfobsetti.

“A maioria dos nossos sócios são

empresas de diversos tamanhos e

segmentos do comércio e indústria.

A participação desses setores na administração

direta da cooperativa é

essencial para entendermos e atuarmos

com base nas necessidades e

demandas dessas organizações e,

assim, garantir a assertividade do

nosso papel na vida financeira delas”,

afirma o presidente do Sicoob

da Av. Barroso, Antônio Tomazelli

Gaban, presidente da Diretoria Executiva.

associados (19,5%) e em captação

de recursos (49%), dentre outros indicadores

(veja no gráfico).

“A representatividade, com a participação

ativa da liderança empreendedora

de Araraquara e região na

administração da nossa cooperativa,

é um dos grandes diferenciais do Sicoob

da Av. Barroso. Isto permite a

relação tão próxima que temos com

os nossos sócios e a melhora constante

do atendimento, oferecendo

os serviços e produtos certos para o

crescimento deles”, explica o diretor

administrativo do Sicoob da Av. Barroso,

Walter Francisco Orloski.

Prêmio PID

O Siccob da Avenida

Barroso venceu o Prêmio

PID (Pioneirismo, Inovação

e Destaque) na categoria

Pioneirismo. A premiação, que

ocorreu em setembro de 2018,

é organizada pela Associação

Comercial e Industrial de

Araraquara (ACIA) com o

objetivo de homenagear as

empresas que contribuíram com

o desenvolvimento econômico

da cidade e região.

ACIA ganhará Posto

de Atendimento

A Associação Comercial

e Industrial de Araraquara

(ACIA) ganhará um Posto de

Atendimento (PA) do Sicoob da

Av. Barroso. O novo PA busca

estreitar o relacionamento

com os associados da ACIA,

tornando o atendimento mais

rápido. A previsão é que o novo

PA seja inaugurado no primeiro

trimestre de 2019.

Av. Barroso, 350 - Centro

Araraquara-SP

A estratégia de apostar na representatividade

dentro do Sicoob da

Av. Barroso tem alcançado resultados

positivos. A cooperativa apresentou

crescimento no número de

9|


Rua 9 de Julho, ainda o principal corredor comercial de Araraquara

COMO AS ANDORINHAS, AS ESPERANÇAS VOLTARAM

Comércio de Araraquara deve

crescer ainda mais em 2019

Cidade teve um ótimo desempenho em relação a 2017 e

empresários estão otimistas com o novo ano.

Chegou 2019 e com isso aumenta

nas pessoas o desejo de fazer planos

e traçar metas a serem alcançadas.

Porém, antes de tomar decisões importantes

para o futuro, é importante

analisar o cenário econômico.

Para Délis Magalhães, economista

do Sincomercio, quando é feita uma

análise do cenário como um todo, fica

mais fácil refletir sobre os rumos que

vêm pela frente. “É impossível prever

o futuro com exatidão, mas as informações

facilitam o entendimento do

que esperar para esse ano”.

Em Araraquara, 2018 registrou uma

melhora em relação ao ano anterior em

diversas áreas. O cenário empregatício,

por exemplo, obteve resultados importantes

considerando o período de janeiro

a outubro, quando foram criados

1.585 novos postos de trabalho formal,

contra 241 novas vagas abertas no

mesmo período de 2017.

“O crescimento nos índices de emprego,

um dos mais afetados nos últimos

dois anos, apresentou retomada.

Além disso, a criação de novas vagas

formais também gerou renda e favoreceu

o consumo interno”, explicou a

economista.

Para a empresária Karen Velloso

de Castro, tradicionalmente o comércio

começa a se aquecer depois do

Carnaval. “As pessoas ficam ansiosas

pela festa e o consumo cai. No segundo

semestre, as vendas aquecem

ainda mais, levando em conta vários

fatores, como a proximidade do final

de ano”.

A empresária contratou duas

pessoas a mais esse ano. “Precisei

de mais pessoal, agora tenho 14 funcionários

e tenho novos projetos para

esse ano, graças ao aumento nas vendas

dos meus produtos”, pontuou.

Para entender o ritmo da economia

é preciso observar o comércio varejista,

um fundamental indicador sobre

o consumo da população. Ano passado,

as vendas na região de Araraquara

apresentaram aumento em todos os

meses, considerando até setembro.

E a expectativa é fechar o ano com faturamento

de R$19,3 bilhões, alta de

6%. Porém, para continuar a crescer,

é necessário atentar-se às mudanças

nas tendências de consumo. “Estar

mais próximo do cliente é fundamental

para entregar produtos e serviços

que atendam às suas necessidades e

desejos”, pontua Délis.

O que garantiu melhores condições

de consumo foi a queda nas

taxas de juros e estabilidade na inflação,

gerando um ganho no poder

de compra do consumidor em um momento

no qual a renda permanece

restrita. As principais linhas de crédito

e financiamentos que atendem

pessoas físicas e jurídicas também

reduziram seus custos em relação

ao ano passado. Nesse contexto, a

inadimplência caiu 4,3% em Araraquara,

entre janeiro e outubro, contribuindo,

ainda mais, para tarifas

menores.

Além disso, a posição do município

em relação ao comércio exterior apresentou

ganhos, atingindo um aumento

de 4,7% nas exportações entre janeiro

e novembro.

“As exportações favorecem a renda

interna mesmo quando o mercado local

está desaquecido. Considerando o período,

Araraquara está em 12ª posição

no ranking dos municípios que mais exportam

no estado e em 53ª colocação

no país”, apontou.

“Ao analisar o comportamento dessas

variáveis em 2018, é possível afirmar

que as bases para que o ano de

2019 apresente um desenvolvimento

econômico maior já foram firmadas,

principalmente em relação ao mercado

de trabalho, cuja expectativa é de um

aquecimento superior ao visto neste

ano”. A dica da economista tanto para

empresários quanto para consumidores,

é iniciar o ano com um planejamento

das principais despesas e custos e

estar preparado para as mudanças.

Para Karen, energia positiva também

ajuda. “Amanhã melhor que hoje,

assim sobrevivemos”, conclui

|10


11|


ENSINO EM 2019

Início do Processo de Alfabetização aos 3 anos

Um novo rumo na Educação Infantil

Ao comemorar seus 23 anos de atividades, o Liceu Monteiro

Lobato terá recursos didáticos ainda mais inovadores em 2019,

acompanhando as tendências mais avançadas da Educação

em nosso país.

Uma escola que acompanha as tendências mais avançadas da Educação em nosso país.

O

mundo da criança é cheio de

descobertas, criando sonhos

e construindo a realidade. É

a orientação do material didático

da Educação Infantil

do Sistema Positivo de Ensino.

“A escola terá recursos didáticos

ainda mais modernos em 2019. Com

este método de ensino do Positivo, o

processo de alfabetização tem início,

de forma natural, aos 3 anos de idade

e será conduzido com o conhecimento

e aplicação da letra cursiva até o

término da educação infantil, aos 5

anos”. São palavras da Coordenadora

Pedagógica do Liceu, Maria Aparecida

Callegari.

Através desse conceito, o professor,

ao iniciar o aprendizado da escrita,

utiliza técnicas que irão permitir

um avanço significativo no processo

de alfabetização. Segundo a diretora,

Eliane de Barros, os recursos na

Educação Infantil irão proporcionar

oportunidades de desenvolvimento

da identidade, da autonomia e diferentes

competências, por meio da

organização de um ambiente educativo,

o qual privilegia as interações,

as brincadeiras e as experiências que

promovem as aprendizagens.

Assim, os alunos vivem todas as

dimensões do seu próprio ser, de

forma a garantir seu bem-estar e segurança.

Tem confiança em si e nos

outros, toma decisões e expressa

sentimentos e emoções. Aos 3 anos

a criança reconhece o próprio corpo,

expressa suas vontades tais como:

alimentação, higiene e descanso. Aos

4 anos, adota práticas de cuidados

com o seu corpo voltadas à saúde e

Atividades

voltadas

ao meio

ambiente

Todo programa de ensino é ministrado por

professoras acompanhadas de monitoras

|12


Jogos que estimulam a criatividade, promovem a interação

ao bem-estar. Aos 5 anos valoriza atitudes

relacionadas consigo mesma e

com a saúde.

Vive também as primeiras experiências

em música, dança, brincadeira

e teatraliza suas pequenas

estórias. Participa de atos cívicos e

tem consciência da necessidade das

regras de convivência.

Todo brincar é uma prática inerente

à infância e é um direito dela.

Por isso, no seu quotidiano a criança

participa da brinquedoteca,

do parquinho, dos

jogos esportivos e das

montagens com Lego

Education.

O diálogo contínuo

entre educador e educando,

na troca de ideias

e na valorização da própria

união, visa atingir

resultados satisfatórios,

sempre um ao lado do

outro.

Mesa de

trabalho

coletivo

Programa Educacional do Liceu Monteiro

Lobato, entendendo que esta é uma

forma de conscientizar os alunos para

o fortalecimento da união ainda na

educação infantil

A coordenadora pedagógica Maria

Callegari e a diretora Eliane de Barros,

num dos mais lindos espaços do Liceu:

a Brinquedoteca

MATRÍCULAS PARA 2019

A escola está abrindo novas vagas

para 2019, com condições muito especiais

na Educação Infantil.

CONVÊNIOS

O Liceu Monteiro Lobato mantém

convênios com diversas instituições

e empresas, garantindo assim descontos

nas mensalidades. Os atuais

convênios são: ACIA, APAS, ADCE, Embraer,

Nestlé, Heineken, Let´s, Morada

Transportes, Sicoob Coopara, Rumo

All, Viação Cometa, S2it e Big Dutchman,

Escolas de Dança e Academias

Esportivas.

SERVIÇO

Liceu Monteiro Lobato

Rua Profª Adélia Izique, 420

Bairro: São Geraldo

Telefone: (16) 3335 1911

Uma educação

de qualidade,

devidamente adequada

ao desenvolvimento

cognitivo, motor,

social, proporcionando

excelentes resultados

quando vivenciada

por essas crianças

ansiosas em conquistar

o mundo

13|


PREPARE O BOLSO

IPTU, polêmico e confuso,

ele chega mais cedo

Enrolada com o recadastramento imobiliário

que gerou cobranças até mesmo de árvores

fazendo sombras e de acelerar a entrega

do carnê para recebimento antecipado, a

Prefeitura nunca teve um ano tão pesaroso

quanto 2018, para definir as regras do IPTU.

Contribuinte acostumado a pagar

a primeira parcela do IPTU (Imposto

e Predial Urbano) no dia 15 de fevereiro

de cada ano está se prevenindo:

para conseguir dinheiro antecipado a

Prefeitura Municipal publicou em 28

de novembro o Decreto n° 11.840

que muda a regra do jogo e com isso

as parcelas (para quem optar nos

tradicionais 10 meses) terão que

ser pagas a partir de 10 de janeiro.

A medida é válida também para o ITU

(Imposto Territorial Urbano).

Desde que assumiu a Prefeitura

Municipal, o prefeito Edinho Silva e

o seu corpo de assessores têm feito

do IPTU em Araraquara o verdadeiro

“samba do crioulo doido”, indo e voltando

nas mudanças, gerando confusão

em determinados casos.

Tempos atrás, o IPTU parcelado

começava a ser pago em março, houve

antecipação para fevereiro e agora

janeiro, mês que coincide com as cobranças

do IPVA, matrículas e material

escolar, o que provocou novas críticas

em dezembro com a decisão do

Executivo. Só que ele desmente e diz

que “o morador de Araraquara sabe

que sempre foi assim. Apenas no ano

passado, em função de aprovação de

nova legislação pela Câmara Municipal,

o que retardou da impressão, que

o carnê foi enviado às residências no

início de fevereiro”.

Quem no entanto verificar os carnês

de 2011, 2012 e 2013 lembrará

que os pagamentos começavam a ser

feitos em 15 de fevereiro. Detalhe:

no dia 26 de dezembro os carnês de

2019 ainda não haviam chegado a

todos os contribuintes.

|14


15|


RESSONÂNCIA MAGNÉTICA/AMBIENTE

Equipamento da Multimagem, o Espree de

1.5T, da Siemens, é considerado um dos

melhores do mundo no quesito conforto

O prefeito Edinho Silva e o presidente da Câmara Municipal Jéferson Yashuda foram até

a Multimagem entregar o diploma ao diretor e médico Francisco Iba

RECONHECIMENTO

Multimagem, modelo em seu segmento,

recebe Diploma de Reconhecimento Público

A qualidade dos serviços

prestados pela Multimagem,

levou a equipe a receber

o diploma de

reconhecimento público

concedido pela Câmara

Municipal a empresas de

sucesso envolvidas com

a comunidade em

diversas áreas.

O ambiente criado pela Multimagem

proporciona segurança e tranquilidade na

execução dos procedimentos

Em ato informal, o prefeito Edinho

Silva (PT) e o presidente da Câmara,

Jéferson Yashuda (PSDB), entregaram

a placa de homenagem ao médico responsável

pela Multimagem, Dr. Francisco

Iba. A honraria foi sugerida pela

mesa diretora do Legislativo.

“Parabéns a toda equipe e funcionários

da clínica, que segue sendo

referência em exames de imagem.

Araraquara tem muita gratidão à Multimagem

por toda sua história na saúde

da nossa cidade”, afirmou o prefeito

Edinho.

O Diploma de Reconhecimento Público

da Câmara destina-se a empresas,

órgãos e entidades que tenham

se destacado pela prestação de serviço

em prol da comunidade em suas

áreas de atuação e que estejam em

atividade há pelo menos cinco anos.

A Multimagem que completa agora

25 anos, iniciou suas atividades com

apenas um aparelho de Raio-X e outro

de ultrassonografia. Com o tempo, a

clínica foi progressivamente se expandindo

e se tornou uma das maiores

da região. Atualmente, a clínica possui

aparelhos de Raio-X, de ultrassonografia,

tomógrafo, aparelhos de ressonância

magnética, outro de densiometria

óssea e de mamografia. Em conjunto,

os equipamentos são capazes de

realizar seis mil exames por mês. Ao

todo, 185 mil pacientes já realizaram

exames na Multimagem.

|16


17|


Encontro familiar durante a homenagem: o casal Jurema-José Natal de Moura ao lado dos filhos Felipe (casado com Cláudia), Thiago

(casado com Gabriela) e Fernanda (casada com Tiago Fernandes) e as netas Jenifer, Nicole e Elisa

HOMENAGEM

Merecidamente o título de cidadania para

Diretor da Moura Informática

em Araraquara, empresa que

está presente em centenas de

municípios brasileiros com

sua admirada tecnologia

de softwares, recebeu em

dezembro o título de

“Cidadão Araraquarense”.

Aprovada por unanimidade na

Câmara Municipal, a indicação para

conceder o título de “Cidadão Araraquarense”

ao empresário José Natal

de Moura, foi feita pelo vereador Paulo

Landim (PT). “Estou muito feliz em homenagear

uma pessoa tão importante

para Araraquara, que oferece muitas

José Natal de Moura

oportunidades na cidade e divulga o

nome do nosso município. Um orgulho

a todos nós!”, argumentou o parlamentar.

Para o vice-prefeito e secretário

municipal do Desenvolvimento Econômico,

Damiano Barbiero Neto (Progressista),

“Moura é uma pessoa extraordinária

e que faz muito pela nossa

cidade. É uma honra estar aqui hoje.”

O presidente do Legislativo, Jéferson

Yashuda (PSDB), destacou que

a família Moura “é acolhedora e deu

oportunidades para muitas pessoas

em Araraquara. Muito orgulho por ter

conduzido essa sessão”.

Após a leitura do decreto que concedeu

o título e a entrega da honraria,

a esposa de Moura, Jurema, proferiu

algumas palavras em nome do novo cidadão

araraquarense, impossibilitado

de falar por questões de saúde. “Dia

de festa e de agradecimentos. 2018

foi um ano atípico para nossa família,

agradeço meus filhos que estiveram

sempre juntos e unidos, tanto na parte

profissional como familiar. Quando

ele soube da homenagem, a emoção

foi grande, não dormiu aquela noite. O

título é o reconhecimento do trabalho

que dedicou à cidade que consideramos

segunda mãe, pois nos recebeu

de braços abertos há 33 anos. Que

possamos continuar contribuindo para

o desenvolvimento de Araraquara.”

Em seguida, a esposa de Landim,

Alaíde, entregou flores à esposa de

Moura.

|18


Estiveram presentes os filhos Felipe,

Fernanda e Thiago, as noras Claudia

e Gabriela, o genro Fernandes, as

netas Jenifer, Nicole e Elisa, além do

presidente do Sincomercio, Antonio

Deliza Neto.

O HOMENAGEADO

José Natal de Moura nasceu em

1950, em Osvaldo Cruz (SP), filho

do eletricista José Cardoso e da trabalhadora

rural Maria Eva. Aos dois

anos, mudou-se com a família para

Lucélia (SP), onde concluiu o estudo

fundamental. Incentivado pelos pais

e professores, concorreu a uma bolsa

de estudos no Colégio Agrícola de São

Manuel (SP). Já mais velho, prestou

vestibular para Agronomia na Unesp

de Jaboticabal e foi classificado, mas

queria outro rumo para sua vida. Foi

para São Paulo, fez cursinho e foi aprovado

em Matemática e Estatística na

Usp. Enquanto estudava, trabalhou na

Gessy Lever e também no Bradesco.

No momento da entrega

do título para Moura,

nota-se sua emoção ao

lado da esposa Jurema e

dos vereadores Jéferson

Yashuda e Paulo Landim,

também do vice-prefeito

Damiano Barbiero Neto

Quando terminou a universidade,

em 1975, foi para a Vasp. Seu passo

seguinte foi um emprego na Prodam,

empresa de tecnologia e comunicação

da capital. Nesse período, conheceu

Jurema, com quem se casaria em

1978. Tem três filhos (Felipe, Fernanda

e Thiago) e quatro netas (Jenifer,

Nicole, Elisa e Carol).

Com a correria que era a vida na

capital, a família decidiu se mudar

para Araraquara em 1985. Trabalhou

um período aqui, depois em uma consultoria

em São Paulo e então, junto

com a esposa e o filho Felipe, resolveu

começar uma empresa.

Em todo esse tempo, sempre incentivou

o crescimento e desenvolvimento

pessoal de seus funcionários,

através da leitura e estudos. Ajudou a

inserir jovens no mercado de trabalho.

Foi uma jornada difícil, mas que valeu

a pena. Hoje um sonho está sendo

realizado. Moura e sua empresa se tornaram

referência, em se tratando de

tecnologia da informação.

19|


ESOTÉRICO

Araraquara 2019: as previsões e tudo o que

queremos saber pelas mãos dos Orixás

No jogo de búzios, a redação tratou sobre economia,

política, personalidades, esporte e assuntos que são

interessantes para a população de nossa cidade

Dona Cecília Maria, muito conhecida

como Mãe Cecília na cidade, é

uma baiana arretada, que vive o mundo

dos orixás há 53 anos. Descobriu o

dom de ser mãe de santo com a própria

mãe, enquanto viviam na Bahia.

Hoje atende Araraquara, Matão,

Região Metropolitana de Campinas

e de São Paulo, grava programas fazendo

previsões que chegam até o

Japão - para brasileiros - e ainda teve

tempo de conversar com a reportagem

da RCI.

Segundo Mãe Cecília, os búzios

são donos de todos os trabalhos de

Orixás. “Eles falam a verdade, pergunte

o que quiser”, disse.

As previsões foram realizadas em

Mãe Cecília

de Iansã fez

previsões

sobre diversos

temas

envolvendo

a cidade, o

país, o mundo,

personalidades

e a população

de modo geral

dezembro passado, sendo assim, algumas

respostas fazem sentido para

aquele momento. Abordamos temas

polêmicos e delicados, que você poderá

conferir a seguir.

Revista Comércio e Indústria - Algum

caso polêmico ocorrerá em Araraquara

em 2019?

Mãe Cecília - Vejo que não tem nenhum

acontecimento polêmico. Aqui

é uma cidade mais para paz, mas os

búzios revelam que pode existir uma

mudança, só não consigo ver se é

algo bom ou ruim.

RCI - Alguma grande novidade

para o município em 2019?

MC - Oxalá diz que tem coisas

muito boas para acontecer esse ano,

mas ainda não está decidido o que.

Os búzios revelam que vai ter uma

grande surpresa que ninguém está

esperando. Ela pode abalar algumas

pessoas e pode ser boa para uns e

ruim para outros. A cidade é regida

por Iansã (deusa dos ventos e das

tempestades, temperamento forte,

independente).

CONTINUA NA PÁGINA SEGUINTE

|20


21|


RCI - Como será a economia da

cidade esse ano?

MC - Os búzios revelam que esse

ano a cidade vai sofrer um pouco

mais do que em 2018, nada muito

além do que já está hoje. Ogum (deus

da guerra, agricultura, ferro, metais e

tecnologia) está à frente da economia

de Araraquara, dizendo que podemos

mudar algumas coisas, porém deve

ser um ano um pouco apertado.

RCI - A violência vai aumentar na

cidade?

MC - Os búzios revelam que a violência

sempre vai existir, mas Araraquara

é uma cidade bem cuidada, porém

deve se manter aos níveis atuais.

POLÍTICA

RCI - Agora falando sobre política,

o prefeito Edinho Silva vai continuar

no cargo esse ano?

MC - Pode ser que surja algum problema

na vida dele, mas os búzios

não revelam que ele saia do cargo ou

da cidade. Os búzios não respondem

se ele perde o cargo, o caminho dele

está neutro. Pode ter um contratempo

na vida esse ano, segundo os búzios,

mas não vejo desespero.

RCI - Quando a senhora diz contratempo,

é na vida pessoal, algo relacionado

à saúde?

MC - Em 2019 ele precisa cuidar

muito da saúde, que talvez tenha algum

problema, porém na política ele

deve enfrentar alguma situação de

turbulência também. Os búzios dão

respostas confusas, isso significa que

ele é muito protegido, muito cercado.

RCI - Quando a senhora diz sobre

proteção, refere-se a quem?

MC - Edinho é muito protegido pelos

deuses, talvez dos amigos e dos

homens não, mas dos deuses ele tem

muita proteção, por isso esse caminho

neutro.

RCI - Edinho é do signo de

Gêmeos, o que a senhora pode falar

sobre a vida dele?

MC - Ele é uma pessoa cautelosa,

sistemática, uma pessoa muito simples

e humilde, protegido por Xangô

(deus da justiça, dos raios, dos trovões

e do fogo), então o caminho dele

na política pode ir muito bem, mas

vejo que haverá alguma cobrança

nessa parte de sua vida.

RCI - O prefeito Edinho pode ser

traído?

MC - Ele precisa tomar muito cuidado.

Na política há traição sempre,

Edinho não pode confiar em ninguém,

apenas nele mesmo. Os búzios não

revelam se é uma traição que se tornará

pública ou algo que ocorrerá

apenas ao seu redor, nos bastidores

do governo.

RCI - Como deve ser a atuação

dos vereadores no terceiro ano de

mandato?

MC - Eles devem trabalhar cuidadosamente.

Pode ter alguma mudança

de vereadores na Câmara, com

altos e baixos. Os búzios revelam que

pode haver algum tumulto, e que vai

ser um pouco difícil esse ano para

eles. Vão ter êxito no trabalho, porém

vai ser um ano de intenso trabalho,

vão precisar se doar muito para conseguir

realizar boas obras e agradar

a população.

RCI - Algum dos vereadores da

Casa deve tomar cuidado - tanto no

campo da política como na vida pessoal?

MC - Eles precisam ser cautelosos,

não consigo ver quem é, mas Xangô

responde que um ou mais deles terão

problemas com justiça. Pode ser

cobrança com a justiça, ter que arrumar

a casa para não sofrer nenhum

problema, se houver alguma falha ela

deve ser arrumada o quanto antes.

RCI - João Doria, eleito para ser o

novo governador do Estado, irá fazer

um bom mandato?

MC - No começo ele vai ter um

tumulto em sua vida política, deve

tomar cuidado com a saúde, principalmente,

porém vai fazer um bom

governo. Vejo alguns obstáculos, mas

vai trabalhar. Doria é uma pessoa

muito rígida, exigente, vai conseguir

botar as pessoas para trabalharem.

RCI - O ex-presidente Lula, que

está preso há quase um ano em Curitiba,

deve ser solto em 2019?

MC - Tem muita água pra rolar pra

esse homem ser solto, viu? Há muitos

obstáculos no caminho dele. Os búzios

respondem que talvez ele seja

solto em 2019, mas não é certeza.

Realmente ele tem muitos obstáculos,

o que tá dificultando sua saída.

Se ele for solto, pode ser mais no final

do ano.

RCI - Lula deve ter cuidado com a

saúde dentro da prisão?

MC - Lula não está bem. Quando

você fez a pergunta, senti aqui que

ele não está bem. Ele precisa ser muito

cauteloso com a saúde esse ano.

Está muito frágil e debilitado e pode

ficar muito doente em 2019.

Além de jogar búzios, Mãe Cecília

é taróloga e cartomante há mais

de 40 anos em Araraquara

CONTINUA NA PÁGINA SEGUINTE

|22


23|


RCI - A deputada estadual Marcia

Lia fará um bom mandato?

MC - Vejo alguns obstáculos na

sua vida política, durante sua caminhada

em 2019, mas se for uma

mulher inteligente e rápida, vai trabalhar

muito bem e agradará o povo

com suas ações.

RCI - O novo presidente, eleito em

outubro, Jair Bolsonaro, vai cumprir

com o que prometeu?

MC - Tenha certeza que ele vai

agradar muita gente, tem muita coisa

para fazer pelo Brasil, pode ser um

bom governo para as pessoas mas

não conseguirá agradar todo mundo.

Os búzios revelam que o trabalho dele

para recuperar o país vai ser intenso.

RCI - Algum escândalo deve envolver

o governo de Bolsonaro em seu

mandato?

MC - Os búzios revelam que é

muito cedo ainda para saber sobre

os quatro anos do seu mandato.

ESPORTE

RCI - A Ferroviária deve ganhar

algum título importante esse ano?

MC - Vai ganhar sim, se investirem

pesado e fizerem uma séria mudança

interna. Quando digo investimento,

pode ser tanto o monetário como em

pessoas competentes. Se não fizer

isso, continuará numa caminhada

lenta e sem destaque.

RCI - As Guerreiras Grenás, divisão

do futebol feminino da AFE, terão

uma boa oportunidade em 2019?

MC - Vão sofrer com altos e baixos

nesse ano, alguns obstáculos pelo caminho

durante os campeonatos que

devem disputar, mas podem se dar

muito bem; é necessário bom investimento

financeiro e de pessoas para

que o time saia vitorioso.

RCI - Quem deve ser o campeão

da Libertadores em 2019?

MC - Não consigo ver um time

específico sendo vitorioso, mas os

búzios respondem que há uma grande

chance de algum time brasileiro

levantar a taça esse ano, mas não

sem sofrer com os obstáculos.

RCI - Os búzios podem prever

quem será o time campeão do Brasileirão?

MC - O Flamengo (RJ), São Paulo,

Santos e Corinthians (SP) são os grandes

destaques para esse campeonato,

todos têm chances de ganharem.

Precisam se esforçar mais e superar

as turbulências.

RCI - Para finalizarmos, a população

mundial deve estar mais atenta

a algum problema que possa surgir

nesse ano? Guerra, epidemia de alguma

doença?

MC - Os búzios revelam que é necessário

tomar cuidado com a saúde,

alguma doença muito grave pode seifar

muitas vidas. Com relação à guerra,

só faz quem quer. A guerra sai da

boca do povo.

Os Orixás que irão reger este novo

ano são Ogum, Angorô (comunicador

entre os humanos e as divindades,

senhor do arco-íris) e Oxum (deusa

das águas doces, é considerada a senhora

da beleza, das águas fluviais,

do amor, muito ligada à riqueza, à

vaidade e ao poder feminino).

|24


25|


LEMBRANÇA

Adeus Isley, a do Sebrae

Meu Pai Eterno...

Final de ano no Paraíso, nem de todo será sossegado.

Chegou Isley, uma das maiores identificações que o

Sebrae Araraquara já teve em sua história na cidade.

Conhecida como a “Isley do Sebrae”,

a sorridente Isley Gianetti Napolitano,

foi sepultada na manhã de

15 de dezembro, sábado, no Cemitério

da Ressurreição em Araraquara.

Por quase 20 dias lutando contra

um câncer e internada na Santa

Casa de Misericórdia, Araraquara

perdeu uma pessoa simples: Isley

Gianetti Napolitano, admirada por

seu sorriso e uma frase que dita por

ela em alto e bom tom, parecia definir

todos os momentos da sua vida:

“Pai Eterno”. A doença não lhe deu

trégua e em tempo recorde a levou.

Com José Bomtempo, seu companheiro

Isley, paulistana nascida no Tatuapé

em 11 de dezembro de 1969,

filha de Maria do Carmo e Waldir Luiz

Napolitano (in memorian), era a mais

velha dos quatro irmãos

(Sirley, Wagner e Denis).

Até os 15 anos residiu

em São Mateus vindo

depois morar com seus

avós em nossa cidade.

Após trabalhar na lanchonete

da Companhia

Paulista de Força e Luz,

Isley foi contratada pelo

Sincomercio e o antigo

SPC, onde permaneceu

por 6 anos e convidada por Ivo

Dall’Acqua Junior, ingressou no SE-

BRAE Araraquara.

Passou por algumas áreas até se

fixar no agronegócio onde trabalhou

durante 15 anos, coordenando o SAI

- Sistema Agroindustrial Integrado.

Depois de 24 anos trabalhados no

Sebrae-SP, dedicando-se a uma única

causa, ao empresário, resolveu

sair e encarar outros desafios mas,

com total tranquilidade de dever

cumprido.

Tendo como companheiro José

Bomtempo e uma filha, Ariadny, que

está cursando fisioterapia no Paraná,

Isley vivia nos últimos tempos uma

das etapas mais felizes da sua vida.

À família enlutada os nossos sentimentos.

Ao lado de Ivo

Dall’Acqua Junior

que lhe deu a

oportunidade

de trabalhar

no Sincomercio

e Paulo

Arruda, que foi

superintendente

do Sebrae SP.

À direita, sua

aposentadoria

após 23 anos no

Sebrae

Homenageada pelo Sindicato Rural no

Dia do Agricultor em 2017; abaixo o texto

inserido no cartão

As belas marcas

deixadas em nossos

caminhos...

Isley, sua passagem

pelo SEBRAE/SP foi tão

significativa que hoje

nos faz entender porque a vida é bela!

Sua alegria, coragem, ousadia, o jeito

de sorrir e sonhar. Tudo isso sempre foi

seu e há quem garanta que tornou-se a

marca a colorir nossos dias.

Ao lhe dizer ‘muito obrigado’ o fazemos

convictos de que você por estes 24

anos de companheirismo pode ser

considerada o símbolo da mais pura

amizade e a fonte de inspiração para o

sucesso de tantos projetos que deram

alma ao agronegócio.

Araraquara, 28 de julho de 2017

A filha

Ariadny

Sindicato Rural de Araraquara

Presidente Nicolau de Souza Freitas

|26


27|


|28


29|


|30


POLÍTICA

Por dois anos Tenente Santana

é o presidente da Câmara

Quando todos esperavam que José Carlos Porsani seria eleito

presidente da Câmara, manobra coloca Santana no cargo

Santana assumiu

a presidência no

dia 2 de janeiro

e fica no cargo

por dois anos

Vida de político é complicada: ele

dorme de um jeito e acorda de outro.

Foi o que aconteceu com José Carlos

Porsani, do PSDB, no começo de dezembro

quando estava em jogo a presidência

da Câmara Municipal.

Supondo que teria o apoio do PT e

a promessa do prefeito Edinho que o

faria presidente para o biênio 2019-

2020, Porsani até que acreditou. Porém

se decepcionou, já que a bancada

do Partido dos Trabalhadores decidiu

fincar bandeira em terreno do MDB.

Assim, Porsani ficou apenas com os

seus três companheiros de partido

mais a fidelidade de Edio Lopes e

Edson Hel, perdendo para o Tenente

Santana por 12 a 6.

Porsani vinha anunciando o apoio

petista em novembro, porém seria

mais confiável um acordo do PT com

o MDB, que propriamente com o PSDB

nas votações da Câmara. O que se viu

então na terça-feira (4) melancólica

para o PSDB, foi mais um baque e o

sentimento de partido que apanha

pela sua ideologia fragilizada e sem

personalidade; por outro lado, o MDB

demonstra que cerra fileira com o PT

e segue disposto a apoiar o governo

de Edinho Silva.

À distância, observa-se também

que a campanha dos dois candidatos

interessados na presidência foi mais

pessoal que partidária, capaz de causar

espanto, pois os petistas jamais

viram com bons olhos qualquer proximidade

com regime militar. Como

já foi dito que na política vale tudo, o

Tenente Santana e o PT vão ter que

‘marchar’ juntos. Fica assim definida

a nova Mesa da Câmara para os próximos

dois anos: Tenente Santana (presidente),

Edio Lopes (vice-presidente),

Lucas Grecco (1° secretário) e Cabo

Magal (2° secretário).

Ano novo, estoque novo!

A melhor maneira de começar 2019 é

não tendo problemas com a contagem.

ETIQUETAS RFID

contagem de estoque em instantes!

www.jnmoura.com.br

0800 777 1990

31|


JOSÉ FELIPE GULLO

Um passeio que

não teve volta

Diretor da JFG Medicina do

Trabalho saiu em férias com

a esposa e sofreu infarto, na

República Domicana.

Gullão, como era chamado, uma perda

irreparável para a nossa comunidade

José Felipe Gullo, médico reumatologista

e do trabalho em Araraquara

e Matão, morreu no início da

madrugada do dia 6 de dezembro,

em Punta Cana, onde passava férias

com a mulher Clarice Denoni. O país

caribenho informou que a causa da

morte do médico foi infarto do miocárdio

e edema pulmonar.

O corpo de Gullo embarcou em

um avião na República Dominicana

na noite de quinta-feira (13), uma

semana após a morte, e chegou ao

aeroporto de Guarulhos por volta da

1h40 de sexta, sendo sepultado no

final do dia no Cemitério São Bento.

Sua empresa, a JFG – abreviação

de José Felipe Gullo – publicou nota

de pesar em suas redes sociais. “É

com pesar que comunicamos o falecimento

do fundador da JFG Medicina

do Trabalho, o Dr. José Felipe

Gullo. Foram mais de 30 anos de

dedicação à empresa. Seus conhecimentos

e paixão pela medicina e

pelo ser humano serão sempre o

nosso alicerce e esperamos honrar

sua memória atendendo sempre

com o prestígio, honestidade e amor

que ele sempre pregou. Descanse

em paz e obrigado! Uma homenagem

de toda equipe JFG!”

FATOS & FOTOS

DA REDAÇÃO

INICIATIVA QUE SÓ MERECE ELOGIOS

Ao lançar em dezembro o livro

“Araraquara 200 anos: Prazer em (re)

conhecê-la”, a Secretaria Municipal da

Educação mostrou preocupação em

preservar a história da cidade sob o

ponto de vista das crianças.

A publicação registra os 60 melhores

trabalhos selecionados no concurso

escolar realizado pela pasta em 2017,

durante a comemoração dos 200 anos

de Araraquara, envolvendo alunos

de escolas municipais, estaduais e

particulares. As categorias foram

desenho e pintura, produção de texto

e fotografia. Não tivemos acesso é

verdade ao livro, mas só o título nos

dá a informação precisa da iniciativa.

A secretária da Educação, Clélia Mara

dos Santos, diz que os trabalhos das

crianças e dos adolescentes ficarão

marcados. “Será um registro do que

Sobe no conceito

popular quem teve a

iniciativa de acabar

com a alvorada

tradicionalmente

realizada em 12

de outubro por

conta da festa em

louvor à Nossa

Senhora Aparecida.

Também muda o

local de realização

da Cavalgada da

Fé, com trajeto

menor e percurso

mais rápido. Novas

regras evitam causar

danos aos animais,

principalmente com

rojões.

A logística utilizada

por Araraquara em

eventos na cidade

não tem dado

certo e a vereadora

Thainara Faria

decidiu ir a fundo

para promover

correções. Em

reunião, ela citou

o InterAraraquara

como exemplo,

criticando transporte

e hospedagem por

preços abusivos.

Com organização

em baixa, ela sugere

a formação de uma

comissão para dirigir

os eventos.

A histórica foto do lançamento do livro

preparado pelas crianças

foram os nossos 200 anos. Mais do

que fazer, é importante que a gente

registre para que outros conheçam

o que foi feito em determinado

momento. E esse será um registro dos

nossos 200 anos”, afirmou.

SUBINDO DESCENDO Os canudos

Queiram ou não, a capital das lombadas

Toninho do Mel comemora a implantação

de mais uma lombada

Considerando que os

canudos de plástico são

um problema sério para o

meio ambiente, o vereador

Roger Mendes visitou a

Panificadora Bortolozzo e o

Espaço Café, para ouvir a

opinião dos proprietários.

O primeiro disse que é

uma iniciativa legal e “não

temos do que reclamar”.

Já Simone Maria Onofre,

do Espaço Café, na Vila

Harmonia, foi um pouco

diferente. Em agosto,

motivada pela consciência

ambiental, ela resolveu

interromper totalmente o uso

de canudos. Aí, os clientes

ficaram entre o sim e não.

A Mobilidade Urbana tem sido criticada

nas redes sociais pelo exagero de

lombadas, a maioria vinda através de

pedidos formulados pelos vereadores.

Tudo se faz em nome da redução de

acidentes, mas não é bem assim, pois

outros critérios técnicos poderiam livrar

a cidade dos chamados “soldadosdeitados”.

Tem vereador que fica

caçando rua para colocar uma lombada,

por questões políticas, não técnicas.

|32


FRASE

“A unidade vem

sofrendo com

Maria José

vandalismos, até

mesmo de alunos da escola estadual que

fica ao lado, que jogam pedras e pulam

o muro, mesmo com as grades instaladas

recentemente, para vandalizar”.

Comentário do vereador Rafael de Angeli,

após visita ao Centro de Educação

e Recreação - CER “Professor Doutor

José Alfredo Amaral Gurgel”, no Jardim

Adalberto Roxo. Além do vandalismo, o

parlamentar notou que, mesmo a escola

tendo somente dois anos, possui diversas

paredes com infiltrações. Ao questionar a

diretora, constatou que isso acontece em

virtude de complicações no telhado com

vazamentos, principalmente nos berçários.

Padoka fez 10 anos

Jiseli Dias de Souza Santana, presidente

da AMA com seu grupo na Padoka

A Padoka do Assentamento Monte

Alegre completou 10 anos. Durante

este período, a Padoka vem fazendo

vários tipos de pães: o caseiro, o de

milho, cenoura e o de soja ou vegano,

comercializados, principalmente, na

Feira Noturna da Estação Ferroviária,

as quintas-feiras, em Araraquara.

Esses mesmos produtos também são

servidos em coffee breaks de eventos

especiais de universidades, e todos os

domingos de manhã, para cerca de

150 ciclistas que se reúnem na própria

Padoka como ponto de encontro.

Seguir sonhando

A viabilidade de se implantar o Parque

dos Trilhos com Veículo Leve sobre

Trilhos (VLT), motivou o vereador

Elias Chediek a percorrer vias

estratégicas da cidade que poderiam

ser conectadas, por meio de obras

que compõem o projeto. Elogiável a

ousadia do vereador em continuar

com um projeto que virou sonho.

33|


|34


INFORMATIVO

AGRO

N E G Ó C I O S

Edição: Janeiro/2019

MERCADO

Sindicato Rural e Senar superam

meta: 131 projetos em 2018

Atividades desenvolvidas na base territorial do Sindicato Rural de Araraquara envolveram mais

de duas mil pessoas; foram 73 cursos de capacitação profissional.

Formatura de alunos participantes do Programa Jovem Agricultor do Futuro realizado em Motuca

A diretoria do Sindicato Rural de

Araraquara tem muito a comemorar

neste ano, pois além de cumprir sua

meta junto ao Senar (Serviço Nacional

de Aprendizagem Rural) na realização

de cursos de capacitação e

desenvolver ações sociais, também

implantou programas que permitem

inserir no mercado novos empreendedores

rurais.

Segundo o presidente Nicolau de

Souza Freitas, o envolvimento da entidade

na realização de programas e

cursos torna evidente seu interesse

em contribuir decisivamente na formação

do cidadão, notadamente do

homem do campo, dando-lhe condições

de permanência na agricultura e

meios para aprimorar sua qualidade

de vida ao lado dos seus familiares.

Para ele, o sindicato e o Senar

no cumprimento das suas missões,

uma delas a formação profissional,

valorizam o produtor e o trabalhador e

asseguram a eles o direito de expandirem

seus negócios mediante novos

ensinamentos, disponibilizando ainda

as orientações técnicas oferecidas

por um outro parceiro: a Fundação

Itesp.

CONTINUA NA PÁGINA SEGUINTE

35|


NOVIDADE

Sindicato Rural e Senar formam

o Jovem Agricultor do Futuro

Um dos mais importantes

programas de capacitação

realizado pelo Senar SP e o

Sindicato Rural de Araraquara,

com a participação da

Fundação Itesp, tem o foco de

ensinar e manter o jovem no

campo, tornando-o agricultor.

Para o Sindicato Rural de Araraquara

e o Senar SP o ano de 2018 ainda é

de comemorações: quatro alunos que

durante o ano foram capacitados pelo

Programa Jovem Agricultor do Futuro

são agora, após os exames vestibulares,

alunos do Curso de Agronomia da

Uniara. “Isso nos deixa extremamente

felizes pois demonstra que estamos

contribuindo na formação das pessoas

e dando a cada uma a possibilidade de

vislumbrar o futuro com mais segurança”,

explica o presidente do Sindicato

Rural de Araraquara, Nicolau de Souza

Freitas.

COMEÇO DE UM SONHO

O programa desenvolvido desde

o começo do ano, reunindo jovens

de 14 a 17 anos residentes nos Assentamentos

Monte Alegre e Motuca,

agora em dezembro foi finalizado com

muito sucesso. Segundo Juliana Vanessa

Petrazzo, pedagoga e formada

em artes visuais, o programa trabalha

para que o jovem adquira habilidades

e competências relacionadas ao desenvolvimento

da autonomia, escolhas

profissionais, ética, coletividade

e cidadania, além de sensibilizar sobre

a importância da agricultura, produção

de alimentos, preservação e recuperação

ambiental, ou seja, para a formação

cidadã com foco no meio rural.

Instrutora do Senar SP, Juliana,

diz amar o que faz: ensinar e conviver

O acompanhamento realizado durante as

aulas praticadas no campo

|36


com o campo, representa uma fonte

inesgotável de energia. “Estou realizada

profissionalmente vendo estes

jovens se dedicando ao estudo e ao

trabalho. Para nós, eles são exemplos

e também são portadores de uma lição

de vida que nos estimula cada vez

mais ao ensinamento”, argumenta a

instrutora.

COMO FUNCIONA

Para a realização do programa,

aconteceu também o envolvimento

da Prefeitura Municipal de Motuca

que assumiu a responsabilidade na

cessão de uma área onde poderiam

ser efetuadas as aulas teóricas e práticas.

Assim, o programa foi realizado

no Centro de Projetos de Motuca ao

lado da prefeitura. O Sítio Novo Horizonte

serviu para visitas técnicas.

“A solicitação do projeto partiu do

GTC Araraquara, pela relevância de atividades

com jovens desta faixa etária”,

argumenta Maria Clara Piai da Silva,

da Fundação Itesp. Ela também lembra

que a longo prazo, os resultados

poderão contribuir para a sucessão

hereditária nos Assentamentos ao desenvolver

uma visão empreendedora e

de geração de renda, elementos que

contribuem para a permanência do

jovem no campo e seu envolvimento

nas tarefas exercidas por sua família.

A bióloga Mariana Crespo, também

instrutora, juntamente com Juliana,

desenvolveram um extraordinário trabalho,

ressaltando constantemente

que o programa atende filhos de produtores

e trabalhadores rurais e tem

o objetivo de desenvolver atividades

práticas que demonstram como tornar

uma área produtiva de forma sustentável,

além de atividades pedagógicas

voltadas para formação cidadã e profissional.

POSIÇÃO DO SINDICATO

NOVOS HORIZONTES

Jovens aprovados no vestibular da Uniara: Artur Muriel Gonçalves de Oliveira

Molina (treineiro); Jorge Luiz da Silva (agronomia); César Bruno Meira Pereira

(agronomia); Cristiane Bonfim Matos (odontologia)

Alunos que prestaram Escola Técnica Agropecuária (Unesp - Jaboticabal): Talita

Pereira Gomes e Ygor Santos de Lima

“Durante muito tempo ouvimos

que a agricultura era inimiga do meio

ambiente. Isso não é verdade. Nós

acreditamos na agricultura convivendo

harmoniosamente com o meio ambiente.

E essa é uma diretriz do presidente

Fábio Meirelles e que passamos

para os produtores rurais, assegura o

presidente Nicolau de Souza Freitas.

Na mesma linha, o coordenador

regional do Senar, João Henrique de

Souza Freitas, enfatiza que sem um

meio ambiente equilibrado não há a

possibilidade de se ter uma agricultura

forte. “Precisamos cuidar da agricultura,

porque isso também é cuidar do

meio ambiente. As duas áreas devem

andar juntas”, comenta.

Segundo o coordenador, a Faesp,

o Senar e o Sindicato Rural desenvolvem

trabalhos interessantes que são

voltados para os Assentamentos rurais

e os pequenos produtores.

Deste cenário é que saíram os

quatro alunos aprovados no curso de

Engenharia Agronômica; outros dois

alunos acabam de prestar exames

na Escola Técnica Agrícola da Unesp.

Dentro das atividades estabelecidas

pelo programa, há também uma parceria

para a venda dos produtos a um

grupo de yoga da Unesp Odonto, o que

demonstra a qualidade da colheita.

Importante dizer, lembra João Henrique,

que acompanhou bem de perto

essas atividades, a consolidação dos

resultados se dá pelas visitas técnicas

aos locais que mantêm hidroponia,

minhocário e aquaponia todos no

Assentamento Monte Alegre. Como

complementação, há a valorização da

cultura do campo com roda de viola,

oficina de cultura e lazer, sempre com

o objetivo de incentivar o participante

a ingressar no mercado de trabalho.

O começo de uma nova vida... uma

história de amor à terra

37|


Nas fotos: Marco Antônio de

Oliveira, João Henrique de Souza

Freitas, Nicolau de Souza Freitas,

Marcelo Laurino e Ana Paula

Zimbardi Lombardi durante a

entrega dos certificados e do selo

de qualificação do MAPA como

produtores orgânicos

MERCADO

Produtores Orgânicos são

certificados em Araraquara

Senar, Ministério da Agricultura e Sindicato Rural consolidam

em evento o sonho de dezenas de trabalhadores

Produtores rurais de Araraquara e

de várias cidades do Estado de São

Paulo, participantes do Programa de

Agricultura Orgânica no ano de 2018,

participaram em dezembro da entrega

dos certificados de conclusão do

curso no auditório do Sindicato Rural

de Araraquara. A escolha da cidade

como sede da certificação ocorreu

por conta da posição geográfica, facilitando

a centralização do ato e a

estrutura da entidade.

O presidente do Sindicato Rural de

Araraquara, Nicolau de Souza Freitas,

em seu discurso de abertura ressaltou

a ousadia dos pequenos agricultores

em optar pela comercialização

de produtos orgânicos: “Sabemos que

foram vários meses de curso e agora

capacitados, recebem o certificado

do Senar por ser ele o organizador

do programa e o cadastro de produtor

de cultura orgânica pelo Ministério da

Agricultura”, destacou o dirigente.

O programa na verdade é promovido

pela Federação de Agricultura do

Estado de São Paulo (FAESP), através

do Senar e organizado pelos sindicatos

rurais em suas regiões de origem.

RECONHECIMENTO

Para Marco Antônio de Oliveira,

da Divisão Técnica do Senar SP, é

importante ressaltar o interesse dos

pequenos produtores e trabalhadores

rurais na produção do orgânico.

“Eles unem a boa vontade e o seu

esforço ao interesse de transformarem

o espaço que dispõem em sua

propriedade, em uma fonte de renda”,

salientou. Mais adiante

ressaltou que o mecanismo

de preparação do trabalhador

tem apresentado resultados

fantásticos, pois além

de ser interpretado como

ação social, deve também

ser visto como forma de gerar

renda familiar e contribuir com a

fixação do homem no campo.

Marcelo Laurino, Fiscal Federal do

Ministério da Agricultura e membro

do CPOrg - Comissão da Produção

Orgânica no Estado de São Paulo,

destacou a atividade dos participantes

dos cursos realizados pelo Senar

e lamentou o preconceito que ainda

existe sobre o produtor orgânico, mas

que valoriza o serviço e a coragem de

quem trabalha neste mercado.

Também o coordenador regional

do Senar, João Henrique de Souza

Freitas se manifestou e agradeceu a

Faesp/Senar por terem escolhido o

Sindicato Rural de Araraquara para

sediar o evento: “É um motivo de orgulho

receber novos produtores orgânicos

de várias cidades do Estado”,

disse ele.

À esquerda, o público presente

e à direita, o presidente

Nicolau de Souza Freitas com

Marco Antônio de Oliveira, da

Divisão Técnica do Senar SP

|38


39|


João Henrique de Souza Freitas, coordenador regional do Senar com os instrutores

Walkimar Brasil de Souza Pinto e Marco Aurélio Gonzales

INSPEÇÃO DE PRAGAS E DOENÇAS

O cultivo dos citros sob o olhar

da tecnologia e das pesquisas

Produto importante na economia agrícola nacional e responsável

pela posição do Brasil como maior fornecedor do suco da fruta

no mundo, a laranja também responde pelos rendimentos de

pequenos produtores brasileiros que sobrevivem da agricultura.

Chegada do cancro cítrico em 1957

Dois dias com aulas teóricas e outros

dois apresentando aulas práticas

no campo, serviram para que o Senar

e o Sindicato Rural de Araraquara

mostrassem aos trabalhadores rurais

as regras que norteiam uma inspeção

de pragas e doenças na laranja. Debatido

por especialistas no assunto -

Walkimar Brasil de Souza Pinto e Marco

Aurélio Gonzales - o tema envolveu

uma das regiões mais produtivas de

laranja, controlada pela Citrosuco em

Matão e Cutrale em Araraquara, daí

essa preocupação.

O programa ministrado no auditório

do Sindicato Rural para um grupo

de pequenos produtores e trabalhadores

foi baseado no conteúdo do

livro “O cultivo dos citrus”, elaborado

pelos dois palestrantes e com a participação

do engenheiro agrônomo e

mestre em Agronomia, Hilton Neiva

Galva. Trata-se de um livro de fácil

acessibilidade e entendimento, disse

Gonzales, durante sua explanação. A

publicação além de mostrar o que é o

citrus e suas variedades, como laranjas,

limões, limas ácidas, tangerinas e

As cigarrinhas e o ‘amarelinho’ em 1997

Greening em 2004

|40


outras, indica os tipos de solos para

plantio. Confesso, disse ele, que oferecemos

‘o conhecer do citrus’ para

os produtores

Considerados na atualidade como

extensionistas - profissionais que levam

informações aos produtores utilizando

formato simples - Walkimar e

Marco Aurélio, alegam que há essa

necessidade da revitalização do conhecimento,

pois o setor citrícola

apresenta constantes transformações:

“Entramos na Secretaria de

Agricultura e Abastecimento do Estado

de São Paulo em 1976 em meio

à infestação do cancro cítrico que

surgiu em 1957; em 1980 o cancro

cítrico entrou na região nobre, originando

a criação do Fundecitrus com

o objetivo de desenvolver pesquisas

de combate à doença.

Marco Aurélio durante a palestra

com os produtores, disse que em

1997 surgiu uma outra doença bacteriana

- o chamado Amarelinho - o

que desencadeou alterações comportamentais

no plantio. Como alternativa,

uma das mudanças foi tirar os

viveiros que eram feitos em solo para

atelados, além de se estabelecer um

controle mais rigoroso dos vetores,

que são as cigarrinhas: “Nós achávamos

que a CVC (Clorose Variegada

dos Citros) ou então o ‘amarelinho’

acabaria com a citricultura”, argumentou.

Mas não foi isso que aconteceu,

lembra Marco Aurélio: “Hoje mantemos

a mesma produtividade graças

aos trabalhos técnicos que desenvolvemos

e a maneira como orientamos

o produtor, embora saibamos do risco

do ‘amarelinho’, bactéria que atinge

todas as variedades comerciais de

citros”, completa

O desequilíbrio da natureza contudo

fez surgir em 2004 o Greening

(Huanglongbing/HLB), reconhecida

como a mais destrutiva doença dos citros

no Brasil. Para eles, especialistas

no assunto, o trabalho é constante

e cada vez que aparece um problema,

tem se tentado resolver dentro

de uma forma harmoniosa e técnica.

Walkimar, que é engenheiro agrônomo

e especialista em extensão

rural, manejo, pragas e doenças de

citrus, faz questão de ressaltar a importância

do trabalho de pesquisa no

país e menciona o Centro Avançado

de Pesquisa Tecnológica do Agronegócio

de Citros “Sylvio Moreira”, em

Cordeirópolis, como um dos principais

pontos de estudos citrícolas no Estado,

além da Estação Experimental de

Bebedouro e do Fundecitrus, todos

tendo notável desempenho, estudando

e desenvolvendo programas de

controle das doenças nos laranjais.

À nossa revista, que abrange o

agronegócio, Marco Aurélio (engenheiro

agrônomo e extensionista),

afirma que com os trabalhos de pesquisa

e programas preventivos, foi

mantida a produtividade do parque

citrícola mesmo com a redução da

área plantada. Eram 800 mil hectares

de citrus para 400 milhões de caixas

de laranja; o espaço para a cultura foi

reduzido mas se mantém a produção.

MELHOR PREVENIR

O coordenador regional do Senar,

João Henrique de Souza Freitas,

acompanhando as palestras,

ressaltou o profundo conhecimento

dos extensionistas e lembrou que as

medidas preventivas podem beneficiar

qualquer cultura. A laranja, assegurou

o coordenador do Senar, é de

extrema importância para a economia

regional e a nossa contribuição está

em orientar os produtores, principalmente

os pequenos, sobre as pragas

e as doenças que podem afetar os

laranjais. “A região vive basicamente

da cultura da laranja e cana e, por

questões óbvias, devemos nos preocupar

e colocar o Senar e o Sindicato

Rural à disposição dos interessados,

realizando cursos e palestras que

orientem na busca de uma boa colheita”,

disse João Henrique, durante

o encontro com produtores.

Grupo

participante

do curso

realizado no

Sindicato Rural

em Araraquara

em dezembro,

com os instrutores

Walkimar Brasil

de Souza Pinto

e Marco Aurélio

Gonzales,

acompanhados

do coordenador

do Senar, João

Henrique de

Souza Freitas

41|


MODELAGEM, PINTURA E CORTE

Como transformar cabaças

em lindas peças decorativas

Em dezembro no curso realizado pelo Senar SP e o

Sindicato Rural a matéria-prima foi a cabaça, muito

comum de se encontrar no meio rural.

No campo - fazendas, sítios e

chácaras -, trabalhar com o artesanato

faz parte do dia a dia das

pessoas. São produzidos artefatos

de uso doméstico ou então como atividade

rural, sendo as peças transformadas

em objetos decorativos,

utilizando-se para isso em muitas

oportunidades a matéria-prima obtida

na natureza.

Com a criação de novos programas

em sua grade, o Senar SP a partir

do ano passado, aproximou ainda

mais o trabalhador ou produtor rural

dos recursos que a natureza oferece,

fortalecendo assim o mercado artesanal.

O ARTESANATO RURAL

Segundo João Henrique de Souza

Freitas, coordenador regional do

Senar SP em Araraquara, o artesanato

rural proporciona renda extra

no orçamento familiar do homem do

campo. Além disso, é desenvolvido

de forma sustentável, com vistas à

Participantes do curso em dezembro no Sítio 3 Ramos

Rosinei Ramalho dos

Santos, instrutora do

Senar SP, apresenta a

imagem de São Francisco

como uma das peças

decorativas que pode

ser feita com o uso da

cabaça. A matéria-prima

existente no campo acaba

se transformando em

fonte de renda para o

trabalhador rural

Galinha d’Angola

preservação ambiental e permite a

difusão cultural.

Ainda em 2019, com o avanço do

Turismo Rural, segmento que também

tem o apoio do Sindicato Rural

de Araraquara, o artesanato ganhou

destaque na confecção de peças,

promovendo a cultura e a tradição

da região, desta feita com o uso da

cabaça, uma das primeiras

plantas cultivadas no

mundo, não apenas para

uso na alimentação, mas

para ser utilizada como recipiente

de água.

Levada da África para

a Ásia, Europa e Américas

no curso da migração humana,

ela agora é transformada

em peças artesanais,

sem perder contudo,

outras utilidades que disponibiliza.

Durante o curso realizado

em Araraquara no

mês passado, a instrutora

Rosinei Ramalho dos Santos, explicou

que os índios têm uma grande

influência no uso da cabaça, como

recipiente para água, cuia para servir

ou guardar alimentos preparados,

pequenas taças de uso ritual e

na confecção de alguns instrumentos

sonoros. Já no Nordeste, das

mesmas cabaças que armazenam

e transportam água pelo sertão,

cortam-se cuias que são usadas nas

feiras como unidade de medida para

pesar, comprar e vender farinha e tapioca,

além de líquidos.

Neste curso, como coordenador

do Senar, João Henrique colocou

o programa sobre um outro foco e

admitiu que trabalhar com a cabaça

é algo que além de novo, chama

a atenção pela variedade de peças

decorativas e utilitárias que surgem

com a criatividade. “Daí a razão de

nos organizarmos em torno de um

trabalho diferenciado”, argumentou

o dirigente durante os três dias de

curso realizado no Sítio 3 Ramos.

|42


EVITANDO O DESPERDÍCIO

Aproveitamento

dos alimentos

Produtores rurais aprenderam

como aproveitar melhor os

alimentos, economizar e, de

quebra, contribuir para a

redução de lixo no planeta.

O SENAR (Serviço Nacional de

Aprendizagem Rural) possui uma

plataforma de atividades de Promoção

Social e segundo o seu coordenador

regional, João Henrique de

Souza Freitas, ela tem por objetivo

criar condições para que as famílias

possam empreender e gerenciar melhor

suas atividades cotidianas, evitando

o desperdício e aprendendo

a reciclar, sempre com segurança e

respeito ao meio ambiente.

Com este objetivo, foi realizada

nos dias 27 e 28 de novembro,

a capacitação Aproveitamento de

Alimentos através da parceria entre

Senar SP, Sindicato Rural de Araraquara

e Fundação Itesp - GTC Araraquara.

Esta atividade ocorreu visando

oferecer oportunidades de aprendizagem

a fim de estimular os participantes

sobre a importância de

aproveitar os alimentos de forma

integral, potencializando as possibilidades

nutricionais e ampliando a

variedade de receitas.

Técnicas de

aproveitamento

O curso é apostilado e gratuíto

A instrutora Mirna Pikel Perez há

anos realiza atividades nos Assentamentos

Monte Alegre. Comanda as

atividades na área de alimentação

e processamento, incentivando a

diversificação da alimentação, além

de estimular os participantes a utilizarem

o que possuem em seus quintais

e o excedente da produção agrícola,

para desenvolver produtos que

gerem renda ou tão somente processados

para o consumo da família.

Estas são atividades, diz Maria

Clara Piai da Silva, da Fundação

Itesp, que despertam a criatividade

dos produtores para utilizarem o excedente

da produção de forma alternativa,

diminuindo o desperdício.

Através da capacitação foram desenvolvidas

receitas que aproveitam

os alimentos de forma integral, sem

desperdícios. Foram desenvolvidos

doces que aproveitam integralmente

a fruta, tortas e pães com talos e

cascas que demonstram a capacidade

de aproveitamento de partes nutritivas

dos alimentos e que seriam

descartadas pela ausência de técnicas

para sua utilização.

ATIVIDADES

ANO / 2018

Neste ano a parceria Faesp,

Senar SP e Sindicato Rural

de Araraquara possibilitou a

realização de 131 projetos para

produtores e trabalhadores

rurais, sendo a marca

considerada um novo record

desde a chegada do Senar SP à

nossa cidade em 1993. De todos

os programas tivemos 2.215

participantes.

PROGRAMAS PARTICIPANTES

Jovem Agricultor 24

Feira do Produtor 20

Tomate Orgânico 12

FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Número de Cursos 73

Número de Participantes 902

PROMOÇÃO SOCIAL

Número de Cursos 20

Número de Participantes 356

EVENTOS

Número de Eventos 12

Número de Participantes 901

RELATÓRIO FINAL

PROJETOS REALIZADOS EM 2017

Módulos de Programas 26

Formação Profissional 73

Promoção Social 20

Eventos 12

Total 131

Número de participantes 2.215

Cumprimentamos todos aqueles

que estiveram envolvidos em nossas

atividades em 2018 e que 2019 seja

repleto de realizações.

Instrutora

Mirna junto no

encerramento

do curso

REALIZAÇÕES:

Coordenador SENAR/SP Araraquara:

João Henrique de Souza Freitas

43|


A FESTA DE CONFRATERNIZAÇÃO

Considerado modelo

no Estado, Sindicato

Rural presta contas

Reunião festiva da entidade

que congrega os produtores

rurais foi pontuada pelos feitos

administrativos e o anúncio

dos excelentes resultados.

Produtores rurais acompanham a análise do presidente Nicolau sobre as ações da

entidade nesta temporada

Como tradicionalmente acontece,

o Sindicato Rural de Araraquara

organizou no dia 21 de dezembro

sua festa de confraternização para

ratificar a união da classe, que é

representada por centenas de produtores

rurais. O evento ocorreu no

Tchê Salão de Festas para aproximadamente

300 convidados.

“A nossa festa não representa

apenas a confraternização, é muito

mais que isso, é o fortalecimento de

uma instituição que se organiza num

evento de grande porte para mostrar

aos seus associados os serviços que

foram realizados ao longo do ano”,

disse o presidente Nicolau de Souza

Freitas, de maneira entusiasmada.

Decidido a encerrar seu trabalho

no sindicato como presidente, Nicolau

conseguiu através de brilhante

gestão, formar uma entidade forte

e possuidora de um invejável patrimônio:

“O sindicato não vai se abalar

com o cessar da contribuição sindical,

pois ao longo do tempo investimos

no patrimônio e as rendas que

auferimos na atualidade, permitirão

que ele siga de forma equilibrada”,

salientou o dirigente.

Uma das fontes de renda citada

por ele é o prédio onde está instalado

o Sebrae na Via Expressa; outro

exemplo, é o complexo de salas alugadas

para a Uniara, também na Via

Expressa, através do qual o Sindicato

Rural tem assegurada sua manutenção.

Durante o evento, o diretor secretário

Marcelo Xavier Benedette falou

sobre as parcerias realizadas neste

ano, citando a Coopercitrus, como

coparticipante na realização de cursos

com o intuito de orientar os produtores

rurais no seu desempenho

no campo. Segundo o diretor, este

trabalho vai continuar, ainda mais

forte, porque é uma forma da entidade

retribuir o apoio e a confiança que

vêm do quadro associativo.

Diretores do Sindicato Rural com a presença das três importantes colaboradoras: Elisabete, Nereide e Priscila

|44


O TRABALHO DO SENAR

Já o coordenador regional do

Senar SP, João Henrique de Souza

Freitas, destacou o efeito positivo

de aproximadamente 80 cursos de

capacitação efetuados na temporada

através da parceria do sindicato

com o órgão. Também os programas

como Jovem Agricultor do Futuro,

Feira do Produtor Rural e Tomate Orgânico

foram avaliados pelo diretor,

assegurando que eles permitem fixar

o homem no campo e também criar

fonte de renda familiar. “São ações

deste tipo, com características eminentemente

sociais, que ajudam o

pequeno produtor a ter melhor qualidade

de vida”, comentou.

No encerramento, o diretor Luís

Henrique Scabello de Oliveira, dando

tônica ainda mais forte ao evento,

falou da responsabilidade do

produtor rural e do seu papel na

produção de alimentos. Enalteceu a

conduta de Nicolau de Souza Freitas

e as funções que atualmente exerce

como presidente do Sindicato Rural,

conselheiro do Senar SP, diretor da

Faesp e membro da Câmara Setorial

da Citricultura em Brasília.

Os aplausos à diretoria consolidaram

o sucesso da festa de confraternização

que tornou-se mais emocionante

com a chegada do Papai

Noel para alegrar a criançada.

Marcelo Xavier

Benedette aproveitou

o encontro com os

produtores rurais

para fazer uma

retrospectiva das

ações promovidas

pela sua área

durante o ano. Foi

também com seu

desempenho que o

sindicato alcançou

uma proximidade

ainda maior com

seus associados.

Na foto ao lado de

Marcelo, o produtor

Aldo Fernando

Rapatoni.

“Com essa simplicidade, o

nosso presidente Nicolau

representa uma força

extraordinária para o

agronegócio regional,

representando-nos com

dignidade e respeito em

nossa cidade, São Paulo e

Brasil. Não há como negar

o seu valor como pessoa

e dirigente e não há como

esconder que a nossa

agricultura necessita de

pessoas assim, trabalhando

com ética, transparência e

responsabilidade dentro do

setor que ocupa”.

Luís Henrique Scabello de Oliveira

Presidente da Canasol

O coordenador

regional do Senar

SP em Araraquara,

o agrônomo João

Henrique de Souza

Freitas, discorreu

sobre os cursos

e os programas

realizados pela

sua área neste

ano; também,

elogiou o trabalho

do seu antecessor,

agrônomo Mário

Porto e disse que

substituí-lo é um

orgulho, porém

uma missão quase

impossível diante

da sua experiência

e capacidade

profissional.

Nota da redação: em nossa próxima edição, reportagem fotográfica

completa sobre a festa de confraternização do nosso sindicato.

45|


NOTÍCIAS

CANAS L

EDIÇÃO

JANEIRO | 2019

TRADIÇÃO

Canasol reúne fornecedores de cana em

festa de confraternização no Bazuah Eventos

Uma entidade representativa e forte. Assim tem sido a Canasol, extremamente aplicada pelo seu

plano de gestão, o que a torna um modelo no setor canavieiro.

A tradicional Festa de Fim de Ano

da Canasol realizada na noite do dia

30 de novembro reuniu fornecedores

de cana, familiares, diretores e convidados.

O cardápio especial da noite

preparado pelo Buffet Villa Pomma,

a belíssima decoração e a animação

do Musical Cris & Douglas agradaram

os presentes nesta noite especial.

O presidente Luís Henrique e a vicepresidente

Tatiana Caiano Teixeira

Campos Leite, falaram em nome da

diretoria e destacaram a importância

da união dos produtores de cana e o

apoio dos associados, desejando a

todos que 2019 seja um ano de muitas

realizações e de crescimento para

o setor canavieiro.

O Salão do Bazuah ficou lotado durante a confraternização da Canasol

Inês e Mario Kiosi Nakandakari

Diretores da Canasol atentos à fala do presidente Luís Henrique

Maria e Alcides Roberto Barravieira

|46


Conceição Aparecida

Donângelo Chambroni

e o filho Francisco

ACONTECE

Eleição na Feplana

Lucineide e José

Luciano de Souza

Cleverton, Amanda, Suely e José Antônio

Gorla

O casal Laís, Geraldo Aparecido

Marcato e filhos

Felipe, Eva Gonçalves Timpani, Thereza e

Suze Timpani

Kelly, Osvail

Marques

Mendonça e

filhos

Alexandre Andrade Lima, presidente

da Feplana foi eleito para presidir a

Câmara Setorial da Cadeia do Açúcar

e do Álcool do Ministério da Agricultura

no biênio 2019/2020. O presidente

da Canasol, Luís Henrique, que é

secretário da entidade, foi escolhido

suplente na mesma Comissão.

A eleição foi em Brasília, no dia

5 de dezembro.

Muda Cana

Maria e João Otávio

Mariane Siqueira

Rosimari e

Antônio Donizeti

Massimino

Giulia, Marilda Caiano Teixeira,

Paulo Sérgio, Silvana e Gabriel

Equipe de colaboradores da Canasol

Rita e João Domingos

Stuchi

Andreia e Evandro Yashuda

Juliana e

Thomaz

Jasson

Neto

A Orplana em parceria com a ONG

Solidaridad lançou o Programa

Muda Cana no auditório da Canasol

no dia 14 de dezembro, com a

participação de mais de uma centena

de associados e produtores de cana.

Trata-se de um projeto que oferece

aos produtores algumas ferramentas

e incentiva a mudança na maneira

de gerir a produção de cana na

área de atuação da entidade (32

associações e 11 mil produtores). Para

o produtor, o programa traz vários

benefícios como a melhoria na gestão

da propriedade, orientações sobre as

boas práticas agrícolas, facilidade de

acesso ao mercado e treinamentos

visando melhorias na produção e

consequentemente um maior lucro

nas propriedades. A partir de agora os

associados da Canasol contam com o

suporte do programa por meio de um

aplicativo instalado no smartphone e

com orientações técnicas e econômicas

fornecidas pelas equipes envolvidas no

programa.

47|


Na foto ao lado, Rita em seu primeiro

campeonato nos Estados Unidos; acima, a

fisiculturista em seu ensaio fotográfico

Fisiculturista de Araraquara é uma

das mais reconhecidas nos EUA

Maria Rita Penteado tem 35

anos recém completados

e já concorreu a inúmeros

campeonatos do esporte na

terra do Tio Sam

Rita, como é muito conhecida pelos

amigos, há 20 anos treina pesado

para conseguir bons resultados físicos.

Em mini férias no Brasil, Rita que

é natural de Araraquara, faz sucesso

na América do Norte e começou a

treinar sem pretenção de algo relacionado

ao corpo, passou pela nossa

redação.

“Aos 15 anos, quando estudava

em uma escola pública daqui, eu era

muito magra, enquanto as outras meninas

já estavam mais encorpadas.

Eu comecei a treinar para ganhar corpo

e o resultado disso é que eu nunca

mais parei”, diz Rita, aos risos.

Depois de se apaixonar pelos

exercícios físicos, Rita então decidiu

prestar vestibular para Educação Física.

Passou nas duas que concorreu,

Unesp/Bauru e UfScar. Optou pela última,

pela proximidade com a cidade

natal.

“Eu estudava muito todos os dias

durante o colegial, para não precisar

fazer cursinho. Me dediquei ao

máximo mesmo. Ia para a escola de

manhã e deixava o programa ‘Vestibulando’

gravando em casa. Quando

chegava à tarde, eu escrevia tudo o

que o programa havia ensinado. Tenho

muitos cadernos de anotações.

Consegui passar com uma colocação

boa nas duas e foi assim que ingressei

no curso”.

Apresentação e agradecimento ao

público que prestigiou o evento

Um pouco mais tarde, após a formatura

da graduação, já em 2008,

uma amiga que fazia um intercâmbio

nos Estados Unidos a apoiou para

que fizesse o mesmo.

“Eu queria aperfeiçoar o meu inglês

e isso com certeza abriria muitas

portas para o meu profissional.

Fiz um cadastro em uma agência e

logo depois já recebi uma proposta,

então fui cuidar de uma criança em

Nova Iorque”.

Sua rotina era tranquila, o que

possibilitava Rita ter momentos para

fazer os exercícios.

|48


“Eu morava há cinco minutos da

maior academia dedicada ao fisiculturismo

de todo o leste americano.

Comecei a treinar duro e no primeiro

ano, já havia participado de cinco

campeonatos”.

Rita ganhou todos os torneios daquele

ano e isso a ajudou para que

conseguisse se sustentar no país.

“Depois de dois anos, acabou meu

intercâmbio e, consequentemente, o

visto”. Após participar de inúmeros

campeonatos, mostrei ao país que

eu poderia ser importante a eles e,

assim, consegui meu visto definitivo”.

“As academias dos EUA não possuem

treinador para orientar o aluno

com os exercícios, então quando se

matriculam, assinam um termo se responsabilizando

pelos exercícios que

vão fazer. Por isso é comum os alunos

terem personal trainer auxiliando no

treino e também eu participava dos

campeonatos para enriquecer meu

currículo e atender mais alunos.

PROJETOS

Atualmente, Rita é personal

trainer na academia Bev Francis

Powerhouse Gym, considerada a

‘meca’ do fisiculturismo, onde começou

a treinar quando chegou aos

EUA. Apesar disso, ela não tem a intenção

de competir em 2019.

“Gostaria de disputar o Miss Olympia,

mas hoje é muito difícil pelo padrão

elevado que está se tornando

a competição. Não queria me tornar

um ‘monstro’, então não participei,

mesmo com uma intensa preparação

de 21 semanas, com treinos diários

e dieta. Vou apenas assistir para entender

qual vai ser o padrão. Talvez

a própria Liga Nacional tente trazer

Após as competições, fisiculturistas fazem

ensaios fotográficos para enriquecer o seu

currículo

Mesmo sem participar do

Miss Olympia, Rita fez uma

preparação de 21 semanas

com treinos e dietas

a competição para uma forma mais

natural”, explicou.

Rita é casada com o americano

Justin Miller, que também é personal

trainer na mesma academia, porém

não participa de campeonatos de

fisiculturismo. Cerca de seis meses

atrás, a esportista decidiu por viver

uma vida ainda mais saudável e optou

pelo vegetarianismo.

“Estou me sentindo melhor do

que antes, não sinto mais dores nas

articulações e consigo fazer uma dieta

ainda mais rica e equilibrada, isso

tem me dado bastante ânimo para

continuar competindo sem necessitar

da proteína animal”, destacou.

Rita visita os pais, que ainda vivem

em Araraquara, a cada seis meses.

49|


VELHOS TEMPOS, BELOS DIAS

Tardes bem ensolaradas,

lembranças inesquecíveis

Esta matéria é uma

memória de um

acontecimento que

acabou-se com o tempo

muito engraçado. Elevo

também o piloto Manolo,

que fez história correndo

de Lambreta, da geração

dos anos 60 e que

inspirou muitos dos nossos

pilotos de motocicletas.

Num domingo à tarde, estávamos

todos estacionados um pouco

à frente do balão do meio da Fonte

Luminosa (Balão do Soldado), ali era

nosso ponto de encontro. Zé, Diogo

e Baiano Faito, Salerno, Dinho Dall’

Acqua, Olympio Bernardes Ferreira

Neto, Eduardo Luzia, Pinho, Toninho

Assumpção, Luiz Antonio Candido,

José da Penha Moreira, Adolfo e José

Roberto Tedeschi, dentre outros. O

encontro não era só dos motociclistas,

era de uma galera muito grande:

Eduardo Luzia realizando

uma volta de demonstração

em Araraquara

a geração dos anos 70

que se reunia naquele

lugar para bater papo.

Compareciam os proprietários

de carrões

que também eram

amantes da velocidade.

Camilinho Dinucci tinha

uma Corvete, Romeu

Baptistini e Valdir Freire

com seus Mustangs.

Dario Pires, Antonio

Carlos Selvino e Paulinho

Ciborg com suas Alfas

Romeu. Nivaldo Papini

com um Dodge Dart vinho, Paulinho

Ferramenta um Karmann Ghia, Elias

Abi Rached com um Galaxie verde de

rodas raiadas, Zinho Cefali com um

Opala 250 S. No mesmo instante,

Zeca e Pirola com seus Fuscas.

Um verdadeiro desfile também de

Gordines, Sincas e DKWs. Os motociclistas

por sua vez, eram arredios.

Estacionavam e andavam, às vezes

aceleravam um pouquinho mais.

Nicola Salerno (pai

de Evaldo Salerno),

demonstrando sua

habilidade

Texto: Benedito Salvador

Carlos, o Benê, com a

colaboração de Deives

Meciano

Benê

Entre nós nesse dia estava naquele

gramado sentado Manolo (Emanoel

Toledo de Lima) com sua Ducati

Diana 250 cc e em dado momento,

apareceu Adolpho Segnini Neto com

uma Yamaha 200 cc, dois cilindros,

azul, zero Km, pertencente à revenda

Satis que era localizada na Avenida

Presidente Vargas, de cuja empresa

ele era o gerente de vendas. Sua

chegada ouriçou a todos em ver a

nova máquina. Papo vai, papo vem e

Manolo foi convencido a experimentála,

sob a condição que estipulou, de

que Adolphinho fosse junto pilotando

sua Ducati. Subiram e desceram a

Fonte Luminosa, fizeram outra vez

o percurso e foram se animando até

que as gentilezas se acabaram e o

“pau comeu solto”. Subiram do primeiro

ao segundo balão (Troleibus)

já abrindo o acelerador, o respeito ao

passeio tinha acabado. Contornaram

o segundo balão e “ferraram um pau

de volta”, briga de cachorro grande.

Segnini se transformava, não tinha

medo de nada, fazia parte do time de

|50


Olympio Bernardes Ferreira Neto realizando uma volta de demonstração em Araraquara

pilotos que chamávamos de “loucos”.

Já Manolo tinha um passado recente

de grande vencedor, era naquele

instante o melhor representante de

Araraquara na categoria lambretas

especiais, além de seu estilo arrojado

de pilotar, também era um malabarista

em cima das duas rodas, como

nunca eu havia visto outro igual. Tudo

vinha muito bem, até que o imponderável

aconteceu: Na frente de ambos,

rodava bem devagar, em seu passeio

dominical, um fusca branco 1.200 cc,

com um casal, uma criança e a vovó.

Adolpho, no limite, vinha pela direita

e Manolo igualmente pela esquerda.

Sem pestanejar tentaram a ultrapassagem.

O motorista assustado

com o barulho da Ducati, puxou para

esquerda fechando involuntariamente

Manolo, que mesmo freando firme

e com destreza acabou batendo no

carro, raspando na sarjeta e caindo,

tendo pequenos esfolados pelo corpo.

Adolpho transtornado, desceu de sua

motocicleta e avançou sobre o pobre

motorista, como se fosse ele o culpado

de andar tão devagar naquela

hora. Por muito tempo demos muitas

risadas pelo acontecido, coitado do

motorista, não tinha nada com isso,

passeava tranquilo com a família e

ainda levou uns empurrões. Confusão

terminada, Segnini recolheu a motocicleta

que exibia, levando de volta para

a revenda. Quanto a Manolo, além de

seus compromissos profissionais com

a Estrada de Ferro e Waldemar Zago

do Moto Veslam, seguiu sua trajetória

de grande piloto. Para meu privilégio

pessoal, tive a oportunidade de corrermos

pelo menos uma única vez

no mesmo dia, ainda que em categorias

diferentes, na cidade de Jaú.

Naquele dia era para ele não correr,

pois recuperava-se de um acidente

de rua que comprometera o movimento

de sua perna direita, a do freio.

Perto do início da prova, por ironia do

destino, alguém desistiu e acabou

sobrando uma lambreta. A ordem

era: Ele não pode correr. Com todo o

jeitinho e prestígio que possuía, acabou

convencendo a direção de prova

Manolo largando em corrida de Lambreta

em deixá-lo largar, sob a condição

de sair em último e só passear para

matar a vontade. Combinar é uma

coisa, agora pedir para um piloto de

ponta “maneirar” é absoluta perda de

tempo. Com todo o cuidado, somente

usando o freio dianteiro, passo a

passo foi ultrapassando quem estava

na sua frente terminando a corrida na

terceira posição, reclamando ainda

que a prova tinha terminado muito

cedo. Ao término da prova, ainda me

lembro do suor correndo pelo seu

rosto, os poucos cabelos despenteados

e ainda do brilho dos seus olhos

ao descer da lambreta. Muitos abraços

por ele ter recebido a bandeira

quadriculada e o alívio da equipe do

Moto Clube Araraquara pelo mesmo

ter completado o percurso sem

nenhum arranhão.

Velhos Tempos, Belos Dias.

51|


SEU NOME ESTÁ NA RUA

SAMUEL BRASIL BUENO - IN MEMORIAM

LÁZARA RODRIGUES BRAGA

Na sua vida simples,

o amor ao próximo

era a essência.

Dedicou-se incansavelmente aos mais necessitados

e participou ativamente para a fundação do primeiro

núcleo do Centro Espírita Redenção e em 1983, com

seu marido e um grupo de pessoas, fundaram o

Centro Espírita Francisco de Assis.

Dona Lázara tinha sempre seu

lar aberto àqueles que necessitavam

de algum tipo de amparo; desde

uma palavra amiga, ao prato de

comida ou a veste que podia confeccionar

ou conseguir para quem não

possuía. O amor ao próximo estava

contido nela como algo natural.

Lázara Rodrigues Braga nasceu

em Araraquara no dia 25 de outubro

de 1920. Era a primeira filha do casal

Pedro Rodrigues Caraça, ferroviário

e de dona Maria de Lourdes Netto

Caraça. Teve como irmãos Mário

Rodrigues Caraça, contador e Ênnio

Rodrigues Caraça, radialista.

Lázara Rodrigues Braga

Fez o curso primário no Grupo Escolar

“Carlos Baptista Magalhães”.

Como filha mais velha do casal e

com a mãe sempre enferma, desde

muito jovem praticamente criou os

dois irmãos e cuidou da mãe.

Casou-se em Araraquara, aos 20

anos, no dia 13 de julho de 1940,

com o jovem Antônio Braga, filho dos

italianos Sebastião Braga e Joanina

Ambrisi Braga. Desse matrimônio

nasceram três filhos: Antônio Carlos,

advogado, casado com Mari Eleni

Nahás Braga; Sônia, psicóloga, casada

com Orlando Urbano e Maria

Rita, pedagoga, casada com Paulo

Fernando Callera. Sua descendência

completa-se com 6 netos: Patrícia,

Mariangela, Marisabel, Maricize,

Paulo Eduardo e Caio Hermes; e quatro

bisnetos: Bartira, Alan, Beatriz e

Paula Cristina.

De 1957 a 1971, dona Lázara residiu

na cidade de São Paulo. Com

a aposentadoria do marido, naquele

ano, a família retornou para Araraquara,

indo morar na Avenida João

Baptista de Oliveira, nº 142, Vila Xavier.

Estando residindo novamente

em Araraquara, dona Lázara fez curso

de auxiliar de enfermagem para

melhor atender, voluntariamente,

aqueles que a procuravam, não fazendo

disso um meio de vida.

Texto extraído do livro

“Senhores dos Verdes Campos”

do jornalista Ivan Roberto Peroni

Lázara e o marido Antônio Braga

O casal Sr. Antônio e dona Lázara e a mãe

dona Maria de Lourdes

Espírita Kardecista, participou

ativamente da fundação do primeiro

núcleo do Centro Espírita Redenção.

Juntamente com o seu marido e

um pequeno grupo de pessoas, em

1983, dona Lázara fundou o Centro

Espírita Francisco de Assis, onde

além da parte da doutrina, ela se dedicou

exclusivamnte aos mais necessitados,

com costuras e alimentos,

sempre contando com a colaboração

de algumas pessoas voluntárias.

Apesar da vida simples, em nenhum

momento descuidou da família.

Juntamente com o marido

|52


Foto de família:

Da esquerda

para a direita,

em pé: Paulo,

Orlando e

Maria Eleni.

Sentados: Maria

Rita, Sônia, Sr.

Antônio, dona

Lázara e Antônio

Carlos

formou os filhos e nunca deixou de

atender aqueles que a procuravam

para algum tipo de amparo.

Possuidora de nobres qualidades,

sua vida foi uma série constante

de lutas e vitórias. Ela empregou o

melhor de seus esforços em prol dos

semelhantes. Não passou pela vida

sem deixar saudades.

A dona Lázara Rodrigues Braga

faleceu aos 76 anos, no dia 4 de janeiro

de 1997, estando sepultada no

Cemitério São Bento.

O irmão Ênnio Rodrigues Caraça

O casal ladeado pelos filhos, noras ,

genros e netos

SEU NOME ESTÁ NA RUA

Seu nome está na rua através

da Lei nº 11252, de 3 de agosto de

1999, de autoria do vereador José

Alberto Gonçalves “Gaeta”, que denominou

Avenida Lázara Rodrigues

Braga, a via pública da sede do município

conhecida como “Avenida

Lázara Rodrigues Braga, ou como

“Avenida C”, do Loteamento Parque

Gramado II, com início na Rua São

José do Rio Preto e término na Rua

Presidente João Belchior Marques

Goulart, do mesmo loteamento.

Av. Lázara Rodrigues Braga, no Parque Gramado II - antes e atualmente

53|


APOIO:

Por Sérgio Sanchez

THE ROLLING STONES

A MAIOR BANDA DE ROCK DO PLANETA

Dizia Bob Dylan: Rolling Stones significa; andarilhos, sem raízes e que

mudam de vida, de lugar a cada momento e não “pedras que rolam”.

É muita história pra contar, muita informação, muitos os números e muitos

os acontecimentos. Tudo é muito grande com os Stones. Formada em Londres

em 1962 é conhecida como um dos maiores e mais bem sucedidos grupos

musicais de todos os tempos. Ao lado dos Beatles, são considerados a banda

mais importante da chamada Invasão Britânica ocorrida nos anos 1960.

A GRANDE

RIVALIDADE

Pelos menos

por parte da

grande mídia

sempre houve

uma rivalidade

entre Beatles

e Stones. Uma

grande bobagem,

pois cada

um marcou o mundo com seu estilo: Stones mais agressivo e Beatles mais

romântico e ambos com muita criatividade e musicalidade inconfundível, favorecendo

em muito os dois grupos.

Formação original em 1965 em Oslo:

Mick Jagger, Keith Richards, Bill Wyman,

Charlie Watts e Brian Jones.

O GRANDE

SUCESSO

Satisfaction - Eles voltam ao

Hide Park depois de 44 anos com

um público em torno de 100.000

pessoas.

Como são imortais, penso que

muita coisa ainda vai rolar com

The Rolling Stones.

Uma dica: “Jumpin’ Jack Flash” (Jagger/

Richards)... Aquela guitarra rasgante de

Richards, marca registrada da banda.

|54

TUDO É MUITO GRANDE

COM OS STONES:

Mais de 200 milhões de álbuns pelo mundo

29 álbuns de estúdio

10 álbuns ao vivo

31 compilações

16 álbuns vídeos

57 vídeo clips

Discos de ouro/platina

Shows pelo mundo afora


Pedro Paulo durante uma

apresentação de final de ano

do Conservatório Tescari,

ocorrido no Teatro Municipal

HOMENAGEM

Quem quer ouvir piano? Uma

linda história de superação

Ele nasceu em família humilde

e com muita dedicação, força

de vontade e fé, se tornou

pianista aos 17 anos.

Pedro Paulo de Avelino, hoje aos

55 anos, administra diversos projetos

que cerceam sua profissão.

Dizer que aos 17 anos, o jovem

Pedro era pianista não parece nada

demais. Porém, para se formar em

aulas de piano, são necessários 11

anos intensos de estudos. Ele iniciou

essa jornada aos seis.

Começou depois que a irmã, Fátima

Regina, começou a fazer aulas

de piano na escola da Família Tescari

(reconhecida em Araraquara por todo

seu envolvimento com a cultura).

O pequenino sofreu na pele o preconceito

por ser negro e estar, duas

vezes por semana, dentro de uma

escola de elite, tomada por brancos.

“As professoras formavam carteiras

em duplas, e eu sempre sentei

sozinho. As pessoas não queriam estar

perto de mim, mas isso era mais

enraizado pela família do que pela

própria criança. Elas têm uma cabeça

ingênua, sendo reflexo do que houve

dentro de casa”, relata Avelino.

Em desistir, ele pensou inúmeras

vezes. A mãe, sempre dando apoio,

não deixou isso acontecer. Resultado

disso, Pedro tocava nos concertos

organizados pela escola junto com a

turma que já estava quase se formando,

enquanto ele tinha aulas com o

quinto ano.

“Quis mostrar às pessoas que eu

era capaz, independente da cor da minha

pele ou da família que eu vinha.

Minha professora, Maria de Lourdes

Tescari, me desafiava a fazer sempre

mais e melhor, e por isso consegui me

tornar quem eu sou”.

PROJETOS

Logo após a formatura, Pedro

mudou a forma de ver e

pensar sobre o mundo.

Iniciou projetos para levar

música para todos.

Durante vários anos, Avelino

realizou concertos

beneficentes no Teatro

Municipal, sempre com

Atualmente, o pianista faz

apresentações em festas,

jantares e eventos, além

de fazer parte de projetos

em música

casa cheia.

Formou-se em Direito na antiga

Fefiara, na década de 1980, enquanto

trabalhava como auxiliar de

maquinista na Fepasa (Ferrovia Paulista

S/A).

“Tive que batalhar muito nessa

época, pois trabalhava em escala e

tinha as aulas à noite, mas com força

de vontade, dedicação e ajuda dos

meus colegas de trabalho, consegui

me formar. Fui estagiário e depois

contratado pela antiga empresa ferroviária.

Enquanto isso fiz um curso de

técnicas de piano em São Paulo com

duração de dois anos. Quando ia para

lá, sempre tocava em um piano que

fica na entrada do Theatro Municipal

de lá, até cheguei a chamar alguns

amigos para me assistirem”.

Atualmente, Avelino administra

o projeto ‘Quem quer ouvir piano’,

levando o instrumento para locais

inusitados. “Levamos o piano para

lugares que você não veria facilmente.

Há alguns meses fiz um concerto

no Calçadão de Ribeirão Preto. Nessa

apresentação, tive a sorte de encontrar

com uma servidora da Cultura de

Franca, onde fui convidado a tocar

também”, explicou.

Além de projetos com piano, Avelino

promove palestras para professores,

passando todo o ensinamento

que a música lhe trouxe e que o estimula

a viver cada vez mais.

55|


A primeira formação da Cor do Sol em 1981. Carlinhos Nuhá, Marcão, João Batista (Joãozinho),

Orlando Carlos João (Nando) e Airton Borsatto

Da Cor do Sol até o show cover de

Elvis, um tempo de recordações

“Marcão”, “Marco” ou Marco Antônio Caride é símbolo de uma geração

repleta de talentos, levando uma vida artística solo ou compondo duos,

trios e grupos que entram na história musical da nossa cidade e região.

Série

Bandas e

Grupos Musicais

da Cidade

Pesquisa e Texto:

Juraci Brandão de Paula

Marco Antônio Caride, desde

criança sempre gostou de música.

Em 1964 ainda com 6 anos, já se

empolgava com as músicas do Rei do

Rock and Roll Elvis Presley. A medida

que crescia também aumentava sua

vontade de ser músico e cantar numa

banda. Já com os seus 14 ou 15 anos,

Marco e seu irmão mais novo Carlos

Augusto Caride (hoje Carlinhos Nuhá,

reconhecido músico e compositor),

gostavam de brincar com caixinhas

de som animando as festinhas de

família junto com os colegas. Com 18

anos, em 1976, aconteceu a primeira

apresentação de um pequeno grupo

formado pelo Marco (violão), seu

irmão Carlos (bateria) e pelo amigo

Geraldo Francisco (baixo) mais conhecido

como Gê. O Gê é irmão da Marli

Com a criação

do Fino Trato

em 1997,

Marco Caride

contava com a

participação de

Diana Xavier

no sax tenor e

sax alto. A foto

mostra uma

apresentação no

Choro das Águas

no DAAE

que nos anos 90 foi cantora do grupo

de samba Alma Brasileira, que desfrutou

de grande sucesso em Araraquara

e região. O ‘seu’ Orlando Caride, pai

|56


do Marco, sempre envolvido na política

de Américo Brasiliense, decidiu

que o grupinho dos seus dois filhos

iria tocar no comício em apoio ao

então candidato Tércio Della Róvere,

que acabou se elegendo. Marco

relata que ao chegar no comício com

o grupo, tremeu na base diante de um

público de cerca de três mil pessoas.

Para criar coragem seguiu o conselho

do Gê, foi num bar próximo e acabou

tomando três doses de conhaque.

Ao subir no palco a bebida começou

a fazer efeito e a coisa desandou

de tal forma que até hoje não sabe

direito como a apresentação acabou.

Também, segundo ele, valeu a lição.

Nunca mais bebeu.

Marco então teve outros empregos

até que em 1980, já casado, mudouse

para Américo Brasiliense onde

montou uma casa comercial, a exemplo

do que tinha feito seu pai. Era a Lia

Modas, uma loja de roupas. Depois

de dois anos percebeu que não era

Marco com o

irmão Carlinhos,

desde a primeira

formação da Cor

do Sol. Com o fim

da banda, o irmão

foi para São Paulo,

dando sequência

à sua carreira

artística.

isso que queria da sua vida. Decidiu

então vender a loja com a intenção de

usar o dinheiro na compra de um bom

equipamento e montar uma banda.

Seria a realização do seu sonho.

Porém, o comprador nunca lhe pagou.

Apesar do calote Marco não desistiu

do sonho e no ano seguinte (1981)

montou a banda A COR DO SOL, junto

com o seu irmão Carlos Nuhá. A primeira

formação foi com Zezo no baixo

(logo substituído por Airton Borsatto),

Orlando João (Nando) na guitarra, o

seu irmão Carlos no teclado, o João

Batista na bateria e o Marco, cantor

e líder. Começaram então a fazer bailes

com um pequeno equipamento

comprado do Pedro Caldeira. Marco

deu uma pequena quantia de entrada

e pagou o restante fazendo os bailes

que Caldeira vendia através da

sua empresa Promoções Artísticas

Caldeira da Silva. A banda A Cor do Sol

então passou a fazer parte do elenco

de bandas vendidas e representadas

por Pedro Caldeira, empresário do

ramo, muito importante na época.

Marco, emocionado, conta que foi

uma ajuda e tanto.

A banda passou a fazer os seus

ensaios no Palmeiras Esporte Clube,

sediado nos altos da Vila Xavier e

depois no Café Nice, dos sócios

Ivan Roberto Peroni, Renato Spotto

e Marco Antônio Ziliolli. O Café Nice

que ficava na Avenida Brasil, quase

esquina com a 9 de Julho, tinha uma

sala nos fundos cedida pelo Ivan

Roberto para os ensaios da banda.

Em retribuição, uma sexta-feira por

mês Marco se apresentava com a

banda à imensa clientela que se reunia

na choperia.

CONTINUA NA PÁGINA SEGUINTE

Karina Vieira, a segunda participante

do Fino Trato tocando sax alto, sax

soprano e flauta

Notícia em jornal da época (1983)

anunciando a Cor do Sol em show na

eleição da Rainha do Colégio Cristo Rei

57|


A Banda A Cor do Sol foi a primeira

a fazer música ao vivo com todos os

seus músicos na noite araraquarense,

numa época onde era mais

comum violão e voz. E foi no Café

Nice. Um sucesso absoluto na choperia

mais badalada naquele tempo.

E também foi no Café Nice que o

Marco conheceu o famoso cantor e

showman Wilson Simonal. Era uma

madrugada do ano de 1986 quando

Marco ao retornar do seu trabalho

para guardar os equipamentos na sua

sala de ensaio, foi apresentado pelo

Ivan ao Simonal que já havia feito a

sua apresentação e batia papo descontraído

com o pessoal. Nesse show

que a polícia precisou fechar a rua, eu

e o amigo Daniel Costa, fãs do cantor,

não conseguimos ingresso e ficamos

na calçada da casa mais ouvindo do

que vendo o artista, nos revezando

para olhar através de uma fresta do

toldo. Não perdoamos o Ivan até hoje,

apesar de sabermos que somente

agora, ao revisar esta matéria, ele

tomou conhecimento do ocorrido.

Até 1988 a banda viajou por

todo o Estado de São Paulo e Minas

Gerais, com um repertório para bailes

de todos os tipos. Também tocava

muito em praças públicas das cidades

onde a Prefeitura promovia festas

A alegria de estar ao lado de duas extraordinárias artistas: Diana e Karina, que tiveram

uma bela convivência com o Musical Fino Trato

de aniversário do município e outros

eventos. Assim Marco e sua banda

fizeram muitos shows com artistas

famosos como Sergio Reis, Nalva

Aguiar, Gretchen, Rita Cadillac, Jair

Rodrigues, Gian e Giovane, Chrystian

e Ralf, Guilherme Arantes, Os Incríveis,

entre tantos outros. Inclusive ficavam

hospedados nos mesmos hotéis, fato

que deu oportunidade de estabelecer

bom relacionamento profissional

e até de amizade com muitos deles.

Mas a vida também era penosa e

de sacrifício. No começo a banda viajava

numa perua Chevrolet Veraneio

velha, motor à gasolina passada a gás

usando o botijão fornecido pela distribuidora

de gás, pneus carecas, que

o próprio Marco dirigia. Chegavam

ao clube, descarregavam a veraneio

e montavam a aparelhagem. Muitas

vezes não dava tempo nem de jantar

ou sequer tomar banho. Tinham que

começar o baile ou o show. Terminado

o serviço mal dormiam e já tinham

que seguir viagem para a próxima

cidade. Somente nos últimos três

anos da banda ele conseguiu fretar

um caminhão baú para levar os equipamentos.

Era um mercedes “Nelson

Ned” fretado pelo Gaião que também

dirigia para a banda. Depois de

carregados a aparelhagem e os equipamentos,

os músicos estendiam os

colchões no baú e seguiam viagem.

A vida era dura. Nunca foi um mar de

rosas, mas sempre fizeram sucesso

e eram felizes porque faziam o que

gostavam. A banda seguiu viajando

até 1988.

BREGA & CHIC

Marco Caride criou “Elvis Presley Cover” em 2012. Um sucesso.

Em fevereiro de 1988, o Marco

em sociedade com João Salvino, seu

sogro, inauguraram uma casa de bailes

e shows em Américo Brasiliense,

|58


Marco Antônio Caride e as diversas faces de Elvis em show cover

na Rua Cap. Alberto Mendes Júnior,

286. Era a BREGA & CHIC, onde a

banda A Cor do Sol passou a tocar

exclusivamente nos finais de semana.

Agora os músicos já não viajavam

mais. Eram bailes e shows com

aqueles artistas que conheceram

durante as viagens e ainda Lourenço

e Lourival, Genival Lacerda, Jerry

Adriani, Vanderley Cardoso, Ângelo

Máximo, entre outros da Jovem

Guarda, da qual Marco era fã. A Brega

& Chic após alcançar sucesso com a

casa sempre cheia, encerrou suas atividades

em novembro de 96, devido a

questões familiares. Nesta época em

que a banda também parou, ainda

passaram músicos como Felisberto

Pereira (está na China e tocava baixo),

Carlinhos Silveira, o ‘bomba’ também

baixista e Andrelino Vieira Nunes

(Nino, baterista).

MUSICAL FINO TRATO

No ano seguinte, 1997, montou a

banda Musical Fino Trato, com a qual

trabalha até hoje, formada por Marco

(teclado e voz) e Adriana Xavier (sax

tenor e sax alto) depois substituída por

Carina Vieira (sax alto, sax soprano e

flauta). Com essa formação a Fino

Trato vem se apresentando em festas

de casamento, jantares, reveillons,

formatura, confraternizações, shows

em casas de espetáculos e choperias.

Já se apresentou em clubes como o

Esporte Clube Pinheiros-SP, Clube

Jaraguá-SP, Condomínio Acapulco –

Praia de Pernambuco, no Guarujá, por

diversas vezes. Desde sua criação, a

Fino Trato já abrilhantou mais de mil

cerimônias e festas de casamento.

ELVIS NÃO MORREU

Marco, desde criança foi fã de

Elvis Presley; tanto é que nas apresentações

das suas bandas, ele

interpretava músicas do repertório

de Elvis. Certo dia foi convidado por

Ricardo Pollis, gerente de eventos

do Shopping Jaraguá, para fazer um

show com músicas de Elvis Presley.

Ricardo argumentou que seu pai,

Pedro Pollis (Pedrão) que é músico,

havia sugerido o Marco como atração,

pois o considerava um bom

cantor do estilo. Acertado o show,

Ricardo continuou explicando que o

objetivo do evento era aumentar a

frequência além do entretenimento

dos clientes. Disse ainda que o show

era o primeiro evento promovido por

ele e que portanto nada poderia dar

errado. Era o seu desafio e para

vencê-lo estava apostando no trabalho

do Marco. Ainda por insistência

do Ricardo, mesmo a contra gosto

Marco foi convencido a usar roupas

parecidas com as das apresentações

de Elvis. Então, no dia 16 de agosto

de 2006, quarta-feira, aconteceu o

show. Marco (teclado) interpretando

Elvis, Diana Xavier (sax tenor, alto e

soprano), Ademir Gouveia, o Gordo

(bateria) e Tárcio Costa (guitarra). Foi

sucesso total, com a praça de alimentação

toda tomada pelo público que

aplaudiu entusiasticamente.

Marco e o guitarrista base de Elvis

Presley, James Burton

Apesar do sucesso, Marco sempre

resistiu à ideia de fazer cover, o que

aconteceu a partir de 2012, depois

de muita insistência dos amigos nas

suas apresentações com o Musical

Fino Trato. Ele assumiu de vez o

papel. Hoje usa playback da própria

banda de Elvis, na tonalidade original

e compra as réplicas das roupas do

cantor sob medida, feitas nos Estados

Unidos e que são fornecidas para o

mundo todo. Deixou crescer o cabelo,

usa costeletas e sua voz ajuda muito

por também ser barítono, como Elvis

era. Toda a sua performance pode ser

conferida no YouTube - Marco Antônio

canta Elvis e no seu facebook - Marco

Antônio Caride tributo a Elvis.

Para 2019, além de continuar

com a sua já tradicional banda

Musical Fino Trato, o seu desafio será

montar um outro grupo exclusivo para

acompanhar seus shows de Elvis com

o nome Marco Antônio e Banda The

Pelvis.

59|


Faça valer o seu 2019

VIP

VIDA SOCIAL por Maribel Santos

Olá, querido leitor! Iniciamos 2019 após um ano difícil,

conturbado e principalmente de muita intolerância.

O egocentrismo falou mais alto e ter razão se tornou

prioridade para muitos, infelizmente. Nunca se julgou

tanto! Respeito é algo que doamos e recebemos, tudo é

uma troca. Cada um oferece o que carrega no coração,

não é mesmo? Reflita a respeito de suas atitudes, como

são suas palavras no dia a dia, como você trata os seus

familiares, os companheiros de trabalho, seu vizinho,

enfim as pessoas que estão a sua volta. O meu desejo é

que tenhamos um ano de paz, com muita saúde, prosperidade,

respeito e muito amor. Quando digo amor, é

no sentido abrangente da palavra, pois muitas pessoas

pensam apenas no amor romântico e não no amor universal.

E o universo carece de energia amorosa. A cor do

amor universal é o rosa, vibre em sua chama, agradeça

a Deus a oportunidade de recomeçar, aprender, perdoar

e ser mais feliz. Namastê!

As irmãs Zenatti, Vera e Wilma

Marisa Prado e

Vanderlei Rinaldi

Fotos: Marcela Campos

O casal Garcia,

Ricardo e Márcia

Mauro Gonçalves e

Maria Regina Frajácomo

Pamela Tamer Maio e

Benício Tamer Maio

|60


Odontoclinic comemora

13 anos de sucesso

Tratamento de alta qualidade com

o mais elevado grau de satisfação

Por: Maribel Santos

A Odontoclinic Araraquara inaugurada

no dia 5 de dezembro de

2005, comemora treze anos na cidade

com muito sucesso. Desde sua

inauguração a clínica já atendeu 8

mil pacientes únicos em todos os tipos

de tratamentos. Sob a direção

do Dr. Fábio Rezende Nogueira,

CROSP 75018, na Odontoclinic

você encontra uma equipe preparada

para atendê-lo, com dentistas

renomados e os mais avançados

equipamentos disponíveis no Brasil,

proporcionando um tratamento de

alta qualidade com o mais elevado

grau de satisfação dos pacientes. A

Odontoclinic alia conforto e segurança,

oferecendo uma excelente

relação custo-benefício aos seus

clientes incentivando-os ao hábito

de visitar regularmente o dentista.

A clínica oferece os seguintes tratamentos:

Ortodontia, Implantes,

Próteses, Endodontia (tratamento

de canal), Odontopediatria, Periodontia,

Clínica Geral e Clareamentos

(Interno, a gel e a laser). Uma

clínica odontológica completa que

oferece todos os tratamentos num

único lugar. O atendimento também

é diferenciado por conta dos horários

de funcionamento. De segunda

a sexta das 8h às 20h e aos sábados

das 8h às 14h. A Odontoclinic está

situada no centro da nossa cidade,

na Avenida D. Pedro II, 246. Ligue,

agende um horário e faça uma avaliação

para começar 2019 com um

lindo sorriso!

Odontoclinic Araraquara -

RT. Fábio Rezende Nogueira

CROSP 75018 CL 8177

61|


Super

MULHERES

EMPREENDEDORAS

DE ARARAQUARA

Iniciamos 2019 destacando a importância do empreendedorismo

feminino. O grupo araraquarense Super Mulheres

Empreendedoras de Araraquara é um exemplo de sucesso.

Networking, palestras, feiras e um papo produtivo ocorre desde

março do ano passado. Faça parte você também! Estamos no

supermulheresempreendedoras

Foto: Arquivo Pessoal

Marisol Fente Damas

é responsável pelo

atendimento da Agência

Alianza Tour. A empresa

oferece todos os serviços

de turismo, viagens

nacionais e internacionais

e já estão disponíveis os

pacotes especiais para

todo ano de 2019.

alianzatourara

Tamires Martins é

proprietária da loja Mulheres

Reais que oferece ao público

feminino, roupas e acessórios.

A loja traz um conceito de

moda moderna, clássica

e despojada, oferecendo

conforto e qualidade.

MulheresReaisModa

@mulheresreaismoda

Miriam Luci é esteticista,

pioneira e capacitadora

oficial em Araraquara

e região com o método

Haguihara (estética

fitness), é terapeuta

capilar e ortomolecular

focando a estética.

miriamluciestetica

Foto: Arquivo Pessoal

Andréa Cristina Gomes Neves

é proprietária da JA Impressoras.

A empresa atende há 19 anos

Araraquara e região, o segmento

de impressão. E para melhor

atendê-los conta com duas

lojas: uma no centro da cidade

e outra no Jardim das Estações.

JA-Impressoras-Araraquara

Tainá Cunha, a Suri é diretora

da Yellow Bus Educação Infantil

Bilíngue. Uma escola inovadora,

com método diferenciado.

Oferece aos alunos recreação

aos sábados e aos feriados além

de mais cinco modalidades de

aulas extras. O horário também

é especial: das 6h30 às 19h30.

Conheça: yellowbusbilingue

|62


VIPs

Em destaque

VIDA SOCIAL por Maribel Santos

Mara Leme Martins

e Silvia Mazzeo Reis

Isaac Samuel

e Ana Araujo

Geovana Braga e

Luciana Padovani Melluso

63|


VITRINE

VITRINE

DA REDAÇÃO

JOÃO CARLOS

FELIZ 2019

Desejamos que nossos clientes e leitores

tenham um ano de pleno sucesso, com

paz, saúde e prosperidade.

Revista Comércio, Indústria e Agronegócio

Portal RCIARARAQUARA.COM

Encontro tipicamente familiar:

Jaime Alberto Vasconcelos, diretor

da Credicentro, conceituada

cooperativa que atende os

produtores rurais; o filho Luís

Henrique e a nora Carla

ANIVERSÁRIOS

Airton José Sbrussi, da

Churrascaria Tchê, um dos mais

afamados de Araraquara e que

nos privilegia com a deliciosa

comida gaúcha. Airton também

administra com muito sucesso o

Quiosque Eventos, onde este ano

o Sindicato Rural organizou sua

festa de confraternização.

A doutora Letícia Cristina Ferreira

Gomes, foi eleita membro do

Conselho Municipal de Proteção

e Defesa dos Animais de

Araraquara. Advogada e amiga

dos animais, fortalece ainda mais

um órgão que vem demonstrando

trabalho sério e eficiente graças

ao empenho de todos os

conselheiros. Parabéns.

Janeiro|2019

A diretoria do SINCOMERCIO cumprimenta todos os aniversariantes

DATA

NOME

EMPRESA

DATA

NOME

EMPRESA

01/01

02/01

02/01

02/01

04/01

04/01

04/01

06/01

07/01

07/01

08/01

08/01

08/01

08/01

10/01

10/01

11/01

12/01

12/01

13/01

14/01

14/01

14/01

15/01

David José H. Vilela Braga

Adevaldo Stanzani

Teresina de Abreu Silva

Vitor Hugo Lollato

Célia Oyafuso

Fabrício Marques da Silva

Natale Dalla Vecchia

Suzana Fátima C. Conrado

Adriano Aparecido Freire

Vitor Cesar de Moura

Ali Zaher Júnior

Artur Wormhoudt

Emerson Regolão

Maria Cristina Solci

Geraldo Antonio

Sérgio Eduardo Mendonça

Geraldo Luis Tampelini

Edmilson Romão Martins

João Antonio Zanella Braga

João Aparecido Marqueti

Cristiani Z. Conceição

Nga Chou Yang

Sandra Regina Marino Braz

Amalfi Mori

Colégio Anglo

Stanzani Serviços Contábeis

Ceci Moda Praia Infantil

Ventluz

Drogaria União

Mark’s Tintas

Lojas Cem

Casa Du Óculos

Lubrara

Minas Queijos

Diálogo Livros

Nene Escapamentos

Móveis Estrela

Escritório Solci de Contabilidade

Esc. Contas de Contabilidade

Acessórios Brecadinha

Germarge Organização Contábil

Esc. Petrópolis de Contabilidade

Química Santa Rita

Habitus Academia

Esc. Zavicon de Contabilidade

Real Mania I

Forum

Mori Auto Peças

15/01

16/01

16/01

19/01

20/01

20/01

21/01

21/01

22/01

23/01

25/01

25/01

25/01

26/01

26/01

28/01

28/01

28/01

28/01

30/01

30/01

31/01

31/01

Emília Kassumi S. Matsuda

Célia Regima de Lima Pereira

Neide Fátima Palombo Girasol

Liana Maria Pini Zenatti

Francisco Carlos Servo

Giuseppe Morvillo Júnior

Cláudio Shigueru Matsuda

Fábio Teixeira Dos Santos

Alex Mendonça Silva

Wagner Casemiro Pires

Adriano P. Gonçalves Filho

Paulo Luiz Pecin

Weiner Maria Soubhia Delbon

Fabiana Maria Delbon

Raul Alves Ferreira

Estela Mazutti de Oliveira

Francisco de Assis Simões

José Carlos Bruderhauzen

Márcia Valmira Zago Lopes

José Roberto Biella Costa

Oscar Sbaglia

Manoel Francisco M. da Silva

Marie Tcherichin Agazarian

Perfumaria Emy

Supermercado Central

Girassol Modas

Lian Modas

Casa Móveis e Decorações

Hidromor

Perfumaria Emy

Import Componentes

Dental e Equipamentos

Esc. Eldorado de Contabilidade

Penna Madeiras

Escritório Modelo de Contabilidade

Bazar Sensação

Bazar Sensação

Colégio Neruda

Palácio Pneus

Maxx Diamond

Esc. Bruderhauzen de Contabilidade

Fetiche

Escritório União de Contabilidade

Escritório Audiplan Contabilidade

Elétrica Santa Terezinha

Via Armênia

|64


Os pais Rita e Paulo Queiroz (assina Monobloco Auto Center) com os filhos Jamilly e Paulinho

Jamilly

O mundo encantado de

Jamilly feliz comemorando seus 15 anos

Jamilly num certo dia, desenhou

em sonhos o cenário que buscava

para festejar seus 15 anos.

Seria então a combinação de

cores, luzes e amizades num

ambiente de paz e harmonia. Das

aspirações pontuadas por ficção e

realidade, seus pais Rita e Paulo,

silenciosamente deram criatividade

e forma ao momento único

traçado pela filha.

No dia 1º de dezembro com o

Bazuah Eventos em noite de gala,

a comemoração dos 15 anos

de Jamilly parece ter resgatado

a tradição do que chamávamos

de debutantes, quando então

o pai apresesentava a filha à

sociedade. A troca de sapatos, se

era para informar aos convidados

que a moça já estava pronta

para dar seus próprios passos e

representar a passagem para a

vida adulta (salto alto), ali, isso foi

além do simbolismo, pois Jamilly

expressava em seu interior o

carinho, a ternura, o respeito com

os que convivem à sua volta.

Assim tem sido os seus dias,

caminhando para completar

projetos, ideais, coisas que com

o passar do tempo seus pais

poderão dizer - valeu a pena

e agradecidos estarão diante

do Criador. Sua convivência de

menina dócil é verdade, não

está centrada apenas no andar

sereno de todos os dias, entre

seu lar e sua escola (Objetivo).

Assim, outros ensinamentos virão

e deixarão para trás as doces

lembranças do mundo encantado

de Jamilly.

65|


Luís Carlos

BEDRAN

Sociólogo e cronista da Revista Comércio,

Indústria e Agronegócio de Araraquara

Boa sorte em 2019

Posições sobre os mais vários assuntos

dificilmente são mudadas com

o tempo. Isso não quer dizer, absolutamente,

que os pontos de vista colocados

estivessem certos, porque

assuntos polêmicos, como o próprio

nome diz, estão sujeitos a controvérsias,

pois irão depender das opiniões

formadas, se existentes, não apenas

dos leitores, mas também daqueles

que costumam lidar com ideias.

E o objetivo nunca deveria ser o

de provocar discórdias, brigas, inimizades

como ocorre frequentemente

nas disputas políticas, religiosas ou

futebolísticas, nem o de tentar convencer

alguém, como se fosse uma

missão social ou religiosa. É o caso

deste articulista desde que começou

a colaborar em jornais no século passado,

em suas centenas de escritos,

embora no início estivesse propenso

a influenciar o leitor, com argumentos,

sobre suas ideias.

... porque impossível prever um futuro imediato

ou não, tamanha as mudanças que ocorrem a

todo instante, porém levar aos leitores e leitoras

uma mensagem de otimismo, própria para este

início de 2019.

Mas depois percebeu que isso não

levaria a nada, porque o leitor, quanto

muito, pode ou não concordar com

o escrito porque, ou já tem pensamento

formado sobre o assunto, ou,

quando não, mantém sua posição e

ponto de vista. E ponto final. Porém,

às vezes fica em dúvida e então pode

até mudar de pensamento. Mas isso

é coisa rara.

Relendo alguns escritos, este articulista

chegou à conclusão, que não é

de hoje, de que não apenas os temas

em que colocou suas ideias têm-se

repetido ao longo dos anos, sob outras

formas, como também eles continuam,

no mais das vezes, a ser objeto

de polêmicas, o que demonstra que

a História (ou os acontecimentos),

como disse Karl Marx, “pela primeira

vez se repete como tragédia e depois

como farsa”.

Assim é que (agora discorro na

primeira pessoa, deixando de lado

a terceira, o que no vernáculo não é

considerado de bom tom) já escrevi

sobre pena de morte, corrupção, patrimonialismo,

voto facultativo, democracia,

direitos humanos, preconceitos,

sociologia, religião, a evolução

das espécies, sobre inúmeros temas

filosóficos, como a verdade, a mentira,

a amizade, a hipocrisia.

E também sobre vários artigos de

nossa Constituição, partidos políticos,

eleições, liberdade de cátedra, uma

infinidade de assuntos. Sem contar

alguns outros mais prosaicos, como

pescarias, trânsito, caçadas, porte de

arma, aves, cidades, ruas, Natal, natureza,

preservação ambiental, política

internacional e tantos outros do cotidiano,

como memórias e lembranças

de personagens amigas que já morreram.

Sobre o passado enfim.

Como estou a escrever este artigo

ao término de 2018, então não há

nada como fazer um balanço do ano

que já se vai e, ao mesmo tempo, especular,

como de costume, não uma

previsão do que vem por aí, para o

nosso país principalmente, porque

impossível prever um futuro imediato

ou não, tamanha as mudanças que

ocorrem a todo instante, porém levar

aos leitores e leitoras uma mensagem

de otimismo, própria para este início

de 2019.

No entanto, fazer uma retrospectiva

do que já se findou aqui não cabe.

Fica esse encargo para o leitor ou para

um historiador, mesmo porque o passado

não mais existe; tornou-se uma

lembrança pessoal. Aliás, a bem da

verdade, obviamente previsões futurísticas

também não existem. Não

obstante, não é a primeira vez que as

exponho, o que prova que os temas

inevitavelmente repetem-se.

Então gostaria de lhes dizer que,

embora por convicção filosófica seja

um cético, na verdade um sujeito um

tanto desconfiado em razão de tudo

aquilo que já passei na vida -“Meninos,

eu vi!” - tenho forte convicção de

que o novo governo do recém-eleito

presidente da República, deixando de

lado algumas frases de efeito de sua

campanha meteórica, faça para o País

aquilo que todos almejamos de bom.

Tanta coisa que seria irrelevante

citar, mas que todos nós sabemos que

são necessárias, talvez não suficientes

durante todo o transcorrer de seu

mandato. Consertar urgentemente a

Nação, desconcertados que ficamos

nesses últimos anos.

De qualquer forma, se ele e sua

equipe de gente capacitada e honesta

(o que é um dever de todo ser humano

sério) conseguir resolver, não

digo 100% de tudo, mas uns 80%,

otimisticamente falando, já estaria

bom demais.

Essa é a minha mensagem de início

de ano. Felicidade a todos nós e

boa sorte ao presidente da República,

o capitão-parlamentar Bolsonaro.

|66


67|


|68

More magazines by this user
Similar magazines