06.03.2019 Views

Revista joga na Rede Edição número 3

Revista joga na Rede Edição número 3

Revista joga na Rede Edição número 3

SHOW MORE
SHOW LESS

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

Nossa

Marmita

Tem!!

Revista

NA NA

REDE

1


GERENTE

Rita de Cassia Holanda

PROJETOS

Adriana Ruriko Shimabukuro

Ana Cristina Costa Scudelari

Ana Paula Bueno Guelfi

Ana Salete Moreno

Anderson Rodrigues

André Aparecido de Souza.

Andréia Paula Ferracioli

Claudia Venério Garcia Dias

Cristiane Hernandes

Edelvita dos Santos Moreira

Elaine Gomes Scognamiglio

Fabiana Neme Nogueira Ramos

Gracielle Oliveira Echer

Helga Monção Shirane Korch

Isabel Aparecida Pinto

Janaina Torres Manzoli Soares

Josiane Leonarda Bonome Casaroti

Juliana Sardo Quirino

Laila da Silva Zombini

Lígia Iboshi Caravella Colussi

Lilian Kessandra Assunção

Marcia do Rosario Martins Oliveira

Patrícia Nunes Pedrosa

Sérgio Pedro da Silva

Setor de Atendimento ao Cliente

Silvana Braghin Mascoloti Spréa

R

R

NA

EQUIPE RESPONSÁVEL

Andreia Paula Ferracioli Marques

Claudia Venerio Garcia Dias

Fabiana Neme Nogueira Ramos

Helga Moncao Shirane Korch

Viviane Shinohara Muchiutti

PROJETO GRÁFICO

Anderson Rodrigues

2


evista

EDE

SUMÁRIO

Promovendo o inesperado às meninas do Projeto Garotas Brilhantes.....4

Bússola – Buscando Direções .......................................................................6

Diálogos e Reflexões com o Documentário “Nunca me sonharam”..........8

Diversidade e Tolerância: Cultura de Paz .................................................10

Revista Joga na Rede .................................................................................12

A prática da acolhida: Na educação e na vida profissional. ...................14

Nossa Marmita Tem!! ..................................................................................16

Programa de Imersão para Novos Funcionários......................................18

Transformando vidas por meio de pequenos gestos de amor ...............20

Customização de Camisetas, Customização para a Vida! ......................22

Dança, Arte e Consciência. Corporal ........................................................24

Conhecendo as ECLU’s ..............................................................................26

Clima Organização – O Impacto do Clima na Produtividade ..................28

Prevenção e Tratamento de Xerose Cutânea em

Pessoas com Síndrome de Down ..............................................................29

Calos e calosidades ....................................................................................31

3


Promovendo o

inesperado às meninas

do Projeto Garotas

Brilhantes

R

O Grupo Inclusão – ação do Projeto Político pedagógico do Senac Presidente

Prudente em parceria com a Agência Adventista de desenvolvimento e

recursos assistenciais Brasil de Presidente Prudente promoveu uma recepção

e integração às meninas (entre 14 e 18 anos) participantes do Projeto Garotas

Brilhantes.

O objetivo do Projeto Garotas Brilhantes é trabalhar o empoderamento

feminino por meio de projetos de vida e de empreendedorismo.

Com o intuito de apresentar possíveis oportunidades de melhorias

e desenvolvimento por meio dos cursos do Senac, as adolescentes foram

convidadas a participar de uma oficina realizada por alunos da turma 48 do

Programa Aprendizagem, no dia 16 de outubro de 2018.

As alunas da turma 48 deram depoimentos de como ser protagonistas

de suas histórias tem sido fundamental para o próprio desenvolvimento.

Relataram a maturidade que adquiriram por meio da participação no Programa

.

Aprendizagem, as responsabilidades pessoais e profissionais que

precisaram aprimorar para dar conta do trabalho, dos estudos na escola, do

curso no Senac e da vida pessoal.

Por meio dos depoimentos e da apresentação de um vídeo motivacional,

as aprendizes procuraram demonstrar a importância em dar o primeiro passo

para escreverem a própria história e serem os atores principais.

Após os relatos a equipe de atendimento da unidade apresentou o portfólio,

R

NA

4


evista

EDE

o Programa Senac de Gratuidade e como podem fazer as inscrições nos cursos.

As participantes, também foram convidadas a conhecer as salas e os cursos

que estavam com aula na ocasião.

Foi uma tarde muito significativa e de muita reflexão, onde as participantes

se envolveram e demonstraram muito interesse no Programa Aprendizagem e

por outros cursos do Senac.

Depoimentos:

“Agradecida por mais essa experiência, por poder falar do quão bom é o Senac para o

nosso crescimento profissional (e pessoal), e assim incentivar outras meninas à isso, espero

que tenhamos feito um ótimo trabalho e que muitas das meninas tenha sido motivadas por

nós” #PROMOVENDOOINESPERADO (Giovana Bosso)

“Muito gratificante saber que um pouquinho da nossa história pode influenciar outras

pessoas a correr atrás de seus sonhos, e que a partir disso as meninas podem tomar uma

iniciativa para serem um dia realizadas profissionalmente e pessoalmente” (Fernanda Lopes).

5


R

Bússola – Buscando

Direções

No dia 03 de outubro de 2018, os alunos da turma 47 do Programa

Aprendizagem definiram como tema do Projeto Integrador a Bússola, que tem

como objetivo inspirar as pessoas a buscarem direções.

Após muitas conversas e um longo período no desenvolvimento do

Projeto, os aprendizes protagonistas foram inspirar os alunos no 9º ano do

ensino fundamental da Escola E.E. Prof.ª Maria Luiza Formosinho Ribeiro do

munícipio de Presidente Prudente.

R

NA

Toda a programação desenvolvida para os encontros com os alunos se

deu por meio de metodologias ativas: com exposição de relatos de aprendizes

sobre como se desenvolveram no decorrer do programa, apresentação do

curso e das atividades práticas, e, uma roda de conversa sobre o processo de

amadurecimento. Também, realizaram uma Dinâmica de Grupo que propiciou

refletir sobre as escolhas feitas no decorrer da vida.

A ação foi realizada com duas turmas: a primeira com o 9º ano A e

a segunda com o 9º ano B, onde, além dos alunos, os professores também

participaram da atividade.

O tema foi “Buscando direções” e teve como objetivo inspirar os jovens

a serem protagonistas de suas vidas e a planejarem o caminho a percorrerem.

6


Os aprendizes compartilharam que a metodologia utilizada no Senac

é um diferencial que estimula a aprendizagem e o empreendedorismo.

evista

EDE

Depoimentos:

“Eu amei essa atividade, pois com eles, eu consegui ter mais experiência e ter mais

consciência do que fazer na hora de ter um emprego e onde procurar, como reagir em alguns

casos” (Juliana, 14 anos).

“Foi extremamente útil, pois estava em um momento confuso e acredito que sei o que

fazer agora, gostei da apresentação e vou levar para a minha vida. Serviu de grande inspiração

para mim e sei o que quero agora para a minha vida” (Larissa, 14 anos).

“Achei legal, estou levando para casa que devo insistir no meu talento, obrigada a equipe

que se deslocou para nos ensinar, verdadeiros guerreiros” (João Pedro, 14 anos).

7


R

Diálogos e Reflexões

com o Documentário

“Nunca me sonharam”

O que é ser protagonista da sua história? Como correr atrás dos sonhos

em uma sociedade de constantes transformações, mudanças, realidades,

dificuldades de acesso, preconceitos, oportunidades não percebidas, percebidas

e aproveitadas? Estas foram algumas questões que propiciaram reflexões

com os alunos da turma de Aprendizagem 46 que contou com a apresentação

documentário “Nunca me Sonharam”, onde ouviram estudantes, gestores,

professores e especialistas dialogando sobre a realidade do ensino médio nas

escolas públicas do Brasil.

R

NA

No documentário o estudante Felipe Lima conta: “Como meus pais não

foram bem-sucedidos na vida, eles também não me influenciavam, não me

davam força para estudar. Achavam que quem entrava na universidade era

filho de rico. Acho que eles não acreditavam que o pobre também pudesse ter

conhecimento, que pudesse ser inteligente. Para eles, o máximo era terminar

o ensino médio e arrumar um emprego: trabalhador de roça, vendedor, alguma

coisa desse tipo. Acho que nunca me sonharam sendo um psicólogo, nunca me

sonharam sendo professor, nunca me sonharam sendo um médico, não me

sonharam. Eles não sonhavam e nunca me ensinaram a sonhar. Tô aprendendo

a sonhar. ”

O aluno Cristhian Felipe – aprendiz na turma, após assistir o documentário

trouxe a frase: “É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã...”

8


pois tolerância e respeito são essenciais para o bom convívio e superação das

diferenças, medos e obstáculos apresentados na vida.

Para a Docente, as dúvidas, as descobertas e decisões fazem parte da

juventude e enquanto educadores, devemos contribuir para empoderar os

jovens a fim de sonharem e transformarem suas próprias vidas, pertencerem

à sociedade, comprometidos para desempenharem as transformações de suas

realidades em busca dos sonhos, soluções, assumindo a responsabilidade

de suas ações, construindo seus conhecimentos e aprendizagens enquanto

cidadãos ativos e interativos.

evista

Os aprendizes da turma 46 envolvidos na reflexão decidiram por montar

um painel e disponibilizar a todos, com as árvores dos sonhos que construíram,

compartilhando os seus propósitos em relação ao que sentiram, viram,

dialogaram em busca de um futuro melhor.

EDE

9


R

Diversidade e

Tolerância: Cultura de

Paz

Os alunos, aprendizes da turma 46 do Programa Aprendizagem, após

desenvolverem a unidade curricular de formação cidadã, nos temas Diversidade

e Tolerância, sensibilizados, escolheram como o tema do Projeto Integrador,

desenvolvido ao longo dos 17 meses que passaram no Programa.

A fim de vivenciar e propiciar a sensibilização à adolescentes e jovens com

suas mesmas faixas etárias, resolveram proporcionar aos alunos do ensino

médio de uma escola estadual de Presidente Prudente, uma reflexão sobre:

diversidade, gênero, raça, preconceito, bullying, pessoas com deficiências,

exclusão, violência contra mulheres e minorias, etc., que se encontram na

ordem dos diálogos de conivências e cultura de paz.

R

NA

Na escola, realizaram um Quis com perguntas e respostas prévias acerca

dos conceitos a serem refletidos, e também, um quem sou eu, com algumas

pessoas famosas que foram vítimas de preconceitos ao longo de suas vidas

pessoais e profissionais por serem: negras, ou, pessoas com deficiências, ou,

simplesmente por serem mulher.

A metodologia utilizada para propiciar a participação, se deu por meio

de duas rodas de conversas realizada em duas turmas: a primeira com o 3º

ano A e a segunda com o 3º ano B, da escola Estadual Francisco Pessoa do

10


munícipio de Presidente Prudente.

Foi um momento de muita reflexão e com bastante envolvimento dos

alunos da escola escolhida.

Além disso, os aprendizes, apresentaram três vídeos que produziram, com

entrevistas realizadas com uma pessoa com deficiência física, uma mulher

negra e um jovem homossexual. E também, colheram alguns depoimentos

com relatos de situações de preconceitos vividas pelos jovens participantes.

evista

Após a realização do projeto integrador os alunos reuniram-se para

preparar a apresentação para os gestores e para alunos do Senac de Presidente

Prudente.

EDE

A apresentação também foi realizada com o uso de metodologias ativas:

quis de perguntas e respostas, exposição oral e dialogada e vídeos com relatos.

Foi um momento de muita reflexão para os gestores envolvidos, pois os

alunos trataram de pessoas que poderiam ser seus próprios funcionários ou

futuros colaboradores.

O tema diversidade é atual, e, para os aprendizes as empresas não devem

ter preconceito com os diversos e sim acolhê-los e recebê-los em suas empresas,

agregando valores de convivência as mesmas.

As pesquisas trouxeram pontos que chamaram a atenção dos aprendizes,

como exemplos: apontaram que pessoas homossexuais não ocupam cargo de

chefia, e que os salários das mulheres ainda são mais baixos que o dos homens.

Os aprendizes se envolveram muito em pesquisas e correlacionaram o

tema da cultura de Paz com a diversidade.

11


Revista Joga na Rede

Considerando que o trabalho por projetos contribui para o desenvolvimento

de competências e favorece o aprendizado com maior autonomia, por meio de

situações reais de rotinas de trabalhos da profissão, além de, proporcionar

novos desafios, aliar-se as exigências e aplicabilidade normativa, foi proposto

aos alunos do Técnico em Segurança do Trabalho – turma 33, realizarem um

projeto de elaboração do Plano de Emergência e Evacuação, e aplicação do

treinamento de Brigada de Incêndio no Lar São Rafael de Presidente Prudente

que atende a pessoas idosas.

R

R

NA

A elaboração do Plano de Emergência e Evacuação teve a contribuição

direta da Instituição de Caridade que ofereceu seu espaço para que os alunos

pudessem visitar todas as áreas da dependência, levantando informações

importantes que deveriam constar no Plano de Emergência e Evacuação.

Ocorreram várias visitas durante o período de 06/09 a 26/10, facilitando os

trabalhos a serem desenvolvidos.

Mesmo antes, da entrega definitiva do Plano de Emergência e Evacuação,

os alunos da turma de TST realizaram no dia 20/10/2018, um treinamento da

Brigada de Incêndio aos funcionários da Congregação com duração de 4h. O

treinamento ocorreu nas dependências da própria Instituição.

O projeto contribuiu para que os alunos desenvolvessem todos os

indicadores e consequentemente a competência, além, de mobilizar e oferecer

o devido conhecimento quanto a prevenção e combate a princípio de incêndio.

12


De certa forma, o sucesso dos trabalhos se deu pela parceria e

comprometimento intitulado entre as partes envolvidas.

evista

EDE

Depoimentos:

“Creio que todos fizeram sua parte. E saber trabalhar em equipe é saber ser parte de

um todo. É como ser uma parte fundamental de um corpo, mas sabendo que sem corpo essa

parte de nada serve. Trabalhando em Equipe, nos tornamos mais motivados e comprometidos,

afinal, um depende do outro, assumindo juntos as falhas e o sucesso obtido. Dessa forma,

encerro dizendo que esse trabalho fortaleceu a união e a amizade em prol de um bem e de

um objetivo comum, por isso se torna mais nobre do que uma batalha individual. Excelente

trabalho! “

13


A prática da acolhida:

Na educação e na vida

profissional.

Evasão escolar e demissões são processos delicados que mexem

diretamente com a vida e os sentimentos das pessoas. Estas questões são

resultados da somatória de várias situações que se acumularam ao longo do

tempo. É importante refletir e dialogar sobre o que podemos fazer para evitar

e ou minimizar tais circunstâncias pensando na valorização e reconhecimento

do ser humano.

Com este olhar o 2° Encontro com o Senac de Presidente Prudente, foi

realizado em 08/06/2018 e dialogou-se sobre o tema “A prática da acolhida: na

educação e na vida profissional”.

Este evento faz parte das ações do Projeto Político Pedagógico do Senac

Presidente Prudente, e tem por objetivo: promover encontros da comunidade

educacional do Senac – alunos e funcionários, com a comunidade de

Presidente Prudente e região – Empresas, Organizações Governamentais e

Não Governamentais, Cidadãos, para uma reflexão de temas relacionados à

educação no futuro e à educação profissional.

É essencial ter e permitir a liberdade de expressão da fala pois em

toda a situação que as pessoas estejam postas e expostas sempre haverá a

necessidade do expressar, ouvir, compreender e ter empatia.

Para fomentar a reflexão iniciou-se com trechos do documentário

“Nunca me sonharam” para que os convidados fizessem suas observações e

percebessem o quão responsável eu sou em relação ao que acontece e influencia

quem está ao meu redor.

Em seguida foi solicitado para que parceiros, alunos representantes de sala,

organizações governamentais e não governamentais, e, empresas escolhessem

14

R

R

NA


uma mesa para dialogarem sobre o tema proposto mediado com Jogo Téchne

(jogo de tabuleiro com sorteio de cartas, pinos e dados para compartilhamento,

reflexão e vivencias - o que usamos, foi criado por profissionais do Senac).

Em seguida, os participantes escolheram uma peça que de forma divertida

o representasse (joaninha, aviãozinho, carrinho, laço, botão, homenzinho).

E, iniciaram o jogo, que de forma lúdico propiciou diálogos profundos sobre

o acolhimento, os vínculos e a permanência das pessoas nos ambientes

educacionais e profissionais.

Depois, de algumas rodadas do jogo, foi formada uma grande roda de

diálogo para compartilhar as vivências dos participantes em suas mesas.

Situações que conforme a carta que tiraram no jogo necessitaram trocar de

mesa, ficar sem jogar, dar e receber presentes, ou refletir sobre suas vivencias.

Sorriram, emocionaram-se, lembraram da infância e refletiram sobre o

que está envolvido na prática da acolhida.

A manhã de conhecimento e autoconhecimento foi ilustrada por Simoni

Gonçalves de Almeida Santos com alegria e criatividade.

evista

EDE

15


R

Nossa Marmita Tem!!

Este projeto, surgiu quando do interesse dos alunos do Programa Educação

para o Trabalho – Trampolim em saber mais sobre alimentação saudável.

Percebendo esta necessidade os alunos começaram a pensar em como

iriam realizar o projeto, e, nas maneiras que poderiam apresentar suas ideias,

surgindo assim, o projeto: “Nossa Marmita Tem! ”

Os alunos realizaram pesquisas com os funcionários e alunos do Senac

Presidente Prudente com perguntas relacionadas a alimentação:

Você traz marmita?

Qual o material da sua marmita?

Quais alimentos você costuma trazer?

Onde você armazena?

A partir deste momento, os alunos divididos em grupos começaram a

pesquisar: sobre os benefícios de uma alimentação saudável ao trabalhador,

os tipos de marmita, as opções de cardápios e as listas de substituições.

O resultado da pesquisa serviu como base para a construção de um livreto

contendo dicas aos funcionários e alunos de como prepararem suas marmitas

de uma forma mais equilibrada e segura.

O projeto reuniu conhecimentos de todo o curso, fazendo assim, sentido para

os alunos, referente a saúde do trabalhador, a comunicação visual, o processo

de um projeto, o atendimento ao cliente, tecnologia e empreendedorismo.

16

R

NA


evista

EDE

17


Programa de Imersão

para Novos Funcionários

O programa de imersão para novos funcionários foi criado para capacitar

os atendentes do Senac Presidente Prudente, de forma a desenvolver

habilidades alinhadas com os valores da área do atendimento, as premissas do

Movimento PonteS e as marcas formativas do Senac, por meio de metodologias

diferenciadas que dão subsídios e transmitem os conhecimentos necessários

à atuação do funcionário, observando tanto os aspectos técnicos quanto os

comportamentais.

R

R

NA

Para tornar o treinamento mais atrativo e eficiente foram utilizadas

metodologias ativas de aprendizagem, como: jogos, dramatizações, tutoriais

online, dinâmicas e outros. Cita-se como exemplo destas práticas o jogo “Agora

é a sua vez de dar as cartas”, que foi desenvolvido pela equipe de atendimento

para esclarecer sobre as etapas do atendimento consultivo de forma lúdica.

Foi utilizado também o painel com as perguntas: “O que aprendi? ” e “O

que eu preciso saber? ” com objetivo de visualizar, compreender e acompanhar

a trajetória de aprendizagem da nova funcionária, que realizou registros

diários dos conhecimentos adquiridos nas atividades programadas.

O programa foi desenvolvido pela supervisora de atendimento, Simoni

Almeida, e contou com a participação da equipe de atendimento e outros

funcionários (administrativos e docentes) para mediar as atividades.

18


A funcionária, Gabriela Neres, relata que “participar do Programa de

Imersão de Novos Funcionários foi uma experiência enriquecedora, pois,

por meio dele, adquiri conhecimentos suficientes para iniciar o trabalho me

sentindo mais confiante. A metodologia do programa é de fato o ponto mais

relevante a ser destacado, pois se adequa as metodologias ativas utilizadas

pelos docentes em sala de aula, de maneira que eu pude além de aprender

minha função, entender esse fator tão importante do Jeito Senac de Educar. ”

Considerando os indicadores apresentados nos relatórios,

acompanhamentos e feedbacks foi possível perceber que o objetivo de tornar

o programa mais atrativo, mas com foco em resultados, foi alcançado.

evista

EDE

19


Transformando vidas

por meio de pequenos

gestos de amor

Durante o desenvolvimento do projeto integrador intitulado Promovendo

o Inesperado, os alunos da turma 48 da Aprendizagem realizaram ao longo do

curso várias ações colaborativas em diferentes locais da cidade de Presidente

Prudente.

R

Uma das ações realizadas se deu com a doação de mechas e comprimentos

de cabelos onde utilizaram as competências desenvolvidas ao longo do curso,

como: negociação, resolução de conflitos, empatia, trabalho em equipe e

principalmente a solidariedade e a responsabilidade social.

R

NA

De posse da ideia, os alunos deram início a proposta e se se uniram em

torno do objetivo: sensibilizar as pessoas quanto a importância de contribuírem

com a doação de mechas de cabelo, a fim de confeccionar perucas, que podem

contribuir para o tratamento de câncer em mulheres de diferentes faixas de

idades com a melhora da autoestima.

De posse do objetivo, os alunos elencaram e estabeleceram as parcerias,

e deram andamento a efetivação das ações.

O resultado alcançado, além de todo aprendizado e despertar da

solidariedade, foram um total de 51 mechas e 60 comprimentos.

20


Na entrega ao Hospital Regional do Câncer os alunos foram entrevistados

pela TV Fronteira, onde, demonstraram manifestaram a felicidade que

sentiram com o processo e os resultados obtidos, brincaram que o título do

projeto foi tão inspirador que até eles se surpreenderam.

evista

EDE

Participaram da ação: os alunos de outras turmas, funcionários do Senac,

a comunidade representada pelos amigos e parentes de alunos. E também: O

Salão Trindade de Álvares Machado que recebeu durante quinze dias uma urna

para que de forma anônima os clientes realizassem doações, e, a Cabelereira

Sandra Almeida que disponibilizou uma tarde no salão para a retirada de

mechas e cortes de comprimento.

A ações, tiveram início em abril de 2018, com o lançamento da proposta

no Senac Presidente Prudente. Ao longo da ação surgiram novas ideias e a

finalização do projeto ocorreu no dia 15/05/2018, no Salão parceiro Sandra

Almeida., onde as pessoas doadoras tiveram suas mechas retiradas e as

pessoas que doaram o comprimento foram presenteadas com um lindo corte.

21


Customização

de Camisetas,

Customização para a

Vida!

R

No Projeto Político Pedagógico do Senac Presidente Prudente, há uma

ação de Inclusão que tem por objetivo: realizar atividades em espaços externos

que gerem inclusão social, estruturada no projeto Espaços Inclusivos.

As principais atividades propostas, são a realização de eventos em

múltiplos espaços organizados em roda de conversa, oficinas e vivências que

proporcionem aos participantes visualizarem um caminho para obter renda e

alcançar uma profissão que faça sentido, ou seja, que tenha alinhamento com

o seu projeto de vida, ou qualidade de vida.

R

NA

Os resultados Esperados são a realização de vivências e informações

que resultem em inclusão social, o fortalecimento da cultura colaborativa, o

fomento de inteligência coletiva e a construção e cocriação de caminhos para

empreender.

O grupo responsável por esta ação, realizou no dia 13/09/2018 das 14h às

16h, uma Oficina de Customização de Camisetas com as mulheres atendidas

no Grupo Amigas do Peito de Presidente Prudente.

O Grupo Amigas do Peito, é uma instituição sem fins lucrativos que existe

há 20 anos, e por objetivo ajudar as mulheres diagnosticadas com câncer de

mama na sua reintegração ao meio social.

22


Atualmente, o grupo possui 850 mulheres

cadastradas de Presidente Prudente e região, que

recebem apoio emocional durante e após o tratamento

da doença.

A oficina, teve como mediadora, a docente Janaina

Torres Manzoli Soares, que contou com a participação

de 26 mulheres na customização de camisetas.

evista

A ação, teve por objetivo contribuir com as

mulheres na qualidade de vida, o empoderamento,

além da possibilidade de geração de renda e

empreendedorismo.

Para a Docente Janaina Torres Manzoli Soares

e as participantes, foi uma tarde agradável, muito

produtiva e de aprendizado para todas.

EDE

23


R

Dança, Arte e

Consciência. Corporal

No Projeto Político Pedagógico do Senac Presidente Prudente, há uma

ação de Inclusão que tem por objetivo: realizar atividades em espaços externos

que gerem inclusão social, estruturada no projeto Espaços Inclusivos.

As principais atividades propostas, são a realização de eventos em

múltiplos espaços organizados em roda de conversa, oficinas e vivências que

proporcionem aos participantes visualizarem um caminho para obter renda e

alcançar uma profissão que faça sentido, ou seja, que tenha alinhamento com

o seu projeto de vida, ou qualidade de vida.

R

NA

Os resultados Esperados são a realização de vivências e informações

que resultem em inclusão social, o fortalecimento da cultura colaborativa, o

fomento de inteligência coletiva e a construção e cocriação de caminhos para

empreender.

O grupo responsável por esta ação, realizou no dia 26/05/2018 das 14h

às 16h, uma vivência de dança circular com as mulheres atendidas no Grupo

Amigas do Peito de Presidente Prudente

O Grupo Amigas do Peito, é uma instituição sem fins lucrativos que existe

há 20 anos, e por objetivo ajudar as mulheres diagnosticadas com câncer de

mama na sua reintegração ao meio social.

24


Atualmente, o grupo possui 850 mulheres cadastradas de Presidente

Prudente e região, que recebem apoio emocional durante e após o tratamento

da doença.

A Dança teve como Focalizadora a Docente Edelvita dos Santos Moreira do

Senac Presidente Prudente que relatou: “ao dançar coletivamente em diversos

ritmos, gestualidades e melodias, ampliamos nossa consciência corporal,

ativando nossas células para uma vida saudável e mudança de atitudes”.

Dançaram em roda, de mãos dadas e soltas, visitando danças tradicionais

e contemporâneas de todos os povos.

Participaram dessa ação de dança circular 46 mulheres.

O resultado dessa ação foi altamente positivo favorecendo o empoderamento

e melhoria na qualidade de vida dessas mulheres.

evista

EDE

25


R

Conhecendo as ECLU’s

As ECLUS, antes conhecidas como órteses ungueais, são Elementos de

Correção das Lâminas Ungueais. São utilizadas para correção e tratam da

curvatura da lâmina ungueal seguindo os princípios físicos da força aplicada

sobre as unhas.

R

NA

A técnica corrige o formato da lâmina, pois atuam como alavanca forçando a

mesma em sentido contrário, mudando sua curvatura e corrigindo assim desde

a raiz evitando que encravem e diminuindo a pressão, e, consequentemente o

desaparecimento de lesões dolorosas.

Esse projeto foi desenvolvido por meio de pesquisa e procedimentos de

experimentações da técnica entre as alunas, e contou com a experiências das

docentes, e, teve como objetivo levar informação ao público sobre a técnica de

correção das unhas, considerando que a extração, nem sempre a extração é a

melhor solução.

Para ação de fechamento da pesquisa as alunas trabalharam na construção

de um folder com informações gerais sobre as ECLU’s e seu benefícios, para

26


divulgação na comunidade local.

Este folder foi reproduzido, apresentado e distribuídos ao público no

comércio de Presidente Prudente. Foi uma ação diferenciada em relação ao

tema, pois a mesma ainda não havia sido realizada antes, neste formato.

Para as alunas, o resultado do trabalho foi melhor do que o esperado pois,

conseguiram levar ao público as informações necessárias sobre as ECLU’s,

atingindo pessoas que não conheciam sobre a função das mesmas: “foi de

uma satisfação muito grande participar desse projeto levando orientações e

conhecimento para vários públicos”.

evista

EDE

27


R

Clima Organização – O

Impacto do Clima na

Produtividade

Aluno e Alunas do Técnico em Recursos Humanos do Senac Presidente

Prudente foram a campo, em busca de uma empresa, onde pudessem realizar

um projeto com desafios reais.

Após contato e entrevista com gestores identificaram que poderiam

contribuir com realização de uma Pesquisa de Clima Organizacional, pois

esta, poderia identificar os desafios e necessidades que a empresa têm na

gestão de pessoas.

Este projeto, aconteceu entre os meses junho e setembro de 2018, em uma

indústria de Presidente Prudente, no segmento de insumos eletroacústicos.

A pesquisa de clima organizacional foi realizada, por meio de um

questionário respondido pelos funcionários da empresa avaliando os

fatores: política da empresa, normas e procedimentos, liderança, relações

interpessoais, condições de trabalho, realização, reconhecimento, conteúdo do

trabalho, comprometimento, política de promoção, visando uma análise crítica

da percepção dos colaboradores em relação a organização.

De posse das informações coletadas, foi possível aos alunos contribuir

com a empresa, propiciando que esta recebesse as sugestões de melhorias e

assim, pudesse otimizar resultados na gestão de pessoas.

Para os alunos, os ganhos foram o reconhecimento das competências

desenvolvidas na superação dos desafios reais.

28

R

NA


evista

A Xerose, é a pele excessivamente seca presente em cerca de 70% das

pessoas com síndrome de Down. Está relacionada à diminuição dos óleos na

superfície da pele, e têm como causa, a deficiência de lipídios na barreira

da pele, relacionada a falta de fatores de hidratação naturais – FHN - ureia,

lactato que atraem a hidratação para a camada superior da pele.

O projeto, teve por objetivo, contribuir para melhorar a qualidade de vida

das pessoas com Síndrome de Down, em saúde e bem-estar.

EDE

Prevenção e Tratamento

de Xerose Cutânea em

Pessoas com Síndrome

de Down

O projeto contou com pesquisa bibliográfica, contato direto e atuação

práticas com pessoas com Síndrome de Down que possuem Xerose, onde

buscou resultados na hidratação com Homeopast e Babosa, e também, por

meio de palestras educativas com pais e responsáveis, e pessoas que convivem

com a Síndrome de Down. Além, reconhecimento da necessidade de atuação

com multiprofissionais (dermatologistas, ortopedistas, fisioterapeutas,

endocrinologistas e professores) nas instituições de atendimento educacionais,

sociais e de saúde.

Teve também, como abrangência, um olhar para um novo campo de

atuação dos Podólogos, estimulando a formação e a qualificação para atuar

junto a este segmento, considerando as especificidades e a abordagem aos

pais e responsáveis, e a quebra de tabus e preconceitos.

Para a realização do Projeto estabeleceu-se parceria com instituição de

atendimento a pessoas com Síndrome de Down, para assim desenvolver a os

29


objetivos propostos.

Confirmou-se, em contato com familiares e responsáveis, e, das pessoas

que convivem com a Síndrome de Down, a necessidade de cuidados podólogicos

devido ao ressecamento excessivo que grande parte apresenta nos pés.

Ao final do projeto, as alunas realizaram um Encontro com os pais,

responsáveis e as pessoas que convivem com a Síndrome de Down, e

perceberam o quanto necessitam de conhecimento a este respeito e que a cada

nova informação passada propicia mais qualidade de vida para os mesmos.

No encontro, as alunas proporcionaram aos participantes, vivenciarem

sensações táteis para entenderem as as diferentes fases dos sintomas,

utilizando-se de tecidos (jeans sem lycra, veludo, seda, tecido canelado), pinha,

bucha vegetal e de lavar louça, festão (natal), água para mostrar uma pele com

água e outra pele sem água. Logo após a explicação do que acontece na xerose

cutânea, exibimos no tecido de veludo, demostrando como a pele dos pés ficam

após a hidratação/tratamento podológico.

R

R

NA

As alunas falaram da satisfação que tiveram em passar o conhecimento

pesquisado no decorrer do curso, e concluíram que a ter consciência desta

patologia é importante para o tratamento adequado e um resultado eficaz.

“Oportunidade define o nosso projeto integrador. Sentimos gratidão! ”

Antes do tratamento:

Depois do tratamento:

30


Calos e calosidades

evista

EDE

Calos e calosidades foram os temas escolhidos por um grupo de alunas

do Curso Técnico em Podologia para estudo, pesquisa e a construção de boas

práticas preventivas, por serem assunto de grande relevância, recorrência e

atingem todas as faixas etárias da população, de crianças a idosos, onde o

principal fato gerador é o uso de determinados tipos de calçados.

Dentre esses tipos de calçados destacam-se os calçados de bico fino, botas

de PVC, botas e botinas com biqueira de aço, que causam podopatias severas

por seu uso contínuo.

O mais comum são os calos, que são espessamentos da pele, um acúmulo

de queratina (proteína), substância que forma a camada superficial e mais

resistente da epiderme.

As causas dos calos são os estímulos, atritos, uso inadequado de calçados,

vícios de posturas, problemas ortopédicos, obesidade, pressão, produtos

químicos etc.

Quando aparecem, podem ser de forma igual ou com rachaduras, por

perda de elasticidade da pele.

A outra patologia muito comum são as calosidades, que diferem dos calos

por serem mais extensas e recebem uma pressão excessiva ou biomecânica

anormal e não possuem núcleos e provocam frequentemente fissuras na pele.

É considerável em grande parte da população profissionalmente ativa,

31


que fazem uso de alguns tipos de calçados, incluindo, os equipamentos de

proteção individual (EPI) em sua jornada diária de trabalho,

Nesse projeto buscou-se formas preventivas, paliativas e curativas para

os calos e calosidades a fim de proporcionar à sociedade em geral uma melhor

qualidade de vida e bem-estar.

Com o intuito de sensibilizar a população foram realizadas várias ações

de informação e esclarecimento, e sensibilização, tais como: palestras na

Santa Casa de Presidente Prudente. No Senac Presidente Prudente: Feira de

Projetos, exposição de produtos e calçados adequados e não adequados para os

alunos. Também, Lar dos Idosos São Rafael, na Unidade Básica de Saúde do

bairro Cohab de Presidente Prudente e do Parque dos Pinheiros em Alvares

Machado/SP.

Foram realizados atendimentos podológicos práticos durante o Curso

Técnico em Podologia no Senac com a finalidade de profilaxia e tratamento

dos calos e calosidades com orientações sobre o uso dos calçados corretos e

protetores, higienização, meias adequadas e sobre o uso de palmilhas. Em

alguns casos foi orientado que a pessoa procurasse por profissionais que

trabalham com a podoposturologia.

Com o projeto foi observado por meio do acompanhamento regular

dos clientes, por registro em fotos, e, ficha de acompanhamento a melhora

significativa de todos os casos. Orientou-se ao cliente fazer o retorno a cada 30

(trinta) dias para sequência do tratamento e também seguir as recomendações

preventivas e paliativas, tais como palmilhas e protetores de calos.

Por meio do projeto foi observada uma grande melhora nos casos

acompanhados, que em consequência podem ter amenizado outros problemas

relacionados diretamente aos calos e calosidades, tais como: dores de cabeça,

problemas posturais e alívio de dores nos pés, que consequentemente melhora

na qualidade de vida destas pessoas atendidas durante o projeto.

R

R

NA

32


evista

EDE

Senac Presidente Prudente

. Manoel Goulart, 2881 - Centro Educacional Presidente Prudente - SP CEP: 19060-000

18 3344-4400

presidenteprudente@sp.senac.br

sp.senac.br/presidenteprudente

33

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!