edição de 22 de abril de 2019

referencia
  • No tags were found...

cience manager da Nielsen

Consumer Neuroscience, deve

sim haver uma preocupação

em atingir uma audiência certa,

mas tão importante quanto

é o que você vai falar para este

público. “Nosso consumidor é

multiplataforma. Você precisa

ter um conteúdo que consiga

atingi-lo da maneira correta”,

explica. Ênio Vergeiro, presidente

da Associação dos Profissionais

de Propaganda (APP),

também participou do painel.

Pouco antes do almoço, foi

a vez dos anunciantes subirem

ao palco. O painel foi mediado

por Hilda Cajade e contou

os seguintes nomes: Leonardo

Vendrame, media manager

da Natura Cosméticos; Rafael

Gonçalez, gerente de mídia integrada

da BRF; Marco Frade,

general manager da LG Eletronics;

e Bruno Campos, diretor

de marketing digital Mercosul

da General Motors.

Logo na abertura, os executivos

foram questionados se os

mídias conseguiram se adaptar

às mudanças de mercado.

“Eu acho que eles ainda não se

adaptaram, porque ninguém se

adaptou ainda a todas as mudanças

e a mudança é um ciclo

contínuo”, explicou Gonçalez,

da BRF. O executivo provocou

o público: “entender o negócio

dos clientes é fundamental.

Quem esteve no PDV do seu

anunciante nos últimos dois

meses?”, questionou.

Segundo Frade, da LG, o trabalho

dos anunciantes envolvidos

com a mídia possui um

“diálogo mais profundo”. “A

gente precisa falar com a área

comercial, com a de produtos,

entender quais são as intenções

da empresa. O trabalho que a

agência entrega é, praticamente,

o começo do nosso”, analisa.

Vendrame, media manager

da Natura Cosméticos, sente

que os profissionais de mídia

das agências “têm de, meio que

sozinhos, ir se capacitando”

para aprofundar os seus conhecimentos

em dados e tecnologia.

“Acho que aí tem um convite

para as agências investirem

mais nesses profissionais”,

conta.

“Acho que o perfil do marketing

como um todo mudou. E

não foi acompanhado por um

movimento de mudança na

formação”, explica Bruno Campos,

da GM. Para o executivo, é

preciso melhorar o ensino dos

Francisco Rosa, da Artplan; Ana Brito, da JCDecaux; Beto Lima, da Africa; e Luciana Valerio, da Sony, foram os premiados desta edição

“entender o

negócio dos

clientes é

fundamental.

Quem esteve no

PDV do seu

anunciante nos

últimos dois

meses?”

profissionais para que eles cheguem

melhor preparados.

Após o painel dos anunciantes,

foi a vez dos veículos. O

painel mediado por Geraldo

Leite, business owner da Singular

Mídia e Conteúdo, contou

com representantes do SBT,

Globo, Globosat e Elemidia.

“Complexidade é a palavra

do negócio. Temos de estar em

todos os olhares, em todos os

momentos. O mundo caminha

para um pensamento digital”,

defendeu Roberto Schmidt, diretor

de marketing da Rede Globo,

que ressaltou a importância

do novo posicionamento da

emissora: Uma só Globo.

Seu concorrente direto, o

SBT, defendeu uma comunicação

que coloca o “telespectador

no centro”, conforme explicou

Marcelo Parada, diretor-comercial

e marketing do SBT. Para

ele, a conversa sobre on e offline

“já não faz mais sentido”.

Segundo o executivo, é preciso

observar os desejos da audiência

e analisar como ela quer

consumir o conteúdo.

Já para o OOH, os últimos

cinco anos foram de evolução

constante. “Do lado das agências

e anunciantes temos uma

cobrança muito grande de ROI,

de métricas, de responsabilidade,

trazer dados de terceiros.

A gente vem avançando com

uma série de iniciativas como o

Mapa OOH”, explicou Raphael

Jimenez, diretor de publicidade

da Elemidia.

Fred Müller, diretor-executivo

comercial da Globosat, ressaltou

a importância de uma

entrega integrada. “O exemplo

mais recente que tivemos foi a

cobertura do Lollapalooza. Sete

cotas que comercializamos

com um olhar e cuidado para

cada plataforma”, destacou.

No último painel da noite,

VPs e diretores de gerais de mídia

participaram de um debate

moderado por Dora Camara,

que começou o bate-papo questionando

a importância da mídia

nos dias de hoje. “Nunca foi

tão desafiador trabalhar com a

Divulgação/Eddu Ferraccioli

profissão de mídia, porque a

gente de fato ganhou uma importância

muito grande dentro

do cenário geral da comunicação”,

disse Francisco Custodio,

diretor-geral de mídia da Africa.

“Eu nunca fui tão feliz na

minha área”, confessou.

Gláucia Montanha, diretora-

-geral de mídia da Y&R, também

reiterou a importância de reestruturar

a formação. “Está difícil

encontrar um profissional de

mídia formado pelas faculdades

de Comunicação Social”, alerta.

Andrea Hirata, VP de mídia da

Leo Burnett, concorda e alerta:

“O mídia talvez seja o profissional

que mais se recicla hoje”,

por isso a necessidade de rever

os cursos superiores.

Também participaram do último

painel Mauricio Almeida,

diretor-geral da área na F/Nazca;

e Marcio Zorzella, head do

setor na Dentsu.

No fim do dia, a organização

divulgou os vencedores do Prêmio

Encontro de Mídias. Foram

eles: Beto Lima, da Africa, na

categoria Diretor de Grupo de

Contas; Ana Brito, da JCDecaux,

na categoria Diretor-Executivo

de Contas Veículos; Luciana

Valerio, da Sony, como VP/Diretor-Geral

de Veículo; Vanessa

Brandão, de Heineken Brasil,

em Anunciantes; e Francisco

Rosa, da Artplan, na categoria

VP/Diretor-Geral de Mídia.

jornal propmark - 22 de abril de 2019 39

More magazines by this user
Similar magazines